Mudou!

O Redação do Esporte mudou de hospedagem! Acesse nosso conteúdo atualizado em: www.redacaoesporte.com.br

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Comentário da Redação > No sufoco, São Paulo avança para a final da Sulamericana

Foi no sufoco, poderia sim ter sido mais fácil, mas no fim a festa foi completa nesta noite de quarta-feira no Morumbi com a classificação a final da Copa Sulamericana. O empate sem gols com a Universidad Católica garantiu o Tricolor em mais uma decisão continental graças ao gol marcado fora de casa, no empate de 1 a 1 da semana passada.

A partida começou como em Santiago, com o São Paulo perdendo gols e a equipe da Universidad Católica se defendendo com duas linhas de quatro e com mais um dos atacantes voltando para compor a defesa. A violência da equipe chilena, já vista no jogo de ida, também esteve presente no  Morumbi. Quem mais sofreu novamente foi Lucas.

Essa retranca parecia ser suicídio, já que um empate sem gols classificava o Tricolor. Mas era a estratégia de uma equipe que conhecia suas limitações e apostava todas suas fichas numa bola parada para fazer o gol.

E essa estratégia quase deu certo. O tempo foi passando e, quando nos demos conta, eram 40 minutos do segundo tempo e um gol da Católica, naquela altura, classificava a equipe chilena. Ao perceber isso, o técnico adversário jogou toda sua equipe para o ataque e o que se viu nos últimos 7 minutos foi um São Paulo totalmente recuado torcendo para o fim da partida.

Ainda bem que o jogo terminou, a agonia passou e o São Paulo agora espera o vencedor de Tigre da Argentina e Milionários da Colômbia para fazer a final da Sul-Americana.

Conceitos

Rogério Ceni – REGULAR: Por mais que tenha sido difícil o jogo, ele não precisou fazer nenhuma defesa. Tomou um cartão amarelo de forma injusta. Ele é o nosso capitão e para falar com o juiz tem que sair da área. Sendo assim, os árbitros têm que parar com essa mania de amarelar ele por esse motivo.
Paulo Miranda – BOM: O melhor em campo. Jogou demais! Confirmou a fama de melhor lateral direito do sistema solar.
Toloi – BOM: Partida segura, passou muita tranquilidade nos momentos de aperto da equipe chilena.
Rhodolfo – BOM: Assim como seu companheiro de zaga, foi firme durante o jogo todo.
Cortez – BOM: Continua subindo de produção. Hoje foi um dos seus melhores jogos com a camisa Tricolor. Foi muito bem defensivamente.
Wellington – RUIM: Se deixou levar pelo nervosismo quando fez uma falta violenta e desnecessária que lhe rendeu um amarelo. Isso o forçou a afrouxar na marcação para o resto do jogo.
Denílson – RUIM: Como errou passes hoje. Deu alguns chutes tortos e muita lentidão na marcação. Essas suas “qualidades” nós já conhecíamos, o problema hoje foi seu destempero que quase lhe custou uma expulsão que prejudicaria muito a equipe.
Jadson – RUIM: Jogou muito bem no primeiro tempo, mas perdeu muito gol hoje. Tem que voltar para escolinha do Tio Telê e treinar 1782 finalizações por dia.
(Ganso) – SEM CONCEITO: Demorou a entrar e pouco tocou na bola.
Lucas – BOM: Apanhou demais, assim como no jogo de Santiago. O juiz foi conivente com a violência da Universidad do Chile para anular Lucas. Mesmo assim, pois muito zagueiro para dançar a dança do Maxixe. Pena ter cansado no fim.
Osvaldo – BOM: Assim como Lucas, deu muito trabalho para equipe chilena. Precisa melhorar sua finalização.
Luis Fabiano – RUIM: Ficou muito entre os zagueiros e foi facilmente marcado. Além disso, perdeu alguns gols que não costuma perder.
Téc. Ney Franco – RUIM: Fui nítido o cansaço do time no fim do jogo. Mesmo assim, ele fez apenas uma alteração aos 38 minutos do segundo tempo. Não podemos arriscar tanto numa competição de mata-mata.

Foto: Terra

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Victor Mesquita
| @victor_mesquita

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Esquadrão de Ouro > Nós não te merecemos, Guardiola

E pelo jeito Felipão será o técnico da Seleção a partir de 2013. Sobre a escolha do bigodudo pela CBF eu falo mais adiante.

O assunto principal desta coluna é o pensamento pequeno, medíocre, corporativista e até pedante que domina nosso futebol. Com raríssimas exceções.

Logo que Mano Menezes foi demitido (também comento melhor sobre isso abaixo) vários nomes foram ventilados e, sinceramente, nenhum me animou muito. Eis que surge uma corrente que defende Pep Guardiola para o cargo. Uma escolha que seria ousada, arrojada e impactante. E que teria riscos também, óbvio.

Para contratar um espanhol como técnico da seleção brasileira seria necessário avaliar muitos fatores, como adaptação, conhecimento do futebol local, se haveria o tempo ideal para que ele trabalhasse... E certamente, nos primeiros insucessos, cobrariam dele o futebol de Barcelona, mesmo sem ser possível convocar Messi, Xavi e Iniesta.

O problema todo da história é a forma como o nome de Guardiola foi imediatamente rechaçado por técnicos e dirigentes brasileiros. Tudo é empecilho, tudo é ruim só porque o cara é estrangeiro. Os problemas existiriam, como listei acima, mas existem também boas perspectivas de um técnico que ganhou tudo nos últimos 4 anos fazendo o Barcelona jogar o tal do futebol bonito.

Me irritou profundamente ouvir de nossos treinadores coisas do tipo "é um desrespeito se o Brasil não puder colocar um técnico nascido aqui", "temos muitos treinadores de qualidade, não precisamos de ninguém de fora", "ganhamos 5 títulos mundiais sem técnicos estrangeiros". Quanta bobagem! Ideias sem argumento, apenas corporativistas. Engraçado, pois muitos deles não tem esse companherismo todo quando o assunto é roubar a vaga de outros nos clubes.

Os dirigentes da CBF ouvidos foram pela mesma linha. Nem pensaram na hipótese. Não pesaram prós e contras. Não pensaram na visibilidade mundial que teriam. Apenas disseram que não dá e ponto.

Já tivemos grandes técnicos estrangeiros em clubes do Brasil, especialmente nos anos 50 e 60. Ganhamos mundiais com técnicos daqui, como poderíamos ter ganho com espanhóis, alemães, argentinos, hungáros. Nosso jogador sempre fez mais diferença do que nossos "professores", essa é a questão. E não é nenhuma falta de respeito considerar a possibilidade de buscar uma pessoa que observe a situação de fora, com uma cultura de futebol diferente, já que hoje nossos jogadores não são mais os melhores.

Quem achar que o nome dessa rejeição estúpida é preconceito ou xenofobia, eu não vou culpar. Mas eu diria que é medíocridade de ideias, pensamento retrógrado mesmo.

É, realmente não dá pra considerar a hipótese de o melhor técnico do mundo ser técnico no Brasil. O futebol brasileiro, hoje, não te merece, Guardiola.

Sai Mano, entra Felipão

Acho que eu e 99% da imprensa fomos pegos de surpresa com a queda do Mano Menezes, pelo menos neste momento. Eu mesmo defendi aqui, após as Olimpíadas, que era o momento da saída dele. Mas ele ficou e o trabalho melhorou. Precisava ser mais testado, sem dúvida, mas 2013 estaria aí pra isso.

Pois bem, "Doutô" Marin e "Doutô" Del Nero pensaram diferente e puserem fim ao ciclo do gaúcho. O motivo, não sei, ninguém sabe. Talvez tenham adiado demais e acharam melhor resolver logo isso.

Amanhã será anunciado Felipão como substituto. Um belo prêmio por ter deixado o Palmeiras à beira do abismo. Um cara que não faz um bom trabalho há pelo menos 6 ou 7 anos. Tem nome, é campeão do mundo, entra pra ser escudo de uma entidade perdida, mas não faz por merecer o novo cargo.

Sai Andrés, entra Parreira


Na direção de Seleções, Andrés Sanchez ficou sobrando. Ele prefiriu pedir as contas a seguir como coadjuvante no comando da CBF. O nome para substituí-lo deve ser o de Carlos Alberto Parreira. Um cara muito sério e que sempre achei ter mais vocação para atuar nos bastidores do que na beira do campo. A aposta é boa, mas o momento não.

____________________________________

* A coluna Esquadrão de Ouro analisa as novidades da seleção mais vitoriosa da história do futebol.

por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Paddock da Redação > Vettel se torna o primeiro tricampeão pós-Schumacher na corrida mais emocionante do ano

Se ainda faltava uma corrida histórica para colocar Vettel entre os grandes nomes da Fórmula 1, agora não falta mais. Na melhor corrida do ano, em Interlagos, que fechou com chave de ouro a temporada, o piloto da Red Bull provou por que é tricampeão da categoria.

Depois de se chocar com Bruno Senna ainda na primeira volta e ter ido parar no último lugar, o tricampeão fez uma espetacular corrida de recuperação, digna dos melhores momentos de Ayrton Senna e chegando na quinta colocação, que era suficiente devido ao segundo lugar de Alonso, e assim pôde comemorar mais título mundial. Com todo o mérito.

Por falar em campeão, por que não falar do vice também. Fernando Alonso merece todo o reconhecimento, pois mesmo tendo o pior carro entre as favoritas Red Bull, McLaren e a Ferrari, conseguiu se manter na disputa com Vettel até as últimas voltas em Interlagos. O espanhol chegou até a ser favorito durante boa parte da temporada. Foi um campeonato quase perfeito do piloto da Ferrari e dá esperanças de um ano melhor em 2013 se lhe oferecerem um equipamento que possa fazer frente à concorrência.

O novo fim de uma era

Além de marcar o início de uma hegemonia alemã na categoria, o GP de Interlagos marcou também a aposentadoria de Michael Schumacher. O maior campeão de Fórmula1 de todos os tempos resolveu pendurar de vez o capacete e as luvas e após três anos abaixo da crítica, muito por causa do fraco desempenho da equipe Mercedes. O heptacampeão deixa de vez a categoria e passa o bastão para Vettel tentar manter a supremacia alemã. Será que teremos algum piloto para quebrar esse domínio?

Brasileiros

Os dois pilotos brasileiros Felipe Massa (foto) e Bruno Senna, terminaram a temporada de formas totalmente distintas. Enquanto Massa terminou em alta, com uma sequência de ótimos resultados e um terceiro lugar na última prova do calendário, Senna terminou a temporada ainda na primeira volta e sem a certeza de que continuará na categoria para 2013. Resta saber agora o que esperar do futuro dos nossos representantes na Fórmula 1. 

A partir da próxima semana tratarei de assuntos relacionados às notícias e previsões para a temporada 2013. Com comentários sobre o vai e vem do mercado e as principais novidades e previsões para o próximo ano. Será que teremos uma temporada tão emocionante quanto essa? E você, o que espera para o próximo campeonato?

Foto: Getty Images

_____________________________________

* A coluna Paddock da Redação traz bastidores e análises da Fórmula 1, a principal categoria de automobilismo do mundo.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

sábado, 24 de novembro de 2012

Gringolaço > Rodada da Champions é marcada pela eleminação do atual campeão inglês

A 5ª rodada da fase de grupos da UEFA Champions League quase não teve surpresas. A maioria dos favoritos venceu e praticamente garatiram a vaga rumo a 2ª fase. Porém um dos clubes de maior investimento, e atual campeão inglês deu adeus precocemente. O Manchester City dos "sheiks árabes" empatou com o Real Madrid e foi eliminado pela segunda vez consecutiva na primeira fase. O 1 a 1 em Manchester garantiu o Real na próxima fase. O outro classificado do grupo foi o Borussia Dortmund. O time do grande centroavante polonês Lewandowski (que não é aquele mercenário de Brasília) venceu o Ajax por 4 a 1.

Já o grande favorito Barcelona venceu o Spartak Moscou na Rússia por 3 a 0. Com mais um show de Messi, a equipe catalã também já garantiu sua presença na próxima fase. O segundo classificado do grupo ainda não foi definido. O Celtic foi a Portugal enfrentar o Benfica, podendo sair de lá classificado, porém o time da casa venceu por 2 a 1 e empatou com o clube escocês na classificação. Ambos possuem sete pontos, mas vejo o Celtic favorito a classificação, uma vez que o Benfica enfrentará o Barcelona na Espanha enquanto o clube de Glastow enfrentará em casa o Spartak.
O Manchester United perdeu para o Galatasaray na Turquia por 1 a 0, mas já estava classificado desde a rodada passada. Já o clube turco briga pela segunda vaga do grupo junto ao Cluj. O clube romeno venceu o Braga por 3 a 1 em casa.

As coisas não estão nada boa para o atual campeão Chelsea. Em um dos grupos mais complicados da Champions, o clube londrino perdeu feio para a Juventus em Turim, na Itália. O 3 a 0 só não complicou os "blues" como também derrubou o treinador Roberto Di Matteo. Para seu lugar já foi contratado o espanhol Rafa Benitez, que já venceu o maior torneio da Europa com o Liverpool em 2005. Já o clube italiano está próximo da classificação. O outro time muito perto da classificação é o Shaktar Donetsk que venceu o Nordsjælland da Dinamarca por 5 a 2, no jogo mais polêmico da rodada. Tudo isso por causa do segundo gol do clube ucraniano, marcado pelo brasileiro Luiz Adriano. O meio-camista também brasileiro Willian devolvia a bola em um lançamento da intermediária para o clube dinamarquês em um gesto de "Fair Play", porém Luiz Adriano não percebeu isso (ou fingiu que não percebeu). O brasileiro pegou uma zaga totalmente desprevinida, pois estavam achando que o "Fair Play" seria feito, driblou o goleiro e fez o gol. Não há regra no futebol que obrigue o "jogo limpo", mas é ético que o pratique. A UEFA se pronunciou nessa quinta, dizendo que poderá punir o brasileiro.

O atual vice-campeão Bayern de Monique empatou com o Valência na Espanha. A igualdade no placar garantiu os dois clubes na próxima fase. Já o Bate Borisov perdeu para o Lille por 2 a 0 na Bielorrusia. Os clubes disputam a terceira colocação do grupo para garantirem vaga na UEFA Europa League.

Outro grupo que está definido é o A. O Porto venceu o Dinamo da Zagreb por 3 a 0 em Portugal, mas já estava classificado desde a rodada passada. Já o PSG só garantiu sua vaga nessa rodada, ao derrotar o Dínamo de Kiev na Ucrânia por 2 a 0.

O gol da rodada ficou por conta do Milan. O clube italiano venceu por 3 a 1 o Anderlecht na Bélgico com uma obra prima do zagueiro francês Mexés de bicicleta na entrda da grande área. O resultado garantiu o clube na próxima fase, assim como o Málaga, que empatou na Rússia com o Zenit.

Não podemos, nem devemos também esquecer do Arsenal. O clube londrino venceu o atual campeão francês Montpellier na Inglaterra e também garantiu a sua presença na segunda fase. Igualzinho, fez o Shalke 04. O clube alemão venceu o Olympiacos por 1 a 0 na Alemanha e já está no mata-mata da Champions League.

_______________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Comentário da Redação > São Paulo empata em Santiago e a decisão da vaga para final da Sulamericana fica para o Morumbi

Faltou calma e competência ao São Paulo já eliminar a Universidad Católica nesta noite, em Santiago no Chile, pela semifinal da Copa Sul-Americana. De qualquer forma, o empate por 1 x 1 deu uma boa vantagem para o Tricolor conquistar a vaga diante de sua torcida no Morumbi.

O primeiro tempo foi todo do São Paulo, que abriu o placar com o gol de cabeça de Rafael Toloi. Depois disso foi um festival de gols perdidos até o intervalo.

No segundo tempo o jogo continuou como no primeiro: festival de gols perdidos pelo São Paulo. Porém, todo esse domínio começou a ruir na falha da zaga tricolor que proporcionou o gol de empate do time da casa.

Com isso, a equipe chilena cresceu na partida, empurrada pela sua torcida. Ney Franco, percebendo isso, colocou em campo Ganso para cadenciar a partida e conseguiu. Depois foi só esperar o fim da partida.

O resultado em si foi bom, mas fica a sensação de que podíamos ter tido uma melhor sorte esta noite.

Conceitos

Rogério Ceni
– REGULAR: Hoje não foi tão bem como de costume, levou um cartão amarelo bobo e podia ter defendido o gol sofrido.
Paulo Miranda – REGULAR: O melhor lateral direito do futebol intergaláctico não manteve as ótimas atuações de que vinha tendo. Gol saiu pelo seu lado.
Rafael Toloi – BOM: Fez uma boa partida e o gol do Tricolor.
Rhodolfo – RUIM: Vinha bem, fez o belo cruzamento para o gol do Toloi, mas depois deu uma de Marcelo Ramos e praticamente deu o gol para Universidad do Chile.
Cortez – REGULAR: Ficou mais preso para contar as subidas do bom meia direito da equipe chilena, Meneses.
Wellington – RUIM: Como errou passe esse menino hoje. Marcou bem como sempre, mas errou passes como nunca.
Denílson – RUIM: Manteve a regularidade: errou passes, marcou de forma lenta e chutou mal como sempre. O gol contra o Palmeiras pelo jeito ele só marcou porque mirou no banderinha para acertá-lo.
Jadson – REGULAR: Fez um ótimo primeiro tempo, depois sumiu. Tinha que ter saído antes.
(Douglar) – SEM CONCEITO: Entrou só para levar um chapéu.
Lucas – BOM: Estava com o capeta no corpo hoje. Infernizou a defesa da Universidad do Chile. Pena ter cansado, se continuasse no jogo iria expulsar uns dois jogadores da equipe de Santiago.
(Ganso) – REGULAR: Visivelmente fora de forma e muito desentrosado, mas fez seu papel de cadenciar o jogo.
Osvaldo – REGULAR: Fez ótimas jogadas hoje, mas foi o rei de perde gols no jogo de hoje. Tem que comer mais rapadura essa semana e treinar finalizações.
Luis Fabiano – RUIM: Só encheu o saco hoje. Do juiz, da zaga adversária, de mim...
Tec. Ney Franco – REGULAR: A sorte dele foi que a substituição do Lucas foi porque ele cansou, senão eu ia começar a desconfiar que ele se droga no vestiário durante o intervalo.

Foto: EFE

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Victor Mesquita
| @victor_mesquita

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Raquetada > Em final disputada, Republica Tcheca vence a Davis pela segunda vez

A final da copa Davis desse ano foi disputada entre Espanha e Republica Tcheca na cidade de Praga (capital checa), e os donos da casa se sairam melhor. Sem Nadal, a equipe espanhola foi derrotada por 3 a 2.

Foi uma grande e acirrada disputa que durou de sexta e domingo no último final de semana. O primeiro confronto foi entre Ferrer e Stepanek, e foi dominado inteiramente pelo espanhol, que venceu por 3 a 0 (6/3, 6/4, 6/4) e abriu o placar para seu país.

O segundo confronto foi entre Berdych e Almagro e a equipe tcheca reagiu no placar. A vitória de Tomas por 3 a 2 (6/3, 3/6, 6/3, 6/7, 6/3) deixou tudo igual, 1 a 1. O jogo foi o melhor do duelo.

Sábado foi o dia das duplas, e a equipe tcheca virou a disputa. Radaek Stepanek e Tomas Berdych venceram os espanhóis por 3 a 1 de virada (3/6, 7/5, 7/5 e 6/3) e colocaram o país a uma vitória do título.

A disputa chegou ao domingo e a sobrevida da Espanha veio através da vitória incontestável de Ferrer sobre Berdych por 3 a 0 (6/2, 6/3, 7/5).

O título seria disputado entre Stepanek e Almagro, e o tcheco se saiu melhor, vencendo por 3 a 1 (6/4, 7/6, 3/6 e 6/3) garantindo o bicampeonato do País. O primeiro veio quando ainda era Checoslovaquia.

ESPANHA
David Ferrer
Nicolas Almagro
Marcel Granollers
Marc Lopez

REPUBLICA TCHECA
Radaek Stepanek
Tomas Berdych

Em clima de festa e descontração, Guga vence Djokovic no Rio de Janeiro

Djokovic esteve no Rio de Janeiro no sábado, a convite de Gustavo Kuerten, para que pudessem juntos participar de ações sociais e também para que jogassem uma partida de exibição para o público brasileiro.

O jogo aconteceu sábado em um Maracanãzinho lotado. Foram 11.000 pessoas que assistiram o belo espetáculo apresentado pelo sérvio e pelo brasileiro. No fim, um clima muito descontraído com Djoko emitando o estilo do brasileiro de jogar e com direito ao "aí se eu te pego" dançado pelos tenistas e públicos.

Guga venceu por 2 a 0 (7/6, 7/5) mas o que valeu mesmo foi a bela festa que ambos os tenistas proporcionaram ao publico brasileiro. O sérvio também mostrou que além de um belo tenista, é uma pessoa bem carismática.

______________________________________

* A coluna Raquetada é o espaço dos aces, paralelas, voleios, deixadinhas e opinião sobre o que de melhor rola no tênis pelo mundo.



por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Clinch > O pós-UFC 154

O evento que ocorreu no último sábado em Montreal não apresentou grandes surpresas. A vitória de GSP era provável . Particularmente, eu, estava preocupado que Condit vencesse apenas pelo estado físico do adversário. Mas George St. Pierre com todo seu “cartaz” no UFC, escolheu o momento certo para retornar ao octógono, entrou melhor do que nunca! Assim, venceu com larga vantagem ( apesar de ter levado um knockdown no terceiro round).

No caminho do canadense, está reservado uma luta contra Spider. GSP é o melhor estrategista que já vi lutar, sempre escolhe onde lutar (no chão ou em pé), e deve derrubar algumas vezes o brasileiro. Mas Anderson Silva também é bom estrategista, é excepcional na luta em pé, bom no chão, muito resistente, e psicologicamente destroi todos os adversários. Enfim, acho que será um lutaço e com vitória do brasileiro.

Sobre o derrotado, Carlos Condit, acho que é sim um bom lutador, e nada mais. Ainda pode fazer grandes lutas, mas não o vejo como campeão.

Quem saiu em alta do octógono no Canadá foi Johny Hendricks. Com mais um nocaute relâmpago sobre um top 5 da categoria, ele praticamente carimbou seu passaporte para disputar o cinturão. Ele já até afirmou que não lutará mais enquanto não for a disputa de cinturão. Vamos ver se Dana White acatará.

Para os brasileiros, o evento abriu caminhos diferentes. Rodrigo Damm até merecia ter vencido, na minha opinião, mas não fez uma grande luta. Precisa melhorar muito sua técnica para manter-se no maior evento de MMA do mundo. Já o brasileiro Rafael dos Anjos, que está há um bom tempo no UFC, consolidou sua boa fase com a terceira vitória consecutiva, e deve ter um desafio maior em breve, para entrar de vez entre os tops da categoria.

Agora UFC só em dezembro, dia 08, com disputa de cinturão dos leves e outras grandes lutas. E o último mês do ano será recheado de lutas, com vários eventos seguidos. Vamos aguardar!


Foto: Divulgação Reprodução/Youtube
_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.


por Fernando Pilat
| @fernandopilat

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Comentário da Redação > O triste fim que marca o inicio de uma nova era. Pela segunda vez, o maior campeão nacional é rebaixado

Uma Libertadores, oito campeonatos brasileiro, duas copas do Brasil, uma copa dos campeões, 22 paulistas e um mundial de clubes (reconhecido pela FIFA em Agosto desse ano). Esses são "apenas" alguns números do maior clube do futebol brasileiro. O verdão morreu glorioso como Palestra Itália e nasceu campeão como Palmeiras, porém tem duas "vírgulas" em sua linda história. O rebaixamento de 2002 e o rebaixamento concretizado ontem, após o empate com o Flamengo no Rio de Janeiro.

O time novamente jogou bem, porém de novo teve azar. A primeira etapa foi muito truncada. O jogo pouco conseguia sair do meio-campo, mas as melhores chances sempre viam pelo lado palmeirense. Logo no início um lance discutível após uma cabeçada de Barcos, e a bola ir em direção a mão do zagueiro rubro-negro. Ao meu ver, nada foi. Após isso, o Palmeiras avançou mais ainda a frente, e depois de uma boa jogada, Tiago Real finalizou e a bola passou rente a furquilha. A etapa se encerrou, e a angústia palmeirense só aumentou.

A segunda etapa se iniciou com o segundo lance polêmico do jogo. Após boa jogada de Vinicius (que entrou no lugar de Tiago Real), Barcos recebeu a bola e foi derrubado por trás. O lance é duvidoso, mas dessa vez, achei que o penalti aconteceu. A esperança voltou, quando aos 20 minutos, Vinicius abriu o placar, após falha do goleiro flamenguista. Depois, chegou a hora do nome da partida entrar em cena. Eram 30 minutos, e após bom lançamento de Márcio Araújo, Maikon Leite saiu cara a cara com o goleiro. Eram apenas ele, a bola e o arqueiro adversário. Porém ele conseguiu o mais dificil, perder o gol. Aos 38 minutos ele teve a chance de se redimir. Recebeu bom passe de Barcos e conseguiu de novo errar o gol cara a cara. E como foi no campeonato inteiro, o Palmeiras novamente teve azar. Aos 44 minutos, Vagner "traídor" Love recebeu passe de Ibson e fez um chute totalmente despretencioso. A bola desviou no fraco zagueiro Román e entrou vagarosamente. Embora não matematicamente ainda, o Palmeiras foi rebaixado com esse gol. Foi só esperar, cerca de duas horas, e por volta das 21:30 o maior clube do futebol brasileiro, estava oficialmente rebaixado com o empate da Portuguesa contra o Grêmio no Canindé por 2 a 2.

É triste ver essa situação. Após o título da copa do Brasil, pensei que 2012 era o ano da redenção, porém devido a péssima gestão de Arnaldo Tirone, o time chegou aonde chegou de novo. O Palmeiras está tendo a segunda chance de aprender com seus próprios erros. 2013 é um ano para fazer uma "faxina geral". Dispensar mais da metade do time, e deixar apenas os poucos jogadores que tem qualidade. A Libertadores ajudará com que venha bons jogadores, apenas é necessário que se tenha planejamento. É hora de se planejar o ano que vem JÁ. Decidir se mantém Gilson Kleina (que para mim deve ficar), adiantar as eleições presidencias de janeiro para dezembro, para que o novo presidente (espero que Tirone não seja reeleito) possa traçar os objetivos do ano que vem. É bom deixar claro que seria legal fazer uma boa campanha na Libertadores, mas o objetivo é voltar para a primeira divisão, e de preferencia com o título.

Conceitos

Bruno - REGULAR: Pouco trabalhou. O time do Flamengo quase não chegou ao ataque. Por mim fica pro ano que vem, mas para ficar no banco.
Artur - RUIM: Apagadissimo em campo. O gol do Flamengo começou no seu lado (lateral direita). Sem dúvidas, sairia por mim ano que vem
(Obina) - SEM CONCEITO: Entrou no fim do jogo. Espero que seu contrato de enprestimo não seja renovado
Juninho - PÉSSIMO: Estava em campo? Espero que saia pro ano que vem
Mauricio Ramos - BOM: Esteve atento, e tirou todas as bolas. Mas quero que não fique pro ano que vem.
Román - PÉSSIMO: É um péssimo marcador e por cima a bola do Vagner Love só entrou porque desviou nele. Por mim "vaza" ano que vem
Márcio Araújo - BOM: Até esteve bem. Marcou direitinho e chegou ao ataque bem, mas por mim também não fica.
Correa - BOM: Foi o melhor da equipe em campo. Partiu pra cima sem medor e criou as melhores jogadas. Por mim fica ano que vem.
Tiago Real - BOM: Esteve bem e servindo ao ataque direito. Foi a única aposta do ano que prestou. Por mim fica pro ano que vem.
(Vinicius) - BOM: Partiu pra cima sem medo. Fez o gol da equipe. Fica ano que vem, mas para ser banco
Mazinho - PÉSSIMO: Zzzzzzzzzzzzzz. Espero que não fique pro ano que vem.
(Bruno Dybal) - SEM CONCEITO: Entrou no fim. É da base, e quero que entre com mais frequencia ano que vem. É um bom jogador
Maikon Leite - PÉSSIMO: Péssimo, horrível, ridículo. Perdeu dois gols na cara, que poderiam dar uma sobrevida ao time. Sem dúvidas, "vaza "ano que vem.
Barcos - BOM: Lutou e batalhou sozinho na frente, de novo. Sofreu um penalti que não foi marcado. Por mim ficaria sem dúvidas pro ano que vem.
Téc. Gilson Kleina - REGULAR: Fez o que pode, mas os 13 desfalques atrapalharam a escalação do time. Acho que deve ficar pro ano que vem.

Se sua vida é o Palmeiras, curta a página: www.facebook.com/palmeirasminhavidaevoce.
__________________________________________

 * A coluna Mondo Verde comenta as últimas notícias e acontecimentos da Sociedade Esportiva Palmeiras. O Palestra!



por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Comentário da Redação > Festa no Morumbi: Libertadores 2013, recorde de público e estreia de P.H. Ganso

Domingo de festa na tarde deste domingo no Morumbi. Essa era a sensação da torcida são-paulina que mais uma vez quebrou o recorde de público do campeonato Brasileiro no jogo contra o Náutico. A massa tricolor compareceu para apoiar o time conquistar a importante vaga para Libertadores de 2013 e ver a estreia de Paulo Henrique Ganso.

O primeiro tempo contra o time de Pernambuco foi decepcionante. Nenhum lance de perigo de ambas as equipes. Já o segundo tempo foi completamente diferente. Logo no primeiro chute a gol da equipe pernambucana, Souza, de falta abriu o placar.

O gol parecia ser uma ducha de água fria, mas o São Paulo tratou logo de empatar o jogo. O gol veio depois de uma jogada de muita habilidade e raça de Osvaldo, que cruzou na cabeça de Luis Fabiano para empatar o jogo. 

Festa nas arquibancadas, que ficaram ainda mais pulsantes com a entrada de Ganso. Com poucos minutos em campo, o São Paulo já havia virado o jogo com o gol de pênalti sofrido por Luis Fabiano e convertido por Rogério Ceni.

Com a vitória deste domingo, frente ao Náutico, somada a derrota do Botafogo, o São Paulo finalmente pode dizer que está de volta a Copa Libertadores, ou pelo menos a pré Libertadores.

Rogério Ceni – Bom: Mais uma vez foi decisivo anotando o gol da vitória que deixou bem encaminhada a volta do tricolor para a Libertadores. Não teve culpa no gol.
Paulo Miranda – Bom: Muito boa à volta do nosso lateral titular. Quem diria Paulo Miranda...
Rafael Toloi – Ruim: Tem que ficar mais atento para evitar cartões amarelos.
(Edson Silva) – Regular: Não deu sustos, já está bom.
Rhodolfo – Regular: Jogou de forma afobada hoje, mas o ataque do Náutico não mete medo em ninguém. Com isso, não comprometeu.
Cortez – Bom: Boa partida do Sideshow Bob Brasileiro, com bons avanços pelo lado esquerdo.
Wellington – Bom: O time com ele é um, sem ele é outro. Mostrou hoje como é fundamental para o sistema defensivo da equipe.
Denílson – Regular: Fez o feijão com arroz dele: passes errados, lentidão e chutes sem pontaria.
Jadson – Ruim: Deveria ter participado mais na criação das jogadas, principalmente no primeiro tempo. Saiu de forma justa para entrada do Ganso.
(P.H. Ganso) – Regular: Completou a festa. Sua participação foi importante para vitória, mesmo ainda nitidamente fora de forma. Como o Rogério disse: “Talento ele tem de sobra, agora e ter preparo físico igual ao dos demais”. É esperar para ver.
Lucas – Regular: Não esteve numa tarde feliz, errou alguns lances que não costuma errar. De qualquer forma, um craque que fará muita falta.
Osvaldo – Bom: O melhor da equipe neste domingo correu muito, foi o que deu mais trabalho para a zaga pernambucana. Saiu por cansaço.
(Cícero) – Sem nota: Entrou no final do jogo.
Luis Fabiano – Bom: Tocou pouco na bola, mas quando teve chance foi decisivo. Autor do gol de empate e sofre o pênalti da virada.
Ney Franco – Regular: Quando pode mandar a campo seus 11 titulares sempre proporciona bons jogos. Colocou o Ganso no jogo no momento certo.

Foto: Agência Reuters
_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Victor Mesquita
| @victor_mesquita

sábado, 17 de novembro de 2012

Paddock da Redação > GP de Austin: Uma corrida para poucos

Domingo acontece em Austin, Texas, a penúltima etapa da Fórmula 1 em 2012. O Grande Prêmio pode também consagrar Sebastian Vettel como tricampeão mundial, porém são poucos que poderão acompanhar em tempo real o que acontece no autódromo norte-americano.

Por causa do conflito de horário e do monopólio dos direitos de transmissão em poder da TV Globo, você que é amante do esporte a motor talvez tenha que esperar horas para saber se houve um novo campeão, se ainda haverá disputa de título e, o principal, como foi e quem venceu a corrida.

A detentora dos direitos vai jogar a transmissão do GP da América, que volta a acontecer nos Estados Unidos após cinco anos de ausência, para o seu canal a cabo, o SporTV. Se você não tem acesso ao canal terá de esperar o término do Fantástico para poder acompanhar o que de bom aconteceu na corrida.

Transmissão à parte, a prova de Austin tem tudo para ser bastante interessante e até contar com uma boa dose de emoção. Por ser uma pista que estreia no calendário nenhum dos pilotos tem conhecimento do traçado, o que gera maior dificuldade a todos, o que iguala um pouco a disputa.

Pelo que pôde ser visto durante os primeiros treinos livres desta sexta-feira, o novo autódromo reserva um traçado bastante exigente com sequencias de curvas de alta e de baixa, além de duas grandes retas que devem proporcionar muitas ultrapassagens. O GP de Austin pode, apesar de pouco provável, consagrar Vettel como o primeiro tricampeão após a era Schumacher. Para isso é necessário que o piloto alemão vença a corrida e seu rival, Fernando Alonso, chegue no máximo em quinto lugar. Com certeza termos muitas emoções nesse domingo de feriado prolongado, pena que será para poucos.

Foto:
Reuters

_____________________________________

* A coluna Paddock da Redação traz bastidores e análises da Fórmula 1, a principal categoria de automobilismo do mundo.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Clinch > Cinturão dos meio médios em disputa, com Spider de olho.

Na noite deste sábado acontecerá o UFC 154 no Canadá. O main event reunirá o campeão meio médio George St. Pierre, contra o desafiante e campeão interino Carlos Condit.

GSP é considerado um dos melhores lutadores peso por peso do mundo. É detentor da segunda maior sequência de defesas de cinturão da história do UFC (6 defesas). Tudo levaria a crer que ele é favorito absoluto. Mas o grande tempo inativo coloca uma interrogação no que pode acontecer na luta. Apesar de estar muito bem treinado, o ritmo de luta é importante, e pode fazer a diferença a favor do desafiante.

Carlos Condit não é um lutador brilhante, mas tem bons números na carreira, já foi campeão do extinto WEC, e venceu o duelo pelo cinturão interino diante do duríssimo Nick Diaz, em cinco rounds parelhos, com decisão unânime dos juízes. A verdade é que seus resultados no WEC o credenciaram a chegar no topo da categoria, pois no UFC suas lutas não convenceram.

Na boa, estou mais preocupado com o resultado dessa luta para saber se realmente GSP enfrentará Spider no ano que vem, do que por esperar uma "super luta". Os dois tem estilos de "amarrar lutas". Condit é um bom finalizador, mas enfrentará um faixa preta de jiu jitsu, de chão muito afiado e ground and pound potente. Se for apostar em porcentagem, colocaria 60% para GSP contra 40% para Condit. A porcentagem seria maior se não tivesse a incógnita de como o campeão reagirá ao longo tempo parado. Mas tenho 90% de "achismo" que não será uma luta vistosa para o público.

Um outro bom duelo reunirá dois postulantes ao cinturão. Johny Hendricks dono de um nocaute em poucos segundos contra Jon Fitch, enfrentará Martin Kampmann que já venceu Carlos Condit no UFC e recentemente finalizou o brasileiro Thiago Pitbull. Ambos são bons na trocação, e prometem uma luta franca. Aposto que a luta não dura 3 rounds.

Dois brasileiros aparecerão no card preliminar. Rafael dos Anjos enfrentará Mark Bocek, em luta equilibrada. Ambos vem de duas vitórias consecutivas, e conquistando uma terceira podem subir degraus na categoria dos Leves. O outro tupiniquim é ex-participante do TUF Brasil, Rodrigo Damm, que enfrentará um atleta da casa Antonio "Pato" Carvalho, pelos penas.


Confira o card completo:

CARD PRINCIPAL
Peso-meio-médio (até 77,1kg): Georges St-Pierre (77,1kg) x Carlos Condit (76,7kg)
Peso meio-médio (até 77,6kg)*: Martin Kampmann (77,6kg) x Johny Hendricks (77,6kg)
Peso-médio (até 84,4kg)*:  Francis Carmont (83,9kg) x Tom Lawlor (83,5kg)
Peso-médio (até 84,4kg)*: Nick Ring (83,5kg) x Costa Philippou (83,9kg)
Peso-pena (até 66,2kg)*: Mark Hominick (65,8kg) x Pablo Garza (65,8kg)
CARD PRELIMINAR
Peso-médio (até 84,4kg)*: Patrick Côté (83,9kg) x Alessio Sakara (84,4kg)
Peso-meio-pesado (até 93,4kg)*: Cyrille Diabate (93,4kg) x Chad Griggs (93kg)
Peso-leve (até 70,8kg)*: Mark Bocek (70,8kg) x Rafael dos Anjos (70,3kg)
Peso-leve (até 70,8kg)*:  Sam Stout (69,9kg) x John Makdessi (70,3kg)
Peso-pena (até 66,2kg)*: Antonio "Pato" Carvalho (65,8kg) x Rodrigo Damm (65,8kg)
Peso-meio-médio (até77,6kg)*: Matt Riddle (77,1kg) x John Maguire (77,6kg)
Peso-galo (até 61,7kg)*: Ivan Menjivar (61,2kg) x Azamat Gashimov (61,2kg)
Peso-pena (até 66,2kg)*: Steven Siler (65,8kg) x Darren Elkins (65,8kg)

* Em lutas que não valem cinturão, há uma tolerância de 1 libra (455g)

Foto: Divulgação Reprodução/Youtube
_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.


por Fernando Pilat
| @fernandopilat

En la Cancha > A Copa Sul-Americana conhece seu último semifinalista

O pênalti convertido por Rentería (foto) no último minuto de jogo eliminou o Grêmio e deixou o São Paulo como única equipe do país com chances de conquistar o título da Copa Sul-Americana. O time de Vanderlei Luxemburgo dominou a primeira etapa da partida em Bogotá, diante do Millonarios. Com uma marcação alta no campo do adversário, a equipe brasileira controlou bem o ritmo do jogo e foi recompensada com um gol de Werley após rebote da falta cobrada por Léo Gago.

Com a classificação em mãos e podendo levar até dois gols, o time brasileiro voltou para o segundo tempo recuado na espera de um contra-ataque para matar a partida. Porém o Millonarios, que praticamente não entrou em campo no primeiro tempo, voltou com tudo e jogando no abafa conseguiu pressionar o time de Porto Alegre. Com gols nos últimos minutos da etapa regulamentar, com Cosme e Rentería (2), o time colombiano eliminou o segundo brasileiro da competição e agora se torna um dos favoritos para chegar à final.

A partir de agora restam quatro equipes - São Paulo, Univerdad Católica, Tigre e o próprio Millonarios - na luta pelo título do segundo torneio mais importante do continente. A equipe do Morumbi enfrenta outro chileno, a Universidad Católica, que após anos de ostracismo começa e recuperar o prestígio em competições internacionais. Na outra chave o Tigre, time emergente na Argentina, enfrenta a equipe de Rentería, o carrasco dos brasileiros. Quais equipes chegarão à final? Para mim, haverá outro confronto entre brasileiros e colombianos na final. E para vocês leitores?

Seleção Brasileira


O Brasil enfrentou a Colômbia em Nova York para comemorar a milésima partida oficial do scratch canarinho. Empatar com a sensação e vice-líder das Eliminatórias do continente não é tão ruim, porém o baixa qualidade do futebol chama a atenção. Kaká (foto), Neymar e companhia não conseguiram superar a lenta e envelhecida defesa colombiana, formada por Yepes e Mosqueda. Além da falta de criatividade, as apostas de Mano Menezes deram errado. Escalar Leandro Cástan e Thiago Neves improvisados na lateral esquerda e ataque, respectivamente, não funcionaram e o técnico voltou a ser criticado principalmente por deixar Lucas a maior parte do tempo no banco de reservas.

O saldo do confronto mostra que o Brasil precisa melhorar, e muito, se quiser fazer frente às principais equipes do futebol mundial. Já a Colômbia, se não tem um time em condições de ser campeão na próxima Copa, tem tudo para ter uma participação digna e resgatar a história do futebol do país em 2014. E você o que achou?

_____________________________________

* A coluna En la Cancha fala sobre os principais assuntos do futebol sul-americano.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Comentário da Redação > Seleção tem teste de verdade e empata com Colômbia

Não era a Alemanha, nem a Espanha, nem a Argentina, mas ontem o Brasil teve um teste de verdade para formação da equipe. Diante da Colômbia, em Nova Jersey, ficamos no 1 a 1, com direito a pênalti perdido por Neymar, que quase furou a Lua.

