Mudou!

O Redação do Esporte mudou de hospedagem! Acesse nosso conteúdo atualizado em: www.redacaoesporte.com.br

segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Seleção Brasileira> Retrospectiva 2007

A busca pelo 9 e o choro argentino

O ano de 2007 ficou marcado por duas coisas na Seleção Brasileira. Primeiro, pela procura para um substituto de Ronaldo. E a melhor de todas, mais uma vitória sobre nossos rivais Argentinos, dessa vez na final da Copa América. Confira um balanço do ano do Brasil comandado por Dunga.


A 1ª derrota, e a camisa de Dunga

A primeira partida do ano de 2007 foi na Inglaterra, contra a forte seleção de Portugal, comandada por Felipão. O Brasil foi completamente dominado, Cristiano Ronaldo e Quaresma deixavam os brasileiros a verem navios. Com gols de Ricardo Carvalho e Simão, os lusos impuseram o primeiro revés à “era Dunga”, 2 a 0.

Para piorar, além da derrota, se instalou uma pequena crise em cima da camisa de Dunga. Em um clima completamente gelado, o treinador usava uma camisa florida, estilizada por sua filha.


A falta do camisa 9


Sem contar com Ronaldo, machucado e com a má fase de Adriano, a seleção tinha uma incógnita com o matador da equipe. Vagner Love, não agradava a torcida, Fred oscilava contusões, Rafael Sóbis acabava de se contundir. Foi então, que surgiu o desconhecido Afonso Alves, artilheiro na Holanda, e muito criticado no Brasil.


Quase a 2ª derrota


A seleção volta à Inglaterra, porém desta vez, para enfrentar os donos da casa. Comandados por Beckham, o English Team massacrou o Brasil. Em uma tradicional jogada inglesa, Beckham alçou na área, e Terry fez o gol dos mandantes. Após levar muito sufoco, no final da partida Diego conseguiu o empate.


Pífia Copa América


Uma péssima campanha mascarada com o título, é como se pode resumir a Copa América. A fase de grupos foi um sufoco. O Brasil iniciou perdendo para o México, graças ao talento de Robinho, bateu o Chile e o Equador, e conseguiu a classificação.


Nas quartas-de-final, encontrou novamente o Chile, e goleou por 6 a 1. Outro show de Robinho. Na semi, uma partida difícil, clássico contra o Uruguai. Após 2 a 2 no tempo normal, a partida foi para os pênaltis. A seleção contou com a ajuda do Juiz, para se classificar a final, após o goleiro Doni praticamente travar a cobrança de Diego Lugano.


Brasil 3 x 0 Argentina, a melhor partida da “era Dunga”


O Brasil voltou a ser o Brasil. Cresceu e foi para cima dos argentinos. Uma grande seleção comandada por Riquelme, Messi, Tevez e Verón, acabou destruída pela seleção canarinho. Julio Baptista foi um verdadeiro gigante, Josué anulou Riquelme, Dani Alves deu um imenso gás.

Após muito tempo a torcida se contagiou com o bom e velho futebol brasileiro. Vitória por 3 a 0 sobre nossos hermanos.


Início das Eliminatórias


A seleção estréia contra a Colômbia, na altitude, e não passa de um 0 a 0. Volta cabisbaixo para o Brasil, e é alvo de fortes criticas da imprensa. Principalmente para Ronaldinho Gaúcho, que vive o pior momento de sua carreira, e Vagner Love, que não se firma como o homem gol da seleção.


De volta ao Maracá e Obina!!!


Após 7 anos longe do Maracanã, a seleção volta para enfrentar o Equador. Com o estádio lotado, a equipe demonstra um fraco futebol durante grande parte da partida, é vaiado, e os gritos de “Obina!Obina!Obina!” ecoam pelas arquibancadas.


O placar de 5 a 0, não demonstra o que foi a partida, com chutes de fora da área Kaká garantiu a vitória. A melhor parte da partida, foi o drible desconcertante de Robinho, batizado de “vai pra lá que eu vou pra cá".


Enfim o dono da camisa 9


Luís Fabiano!!!! Esse é o homem gol da seleção. Convocado as pressas, para o lugar de Afonso Alves, machucado, o artilheiro do campeonato espanhol, entrou como titular na partida contra o Uruguai, no Morumbi, e fez os dois gols, que garantiram a vitória do Brasil.



Confira todos os jogos da seleção no ano de 2007:

Data Jogo Torneio Gols do Brasil
06/02/2007 Brasil 0 x 2 Portugal Amistoso Não houve
24/03/2007 Brasil 4 x 0 Chile Amistoso Ronaldinho (2), Kaká e Juan
27/03/2007 Brasil 1 x 0 Gana Amistoso Vágner Love
01/06/2007 Inglaterra 1 x 1 Brasil Amistoso Diego
05/06/2007 Brasil 0 x 0 Turquia Amistoso Não houve
27/06/2007 Brasil 0 x 2 México Copa América Não houve
01/07/2007 Brasil 3 x 0 Chile Copa América Robinho (3)
04/07/2007 Brasil 1 x 0 Equador Copa América Robinho
07/07/2007 Brasil 6 x 1 Chile Copa América Juan, Júlio Baptista, Robinho (2), Josué e
Vágner Love
10/07/2007 Brasil 2 x 2 Uruguai*
* Brasil 5 x 4 nos pênaltis
Copa América Maicon e Júlio Baptista
15/07/2007 Brasil 3 x 0 Argentina Copa América Júlio Baptista, Ayala (contra) e Daniel Alves
22/08/2007 Brasil 2 x 0 Argélia Amistoso Maicon e Ronaldinho
09/09/2007 Brasil 4 x 2 EUA Amistoso Onyewu (contra), Lúcio, Ronaldinho e Elano
12/09/2007 Brasil 3 x 1 México Amistoso Kléber, Kaká e Afonso
14/10/2007 Colômbia 0 x 0 Brasil Eliminatórias Não houve
17/10/2007 Brasil 5 x 0 Equador Eliminatórias Vágner Love, Ronaldinho, Kaká (2) e Elano
18/11/2007 Peru 1 x 1 Brasil Eliminatórias Kaká
21/11/2007 Brasil 2 x 1 Uruguai Eliminatórias Luis Fabiano (2)













Redator: Marco Miranda
marco_mirand@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro - Série A > Retrospectiva 2007

São Paulo domina e fatura o penta

O Campeonato Brasileiro de 2007 foi equilibrado até as rodadas finais do primeiro turno. Logo no começo, o Botafogo deu as cartas e liderou a competição. Nas dez primeiras rodadas, o Alvinegro venceu sete partidas e empatou três, colocando cinco pontos de distância para o segundo colocado, na época, o Goiás. O São Paulo era apenas o terceiro.

O time alvinegro só perdeu a liderança na 16ª rodada, após empatar em 0 a 0 com o Paraná. Mas o golpe mais duro veio na rodada seguinte. Com o Maracanã praticamente lotado, o Botafogo foi derrotado por 2 a 0 pelo São Paulo, naquela que foi considerada a final do primeiro turno. A partir daí, os são-paulinos embalaram na competição e terminaram a primeira parte do campeonato com 40 pontos, conquistando assim o Troféu Osmar Santos, oferecido pelo LANCE! ao vencedor do primeiro turno do Brasileiro.

Na parte de baixo da tabela estavam Juventude, Náutico, América-RN, Corinthians e Flamengo, que tinha jogos a menos devido à utilização do Maracanã para os Jogos Pan-Americanos. Depois do tempo longe de casa, o Rubro-Negro iniciou uma série de jogos no Maior do Mundo e embalou na competição. A torcida comprou a idéia de sair da zona de rebaixamento e ir para a Libertadores. Os rubro-negros bateram seguidos recordes de público.

Enquanto os times brigavam embaixo, o São Paulo sobrava na liderança e praticamente não tinha adversários na disputa pelo título. Apenas o Cruzeiro chegou a ameaçar, mas por pouco tempo. O que passou a esquentar o Brasileiro foi mesmo a disputa por vagas na Libertadores. Palmeiras, Santos, Cruzeiro e Grêmio eram os favoritos e o Flamengo corria por fora.

Com quatro rodadas de antecedência, o São Paulo festejou o pentacampeonato, após vencer o América-RN por 3 a 0, no Morumbi. Destaque para a defesa tricolor, que sofreu apenas 19 gols, em 38 jogos. Rogério Ceni teve coadjuvantes de luxo, como Breno, Miranda e Alex Silva. Foi o segundo título consecutivo do Tricolor sob o comando de Muricy Ramalho.

O que parecia inimaginável até o meio da competição começou a acontecer. O Flamengo venceu vários jogos e os adversários tropeçavam rodada após rodada. Faltando uma rodada, o Rubro-Negro se classificou para a Libertadores. Sobrava então a última vaga, que tinha tudo para ficar com o Palmeiras. Mas uma derrota na última rodada por 3 a 1 para o Atlético-MG, no Parque Antarctica, deu a vaga para o Cruzeiro. Grêmio, Palmeiras, Atlético-MG, Botafogo, Vasco, Internacional e Atlético-PR ficaram com uma vaga para a Copa Sul-Americana.

A maior emoção da última rodada ficou por conta da briga para escapar do rebaixamento. Corinthians e Goiás disputaram ponto a ponto. Juventude, Paraná e América-RN, que teve a pior campanha da história dos pontos corridos, já estavam na Série B. E a última vaga ficou mesmo com o Timão. A equipe alvinegra empatou com o Grêmio no Olímpico e viu o Goiás derrotar o Inter no Serra Dourada e escapar do vexame.

Fonte: Lance








Redator: Ricardo Pilat

ricardo.pilat@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro - Série B > Retrospectiva 2007

Coritiba conquista o título

Como sempre o Brasileirão Série B foi repleto de garra e emoções. Com um futebol com mais vontade do que habilidade, a Série B vai ganhando espaço nas televisões dos apaixonados por futebol. Iniciada no dia 11 de maio e contando com 20 participantes, a Série B do Campeonato Brasileiro terminou no dia 24 de novembro com o Coritiba campeão.

Coritiba, Ipatinga, Portuguesa e Vitória conquistaram o acesso em 2008. Certamente nenhuma dessas equipes fará feio na Série A. Ótimos jogadores foram revelados, como Diogo e Tiago, da Lusa, Keirrison, Pedro Ken e Henrique, do Coritiba, e Apodi, do Vitória.

Em contrapartida, Paulista, Santa Cruz, Remo e Ituano foram rebaixados para a Terceirona.

Apesar de ter terminado o campeonato rebaixado, o Paulista foi quem aplicou a maior goleada: 7 a 0 sobre o Barueri, pela 25ª rodada. A partida foi disputada no Estádio Jaime Cintra, em Jundiaí (SP), no dia 15 de setembro. O resultado humilhante derrubou o técnico Estevam Soares do comando do Barueri.

Com o descenso do Corinthians, a divisão deve ganhar mais mídia e se tornar, de vez, em um forte campeonato, deixando o país com duas grandes divisões.












Redator: Marco Miranda
marco_mirand@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro - Série C > Retrospectiva 2007

Tragédia marca a terceirona

O Campeonato Brasileiro da Série C acabou marcado por uma tragédia no Estádio da Fonte Nova, no jogo entre Bahia e Vila Nova. Uma parte do anel superior do estádio, por volta dos 35 minutos do segundo tempo da partida, em frente ao ginásio de esportes que funciona no próprio estádio. Torcedores caíram de uma altura de 20 metros. Outras 30 pessoas ficaram feridas e foram levadas para três hospitais da cidade.

Pelo menos 60 mil pessoas estavam no estádio na hora do acidente, mas existem relatos de invasão de público na Fonte Nova nos minutos finais da partida.

Dentro de campo...

A Série C do Campeonato Brasileiro de 2007 foi disputada entre os dias 7 de julho e 1º de dezembro e contou com a participação de 64 equipes. Foram quase cinco meses de competição, disputada em quatro fases. O Bragantino conquistou o título e uma das vagas para a Série B de 2008. Além dos paulistas, Bahia, Vila Nova e ABC ficaram com as outras três vagas para a Segundona de 2008.

Apesar de campeão, o Bragantino fez campanha irregular. O time só ganhou confiança e melhorou seu rendimento no octagonal final. O Braga conquistou o acesso na vitória sobre o Barras por 3 a 1, na penúltima rodada. E o título veio com uma derrota, 2 a 1 para o ABC-RN, no Frasqueirão, em Natal. Porém, os resultados dos adversários foram favoráveis e o time paulista subiu.

A torcida do Bahia foi a que mais apoiou o seu time em todas as divisões do Brasileirão. Dos dez maiores públicos da competição, nove foram contabilizados em partidas do Tricolor Baiano. E este apoio foi fundamental para a volta do time à Série B.

Fonte: Lancenet! e Globo.com












Redator: Ricardo Pilat

ricardo.pilat@yahoo.com.br

Corinthians > Retrospectiva 2007

No Inferno

O Corinthians se preparou direitinho para o rebaixamento. Afora os aspectos clubísticos, fiquemos dentro de campo. Depois da sempre mal-explicada parceria com a MSI, a perda dos principais jogadores fez com que o clube fosse obrigado a contratar atletas baratos, como os zagueiros Fábio Ferreira e Fábio Braz, e o centroavante Finazzi. Também foi preciso apelar para as categorias de base, mas a falta de investimentos no setor, devido à facilidade de contratar jogadores caros, diminuiu a qualidade do time quando ele mais precisava.

O início do ano foi "promissor". Uma campanha lamentável culminou com o 9º lugar no Campeonato Paulista. Duas rodadas antes do fim da primeira fase, o time não tinha mais condições de chegar às semifinais. Na Copa do Brasil, uma derrota de 2 a 0 para o Náutico em pleno Pacaembu eliminou o coringão nas oitavas. Leão foi demitido e Paulo César Carpegiani assumiu em abril com 1 mês para trabalhar numa espécie de pré-temporada e qualificar o grupo de jogadores.

Carpegiani comandou o time em boa parte do primeiro turno. A equipe começou o campeonato bem, surpreendendo favoritos, mas começou a ter sua queda natural. O treinador foi demitido quando o time tinha um aproveitamento de cerca de 45%, suficiente para buscar uma vaga na Sul-Americana. O interino Zé Augusto assumiu, ficou algumas rodadas e logo saiu, devido aos maus resultados. O Corinthians já beirava a zona de rebaixamento.

A esperança para salvar a lavoura foi Nelsinho Baptista, campeão brasileiro em 1990 pelo coringão com um time mediano. Uma vitória de 1 a 0 sobre o então quase-campeão São Paulo deu novo gás, mas a equipe se perdeu. Um empate de 1 a 1 com o Goiás, com o goleiro Felipe pegando pênalti parecia que era o início do fim do pesadelo. Aí, a derrota por 1 a 0 para o Vasco no Pacaembu obrigava a equipe a vencer o Grêmio no Olímpico na última rodada, para permanecer sem depender de ninguém. Com o empate de 1 a 1 e a vitória do Goiás sobre o Internacional, o Corinthians caiu, pela primeira vez, à Segunda Divisão.

De positivo, somente o grande goleiro Felipe e a chegada de Mano Menezes para comandar a equipe na Série B. Deve haver uma reformulação total no grupo de jogadores. E o principal: a certeza do apoio da torcida para 2008, que deve ser um ano de exposição ainda maior do Corinthians na mídia esportiva brasileira.


Fonte: Blog Carta na Manga

Mundial de Clubes > Retrospectiva 2007

Kaká leva o Milan ao título

O Milan conquistou pela quarta vez o Mundial de Clubes, com uma goleada sobre o Boca Juniors, por 4 a 2 no Yokohama Stadium. Kaká foi o grande destaque do jogo. O meia marcou um gol e deu passe para outros 2, sendo escolhido o melhor jogador da partida, do mundial e, um dia depois, do mundo.

Foi mais uma vingança dos italianos que haviam perdido o campeonato em 2003 para os argentinos.

O Boca classificou-se após derrotar o Etoile du Sahel, da Tunísia, por 1 a 0. Já o Milan, bateu o Urawa Red Diamonds do Japão, também pela contagem mínima.

Na final o Milan abriu o placar com o predestinado Fillippo Inzaghi. Logo em seguida, Rodrigo Palacio empatou o jogo. No segundo tempo, o Milan desempatou com Nesta em um belo gol.

Kaká continuou seu show e marcou o seu gol. Ele avançou, driblou Maidana e chutou sem força. O goleiro Caranta falhou e não defendeu. Foi o terceiro gol do Milan. Seedorf ainda marcou o seu praticamente definindo o jogo. O Boca descontou em gol contra de Ambrosini, mas a reação parou pro aí.













Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

Campeonato Inglês > Retrospectiva 2007

Fim da hegemonia do Chelsea: Manchester campeão

Após 2 anos seguidos mandando no futebol inglês o Chelsea ficou apenas com o segundo lugar no campeonato e o troféu foi levantado pelo Manchester United pela 16ª vez na história. A equipe fica apenas atrás do Liverpool, que tem 18 títulos, no retrospecto geral.

O título veio após um empate do Chelsea contra o Arsenal em 1 a 1. O resultado impediu que na 36ª Rodada os blues ainda tivesse alguma chance de alcançar os Red Devils. Na rodada seguinte as duas equipes se enfrentaram apenas para cumprir tabela, no que esperava-se ser a grande decisão do campeonato (empate 0-0).

Outro grande duelo foi pela artilharia. Didier Drogba do Chelsea e Cristiano Ronaldo do Manchester brigaram até o final, mas o marfinense levou a melhor com 19 gols contra 17.

Desde 1992, quando foi instaurada a Premier League, o Manchester venceu nove dos 15 campeonatos disputados.

Chelsea dá o troco na copa

Já na Copa da Inglaterra, o Chelsea deu o troco e conquistou o título em cima dos Diabos Vermelhos. A decisão foi no Novo Wembley, e a vitória foi de 1 a 0, com um gol de Drogba na prorrogação. Com a conquista deste sábado, oa Blues chega a quatro títulos na história da Copa da Inglaterra. O último foi conquistado em 2000, em uma final diante do Aston Villa. O time do técnico José Mourinho também conquistou a Copa da Liga, derrotando o Arsenal na final.

Raio-X

Campeão

Manchester United - 89 pontos



Classificados para Champions League

Manchester United
Chelsea
Liverpool
Arsenal


Classificados para a Copa da Uefa

Tottenham
Everton
Bolton

Rebaixados

Sheffield
Charlton

Watford



Subiaram para a Primeira Divisão

Sunderland
Birmingham

Derby County



Artilharia
Jogador Time Gols
Drogba Chelsea 19
Cristiano Ronaldo Manchester United 17
McCarthy Blackburn Rovers 17
Rooney Manchester United 14
Darrent Bent Charlton Athletic 13












Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

Campeonato Inglês > Liverpool empata e fica para trás

* Confira a classificação da 20ª Rodada da Premier League

Liverpool e Manchester City se enfrentaram ontem em Manchester, e não saíram do empate sem gols, ontem, pela 20ª Rodada do Campeonato Inglês. O resultados não foi bom para nenhum dos dois clubes. Os Reds ficaram no quarto lugar com 37 pontos, 10 a menos que o líder Arsenal. O City ficou de fora da zona da Champions League, em quinto com 36.

Os brasileiros Elano e Geovanni pelo Manchester, e Fábio Aurélio pelo Liverppol, estiveram em campo mas apesar de insistir muito, não conseguiram tirar o zero do placar. Destaque para os zagueiros Carregher dos Reds e Dunne do City, que foram muralhas nas retaguardas.

LEIA TAMBÉM > Rodada de Sábado: Arsenal goleia e volta ao topo


Confira abaixo todos os jogos da 20ª rodada:

Sábado
Birmingham 1 x 1 Fulham
Chelsea 2 x 1 Newcastle
Portsmouth 0 x 1 Middlesbrough
Sunderland 3 x 1 Bolton
Tottenham 6 x 4 Reading
West Ham 2 x 1 Manchester United
Wigan 1 x 2 Aston Villa
Everton 1 x 4 Arsenal

Hoje
Derby County 1x2 Blackburn
Manchester City 0x0 Liverpool


Classificação: 20ª Rodada
Times PG J V E D GP GC SG
01 Arsenal 47 20 14 5 1 40 16 24
02 Manchester United 45 20 14 3 3 37 11 26
03 Chelsea 41 20 12 5 3 31 15 16
04 Liverpool 37 19 10 7 2 33 12 21
05 Manchester City 36 20 10 6 4 27 22 5
06 Everton 33 20 10 3 7 35 22 13
07 Aston Villa 33 20 9 6 5 35 26 9
08 Portsmouth 31 20 8 7 5 29 20 9
09 Blackburn Rovers 30 20 8 6 6 27 28 -1
10 West Ham 29 19 8 5 6 25 17 8
11 Newcastle 26 20 7 5 8 27 31 -4
12 Tottenham 24 20 6 6 8 41 36 5
13 Reading 22 20 6 4 10 29 42 -13
14 Middlesbrough 20 20 5 5 10 18 33 -15
15 Birmingham 19 20 5 4 11 22 31 -9
16 Bolton 17 20 4 5 11 22 32 -10
17 Sunderland 17 20 4 5 11 20 39 -19
18 Wigan 16 20 4 4 12 20 36 -16
19 Fulham 15 20 2 9 9 21 35 -14
20 Derby County 7 20 1 4 15 10 45 -35


Artilharia
Jogador Time Gols
Cristiano Ronaldo Manchester United 13
Adebayor Arsenal 11
Anelka Bolton Wanderers 10
Keane Tottenham Hotspurs 10
Santa Cruz Blackburn Rovers 10
Mwaruwari Portsmouth 9
Torres Liverpool 9
Yakubu Everton 9












Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

Mundial Feminino > Retrospectiva 2007

Brasil encanta mas não leva

A Seleção Brasileira bem que tentou, se esforçou muita na final, e mesmo apresentando o melhor futebol da competição, as meninas pararam diante da pragmática e competente Seleção Alemã. Derrota por 2 a 0 na decisão do Mundial de Futebol Feminino, na China.

A Alemanha liderada por Prinz, que marcou o primeiro gol do jogo (Laudehr marcou o segundo), ficou com o troféu mas o Brasil foi quem encantou.


Barbada

A primeira fase foi uma moleza para as meninas. Com um futebol encantador de Marta, Cristiane e cia., o Brasil passou pelo grupo que tinha Nova Zelândia, China e Dinamarca com estrema facilidade e sem sofrer nenhum gol.

Austrália complica

A seleção apresentou muitas falhas no jogo das quartas de final contra a Austrália. As meninas abriram 2 a 0, e quando parecia que levariam com facilidade, acabaram cedendo o empate e levando os primeiros gols da competição. Foi quando o talento de Cristiane surgiu. A atacante recebeu passe na entrada da área e mesmo entre cinco australiana conseguiu virar e chutar forte no ângulo da goleira Melissa: Brasil 3 a 2. Formiga e Marta marcaram os outros gols brasileiros.

Show contra as Americanas

Após golear as reservas do EUA na final do futebol no PAN do Rio, as brasileiras teríam pela frente as titulares na semi-final do mundial. A goleada não foi de 5, mas sim de 4 a 0. Marta deu um show a parte marcando um dos gols mais lindos do ano. Ela ainda marcou mais um. Cristiane e Osborne (contra), completaram o massacre que garantiu o Brasil na final com pompas de favorita.

Reveja o golaço de Marta


Mas...

A Alemanha também chegou muito forte. Sem levar nenhum gol na competição as alemãs abriram o placar logo no começo do segundo tempo com a atacante Prinz. Aos 17 o Brasil teve a grande chance em uma cobrança de pênalti. Marta ajeitou com carinho, bateu e... perdeu. As esperanças do Brasil foram desperdiçadas pela sua maior estrela, e a Alemanha aproveitou para fechar o caixão aos 40 com Laudehr de cabeça.

Alemanha bi-campeã do mundo; Brasil vice; Estados Unidos em terceiro; Noruega em quarto. Valeu Marta, valeu meninas.

Marta melhor do campeonato e do mundo

Marta foi eleita a melhor jogadora da Copa do Mundo de 2007. Mesmo com a derrota de 2 a 0 do Brasil na final para a Alemanha, a camisa 10 ficou com o prêmio dado pela Fifa. Ela marcou 7 gols no campeonato e encantou com seus dribles. Tanto que a entidade máxima do futebol também premiou a brasileira como melhor do mundo no ano de 2007.

Cristiane, a outra atacante brasileira, também foi premiada. Levou a Bola de Bronze, como a terceira melhor jogadora da competição e do ano. Prinz, alemã foi prata também nas duas premiações.













Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

NBA > Boston vence o clássico e segue na ponta

* Duelo revive grandes momentos da NBA

O Boston Celtics, equipe de melhor campanha na atual temporada da NBA, manteve o bom momento vivido e superou, neste domingo, o Los Angeles Lakers por 110 a 91, em mais uma edição de um dos maiores clássicos da liga de basquete norte-americano.

No jogo de número 177 entre duas das equipes mais tradicionais da NBA, o Boston não teve problemas para impor seu jogo, mesmo atuando no Staples Center de Los Angeles, e chegar à sexta vitória consecutiva, tendo assim a melhor campanha na liga: 26 vitórias e 3 derrotas.

O cestinha do Boston foi novamente o ala Paul Pierce, com 33 pontos e oito rebotes. Destaque também para o ala Kevin Garnett, que conseguiu 22 pontos, 12 rebotes e seis assistências, enquanto o ala-armador Ray Allen fez 19 e pegou seis rebotes.

Nos Lakers (19-11), o ala-armador Kobe Bryant voltou a ser o cestinha, mas com apenas 22 pontos.

Portland: 13 vitórias seguidas

O Portland Trail Blazers venceu, na noite deste domingo, o Philadelphia Sixers por 97 a 72 e chegou ao 13º resultado positivo consecutivo na temporada regular da NBA. Os Blazers estão no segundo lugar da Divisão Noroeste com 18 vitórias e 12 derrotas.

O nome do jogo foi o ala Brandon Roy, do Portland, que anotou 22 pontos, seis rebotes e seis assistências. Pelo Philadelphia (13-17), destaque para o ala Andre Iguodala, que fez 24 pontos e deu sete assistências.

Leandrinho brilha

Depois de fraca atuação na última partida, na vitória contra os Los Angeles Clippers, o ala-armador brasileiro Leandrinho voltou a brilhar, anotando 22 pontos, e ajudou o Phoenix Suns a superar o Sacramento Kings por 117 a 102.

No entanto, o cestinha dos Suns foi o pivô Amar Stoudemire, com 31 pontos e 17 rebotes, com grande destaque também para o ala Shawn Marion, que marcou outros 25. O Phoenix lidera a Divisão do Pacífico, com 22 vitórias e 9 derrotas.

No lado dos Kings, o ala-armador John Salmons fez 23 pontos, enquanto Mikki Moore obteve 20 e outros 12 rebotes. A equipe ainda teve a má notícia do desfalque de Ron Artest, que voltará a ser operado para retirar fragmentos de osso do cotovelo direito. Artest junta-se a Mike Bibby e Kevin Martin, que já estão na lista de lesionados.

Confira os outros resultados do domingo

Chicago Bulls 100x83 New York Knicks
Cestinha: B. Gordon (CHI), 25

Golden State Warriors 105x95 Denver Nuggets
Cestinha: B. Davis (GS), 28

Memphis Grizzlies 87x111 San Antonio Spurs
Cestinha: T. Duncan (SA), 24

Fonte: Terra











Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

domingo, 30 de dezembro de 2007

Champions League > Retrospectiva 2007

Milan conhece o sabor da vingança

O Milan conseguiu o que esperava há dois anos: vingança! Após perder o título da europa de maneira marcante em 2005, os italianos enfrentaram novamente o Liverpool na final de 2007, e desta vez não vacilaram. Vitória por 2 a 0 na Grécia, e o sétimo título italiano para a equipe dos brasileiros Dida, Kaká, Cafu, Serginho e Ronaldo (que não pode jogar porque já havia defendido o Real Madrid).

No fatídico jogo de Istambul, na Turquia, os ingleses levaram a melhor. No primeiro tempo o Rubro-negro vencia por 3 a 0, mas cedeu o empate para os Reds, que conquistaram o troféu após uma vitória nos pênaltis.

Liverpool surpreende e avança

O Liverpool chegou desacreditado nas Oitavas de Final da liga. Logo de cara, viu-se diante do atual campeão Barcelona. Mas com uma vitória fora de casa por 2 a 1 , e uma derrota em casa por 1 a 0, os ingleses passaram. Depois, sem nenhum dificuldade destruíram o PSV da Holanda (0-3 e 1-0).

Nas semi finais, um grande duelo com o Chelsea. Após duas vitórias de 1 a 0 para cada lado, a decisão foi para os pênaltis e o time do técnico Rafa Benítez levou a melhor por 4 a 1. Viria o Milan de novo no caminho.

Milan chega forte

O Milan fez uma primeira fase ruim, mas na hora decisiva acabou crescendo. Nas oitavas, passou no sufoco contra o Celtic (0-0 e 0-1 na prorrogação). Na fase seguinte, vitória contra o Bayern de Munich em dois grandes jogos. Em Milão, 2 a 2. Em Munique, vitória dos italianos por 2 a 0.

Nas semi-finais foi a vez do grande duelo entre o Milan de Kaká e o Manchester United de Cristiano Ronaldo. Na partida em Manchester, uma grande atuação do brasileiro, mas a vitória foi dos ingleses por 3 a 2. No San Siro, um show do camisa 22 rubro-negro na goleada dos italianos por 3 a 0.

Revanche e festa

Na final em Atenas, o Liverpool vinha jogando melhor, mas no final da primeira etapa o Milan abriu o placar. Inzaghi fez o gol que deu mais tranqüilidade para o time de Carlo Ancelotti.

No segundo tempo, a pressão dos Reds foi pouca e Inzaghi ampliou o placar em passe de Kaká. Final de jogo, 2 a 0, e taça nas mãos dos Milaneses, mais uma vez.















Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

Campeonato Espanhol > Retrospectiva 2007

Real arranca para o título

Mesmo diante de diversas crises durante a temporada, o Real Madrid, do técnico Fábio Capello, teve uma arrancada espetacular no fim do campeonato, passou o Barcelona, e conquistou o título espanhol, 30º na história. A equipe não levava o troféu desde a temporada 2002/03.

O título veio apenas na última rodada, após uma vitória no Santiago Bernabeu, contra o Mallorca, por 3 a 1. Os Merengues terminaram o campeonato com 76 pontos, mesma pontuação do Barça, porém, levaram a melhor no critério Confronto Direto (2 a 0 em Madrid, para os visitantes, e 3 a 3 na Cataluña). O Real contou com o bom futebol de Robinho, que jogou muito bem nos últimos jogos.

O Barcelona chegou a abrir 8 pontos de vantagem mas acabou vacilando muito na reta final do campeonato e amargou um vice-campeonato que doeu muito no coração do torcedor. Ronaldinho, até então unanimidade, acabou criando desconfiança na torcida.

O campeonato também marcou o rebaixamento dos tradicionais Real Sociedad e Celta de Vigo, além do fraco Gimnastic.

Rei das Copas

Destaque também para o Sevilla, dos brasileiros Luís Fabiano, Renato, Daniel Alves e Adriano. Foi uma grande temporada. Primeiro, veio a conquista da Copa do Rey, derrotando o Getafe na final. Depois, na final da Copa da Uefa, vitória contra outro espanhol, o Espanyol de Barcelona.

Por fim, veio a vaga para a Uefa Champions League 07-08. Uma temporada espetacular para o time comandado por Juande Ramos, que acabou saindo e indo para o Tottenham da Inglaterra.

Raio-X

Campeão

Real Madrid - 76 pontos


Classificados para a Champions League

Real Madrid
Barcelona

Sevilla
Valencia


Classificados para a Copa da Uefa

Villareal
Zaragoza

Atlético de Madrid



Rebaixados

Celta Vigo
Real Sociedad
Gimnastic Tarragona


Subiram para a Primeira Divisão

Almería
Valladolid

Murcia



Artilharia
Jogador Time Gols
Van Nistelrooy Real Madrid 25
Diego Milito Zaragoza 22
Kanouté Sevilla 21
Ronaldinho Barcelona 20
Forlán Villarreal 19
Baiano Celta de Vigo 15


Real na frente novamente


Na temporada 2007-2008, mais uma vez o Real vem dando as cartas. Os Merengues já abriram 7 pontos de vantagem para o Barça, vantagem conquistada dias antes do natal, quando o time do novo técnico Bernd Schustter, derrotou os Catalães por 1 a 0, no Camp Nou. Será que vem o Bi por aí?












Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

NHL > Retrospectiva 2007

Anaheim fatura pela primeira vez

O Anaheim Ducks conquistou o primeiro título da história da franquia, na temporada 06-07. A conquista da Stanley Cup veio após o time arrasar o Ottawa Senators por 4 a 1.

Os Ducks venceram a Conferência Oeste. Na fase de classificação terminaram em segundo com 110 pontos. Depois passaram pelo Minnesota Wild (4-1), Vancouver Canucks (4-1) e Detroit Red Wings, na final da conferência (4-2).

O Ottawa terminou a fase de classificação na Conferência Leste em quarto lugar, com 105 pontos. Nos play-offs deixou para trás o Pittsburgh Penguins (4-1), New Jersey devils(4-1) e o Buffalo sabres (4-1).

Na grande decisão da Stanley Cup, o Ottawa que havia aplicado 4 a 1 em todos os adversários, acabou tomando do próprio veneno. O Anaheim teve a vantagem de jogar 4 das 3 partidas em casa, mas nem precisou de tanto.













Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

NFL > Patriots, Brady e Moss batem recordes

* Time de New England conquista temporada perfeita

O New England Patriots conseguiu o que parecia impossível: a temporada perfeita na NFL. Trinta e cinco anos após o feito do Miami Dolphins de 1972, que atingiu 14 vitórias em 14 jogos, os Pats ampliaram o recorde ao vencerem sua 16ª partida consecutiva em uma única temporada. A vitória deste sábado sobre o New York Giants por 38 a 35 fez com que a equipe comandada pelo quarterback Tom Brady entrasse definitivamente para a história da liga.

Brady e o Wide Reciver Randy Moss, também conquistaram importantes marcas individuais. O primeiro alcançou a marca de 50 TD's na temporada, sendo assim o recordista na história da liga, recorde que pertencia ao rival Payton Manning que conquistou 49 em 2004. Moss bateu o recorde de recepções para touchdown: 23 em 2007.

A batalha

O primeiro tempo foi eletrizante. Logo a um minuto de jogo, Brandon Jacobs recebe um passe de sete jardas de Eli Manning e anota o primeiro touchdown da partida para o New York Giants, abrindo o placar. Com a vantagem de 7 a 0, os Giants só viram os Patriots tirarem o zero do seu marcador a 5m04s do fim do primeiro quarto, com um field goal anotado por Stephen Gostkowski.

O segundo quarto começou com um touchdown de Randy Moss para os Patriots, após passe de quatro jardas de Tom Brady. A vantagem de 10 a 7 dos Pats, no entanto, durou muito pouco, pois os Giants devolveram o touchdown no retorno de Domenik Hixon, que percorreu 74 jardas para recolocar o time de Nova York em vantagem: 14 a 10.

O primeiro tempo terminou em 21 a 16 para o time da casa, que começou a etapa final dando mostrar que acabaria com o sonho da temporada perfeita dos Patriots. Eli Manning seguiu comandando a partida, e com um passe de 19 jardas para Plaxico Burress, pôs sua equipe em uma confortável vantagem: 28 a 16.

Mas a impressão durou pouco. A quatro minutos do fim do terceiro quarto, Laurence Maroney recebeu a bola de Tom Brady e percorreu seis jardas para diminuir a diferença em favor dos Giants para cinco pontos: 28 a 23.

No início 4º período, mais um TD para New England, contando com a estrela dos recordistas: após um passe de 65 jardas de Tom Brady para Randy Moss anotar seu segundo touchdown da noite. O time optou por tentar a conversão de 2 pontos e conseguiu deixando o placar em 31 a 28.

Faltando 4 minutos para o fim Laurence Maroney conseguiu seu segundo touchdown da noite após uma corrida de cinco jardas, aumentando a vantagem do New England para dez pontos (38 a 28). Os Giants ainda insistiram e em grande noite, Plaxico Burres anotou mais um TD, mas não foi o bastante. Os nova-iorquinos ainda tentaram um onside kick mas a bola cail nas mãos do time perfeito: New England Patriots, 16-0.

Agora é esperar para ver quem pode parar o time do técnico Bill Belliceck, no caminho para o 4º título.

Rodada decisiva

Mais 15 jogos agitam a última semana da temporada regular da NFL hoje. Resta uma vaga em disputa na AFC, por Clevland Browns e Tennessee Titans. Na NFC, Minnesota Vikings, Washington Redskins e New Orleans Saints também tentam um lugar ao Sol nos play-offs.

Confira os jogos e aonde assistir

# Buffalo at Philadelphia 16:00
# Cincinnati at Miami 16:00
# Carolina at Tampa Bay 16:00
# New Orleans at Chicago 16:00
# Jacksonville at Houston 16:00
# Seattle at Atlanta 16:00
# Detroit at Green Bay 16:00
# San Francisco at Cleveland 16:00
# Minnesota at Denver 19:15 - BAND SPORTS (ao vivo)
# Dallas at Washington 19:15
# Pittsburgh at Baltimore 19:15
# San Diego at Oakland 19:15
# St. Louis at Arizona 19:15
# Kansas City at NY Jets 19:15
# Tennessee at Indianapolis 23:15 - ESPN (ao vivo)


Entenda as chances de cada time













Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

NBA > Boston sobra na NBA

* Time vence a 25ª e encara clássico hoje

O Boston Celtics prova a cada dia que é o melhor time da NBA. Ontem, jogando em Salt Lake City, o time comandado por Paul Pierce, derrotou o Utah Jazz por 104 a 98, conquistando assim a 25ª vitórias em 28 jogos na temporada regular da liga.

Pierce foi o maior pontuador da partida sendo responsável por 24 pontos para os Celtics, apenas um a mais que seu companheiro Ray Allen. O time, que tem a melhor campanha da NBA, encara mais um grande desafio hoje: o Los Angeles Lakers, revivendo os grandes tempos da época em que Magic Johson e Larry Bird duelavam pela hegemonia da liga.

Do lado do Jazz (16-16), os grandes nomes foram Deron Williams, que anotou 22 pontos, e Carlos Boozer, com 19.

Pistons vencem a oitava seguida

O último time que conseguiu bater o Boston foi o Detroit Pistons. Pistons que ontem conquistaram a 8ª vitória seguida na temporada, ao bater, fora de casa, neste sábado, o Indiana Pacers por 98 a 92.

O destaque dos Pistons (23-7), que ocupam a liderança da Divisão Central, foi o ala-armador Richard Hamilton, com 24 pontos, enquanto o armador Chauncey Billups contribuiu com outros 17.

Já os Pacers (15-16), vice-líderes da Divisão Central, conheceram sua terceira derrota consecutiva na temporada. A equipe foi liderada por Jermaine O'Neal, que anotou 20 pontos e 11 rebotes na partida.

Hornets param os Cavs

O New Orleans Hornets, jogando em casa, venceu o Cleveland Cavaliers, do ala-pivô brasileiro Anderson Varejão, por 86 a 76, na noite deste sábado, e ampliou a série invicta da equipe para cinco partidas na temporada.

O destaque dos Hornets (20-10), que assumiram a vice-liderança da Divisão Sudeste, ficou com o ala David West, que marcou 27 pontos e pegou 15 rebotes, enquanto o armador Chris Paul converteu outros 20.

O ala LeBron James marcou 21 pontos e foi o cestinha dos Cavaliers (14-17), que vinham de duas vitórias consecutivas na NBA. Varejão fez 6 pontos e pegou 9 rebotes.

Confira os outros resultados do sábado

Atlanta Hawks 84x97 Dallas Mavericks
Cestinha: D. Nowitzki (DAL), 22

Miami Heat 74x96 Washington Wizards
Cestinha: R. Davis (MIA), 22

Charlotte Bobcats 95x104 Orlando
Cestinha: J. Richardson (CHA), 34

New Jersey Nets 97x95 Milwaukee Bucks
Cestinha: M. Redd (MIL), 35

Toronto Raptors 79x91 Houston Rockets
Cestinha: Y. Ming (HOU), 25

Minnesota Timberwolves 90x109 Seattle Super Sonics
Cestinha: J. Green (SEA), 18













Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

Campeonato Inglês > Arsenal goleia e volta ao topo

* A liderança do Manchester durou apenas 3 dias

Não deu nem para comemorar. Após conquistar a ponta da tabela, o Manchester United foi derrotado ontem e deu a chance para o Arsenal reassumir a liderança. Os Guners não titubearam. Jogando em Liverpool, pela 20ª rodada, com dois gols do brasileiro naturalizado croata Eduardo da Silva (foto), o time do técnico Arseine Wenger venceu o Everton por 4 a 1 e recuperou a primeira colocação da Premier League.

O Arsenal foi a 47 pontos e reassumiu a liderança da competição. Os Diabos Vermelhos estão em segundo, com dois pontos a menos.

Os donos da casa saíram na frente logo aos 18 minutos de jogo. O meio-de-campo australiano Cahill invadiu a área pela direita e chutou cruzado para marcar.

O empate do Arsenal veio no primeiro minuto da segunda etapa. Clichy fez um ótimo lançamento para Eduardo da Silva, que chutou de canhota para vencer o goleiro Howard. Onze minutos depois, Eduardo, novamente, virou o jogo com um golaço: recebeu um ótimo passe de Bendtner, deu um drible da vaca no seu marcador e tocou no canto, tirando do goleiro.

Mesmo com um a menos em campo, após a expulsão de Bendtner, o Arsenal marcou o terceiro aos 33 minutos em uma falha bisonha da defesa do Everton. O atacante togolês Adebayor aproveitou a indecisão do zagueiro nigeriano Yobo com o goleiro Howard, roubou a bola e a conduziu até o gol. Arteta do Everton também foi expulso, minutos depois, deixando as condições em igualdade.

Nos acréscimos, o meia-atacante tcheco Rosicky, que havia entrado no segundo tempo, decretou a goleada do clube londrino ao marcar o quarto gol ao receber dentro da área um passe de Diaby.

Asa Negra

O Manchester United provou que não dá sorte contra o West Ham. Na última temporada, em que sagrou-se campeão, os Red Devils perderam duas vezes para o então time do argentino Carlitos Tevez (foto). Agora do lado inverso, Tevez amargou a derrota de virada do seu time para o ex-clube, por 2 a 1, no Upton Park, em Londres.

Os Diabos Vermelhos saíram na frente aos 13 minutos de jogo. O meia-atacante galês Giggs fez boa jogada pela ponta esquerda e cruzou na cabeça de Cristiano Ronaldo, que balançou a rede.

Ronaldo, porém, vacilou no segundo tempo. Teve em seus pés a chance de ampliar o placar em uma cobrança de pênalti, mas bateu muito mal e desperdiçou a oportunidade.

O primeiro castigo viria 11 minutos depois, em uma cobrança de escanteio de Noble da direita. Anton Ferdinand subiu mais alto do que a zaga adversária - inclusive seu irmão Rio - para empatar o jogo.

A virada do West Ham saiu aos 35. Novamente Noble, desta vez em cobrança de falta da direita, mandou a bola para a área e Upson cabeceou sem chances para o goleiro Kuszczak. "The Academy" conquistou uma grande vitória por 2 a 1, e tirou o Manchester da liderança.

Chelsea vence no final

Em outro jogo disputado na capital inglesa, o terceiro colocado Chelsea derrotou Newcastle por 2 a 1, com gols de Essien e Kalou. Butt descontou para os visitantes. Assim, o clube londrino foi a 41 pontos. Já o Newcastle, com 26 pontos, se mantém em 11º lugar.

O gol de Kalou saiu apenas aos 41 do segundo tempo, após bate-rebate da defesa adversária.

10 gols no White Hart Lane

Também em Londres, o Tottenham derrotou o Reading em um jogo muito emocionante e de dez gols: 6 a 4. Os visitantes chegaram a liderar o placar por três vezes, mas não suportaram a pressão da equipe londrina, que marcou três gols e ainda perdeu um pênalti nos últimos 15 minutos. O herói da partida foi o atacante búlgaro Berbatov, que fez quatro gols. Agora, o Tottenham é o 12º colocado, com 24 pontos.

Confira abaixo todos os jogos da 20ª rodada:

Sábado
Birmingham 1 x 1 Fulham
Chelsea 2 x 1 Newcastle
Portsmouth 0 x 1 Middlesbrough
Sunderland 3 x 1 Bolton
Tottenham 6 x 4 Reading
West Ham 2 x 1 Manchester United
Wigan 1 x 2 Aston Villa
Everton 1 x 4 Arsenal

Hoje
Derby County x Blackburn
Manchester City x Liverpool


Fonte: Lancenet!







Redator: Ricardo Pilat

ricardo.pilat@yahoo.com.br

Tênis> Retrospectiva 2007

Soberanos

Não é por acaso que Roger Federer e Justine Henin lideram com folga seus respectivos rankings. O suíço e a belga foram os grandes campeões do mundo do tênis em 2007, levantando, juntos, cinco dos oito troféus de Grand Slam e conquistando os dois eventos de fim de ano (Masters Cup e WTA Championship). O ano também foi marcado pela crescente ameaça da manipulação de resultados no tênis. A máfia das apostas é agora o alvo a ser combatido pelas entidades que governam a modalidade.

Federer, líder do ranking desde 2004, começou o ano conquistando o Australian Open sem perder um set. Alguns meses depois, o suíço terminou sua parceria com o técnico Tony Roche, mas fez uma bela campanha em Roland Garros, onde ficou com o vice, e se consagrou ao levantar seu quinto troféu em Wimbledon. Seu 50º título na carreira veio no Masters de Cincinatti. Em setembro, com o tetra do US Open, Federer chegou pela segunda vez à marca de três títulos de Grand Slam em um ano. O final com chave de ouro veio em Xangai, com o título na Masters Cup. Ao todo, foram US$ 8 milhões em prêmios só em 2007.

O ano de Justine Henin foi tão ou mais impressionante que o de Federer. Enquanto o suíço conquistou oito títulos, ela foi campeã de dez torneios. Após não jogar no Australian Open porque estava se divorciando, arrasou em Roland Garros e levantou o troféu pela quarta vez no saibro parisiense. Ela ainda venceu os WTAs de Toronto e Zurique e conquistou o bi no US Open. Assim com Federer, fechou 2007 com o título da edição feminina da Masters Cup, o WTA Championship.Outros fatos marcantes do ano foram surpreendentes derrotas de Roger Federer e a ascensão do tênis sérvio. O número 1 do mundo foi eliminado do Masters Series de Indian Wells pelo argentino Guillermo Cañas. À época, o resultado foi creditado pela opinião pública a um descuido de Federer, que não teria entrado em quadra consciente da ameaça do argentino. Menos de duas semanas depois, Cañas mostrou que não havia triunfado por sorte e voltou a bater o suíço, desta vez no Masters de Miami.

Federer não teve lá muita sorte contra argentinos este ano. No Masters de Madri, o suíço acabou superado na final por David Nalbandian, que chegava ao torneio apenas no 25º posto do ranking mundial, desacreditado após um ano instável. Nalbandian embalou e repetiu a dose no Masters de Paris, duas semanas depois. Ele voltou a bater Federer e acabou campeão do torneio francês.

* Sérvios fazem história

O tênis sérvio teve seu melhor ano. Pela primeira vez desde a separação da Iugoslávia, o jovem país teve um tenista na final de um Grand Slam. O feito veio com Ana Ivanovic, então com 19 anos, em Roland Garros. Muito bonita e dona de um dos sorrisos mais cativantes do tênis feminino, ela rapidamente se tornou a nova queridinha do público mundial.

Ivanovic sagrou-se ainda campeã do WTA de Los Angeles e terminou o ano na quarta posição no ranking mundial, à frente da musa Maria Sharapova, que sofreu durante boa parte da temporada com uma lesão no ombro direito e fechou o ano no quinto posto. Em Wimbledon, Ivanovic conseguiu uma incrível virada sobre Nicole Vaidisova, salvando match points e avançando às semifinais.

Outro destaque do país foi Novak Djokovic. Aos 19 anos, ele começou a temporada a 16ª posiçao no ranking e chegou ao fim do ano em terceiro lugar, graças principalmente aos títulos do Masters de Miami e de Montreal (neste, ele bateu Federer na final) e do vice-campeonato do US Open.

* Fora das quadras o lado negro do tênis

Nas quadras, não faltou emoção. Fora delas, porém, o tênis vive talvez a maior crise de credibilidade de sua história. O mau momento começou quando se levantou suspeita de que o top 10 russo Nikolay Davydenko teria perdido propositalmente uma partida. O escândalo deu início a uma série de suspeitas e declarações polêmicas. O próprio Davydenko, investigado pela ATP, chegou a ser multado por não se esforçar no ATP de São Petersburgo. O alemão Philipp Kohlschreiber foi acusado por um jornal de seu país, e o belga Giles Elseneer, denunciado por um diário inglês, por ter supostamente recebido uma proposta em Wimbledon. As entidades que controlam o esporte (ATP, WTA e ITF) deram início a uma verdadeira guerra contra a chamada "máfia das apostas". A ATP, inclusive, já consulta especialistas em apostas em corridas de cavalo. No Brasil, Flávio Saretta e Marcos Daniel admitiram terem sido procurados por apostadores que ofereceram dinheiro em troca de resultados. Até agora, nenhum apostador foi identificado ou preso, mas os italianos Alessio Di Mauro, Potito Starace e Daniele Bracciali foram punidos por realizarem apostas em partidas de tênis. O Australian Open, primeiro Grand Slam de 2008, já fala em banir tenistas corruptos.

* No Brasil, Marcos Daniel é o melhor

A temporada não foi lá das melhores para o tênis brasileiro nas simples. Ricardo Mello teve um ano abaixo das expectativas, Thiago Alves despencou no ranking, e Flávio Saretta, que conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos, sofreu uma fratura por estresse no cotovelo direito que o mantém fora das quadras desde setembro. O gaúcho Marcos Daniel, que passou pelo quali em Roland Garros e foi campeão do Challenger de Bogotá, é o atual número 1 do Brasil, e ocupa o 118º posto no ranking mundial.

Gustavo Kuerten, ainda o grande ídolo nacional, pouco venceu. Acumulou derrotas no Challenger de Santiago, no ATP de Viña del Mar e no Challenger de Florianópolis, até conseguir sua primeira vitória em 17 meses, no Brasil Open. Outro triunfo veio no ATP de Las Vegas, o que motivou o tricampeão de Roland Garros a dizer que estava a apenas 20% de seu nível ideal. Os fracassos que seguiram, nos Masters de Indian Wells e Miami, e também no Challenger de Sunrise, estouraram a bolha de otimismo, e Guga não voltou a jogar simples em 2007. Antes do fim do ano, porém, o catarinense voltou a afirmar que está longe da aposentadoria. Ele tem planos de voltar a jogar simples em 2008 e até assinou contrato com seu antigo fornecedor de material esportivo. No feminino, porém, há motivo para esperança. A jovem Teliana Pereira, de 19 anos, se tornou a número 1 do país e teve a melhor temporada de sua curta carreira. Ela conquistou o título do ITF de Campos do Jordão e chegou a figurar entre as top 200. Teliana chega ao fim do ano no 220º posto, já pensando em atingir o top 100 em 2008.

Em grandes torneios, o Brasil só conseguiu destaque nas chaves de duplas, graças ao entrosamento dos mineiros André Sá e Marcelo Melo. Unidos por uma série de coincidências, os dois conquistaram o primeiro título de ATP para o Brasil em quase três anos e alcançaram as semifinais de Wimbledon. A parceria ainda foi às quartas no US Open, mas não conseguiu manter a evolução. Melo foi flagrado em um exame antidoping no ATP de Queen's e acabou suspenso por dois meses.










Redator: André Oliveira

sábado, 29 de dezembro de 2007

São Paulo > Retrospectiva 2007

O único Penta

O ano tricolor foi dividido em semestres: o primeiro de instabilidade, o segundo de shows e título. O time vinha bem no começo da temporada, até ser tragicamente eliminado pelo São Caetano, em pleno Morumbi. A partir daí, o time desandou, desencadeou um futebol fraco, sem o ritmo de jogo que o São Paulo exercia.

Conseqüente,mente, o time foi eliminado na Libertadores, e um início de crise quase se instalou pelos lados do Morumbi. Parte da torcida, e alguns dirigentes queriam Muricy fora do cargo. Na primeira rodada do Brasileirão, um suposto time armado pelo Presidente Juvenal Juvêncio entrou em campo para enfrentar o Goiás, e venceu por 2 a 0.

