Mudou!

O Redação do Esporte mudou de hospedagem! Acesse nosso conteúdo atualizado em: www.redacaoesporte.com.br

domingo, 18 de maio de 2014

Gringolaço > A Espanha é colchonera

Foi simplesmente o campeonato mais equilibrado nos últimos dez anos. Sabe quando temos em nossa casa aquele visitante indesejável, que senta no seu sofá preferido, pega a última lata de cerveja na geladeira e ainda dá em cima da sua patroa? Esse ‘visitante indesejável’ pode ser chamado de Atlético de Madrid, campeão espanhol da temporada 2013/14.

Contra tudo e contra todos, os Colchoneros incomodaram a dupla Real-Barça durante as 38 rodadas. Com um futebol no estilo sul-americano, uma defesa sólida, um ataque eficiente e um treinador que jogava junto com o time, brigou cabeça a cabeça pelo título. É verdade que deu umas refugadas, mas contou com os tropeços das duas potências do país e depois de 18 anos, enfim, levantou a taça.

Dia 17 de maio de 2014. Essa data não sairá tão cedo da memória do torcedor atleticano. O duelo contra o Barcelona em pleno Camp Nou era o capítulo final desta história, que há 18 anos teve um final feliz para os novos campeões: 3 a 1 na 37ª rodada (campeonato que tinha 42 rodadas) e um título logo em seguida. Voltando para 2014, o empate era do Atleti, enquanto, para salvar o ano, o Barça precisava vencer ou vencer.

Eram 97 mil catalães cantando em alto e bom som o hino do clube. O clima era de tensão e quanto a bola rolou, parecia que a sorte estava ao lado do time da casa quando Diego Costa e Arda Turan saíram lesionados com menos de 20 minutos de jogo. Os dois viraram dúvidas para a final da Champions League contra o Real Madrid, sábado que vem, em Lisboa.

Sánchez fez 1 a 0, mas Godín empatou no início do segundo tempo, de cabeça, jogada com a qual o Barça sofreu a temporada inteira. Pronto, era só fazer aquilo que sempre fez durante o campeonato: segurar o resultado. O Atlético controlou o jogo, o Barça foi na base do desespero (ah vá!?) e o 10º título já estava selado, registrado, carimbado, avaliado e rotulado diretamente para Madri. Não para o Santiago Bernabéu e sim, para o Vicente Calderón.

Quanto a final de sábado contra o Real Madrid, isso será uma outra história. Em caso de perda do título espanhol, isso certamente afetaria no duelo contra os Merengues, agora como venceram, eles vão para Lisboa com aquela sensação de “quero mais”. Outra coisa: como estarão Diego Costa e Arda Turan? Será que vão se recuperar a tempo? Até acredito que o Real seja favorito, mas estamos em uma temporada onde os sistemas defensivos estão mais eficientes do que os ataques, não duvido nada se a taça da Liga dos Campeões também parar na sala de troféus do Calderón.

Depois de uma temporada ‘atípica’, o técnico Tata Martino não aguentou a pressão e anunciou que não cumprirá o contrato com o Barcelona, que iria até junho de 2015. Aleluia e esperamos que tenhamos um técnico bom para comandar este Barça.

Futebol Inglês > O campeão voltou: Arsenal vira em cima do Hull City e fatura a FACup


Sim, foram nove anos de ‘seca’, de zoações e até provocações de treinadores rivais quanto ao trabalho empregado nos Gunners. Enfim, o Arsenal voltou a ser campeão da FA Cup ao vencer de virada o Hull City por 3 a 2.

A pressão apareceu desde o primeiro minuto em Wembley. Favorito, o Arsenal entrou bastante nervoso em campo e foi surpreendido por um Hull consciente, tocando a bola e indo à frente. Foi assim que Chester e Davies deixaram os Tigres com uma bela vantagem em oito minutos: 2 a 0.

Os Gunners reagiram com Carzola, Koscielny – tempo normal - e Ramsey deu o golpe de misericórdia na prorrogação, acabando com o martírio do Arsenal. Para o Hull, como prêmio de consolação, veio uma vaga para a próxima Liga Europa.

Futebol Alemão > “Apito amigo bávaro” ajuda, Robben decide e Bayern é campeão da Copa da Alemanha


Dezenove minutos do segundo tempo, jogo empatado em 0 a 0: Hummels apareceu em condição legal, cabeceou para o gol, mas Dante tirou a bola, que já havia passado. O juizão não assinalou o tento, pode isso Arnaldo? Esse lance mudou toda a história do duelo válido pela final da Copa da Alemanha entre Bayern de Munique x Borussia Dortmund.

O 2 a 0 conquistado apenas na prorrogação deu ao time de Pep Guardiola o terceiro título ao Bayern na temporada - também havia conquistado o Alemão e o Mundial de Clubes.

Após um empate sem gols nos primeiros 90 minutos, o duelo foi para a prorrogação e o Bayern conseguiu os gols apenas no segundo tempo com Robben e Muller. Assim como na final da Champions League contra o próprio Dortmund, o holandês foi decisivo para os bávaros e participou dos dois tentos. Primeiro, o camisa 10 aproveitou o cruzamento de Boateng e finalizou entre as pernas de Weindefeller. Depois, lançou Pizarro que deixou Muller completamente livre. O meia-atacante só driblou Weidenfeller e sacramentou a vitória.

Após o jogo, Pep Guardiola desabafou, disse que foi a temporada mais difícil da sua carreira como técnico, por mais que tenha conquistado três troféus (Bundesliga, Copa da Alemanha e Mundial). Tá de brincation with my face Pep? Três canecos e fala que o ano foi difícil, imagine se não conquistasse nenhum título, como seria avaliado o seu desempenho...

_____________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


por Antonio Lemos
|
www.paponaarquibancada.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário