Mudou!

O Redação do Esporte mudou de hospedagem! Acesse nosso conteúdo atualizado em: www.redacaoesporte.com.br

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Euro 08 > Bolão

Classificação Final

And the winner is...

Fernando Portasio, número 12. Ele se deu muito bem na fase final: Apostou na Espanha campeã, e no artilheiro David Villa, e assim ele faturo o grande prêmio, uma camisa oficial de sua seleção européia favorita, no bolão da Euro 08, do blog Redação do Esporte®.

Parabéns, Fernando, nossa equipe entrará em contato contigo.

Segue agora a classificação final do Bolão e deixamos nossos agradecimentos a todos que participaram. Em breve, mais novidades.


Resultado da Decisão
Espanha 1x0 Alemanha
Espanha: CAMPEÃ
Alemanha: VICE
David Villa: ARTILHEIRO - 4 gols


Classificação Final do Bolão
1
12 Fernando Portasio


328
2
8 Leonardo Requi

319
3
29 Filipe Boy

293
4
31 Felipe Pires

285
5
43 Túlio Marcos

260
6
17 Victor Coratto

259
7
37 Mauricio Rosales

250
8
3 Ricardo Pilat

249
9
44 Henrique Dias

240
10
19 Elias Gomes

238
11
5 Heloá

236
12
1 Pedro Silas

231
13
16 Clayton Zakowicz

229
14
6 Marco Miranda

227
15
11 Cássio Hübne

227
16
2 Ramon Ferreira

224
17
23 Ederson Fernandes

218
18
7 Letícia Fernandes

213
19
13 Vinícius

209
20
9 Diguito

205
21
33 Rogério Scroob

202
22
27 Dayana de Castro

199
23
35 Henrique Minatti

193
24
18 Carlos Eduardo

178
25
20 Paulo Smanioto

172
26
41 Renan Santana

170
27
22 Guilherme Schiff

157
28
24 André Lopez

153
29
26 Giancarlo Aquila

144
30
30 Leandro Neres

144
31
4 dU Pelliser

137
32
42 Gabriel Caíça

128
33
47 Leticia Correia

94
34
38 Rodrigo de Andrade

90
35
49 Diogo Correia

74
36
48 Leandro Da Silva

69
37
40 Nicolas Cortinove

42
38
45 Marcos Krause

40
39
34 Darcinho

34
40
32 Tadeu Pires

30
41
46 Jonatan Paulo

16


- Tópico da classificação no Orkut;
- Relembre em quem você apostou na FINAL, clique aqui;
- Relembre em que você apostou no bônus, clique aqui;
- Clique aqui e entenda o regulamento;
- Discordância na Pontuação, entrar em contato no e-mail:
redacao_esporte@hotmail.com


Direto da Redação


Patrocinador

Euro 08 > Espanha bate Alemanha por 1 a 0 e vence Euro pela segunda vez

* Com golaço de Fernando Torres, Fúria espanta fama de tremer em decisão e fatura a Eurocopa 2008


A Espanha não "morreu na praia" e conquistou o título da Eurocopa pela segunda vez, neste domingo, ao vencer a Alemanha por 1 a 0, no estádio Ernst Happel, em Viena, na Áustria, na final da competição. O gol do título foi marcado por Fernando Torres, ainda no primeiro tempo.

Um brasileiro também pôde comemorar o título. O volante Marcos Senna, naturalizado espanhol, foi titular durante a campanha espanhola e vai concorrer inclusive ao prêmio de melhor atleta da competição, ao lado de outros nove atletas. A decisão da Uefa sairá nesta segunda-feira.

Invicta há 21 jogos, a Espanha tentava acabar com a fama de montar boas seleções, mas não conseguir títulos importantes. A única conquista européia havia sido em 1964, quando foi sede da competição.

Já a Alemanha tinha a tradição ao seu lado. Afinal, esta era a sexta final da Eurocopa que disputava. A tricampeã mundial também já havia sido três vezes a melhor da Europa, com os títulos de 1972, 1980 e 1996.

O meia e capitão do time alemão, Michael Ballack, que chegou a ser dúvida por causa de dores na panturrilha, foi para campo. Porém, foi muito bem marcado por Marcos Senna. Outra aposta alemã para conquistar o tetra era no atacante Podolski, com três gols marcados até então, mas que teve atuação discreta.

Do lado espanhol, a equipe tinha a ausência do principal goleador da Euro, com quatro gols marcados, o atacante David Villa, que havia se contundido na vitória por 3 a 0 sobre a Rússia pela semifinal. Em seu lugar, atuou o jovem Fabregas.

Já o técnico Luis Aragonés, que completará 70 anos, havia dito que essa era sua despedida da seleção, pois não se sentia prestigiado pela Federação Espanhola.

O jogo

A Alemanha começou o duelo melhor posicionada em campo e mais perigosa. Na base do toque de bola, o forte do time, os espanhóis tentavam envolver os adversários.

Aos 14 minutos, Metzelder tentou cortar cruzamento de Capdevilla e quase marcou contra. O goleiro alemão Lehmann fez boa defesa. A Espanha foi melhorando e aos 22 acertou a trave direita, em cabeçada de Fernando Torres, após cruzamento de Sérgio Ramos.

Aos 33, Fernando Torres foi lançado por Xavi, ganhou de Lahm na corrida e na raça e tocou por cima na saída de Lehmann para abrir o placar. O rei da Espanha, Juan Carlos, e a rainha Sofia vibraram na tribuna de honra do estádio austríaco.

Em desvantagem, a Alemanha saiu mais para o ataque, mas pouco ameaçou. Na etapa final, os alemães voltaram com Jansen no lugar de Lahm. Porém, aos oito, foi a Espanha que chegou novamente em chute cruzado de Xavi para fora.

Pouco depois, entrou Kuranyi no lugar de Hitzlsperger, para reforçar o ataque da Alemanha. Aos 14, em um dos poucos lances da Alemanha, Ballack bateu com perigo da entrada da área. A bola passou perto.

Aos 21, foi a vez do espanhol Sérgio Ramos cabecear para a defesa de Lehmann. Nos lances seguintes, Frings tirou em cima da linha um chute de Iniesta, e o goleiro alemão espalmou outro chute do mesmo jogador pouco depois.

O tempo foi passando, e apesar da tensão dos minutos finais, a Espanha administrou o resultado e ainda teve chances de marcar mais um gol. Já a Alemanha foi envolvida pela equipe espanhola e não teve forças para conseguir o empate.

FICHA DO JOGO:
Local: Estádio Ernst Happel, em Viena, na Áustria
Data: 29/06/2008 (domingo)
Árbitro: Roberto Rosetti (Itália)
Cartões amarelos: Casillas e Fernando Torres (E); Ballack e Kuranyi (A)
Gol: Fernando Torres (E), aos 33 minutos do primeiro tempo

ALEMANHA
Lehmann, Friedrich, Metersacker, Metzelder e Lahm (Jansen); Frings, Hitzlsperger (Kuranyi), Ballack e Schweinsteiger; Klose (Gomez) e Podolski
Técnico: Joachim Löw

ESPANHA
Casillas, Sergio Ramos, Puyol, Marchena e Capdevilla; Marcos Senna, Xavi, Iniesta, David Silva (Cazorla) e Fabregas (Xabi); Fernando Torres (Güiza)
Técnico: Luis Aragonés

Fonte: Uol

Comentário da Redação
Futebol bonito e título merecido. Parabéns, Fúria!

Na fase de grupos, após o segundo jogo da Holanda, que goleou a França por 4 a 1 praticando um futebol maravilhoso e objetivo, eu falei aqui no blog que havia pintado a grande seleção candidata a conquista da Euro, e na ocasião era a grande favorita mesmo. Mas como estamos falando de futebol, não passava de puro favoritismo.

Logo nas quartas-de-finais, contra a Rússia a Laranja Mecânica não teve a mesma eficiencia e ficou pelo caminho. Sem querer tirar os méritos da Rússia, que foi espetacular, mas talvez se as duas seleções se enfrentassem mais nove vezes, teria passado na grande maioria, ou até nas nove vezes. Mas isso é o futebol, e por esse motivo é tão apaixonante.

E a Espanha continuou jogando bem, tanto quanto a Holanda, mas não só na fase de grupos, como na fase seguinte também. Com um futebol bonito de se ver... Objetivo, de bom passe, com raça e habilidade. Uniu um time muito entrosado com a habilidade e técnica de jogadores como David Villa - o artilheiro da competição, Fernando Torres, David Silva, Iniesta, Xavi, o reserva de luxo Fabregas, além da raça e vontade do brasileiro Marcos Senna, do Puyol, Sérgio Ramos e Marchena... Foi a mistura perfeita para levar o título

Título que foi, sem dúvida alguma, muito merecido, e creio que todos que gostam de futebol e viu os jogos da Espanha, adorou o que viu, a Fúria foi bem em todos os fundamentos do futebol, espantou a fama de pipocar em decisões, com isso vai chegar na Copa do Mundo muito forte e com moral, e com certeza será uma das seleções favoritas.

Direto da Redação

Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

domingo, 29 de junho de 2008

Campeonato Brasileiro > Inter sai na frente, mas primeiro Gre-Nal do ano acaba empatado

* Roger faz seu quarto gol de pênalti seguido e empata o jogo no final

Num Gre-Nal em que os rivais chegavam em situações opostas no Campeonato Brasileiro, Grêmio e Inter ficaram no 1 a 1 neste domingo, no Olímpico. Os colorados saíram na frente com Índio, mas num lance polêmico Renan, que foi expulso, cometeu o pênalti em que Roger decretou a igualdade no resultado.

Com oito pontos, o alvirrubro segue próximo à zona de rebaixamento. Se a "gangorra" permanece favorável ao lado azul, o consolo vermelho é ter impedido que o rival, que foi para 17 pontos, se mantivesse na cola do líder da competição. Na próxima rodada (6/7), o Inter volta ao Beira-Rio para receber o Coritiba, enquanto o Grêmio vai ao Rio de Janeiro enfrentar o Botafogo.

Tite apresentou uma surpresa na escalação, dando vaga para Taison, e foi dele o primeiro chute perigoso da partida, aos 6min, que desviou em Eduardo Costa. E foi numa bola parada aos 15 que o Inter saiu na frente. Alex colocou na área, Sorondo cabeceou para a defesa de Victor, mas no rebote Índio, de cabeça, faz 1 a 0. Na comemoração, todos os jogadores (exceto Renan) se abraçaram no meio do campo.

O Grêmio tinha mais posse de bola, tocava bem a bola, mas com Roger bem marcado, não conseguia situação clara. As investidas eram quase todas pelos flancos, com o que Renan só trabalhava quando saía do gol. Com tranqüilidade, os colorados fechavam os espaços e saíam em velocidade com Taison e Nilmar, mas o placar não mudou até o intervalo.

Roger, de atuação fraca, lamentava a falta de oportunidades da equipe. "Eles fizeram um gol numa bola parada e estão marcando bem, mas vamos tentar reverter", resumiu.

Na saída da etapa final, o Grêmio assustou com uma troca de passes rápida, mas Sorondo salvou chute de Perea. Enquanto isso, a torcida da casa acendia sinalizadores e incendiavam papéis, e o caminhão de bombeiros precisou entrar no estádio.

Depois de suportar a pressão dos primeiros instantes, o Inter equilibrou o confronto, e Nilmar infernizava a vida da zaga adversária. De cabeça, Perea chegou a balançar as redes aos 27, mas o gol de empate foi anulado por impedimento.

Aos 32, Renan saiu do gol e no lance o auxiliar viu chute em Rodrigo Mendes. Pênalti e goleiro expulso, o que parou a partida por três minutos. Na cobrança Roger, com paradinha, colocou no canto direito: 1 a 1, placar final.

FICHA DO JOGO:
Data: 29/6/2008 (domingo)
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Árbitro: Alicio Pena Júnior (Fifa/MG)
Assistentes: Alessandro Álvaro da Rocha (BA) e Marcelo Barison (RS)
Cartões amarelos: Sorondo, Ricardo Lopes, Magrão, Índio (Inter); Eduardo Costa, Marcel, Léo (Grêmio)
Cartão vermelho: Renan (Inter)
Gols: Índio (aos 15min do primeiro tempo); Roger (aos 37min do segundo tempo)

GRÊMIO
Victor; Léo (Rafael Carioca), Pereira e Réver; Paulo Sérgio, Eduardo Costa, William Magrão (Rodrigo Mendes), Roger e Hélder; Marcel (Soares) e Perea
Técnico: Celso Roth

INTERNACIONAL
Renan; Ricardo Lopes (Clemer), Índio, Sorondo e Marcão; Edinho, Magrão, Guiñazu e Taison (Ramon); Alex e Nilmar
Técnico: Tite

Fracos, Flu e Bota empatam e seguem em posições delicadas no BR

O jogo refletiu bem o momento de ambos no Brasileiro. Em uma partida fraca tecnicamente, Fluminense e Botafogo ficaram no 0 a 0, neste domingo, no Maracanã, pela oitava rodada da competição nacional. Com o resultado, o Tricolor segue sem vencer, chegou aos três pontos e continua na última colocação. Já o Alvinegro é o 16º, com oito.

O Fluminense volta a campo nesta quarta-feira quando fará o "jogo da sua vida" contra a LDU-EQU, no Maracanã, pela final da Copa Libertadores da América.

Pela competição nacional, o adversário será o Goiás, domingo, às 18h10, no Serra Dourada. No mesmo dia e horário, o Glorioso recebe o Grêmio, no Engenhão.

Aproveitando-se do fato de atuar com os seus principais jogadores, o Botafogo começou a partida pressionando. Porém, mesmo com a maior posse de bola do rival, o goleiro Fernando Henrique quase não teve problemas na etapa inicial.

Perigo de fato mesmo só aos 25. Carlos Alberto centrou, o goleiro tricolor triscou e afastou. A resposta do Fluminense aconteceu cinco minutos mais tarde. Guerreiro salvou gol certo.

Mesmo com os suplentes, o Tricolor passava a dominar as ações. Já o Botafogo se movimentava pouco na frente e não conseguia furar o forte bloqueio imposto pelo adversário.

O panorama não mudou na segunda etapa. As duas equipes criavam pouco e jogo seguia truncado. Tentando ter uma referência na frente, Renato Gaúcho promoveu a entrada de Somália, que retornava ao time após longo tempo inativo.

Contudo, o Botafogo é quem teve as melhores chances na etapa final. Aos 22, Vanderlei cabeceou e Fernando Henrique fez excelente defesa. Oito minutos mais tarde, Carlos Alberto perdeu gol feito.

Já o Fluminense não conseguia trocar passes no meio campo e passou a ficar satisfeito com o empate para a ira dos poucos torcedores que estiveram presentes no Maracanã.

Fonte: Uol


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro > Palmeiras vence o Náutico por 2 a 0 e entra no G-4

* Com gols de Alex Mineiro e Denílson, Verdão vence o Náutico com facilidade

Nem parecia um jogo entre dois times que disputavam as primeiras posições do Campeonato Brasileiro. Muito superior ao adversário, o Palmeiras venceu o Náutico por 2 a 0 na noite deste domingo, no Parque Antarctica. Alex Mineiro marcou de pênalti no primeiro tempo e Denílson ampliou no segundo. Com esse resultado, a equipe paulista chegou à quarta colocação e ficou com o lugar justamente dos pernambucanos no G-4, que caíram para quinta colocação.

Além de encostar nos líderes, o Palmeiras chegou a sua terceira vitória consecutiva na competição e a 400ª ao longo da história do Campeonato Brasileiro. De quebra, a equipe alviverde segue com o tabu de nunca ter perdido para o Náutico em seu estádio.

Apesar de ter um maior volume de jogo, o Palmeiras poderia ter goleado o adversário, se não fosse a ineficiência do seu ataque. Mesmo com toda a facilidade encontrada pela equipe alviverde para criar as jogadas, principalmente pelas alas, os erros de finalização e o goleiro Eduardo impediram uma diferença maior de gols.

No primeiro tempo, o grande destaque foi Elder Granja. Com uma marcação frágil pela lado esquerdo do setor defensivo do Náutico, o jogador teve facilidade para cruzar e arriscar algumas finalizações.

Foi com Granja, inclusive, que nasceu o primeiro gol do Palmeiras. O lateral foi à linha de fundo e, ao entrar na área, se enrolou com Itaqui. O árbitro Djalma Beltrami marcou o pênalti, convertido por Alex Mineiro.

Se o setor defensivo do Náutico não conseguia frear o ímpeto palmeirense, o mesmo não acontecia com a defesa palmeirense, que contou com a estréia de Gladstone, substituto do recém-negociado Henrique. Sem o atacante Warley, trocado por Radamés no jogo deste domingo, o setor ofensivo do Náutico não chegou a assustar o goleiro Marcos durante a primeira etapa.

Depois do péssimo primeiro tempo, o Náutico consertou as falhas na sua zaga e passou a criar mais dificuldades para os atacantes do Palmeiras. Mesmo assim, a equipe alviverde continuou superior no jogo. Dessa vez, que passou a ter liberdade para jogar foi o lateral-esquerdo Jefferson, que substituiu Leandro no intervalo.

Porém, como o Palmeiras não conseguia marcar o segundo gol, o Náutico passou a gostar de jogo e pressionar os donos da casa. Bem postada em campo, a defesa palmeirense, no entanto, continuou rebatendo a bola e permitindo que o goleiro Marcos não tivesse muito trabalho.

Aos 34min, os dois times ficaram com dez jogadores. Alceu agrediu Kléber e acabou sendo expulso. O jogador do Palmeiras reclamou com o árbitro e também levou o cartão vermelho.

Com mais espaço em campo, o Palmeiras conseguiu o segundo. Após lançamento do meio, Denílson, que havia entrado no lugar de Diego Souza, driblou Negrete, passou por Eduardo e ampliou o placar.

Na próxima rodada, o Palmeiras vai ao Mineirão enfrentar o Atlético-MG, no domingo, às 16h. Na véspera, o vai ao Rio de Janeiro enfrentar o Flamengo, no Maracanã, às 18h20.

FICHA DO JOGO:
Data: 29 de junho de 2008, domingo
Local: estádio do Parque Antarctica, em São Paulo
Árbitro: Djalma José Beltrami Teixeira (Fifa-RJ)
Auxiliares: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Ricardo Maurício Ferreira de Almeida (RJ)
Cartões amarelos: Ticão, Negrete, Itaqui e Everaldo (Náutico), Martinez e Valdivia (Palmeiras)
Cartões vermelhos: Alceu (Náutico) e Kléber (Palmeiras)
Gols: Alex Mineiro, aos 45 min do 1° tempo e Denílson, aos 41 min do 2º tempo.

PALMEIRAS
Marcos, Élder Granja, Gustavo, Gladstone e Leandro (Jefferson); Pierre, Martinez, Diego Souza (Léo Lima) e Valdivia; Kléber e Alex Mineiro (Denílson)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

NÁUTICO
Eduardo; Ruy, Vagner (Itaqui), Negrete e Everaldo; Ticão (Gilmar), Alceu, Helton (Felipe) e Geraldo; Wellington e Radamés
Técnico: Leandro Machado

Fonte: Uol


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro > Obina marca duas vezes e garante vitória do Flamengo no Recife

* Líder, Rubro-negro é o primeiro a ganhar do Sport na Ilha do Retiro

Com dois gols do atacante Obina, o segundo no último minuto do acréscimo, o Flamengo garantiu uma importante vitória no Recife, diante do Sport, por 2 a 1. O resultado deste domingo mantém o Rubro-Negro carioca na liderança da Série A do Campeonato Brasileiro. Já o time pernambucano segue na má fase pós-conquista da Copa do Brasil e já se aproxima da zona de rebaixamento.

O jogo começou muito, com muito estudo por parte dos dois times, mas com o Sport se fazendo mais presente no ataque. Aos 3 minutos, o lateral-direito Luisinho Netto desceu em velocidade e, ao tentar o cruzamento, quase surpreendeu Bruno, já que a bola saiu fechada e passou raspando o travessão da meta defendida pelo camisa 1 do Flamengo.

Cinco minutos depois, Enilton desceu pela direita, levou a bola para dentro da área e tabelou com Carlinhos Bala. Com Ronaldo Angelim apenas marcando à distância, o atacante do Sport soltou a bomba, de frente para Bruno, que se esticou e acompanhou a bola sair, outra vez, rente ao seu travessão.

A primeira boa descida do Flamengo aconteceu apenas aos dez minutos, mas Marcinho tentou cruzar para Obina e a bola acabou indo fácil para Magrão. Aos 12, novamente Marcinho tentou de fora da área, mas a bola subiu muito. Era a senha de que o Flamengo começaria a tomar conta do jogo.

Aos 14, Renato Augusto recebeu próximo à entrada da grande área e tentou uma enfiada de bola para Obina, que por muito pouco não conseguiu chegar. A jogada de maior perigo da partida aconteceu aos 17, em um lance em que Marcinho tentou o passe na área para Fábio Luciano. A bola acabou indo para Ronaldo Angelim, que chutou colocado, no canto direito de Magrão. O camisa 1 do Sport fez grande defesa e salvou a sua equipe de tomar o primeiro gol.

O Sport só voltou a assustar as 24 minutos. Boa trama pelo meio e o volante Daniel Paulista arriscou de fora da área. O chute cruzado passou à direita de Bruno, que só acompanhou.

Aos 31, Obina segurou uma bola na linha de fundo e fez um belo cruzamento no segundo pau. Juan cabeceou sozinho e tentou o ângulo esquerdo de Magrão. A bola passou muito próximo da meta.

O Sport voltou a tentar o gol em chutes de fora da área. Aos 32, com Francisco Alex, e aos 34, com Daniel Paulista, Bruno defendeu bem. Aos 39, Carlinhos Bala tentou fora da área, mas o chute saiu por cima.

No segundo tempo, o panorama da partida não mudou. O Flamengo tocava bem a bola e chegava ao ataque com mais facilidade. Assim, aos 9 minutos, o time carioca abriu o placar em uma jogada ensaiada. Renato Augusto sofreu falta pelo meio e, na cobrança, Juan colocou a bola na cabeça de Obina, que se apoiou em Igor para subir e cabeceou sem chances para Magrão. A defesa do Sport reclamou falta, mas a arbitragem não viu infração no lance.

Aos 11 minutos, Leonardo Moura pegou um rebote e arriscou de fora da área. Magrão se esticou e colocou a bola a escanteio. O Sport não conseguia criar e apenas assistir a troca de passes do Flamengo, que teve outra boa chance aos 17, em jogada ensaiada de Léo Moura, que bateu para fora.

A primeira chance de gol do time da casa na etapa final veio apenas aos 19 minutos. Luisinho Netto sofreu falta na entrada da área e ele mesmo bateu. O chute saiu forte, mas no meio do gol. Bruno tirou de soco.

Na base da vontade, o Sport passou a levar um pouco mais de perigo a partir dos 20 minutos. Aos 22, Juninho enfiou uma bola para Roger, dentro da área. O atacante girou em cima da marcação e bateu de bico, mas já estava desequilibrado e a bola saiu fraca.

Aos 29 minutos, em um lance que parecia despretensioso, o Sport chegou ao empate. Francisco Alex recebeu uma bola quase no meio-de-campo e a conduziu até a entrada da área, sem que fosse desarmado por Renato Augusto. O chute saiu forte e rasteiro e quando Bruno caiu para fazer a defesa, a bola quicou em uma parte irregular do gramado e encobriu o goleiro.

O gol fez o Caldeirão da Ilha ferver e empurrou o time da casa para o ataque. Aos 33, Luisinho Netto foi à linha de fundo e cruzou no primeiro pau. Leandro Machado só raspou e não conseguiu concluir para o gol.

O jogo ficou mais franco, com as duas equipes procurando o gol da vitória, mas apenas em chutes de longa distância. Até que, aos 48 minutos, no último lance de ataque da partida, Juan fez grande jogada pela esquerda, foi à linha de fundo e cruzou no primeiro pau. Obina só desviou de Magrão e garantiu a vitória e a liderança do Flamengo.

FICHA DO JOGO:
Data: 29/06/2008 (domingo)
Local: Ilha do Retiro, em Recife.
Horário: 16h.
Árbitro: Sálvio Spínola (Fifa-SP).
Assistentes: Milton Otaviano (Fifa-RN) e Cleriston Barreto Rios (SE)
Cartão amarelo: Dutra, Sandro Goiano (Sport), Ibson, Jaílton, Fábio Luciano (Flamengo)
Gol: Obina, aos 9, Francisco Alex, aos 29, Obina, aos 48 minutos do segundo tempo

SPORT
Magrão; Luisinho Netto, Igor, Gabriel e Dutra; Daniel Paulista, Everton (Sandro Goiano), Francisco Alex e Carlinhos Bala; Enílton (Juninho) e Roger (Leandro Machado). Técnico: Nelsinho Batista.

FLAMENGO
Bruno, Leonardo Moura, Ronaldo Angelim, Fábio Luciano e Juan; Jaílton, Cristian (Max), Ibson e Renato Augusto (Kléberson); Marcinho (Diego Tardeli) e Obina. Técnico: Caio Júnior.

Com gols no final, Atlético e Coritiba empatam na Arena da Baixada

O primeiro Atle-Tiba pelo Brasileirão, nos últimos três anos, terminou empatado por 1 a 1, neste domingo, na Arena da Baixada. Os gols só saíram nos últimos minutos do jogo: o Furacão abriu o placar aos 36 min, num pênalti cobrado por Alan Bahia e o Coxa empatou aos 41, com Marcos Tamandaré.

Com o resultado, o Alviverde segue sem vencer o rival em seu estádio. A última vez foi em 2001, por 3 a 2, pelo Paranaense.

Em termos de classificação, o empate não foi bom para os dois times, que permanecem na zona intermediária da tabela. O Coritiba, com 10 pontos, fica na décima posição. O Rubro-Negro vem logo abaixo, em 12º, com nove pontos.

Atlético-MG e Figueirense só empatam e adiam reação

Em jogo movimentado, Atlético-MG e Figueirense empataram por 1 a 1, neste domingo, no Estádio Orlando Scarpelli. O resultado não foi bom para as duas equipes, que não conseguiram reagir e permanecem na zona intermediária do Campeonato Brasileiro.

Com o empate, o time mineiro foi a dez pontos e continuou na 11ª colocação. O Atlético segue sem conseguir vencer fora de casa neste Brasileiro, já são três empates (Goiás, Atlético-PR e Figueirense) e duas derrotas (São Paulo e Náutico).

Já o Figueira foi a nove pontos e subiu uma posição, pulando para 13º na classificação geral e ultrapassando o Sport, que perdeu para o Flamengo. Assim, o time não conseguiu se reabilitar mesmo com a mudança no comando e a chegada do técnico Paulo César Gusmão.

Na próxima rodada, o Atlético encara o Palmeiras, no Mineirão, enquanto o Figueirense pega o Vasco, no Orlando Scarpelli, ambas as partidas no próximo domingo.

Fonte: Uol


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Euro 08 > Espanha e Alemanha saem da mesmice e fazem a decisão

* Dois times ofensivos e que encantam

A Eurocopa 08 que termina neste domingo com a final entre Alemanha e Espanha, às 15h45 (horário de Brasília), no Estádio Ernst Happel, em Viena, não cabe no lugar comum. Que a Alemanha é difícil de derrotar numa final e que a Espanha costuma se complicar nos momentos importantes, trata-se de conhecimento geral.

Mas o que o torneio disputado na Suíça e na Áustria mostrou é que é possível desafiar as previsões, a história e até a lógica. Uma competição que premiou as equipes ofensivas, os jogadores de talento e cujo troféu estará em melhores mãos com alemães ou espanhóis do que esteve há quatro anos com uma Grécia que buscava um gol, não mais do que um gol, somente para defender-se durante todo o restante da partida. E que, de quebra, terá pela primeira vez um brasileiro campeão, o atacante Kuranyi pela Mannschaft ou o volante Marcos Senna pela Fúria.

De um lado vai estar a Alemanha sempre difícil de derrotar nas finais. Uma equipe que chega à decisão usando de tática parecida com a que funcionou contra Portugal. Os alemães tentam jogar a responsabilidade e o favoritismo para o outro lado, um jogo psicológico que poderia até mesmo incluir a lesão do líder da equipe, o meia Michael Ballack. Se o jogador está lesionado ou se é apenas tática para confundir o adversário e posicioná-lo como favorito, somente se saberá neste domingo. Fato é que os alemães, à exceção da estréia contra a Polônia, complicaram-se quando não puderam usar a mesma estratégia, como na derrota para a Croácia e nas difíceis vitórias sobre Áustria e Turquia.

Do outro lado, a Espanha que sempre se complica nos momentos importantes vai ter a grande chance de mostrar que esse é um chavão que funcionava com outra geração, não a atual. O grande desfalque da Fúria será o artilheiro do torneio, o atacante David Villa (4 gols), lesionado.


Ficha da Decisão
ALEMANHA ESPANHA
Lehmann, Friedrich, Metersacker, Metzelder e Lahm; Rolfes, Hitzlsperger, Ballack (Borowski) e Schweinsteiger; Klose e Podolski. Casillas, Sergio Ramos, Puyol, Marchena e Capdevilla; Marcos Senna, Xavi, Iniesta, David Silva e Fabregas (Güiza); Fernando Torres
Técnico: Joachim Löw. Técnico: Luis Aragonés.
Estádio: Ernst Happel. Data: 29/06/2008. Árbitro: Roberto Rosetti (Itália)
Transmissão: SporTV e Record - Ao Vivo

Fonte: Globo.com


O Leitor arriscou:
Quem será o campeão da Euro 08?
Alemanha - 56%
Espanha - 44%


Direto da Redação












Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro > Santos e Lusa empatam no Canindé

* Peixe continua sem vencer; Portuguesa mantém invencibilidade

No clássico paulista, a Portuguesa manteve a invencibilidade no Canindé neste Brasileiro após o empate sem gols com o Santos, na noite deste sábado, mas deixou escapar a chance de vencer em casa. O placar foi ruim também para o visitante, que não vence na competição desde o dia 18 do mês passado, quando goleou o Ipatinga, e segue na zona de rebaixamento. Os goleiros foram os destaques da partida.

Com o resultado, a Lusa tem agora 12 pontos, provisoriamente na oitava posição. O próximo adversário será o Vitória, no domingo, também no Canindé. O Peixe tem seis pontos, na 18ª colocação e enfrenta o Atlético-PR no sábado, fora de casa, na próxima rodada.

Gol bem anulado

Apesar de começar com muita disposição, o Santos pecava pela falta de entendimento do trio da zaga. A primeira grande chance da partida foi da Lusa. Aos oito minutos, Marcelo entregou a jogada para Diogo, que tentou passar para Washington, mas a bola desviou na defesa e sobrou para Edno. Este chutou de primeira. Fábio Costa salvou o Peixe com os pés.

A dona da casa criava mais chances, e Edno era um dos destaques. No Peixe, um pouco de descontrole e faltas duras premiaram Domingos, Marcelo e Rodrigo Souto com cartões amarelos. Diogo era o alvo principal do time santista. O Santos até teve uma boa chance aos 20, quando Wesley encontrou espaço pela direita e chutou cruzado, pertinho da trave direita de André Luis.

O lance que gerou muitas reclamações da Portuguesa foi difícil, mas a arbitragem acertou ao anular o gol. Aos 38, Preto pegou rebote da defesa do Santos, lançou para Bruno Rodrigo, que, impedido, ajeitou de cabeça para Washington mandar para o fundo da rede de Fábio Costa. Mas a jogada já não valia mais nada.

Grandes defesas

O Santos voltou para o segundo tempo mais determinado, embora o primeiro lance tenha sido em cima de Diogo, que caiu na área e pediu pênalti, mas o árbitro não marcou. Aos quatro minutos, foi a vez de Tiago Luis, que entrou no lugar de Lima, ameaçar o gol da Lusa, exigindo a defesa do goleiro.

O Peixe partiu para cima da dona da casa, com muita pressão. Aos 10, foi a vez de Wesley soltar a bomba. Em um contra-ataque, a Portuguesa assustou Fábio Costa, que tirou com os dedos um chute de Edno.

Aos 15, Cuca atendeu ao pedido da torcida e colocou Molina em campo. O Peixe ficou mais vulnerável, permitindo os contra-ataques da Portuguesa, mas também arriscou mais, principalmente com Tiago Luis, que conseguiu algumas chances, como uma de cabeça, em uma confusão na área.

Quase no fim da partida, Quiñones entrou e já no seu primeiro lance chutou forte, obrigando André Luis a espalmar a bola. A torcida do Santos foi ao delírio. Mas quase morreu de susto aos 46. Diogo arrancou com a bola e chutou cruzado. Fábio Costa impediu o que seria o gol da Lusa. E o clássico ficou mesmo no 0 a 0.


Ficha do Jogo
PORTUGUESA 0X0 SANTOS

Estádio: Canindé, São Paulo (SP)
Data/hora: 28/6/2008 - 18h20min (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugenio Simon (Fifa/RS)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP) e Márcio Luz Augusto (SP)
Renda/Público: R$ 107.000,00 / 5.000 pagantes
Cartões Amarelos: Dias, Diogo e Edno (POR); Marcelo, Domingos e Rodrigo Souto

PORTUGUESA: André Luis, Patrício, Bruno Rodrigo, Halisson e Bruno Recife; Dias, Gavilán, Edno e Preto; Diogo e Washington (Vaguinho, 27'/2ºT).
Técnico: Vagner Benazzi.

SANTOS:
Fábio Costa, Domingos, Fabão e Marcelo; Apodi (Molina, 15'/2ºT), Adriano, Rodrigo Souto, Wesley e Kléber; Lima (Tiago Luís - intervalo) e Kléber Pereira.
Técnico: Cuca.

Fonte: Globo.com











Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

sábado, 28 de junho de 2008

Campeonato Brasileiro > Vasco sofre, mas reencontra vitória ao superar o Ipatinga

* Sem vencer há três jogos, o Vasco fez de tudo para se complicar. Porém, cumpriu com a sua obrigação como mandante e venceu o Ipatinga por 4 a 2

Alex Teixeira (2) Leandro Amaral, de pênalti, e Jean fizeram para os donos da casa. Enquanto Gian e Adeílson deixaram para os visitantes.

Com o resultado, o time da Colina chegou aos 11 pontos. Já a equipe mineira segue o seu calvário dentro da competição, com cinco.

Ambos voltam a campo no dia 6 de julho. O Vasco visitará o Figueirense, às 16h, no Orlando Scarpelli. Já o Ipatinga tentará a reabilitação diante do São Paulo, às 18h10, no Morumbi.

Alex Teixeira marca duas vezes, mas zaga volta a falhar

Ao contrário das partidas anteriores, o Vasco mostrou extrema eficiência nas finalizações. Tanto é que o Cruzmaltino construiu a sua vitória logo no início do embate. Com extremo oportunismo, Alex Teixeira deixou sua marca em duas ocasiões, explorando boas jogadas do lateral Wagner Diniz.

Apesar do revés no placar, o Ipatinga partiu para cima e quase diminuiu com o Gérson Magrão. Aos 15, o meia acertou o travessão de Tiago. Enquanto isso, o time da casa explorava bem as jogadas pelas pontas e quase ampliou aos 19, com Jean.

Aos 28, em um erro do volante Jonílson, porém, o Ipatinga diminuiu com Gian. Contudo, após equívoco de Heber Roberto Lopes, o Vasco marcou mais um. Depois de falta fora da área de Augusto Recife, o juiz assinalou a penalidade que Leandro Amaral não desperdiçou.

Ipatinga marca no início, mas Jean tranqüiliza a torcida

A equipe mineira mostrou outra postura e sufocou o time mandante desde o primeiro minuto da etapa final. Aos seis, Adeílson, substituto de Luciano Mandi, deixou a sua marca em cima de Roberto, que entrou na vaga de Tiago, com febre.

Com o gol, o Ipatinga passou a dominar as ações. Enquanto isso, o Vasco não conseguia acertar um contra-ataque sequer até então. Morais, que tinha péssima atuação, mandou por cima da meta inimiga, aos 21.

Nesta altura, a torcida se mostrava extremamente impaciente e hostilizava os jogadores cruzmaltinos. Apesar da pressão adversária, o Vasco "matou" a partida aos 36.

Morais, apagado até então, deu grande passe para Jean deixar o seu. Depois disso, foi só tocar a bola para o time da Colina acabar com o jejum de três jogos sem vitória dentro do Campeonato Brasileiro.

FICHA DO JOGO:
Data: 28/06/2008 (Sábado)
Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Altermir Hausmann (Fifa-RS) e José Carlos Dias Passos (PR)
Cartões amarelos: Pablo (Vasco); Paulinho Dias e Augusto Recife (Ipatinga)
Gols: Alex Teixeira, aos 3 e aos 11, Gian, aos 28, Leandro Amaral, aos 41 do primeiro tempo; Adeílson, aos seis, Jean, aos 36 minutos do segundo tempo

VASCO
Tiago (Roberto), Wagner Diniz, Eduardo Luiz, Vilson e Madson (Pablo); Jonílson, Rodrigo Antônio, Alex Teixeira (Beto) e Morais; Jean e Leandro Amaral.
Técnico: Antônio Lopes

IPATINGA
Fred, Márcio Gabriel, Gian, Tiago Vieira e Rodriguinho (Paulinho Dias) Augusto Recife, Xaves, Leandro Salino e Gerson Magrão; Neto Baiano (Ricardinho) e Luciano Mandi (Adeílson).
Técnico: Ricardo Drubscky

Vitória vence, encosta no G-4 e manda Goiás para zona de perigo

O Vitória cumpriu a primeira meta estabelecida pelo técnico Vagner Mancini no Campeonato Brasileiro ao derrotar o Goiás por 3 a 0, neste sábado, no Barradão, com gols de Ramon, Ricardinho e Dinei.

Com o resultado, o time somou sete pontos nas últimas três rodadas, o mínimo estipulado pelo treinador para chegar ao objetivo primordial da equipe na competição, que é figurar no grupo dos quatro primeiros colocados, que garantem vaga para a Taça Libertadores da América. Não foi o suficiente, mas a equipe está bem perto disso: com 14 pontos, igualou-se em pontos ao Náutico, que ocupa a quarta colocação, mas ainda joga neste domingo. O Goiás voltou à zona de rebaixamento, com seis pontos ganhos, em oito jogos disputados.

O Vitória buscou o placar desde o início do jogo. Conseguiu marcar no final do primeiro tempo. Na segunda etapa, O Goiás tentou reagir, mas ficou difícil com um jogador a menos, com a expulsão de Pituca, no início do segundo tempo. A oitava rodada será encerrada neste domingo com mais sete jogos.

As duas equipes voltam a jogar no dia 6 de julho. O Vitória sai para enfrentar a Portuguesa, no Canindé, em busca do primeiro triunfo como visitante. O Goiás joga contra o Fluminense no estádio Arapucão, em Jataí-GO. O clube alviverde foi punido com duas perdas de mando de campo pela Terceira Comissão Disciplinar do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) e vai tentar a primeira vitória como mandante.

Fonte: Uol


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Pequeim 2008 > Boletim Olímpico

Vôlei de praia > Pedro e Harley caem na Noruega e conquista da vaga olímpica complica

Pedro Solberg e Harley não aproveitaram a chance de se aproximar, ou até ultrapassar Márcio e Fábio Luiz na disputa pela última vaga olímpica - a primeira foi conquistada por Ricardo e Emanuel. Em Stavenger, a dupla caiu ainda nas oitavas-de-final, ficou em 9º, e não pontuou neste Grand Slam. Com isso, Pedro e Harley só tem mais duas chances de tirar a diferença para os rivais, que continua em 100 pontos. Franco e Benjamin também foram derrotados neste sábado e o Brasil, pela primeira vez, em dez edições realizadas na Noruega, não tem mais representantes na competição.

Não era preciso muito para conquistar o objetivo olímpico. Pedro Solberg e Harley precisavam apenas de um terceiro lugar na Noruega para superar Márcio e Fábio Luiz, mas derrotados pelos holandeses Richard Schuil e Reinder Nummerdor por 2 a 0, parciais de 18/21 e 26/28, os brasileiros adiaram ainda mais a chance de encerrar a disputa por Pequim. O dia começou bem para a dupla, que venceu os espanhóis Herrera e Mesa por 2 sets a 0, 21/17 e 24/22 na repescagem, mas sem conseguir manter o ritmo, acabou eliminada no confronto seguinte. A chance era ainda melhor porque Márcio e Fábio Luiz haviam sido eliminados ainda na sexta-feira.


Franco e Benjamin também perdem e Brasil fica fora

Assim como os compatriotas, Franco e Benjamin abriram o dia com um resultado positivo, na repescagem. Os brasileiros venceram Dugrip e Gagliano, da França, por 2 sets a 0, parciais de 21/18 e 21/15, mas nas oitavas não resistiram à força dos alemães Brink e Dieckmann e perderam por 2 sets a 0 (17/21 e 15/21).

Na próxima quinta-feira, em Moscou, e na etapa Open de Marselha, de 15 a 20 de julho, Pedro e Harley têm as duas últimas chances para garantir a ida a Pequim. Para conseguir o objetivo, a dupla precisa chegar em terceiro, desde que seus rivais não superem a quinta colocação. A disputa do Grand Slam na Rússia começa na terça-feira para as duplas que ainda não têm vaga na chave principal.


No feminino, Ana Paula e Shelda deixam escapar o bronze e diminuir a diferença para Renata e Talita

Ana Paula e Shelda precisavam de um bom resultado para se aproximar das rivais na briga pela última vaga olímpica do feminino - a primeira foi conquistada pela dupla Larissa e Juliana. No entanto, o quarto lugar foi o máximo que as veteranos conquistaram no Grand Slam da Noruega. A jornada deste sábado não foi anda bom e terminou com duas derrotas para a dupla brasileira. Primeiro,a nas semifinais, levaram a pior contra as gregas Vassiliki Karadassiou e Vassiliki Arvaniti por 2 a 1, parciais de 21/18, 19/21 e 20/22, decidido num tie-break dramático. Na disputa pelo bronze, nova derrota. Dessa vez para as americanas April Ross e Jennifer Boss, por 2 a 0 - 14/21 e 18/21.


Vôlei > Brasil bate a Turquia no Grand Prix

A seleção brasileira feminina de vôlei venceu a Turquia por 3 sets a 0, parciais de 25/23, 25/19 e 25/15, pelo Grand Prix, que acontece no Vietnã. Líder isolada do Grupo D, esta é a quarta vitória da equipe em cinco partidas na competição.

A partida começou acirrada. O técnico Zé Roberto colocou em quadra uma formação diferente da que vinha atuando nos primeiros jogos. No lugar de Fabiane, Thaísa, maior pontuadora do jogo com 13 pontos, fez par com Walewska no meio-de-rede e Sassá substituiu Jaqueline na ponta.

O Brasil chegou a ficar atrás no placar (6/3 e 11/8) no primeiro set e as equipes se mantiveram equilibradas até 19 pontos. Com pontos de Sassá, Paula e Sheilla, e com dois erros das turcas, o Brasil chegou à vitória por 25 a 23, em 26 minutos.

A seleção brasileira abriu 7/5 no segundo set com Paula Pequeno sacando e bloqueando bem. A Turquia conseguiu bloqueios importantes e virou o placar para 9/7 e 12/9. Depois disso o Brasil deslanchou e chegou à vitória em 24 minutos.

No terceiro set, a Turquia cometeu muitos erros de ataque e de saque. Sassá e Sheilla foram muito bem nas finalizações e o ponto final veio com Thaísa pelo meio-de-rede fechando em 25 a 15, em 21 minutos.

O Brasil enfrenta agora a Alemanha, que venceu o Cazaquistão também por 3 a 0, parciais de 25/17, 25/19 e 25/21. Às 4h (horário de Brasília) deste domingo, as alemãs tentam a revanche, depois de perderem para as brasileiras no último final de semana por 3 x 1.

Em seguida, em Macau, as equipes adversárias das brasileiras serão República Dominicana (4/7), Japão (5/7) e China (6/7). As finais do Grand Prix serão realizadas na cidade japonesa de Yokohama, entre os dias 9 e 13 de julho.



Ginástica > Ginastas do Brasil vão à Bielorrússia para teste decisivo antes dos Jogos de Pequim

O Torneio Internacional Vitaly Scherbo, disputado em Minsk, na Bielorrussia, pode não contar com os adversários mais fortes, mas será um grande desafio para a seleção brasileira de ginástica. Pela primeira vez no ano, as ginastas competirão por equipes, o que farão em Pequim. Além disso, a competição, que será disputada neste final de semana, utilizará aparelhos semelhantes aos dos Jogos de Pequim. Por isso, Diego Hypolito e Victor Rosa, que será seu reserva em Pequim, também vão participar.

Para aproveitar o máximo possível, a equipe feminina entra na competição praticamente completa: na Cláudia Silva, Daniele Hypolito, Jade Barbosa, Juliana Santos, Daiane dos Santos, Laís de Souza e Ethiene Franco estão na Bielorrússia. Apenas Milena Miranda ficou no Brasil, já que a seleção só poderia levar sete atletas. Neste sábado, a disputa começa às 5h (de Brasília), com a classificação entre os homens. No mesmo dia, às 11h30m, é a vez de as meninas se apresentarem. No domingo, acontecem as finais da competição, nos mesmos horários.

- É importante você competir exatamente nos mesmos aparelhos. Assim, podemos ver em se há alguma dificuldade de adaptação e corrigir os problemas - explica Eliane Martins, supervisora da seleção brasileira.


Emocional também é avaliado

A equipe treina em Minsk desde o início da semana e, segundo Eliane, já se adaptou aos aparelhos, que são feitos com materiais diferentes dos mais utilizados nas competições internacionais. A supervisora lembra ainda que a competição, na qual as principais adversárias serão as seleções da Ucrânia, no feminino, e da própria Bielorrússia, no masculino, ajuda a preparar a cabeça dos ginastas, já que muitos farão sua estréia nas Olimpíadas, como Jade e Diego.- Aproveitamos para ver como eles se comportam. A princípio, as meninas não estão sentindo nenhum tipo de pressão extra, já que estão acostumadas a competir bastante. No Mundial do ano passado (em setembro, na Alemanha), a pressão era muito maior, já que elas precisavam se classificar para as Olimpíadas - diz Eliane.


Treinar no solo olímpico deixa Diego confiante

Para Diego Hypolito, a competição será a última antes das Olimpíadas de Pequim. O bicampeão mundial pode mostrar, nas finais da competição, a série escolhida para os Jogos. Satisfeito, o ginasta diz ter se sentido confiante após treinar no solo olímpico.

- Está sendo muito importante fazer a simulação em todos os aparelhos, pois em Pequim irei competir também no individual geral . Com relação ao solo olímpico, acho que minha adaptação foi muito boa e estou muito confiante - afirma o ginasta, por meio de assessoria de imprensa.

Após a competição, os ginastas Diego Hypolito e Victor Rosa voltam para o Brasil. Já a seleção feminina segue para outro Torneio Internacional, desta vez em Roma (Itália), onde disputam mais um amistoso por equipes, entre os dias 4 e 6 de julho.


Pequim > "Ninho de Pássaro", a mais badalada contrução olímpica, está pronto

Futuro palco das cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos, além de algumas provas de atletismo e da disputa final do futebol, o badalado Estádio Olímpico de Pequim está pronto. Depois de receber retoques devido à grande quantidade de cabos e pó em seu interior, o emblemático local foi declarado "totalmente operacional" e agora se junta às demais 36 instalações que já aguardam o início do maior evento esportivo do mundo, que tem início no dia 8 de agosto.

Mais conhecido como "Ninho de Pássaro", a única sede a estourar o prazo de construção, previsto para o final de 2007, já havia sido inaugurado em abril, com uma competição internacional de marcha atlética, vencida pelo australiano Jared Tallent.

- O Ninho de Pássaro é a última sede olímpica finalizada, mas é também a melhor - disse Tan Xiaochuan, diretor do projeto, citado pela agência estatal "Xinhua".

O estádio apelidado por conta de suas estruturas de aço entrelaçadas, que se assemelham a um ninho, custou, oficialmente, nada menos que US$500 milhões. A obra foi idealizada pelo chinês Ai Weiwei e pelos famosos arquitetos suíços Herzog & de Meuron.














Redatora: Marcella Pedroso
marcella.pedroso@yahoo.com.br







Direto da Redação

Campeonato Brasileiro > Santos é zebra contra a Lusa

* Após goleada na Vila, Cuca busca recuperação no Canindé

De um lado uma Portuguesa motivada com a ascensão no Campeonato Brasileiro e do outro um Santos preocupado com a crise e na zona do rebaixamento. Esse é o cenário do duelo deste sábado, às 18h20min (de Brasília), no Canindé.

O Santos, que conquistou recentemente os bicampeonatos paulista (2006 e 2007) e brasileiro (2002 e 2004), enfrenta a Portuguesa, que está se reerguendo aos poucos após ter amargado rebaixamentos nos campeonatos estadual (2006) e nacional (2002).

Neste Brasileirão, porém, a situação é inversa. A Lusa, de volta à Série A, está embalada por três vitórias seguidas e ocupa a oitava colocação, com 11 pontos. Já o Peixe marca passo na penúltima colocação, com apenas cinco pontos.

Santos é só problema

Cuca terá que quebrar a cabeça para escalar o 11 inicial do Santos em São Paulo. O treinador planejava escalar o zagueiro Adaílton, que voltaria após quatro meses afastado por causa de uma grave lesão no joelho direito. No entanto, o jogador bateu um joelho no outro durante o treino da última quinta-feira, e a articulação que havia sido operada está inflamada. Por isso, o zagueiro está vetado. Já o meia Robinho, que já havia ficado de fora contra o Goiás, segue sentindo dores musculares e também não poderá estar em campo.

Na vaga de Robinho, entra Wesley. Já o substituto de Adaílton ainda não está decidido. O treinador pode optar por escalar três zagueiros, entrando Domingos, ou três volantes, com a escalação de Adoniran.

Molina, Rodrigo Tabata e Marcinho Guerreiro foram barrados e não jogam.

Lusa sem problemas

O técnico Vagner Benazzi, da Lusa, por sua vez, não tem problemas para escalar sua equipe. O atacante Christian e o zagueiro Marco Aurélio, recuperados de contusões, ficam à disposição do treinador no banco de reservas.


Ficha do Jogo
PORTUGUESA X SANTOS

Estádio: Canindé, São Paulo (SP)
Data/hora: 28/6/2008 - 18h20min (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugenio Simon (Fifa/RS)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP) e Márcio Luz Augusto (SP)

PORTUGUESA: André Luis, Patrício, Bruno Rodrigo, Halisson e Bruno Recife; Dias, Gavilán, Edno e Preto; Diogo e Washington.
Técnico: Vagner Benazzi.

SANTOS: Fábio Costa, Domingo, Fabão e Marcelo; Apodi, Adriano, Rodrigo Souto, Wesley e Kléber; Lima e Kléber Pereira.
Técnico: Cuca.

Fontes: Globo.com e Lancenet!


Direto da Redação











Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br



Campeonato Brasileiro > Vasco encara o Ipatinga de presidente novo

* Roberto Dinamite foi eleito como novo comandante do clube

Após a eleição presidencial que deu a vitória a Roberto Dinamite, o Vasco encara o Ipatinga neste sábado, às 18h20m, em São Januário, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Pela última vez com Eurico Miranda no poder, o time do técnico Antônio Lopes entra em campo com quatro desfalques, entre eles o atacante Edmundo, que segue suspenso pelo STJD. Diretoria à parte, ao clube só resta uma vitória para se aproximar dos líderes da competição (Flamengo, Grêmio e Cruzeiro), que já somam 16 pontos na tabela.

O Vasco ocupa a 12ª colocação na classificação, com oito pontos. O Ipatinga tem três pontos a menos e está no 18º lugar.

Dinamite neles

Roberto Dinamite foi eleito na madrugada deste sábado presidente do Vasco para um mandato de três anos, na sede náutica cruzmaltina, localizada no bairro da Lagoa, zona sul do Rio de Janeiro (RJ). Sua chapa teve 140 votos, contra 103 da liderada pelo situacionista Amadeu Pinto da Rocha, apoiado por Eurico.

A posse do novo presidente acontece no dia 1º de julho. Até lá, o presidente interino do Vasco é Eurico Miranda. Serão 3 anos de mandato para Dinamite, que é também o maior artilheiro da história do clube, com 708 gols.

Ficha do Jogo
VASCO X IPATINGA

Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 28/6/2008 - 18h20min (de Brasília)
Árbitro: Hebert Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e José Carlos Dias Passos (PR)

VASCO: Tiago, Vilson, Rodrigo Antônio e Eduardo Luiz; Wagner Diniz, Jonílson, Pablo, Morais e Madson; Jean e Leandro Amaral. Técnico: Antônio Lopes.

IPATINGA: Fred, Márcio Gabriel, Gian, Tiago Vieira e Edimar; Augusto Recife, Xaves, Gerson Magrão e Leandro Salino; Neto Baiano e Luciano Mandi.


Animados, Vitória e Goiás duelam na Bahia

Depois de vencer o Internacional por 2 a 1, em casa, domingo passado, o Vitória recebe o Goiás, neste sábado, às 18h20min, tentando se manter na parte de cima da tabela. No Goiás, a goleada por 4 a 1 em cima do Santos, na Vila Belmiro, parece ter animado o elenco, que busca deixar a zona de rebaixamento o mais rápido possível.


Ficha do Jogo

VITÓRIA X GOIÁS

Local: Barradão, Salvador (BA)
Datal/Hora: 28/06/08 - 18h20min (de Brasília)
Árbitro: Sergio da Silva Carvalho (DF)
Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Pedro Jorge Santos de Araujo

VITÓRIA: Viáfara, Marco Aurélio, Leonardo Silva, Anderson Martins e Marcelo Cordeiro; Vanderson, Renan, Willans Santana e Ramon; Marquinhos (Jackson) e Dinei.
Técnico: Vágner Mancini.

GOIÁS: Harlei, Paulo Henrique, Henrique e Ernando; Vitor, Fernando, Pituca, Romerito e Júlio César; Alex Terra e Iarley.
Técnico: Hélio dos Anjos.


Fontes: Globo.com e Lancenet!



Direto da Redação










Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br

Palmeiras > Henrique é do Barcelona!

* Barça cobre a proposta do Ajax e leva o zagueiro por 10 milhões de euros

O zagueiro Henrique, do Palmeiras, levou a melhor no duelo entre dois clubes europeus e ficou com o mais famoso deles. Ele foi contratado pelo Barcelona por 10 milhões de euros nesta sexta-feira e deve embarcar para a Espanha no início da próxima semana. Na última quinta-feira, o Ajax, da Holanda, havia oferecido sete milhões de euros, mas, ao perceber que estava perdendo o jogador, o clube catalão melhorou os números, conforme havia prometido ao procurador do atleta, Marcos Malaquias, e bateu o martelo com o Verdão.

Henrique não veste mais a camisa do Palmeiras. O jogador chegou a participar do treinamento desta sexta-feira, na Academia de Futebol. Mas, assim que foi comunicado a respeito da negociação do zagueiro com o Barcelona, Luxemburgo o dispensou das atividades com bola.

A Traffic, empresa de marketing esportiva que tem parceria com o Palmeiras, havia pago ao Coritiba R$ 5 milhões no início do ano para contratar Henrique. Com a negociação fechada com o Barcelona por 10 milhões de euros, ou seja, aproximadamente R$ 26 milhões, o lucro será de R$ 21 milhões, dos quais 20% ficam para o Verdão (cerca de 4,1 milhões).

- As mudanças no elenco do Palmeiras estão acontecendo. Isso é normal por causa da janela de transferências européias. Eu acredito que outros jogadores podem sair. Fico chateado por perder um grande amigo, que é o Henrique, mas feliz porque ele vai jogar em um clube de ponta da Europa - afirma o volante Martinez.

O gerente de futebol do Palmeiras, Toninho Cecílio, lamentou a saída de Henrique, que ficou apenas quatro meses no clube. A intenção era manter o zagueiro até o fim do ano, mas a exigência do Barcelona de contar com o novo reforço imediatamente e a vontade do jogador acabaram prevalecendo.

- Existem situações que são difíceis de ser contornadas. A oportunidade de atuar em um clube de ponta da Europa e a proposta financeira fizeram o Henrique aceitar a transferência. Não havia como o Palmeiras fazer nada - admite Toninho Cecílio.

Fonte: Globo.com


Estagiário: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br