As primeiras rodadas foram de incertezas. Muitos até então titulares absolutos, como Souza, foram para no banco. Com as perdas de Ilsinho e Josué, muitos apostaram que o tricolor cairia de vez, contudo foi ai que surgiram dois nomes que foram incontestáveis durante a campanha: Hernanes e Breno.

O time se acertou, passou incríveis 11 jogos sem levar gols, sofreu apenas 19 no campeonato inteiro, bateu o Boca Juniors, pela Sul-Americana, conquistou o penta único e se consolidou como o maior time do Brasil.

E para fechar com chave do ouro o ano de 2007, fechou a contratação de Adriano, a maior contratação do futebol brasileiro para a temporada de 2008.












Redator: Marco Miranda
marco_mirand@yahoo.com.br

Copa Libertadores > Retrospectiva 2007

Boca engoliu a Copa

Pela sexta vez na história o Boca Júnior conquistou a Copa Libertadores da América. Desta vez a vítima na decisão foi Grêmio, que não viu nem a cor da bola nos jogos finais. Destaque para o meia Roman Riquelme, que após alguns anos na Europa, voltou para defender os Xeneizes e conquistou mais um título.

O clube chegou desacreditado após sofrer na primeira fase, mas despachou seus adversários com maestria.

Confira o desempenho dos brasileiros e do Boca na Libertadores:

Paraná: Valeu pela estréia

O Paraná se deu bem logo de cara. Após passar pelo Cobreloa, na Pré-Libertadores, o clube caiu em uma chave fácil, onde tinha Flamengo, Maracaibo da Venezuela, e Real Potosí da Bolívia, como adversários. O tricolor terminou em segundo no grupo e enfrentou o Libertad do Paraguai. Não teve êxito e foi eliminado, mas acabou com um boa campanha em sua primeira Libertadores.

Flamengo: Decepção

Após um boa primeira fase, terminando em segundo em toda a fase de classificação, o Mengo chegou com grande vantagem na segunda fase. Porém, logo de cara, viu a vantagem ir para o espaço ao enfrentar o Defensor Sporting do Uruguai. No Estádio Nacional de Montevidéu, derrota por 3 a 0. No Maracanã, o Flamengo bem que tentou, mas venceu apenas por 2 a 0 e caiu logo nas oitavas de final.

Internacional: Não deu tempo para nada

O Internacional foi a grande surpresa negativa da competição. Comandado por craques como Fernandão e Alexandre Pato, o time de Abel Braga foi eliminado logo na primeira fase. O Colorado era o atual campeão da Libertadores, mas não foi bom o bastante no grupo que tinha o Vélez Sarsfield da Argentina, o Nacional do Uruguai e Emelec do Equador, terminando em terceiro lugar.

São Paulo: Saída prematura

O campeão de 2005, e vice em 2006, também não foi longe em 2007. O Tricolor sofreu em um grupo teoricamente fácil, com Necaxa do México, Audax Italiano do Chile, e Alianza Lima do Peru. O São Paulo conquistou a vaga para a segunda fase, com o segundo lugar no grupo, mas mesmo com a chegada de Dagoberto para as Oitavas de Final, o time de Muricy Ramalho foi eliminado pelo Grêmio. Vitória por 1 a 0 na ida, no Morumbi, e derrota por 2 a 0, no Olímpico. A torcida ficou arrasada.

Santos: Foi por pouco

O Santos foi o clube que mais encantou na fase de classificação. Após derrotar o Blooming da Bolívia (1-0 e 5-0) na Pré-Libertadores, o time de Vanderlei Luxemburgo, Zé Roberto e cia., fez 6 jogos impecáveis em um grupo que tinha Gimnasia y Esgrima da Argentina, Defensor Sporting do Uruguai e Deportiva Pasto da Colômbia. Foram 6 vitórias. e a melhor campanha entre os 16 classificados.

Nas Oitavas, começaram as dificuldades para o Alvi-negro. Primeiro foi o difícil duelo contra o Caracas da Venezuela. Na ida, empate sofrido, por 2 a 2. Na volta, 4 dias depois de conquistar o Campeonato Paulista, uma vitória de virada por 3 a 2 e vaga, muito suada, assegurada. Nas quartas de final, mais sofrimento. Contra o América do México, um empate na ida (0-0), e uma vitória de virada novamente, na volta (2-1), garantiram o Peixe na semi-final, pela sexta vez na história.

Porém, o peixe não resistiu e acabou eliminado pelo Grêmio. No Olímpico derrota por 2 a 0. Na Vila, Diego Souza do tricolor, esfriou os ânimos da torcida logo no começo do jogo com um golaço do meio da rua. O Santos fez mais 3 mas ficou a um gol de conquistar a vaga para a tão sonhada final.

Grêmio surpreendente

Ninguém acreditava no Grêmio, mas eles provaram que a fama de 'copeiro' não é por acaso. Na primeira fase, classificação suada no grupo 3, que tinha o Deportes Tolima e o Deportivo Cúcuta da Colômbia, e o Cerro Portenõ do Paraguai.

Na fase seguinte, o clube teve que fazer do seu mando de campo a grande arma para chegar na final. O tricolor perdeu todos os jogos em casa, mas reverteu os confrontos no Olímpico. Contra o São Paulo, 1 a 0 de desvantagem no Morumbi, e 2 a 0 a seu favor em casa. Contra o Defensor do uruguai, vitória de 2 a 0 para os mandantes na ida e na volta e decisão nos pênaltis. Apoiado pela torcida, os gaúchos avançaram.

Na semi-final o grande duelo com o Santos. Jogando a primeira em casa, a vitória por 2 a 0 deu o fôlego preciso para segurar a pressão da Vila, onde perdeu por 3 a 1, garantindo a vaga na final por conta do critério gols fora de casa.

Na final... não deu contra o Boca e o vice-campeonato, apesar de triste, acabou sendo bem compreendido pela torcida.

Da-lhe Boca

Não tem pra ninguém, Copa Libertadores é com o Boca. Os argentinos provaram isso mais uma vez. Na primeira fase tiveram o azar de cair em um grupo com 3 adversários que mandam seus jogos na altitude. Bolívar da Bolívia, Cienciano do Peru, e Pumas do México, no entanto, não impediram o time de Miguel Angel Russo de conquistar a vaga como segundo do grupo.

Nas oitavas um super duelo argentino com o Vélez Sarsfield. Começava ali uma seqüência de grandes jogos em que o talento decidiu para o clube azul e dourado. Os xeneizes passaram pelos conterrâneos (3-0 e 1-3). Na fase seguinte, mais problemas, desta vez com o Libertad do Paraguai. Em La Bombonera, empate em 1 a 1. Fora de casa, quando ninguém esperava, Riquelme e cia. passaram pelos paraguaios por 2 a 0 chegando assim nas semi-finais.

A surpresa Deportivo Cúcuta foi o rival, e o Boca tomou um susto na Colômbia, onde perdeu por 3 a 1. No jogo de volta em Buenos Aires, com uma neblina terrível, nem os torcedores, nem o Cúcuta, nem ninguém viu o que aconteceu, mas o Boca deu um show e venceu por 3 a 0 chegando assim em mais uma final.

Quando se esperava um grande duelo, de muito equilíbrio, com o Grêmio, o que se viu foi uma facilidade imensa de Riquelme, Palermo e Palacio, frente ao time gaúcho. Em La Bombonera, vitória por 3 a 0, com gols de Palacio, Riquelme (em cobrança de falta) e Patrício (contra). A torcida do tricolor lotou no Olpimpico, para o segundo jogo, apostando em sua fama de imortal, mas de nada adiantou. Riquelme marcou duas vezes e foi líder da conquista do Boca Júniors, pela sexta vez, campeão da Libertadores da América.












Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br