Mano Menezes manteve um esquema que vinha dando certo nos últimos amistosos contra adversários menos gabaritados. As principais apostas eram em Neymar como centroavante, optando por Thiago Neves entre os titulares, e a manutenção de Paulinho e Ramires como dupla de volantes.

A primeira ideia não deu certo. Neymar ficou preso na marcação da Colômbia no primeiro tempo, apesar de ter tido uma bela chance de cabeça que parou nas mãos do bom goleiro Ospina. E Thiago Neves como jogador de Seleção não dá.

Já com relação a dupla de volantes, ainda não consigo cravar uma opinião. Como qualidade de jogo, acho perfeito, o time ganha muito mais. Porém, achei a marcação bem frouxa. Lance emblemático é o do gol colombiano, no final da etapa inicial. O ótimo James Rodriguez fez o que quis na meia cancha brasileira e serviu Cuadrado. O sósia so Romarinho "deitou" nas costas de Leandro Castán, improvisado como lateral esquerdo, e bateu para o gol.

O resultado não dizia o que era o jogo e o Brasil partiu pra cima. Neymar melhorou muito no jogo quando começou a sair da área e jogar mais ao seu estilo. Foi assim, num lance individual, que ele driblou 3 marcadores adversários e fez um belo gol, batendo no cantinho.

Enfim, Mano tirou a âncora Thiago Neves e colocou Lucas no jogo. O Brasil ia para o ataque com mais volúpia, apesar de deixar espaços preocupantes na retaguarda. Mas em um bom lance de Paulinho no ataque, Dani Alves recebeu na área e foi derrubado. Pênalti! Mas Neymar, inspirado por estar na casa de 2 times da NFL, achou que era field goal e bateu pessimamente.

No fim, ficou mesmo no 1 a 1. O Brasil poderia vencer, mas acho que o empate deixa as coisas mais realistas e evidencia melhor as falhas que precisam sem corrigidas. Afinal, a Copa das Confederações é logo ali. E a Colômbia tem um time bem montadinho, com ótimos jogadores de ataque. Não é qualquer um, apesar de também não ser o melhor do mundo.

A se exaltar, mais uma boa partida de Kaká, que traz ao time mais experiência e passa aos adversários mais respeito.

Conceitos

Diego Alves - REGULAR: Não foi muito exigido. A bola que foi no gol entrou.
Dani Alves - RUIM: Não está jogando para ser titular. O difícil é achar substituto.
David Luiz - BOM: Não comprometeu.
Thiago Silva - BOM: Ajudou a parar Falcao Garcia.
Leandro Castán - RUIM: Não é lateral esquerdo. Se havia um jogador da posição convocado, não havia razão para improvisar.
(Fábio Santos) - REGULAR: Ao menos é jogador da posição.
Paulinho - BOM: Apesar de sofrer um pouco para marcar os meias colombianos, fez boas jogadas de ataque.
Ramires - REGULAR: Chegou bem ao ataque algumas vezes, mas erra muitos passes.
Oscar - RUIM: Bem apagado.
(Giuliano) - SEM CONCEITO: Entrou no final.
Kaká - BOM: Oferece muita qualidade e experiência à Seleção.
Thiago Neves - PÉSSIMO: Não consigo aceitar vê-lo com a amarelinha. Não é mau jogador, mas daí pra estar ao lado de Neymar, Kaká e cia já vai uma distância enorme.
(Lucas) - REGULAR: Não entrou tão bem assim, mas o time melhorou com ele. deveria ser o titular com ausência do Hulk.
Neymar - REGULAR: Teve ótimos lampejos no segundo tempo, incluindo o do gol, mas no geral ficou devendo. E bateu mal demais o pênalti, por mais que haja a desculpa do gramado atrapalhar.
Téc. Mano Menezes - REGULAR: Fez bem ao manter o esquema que vinha bem, pois era necessário testá-lo mais. Mas errou em algumas opções de jogadores.

Foto: Mowa Press
_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Ricardo Pilat
| pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

Raquetada > Djokovic bate Federer, e fecha mais um ano como primeiro no ranking

Aconteceu nos últimos dias o torneio dos campeões da ATP. O torneio é o ultimo da temporada e reúne os oito melhores tenistas do ano. Em jogo, 1500 pontos no ranking. Novak Djokovic, Roger Federer, Andy Murray, David Ferrer, Tomas Berdych, Juan Martin Del Potro, Jo-Wilfried Tsonga e Janko Tipsarevic foram separados em dois grupos de quatro.

Grupo A
Novak Djokovic
Andy Murray
Tomas Berdych
Jo-Wilfried Tsonga

Grupo B
Roger Federer
David Ferrer
Juan Martin Del Potro
Janko Tipsarevic

No grupo A, com vitória sobre os seus três adversários, Novak Djokovic se classificou em primeiro. Em segundo, Andy Murray com duas vitórias e uma derrota.

No grupo B, a classificação foi mais disputada. Federer, Del Potro e Ferrer venceram duas e perderam uma. Nos desempates, melhor para o suiço e o argentino que avançaram para as semifinais.

Nas semifinais, Novak Djokovic venceu Juan Martin Del Potro por 2 a 1 (4-6, 6-3 e 6-2). Roger Federer venceu Andy Murray por 2 a 0 (7-6 e 6-2).

Na última segunda-feira foi disputada a final entre Federer e Djokovic, e o sérvio saiu melhor da disputa. Djoko venceu por 2 a 0 (7-6, 7-5). No primeiro set, Federer de cara quebrou o saque do adversário, mas quem é numero 1 jamais pode desistir. Com um poder de reação belíssimo, Novak virou. O script do segundo set foi igual. Federer quebrou o saque de Djokovic, mas o sérvio virou, venceu e levou o título, terminando a temporada 2012 em 1º no ranking.

O melhor brasileiro colocado é Thomaz Bellucci em 32º. Uma boa colocação, que já o garante como cabeça de chave no primeiro torneio Grand Slam do ano que vem, o Australian Open.

No torneio de duplas do campeonato, Marcel Granollers e Marc Lopez da Espanha venceram os indianos Mahesh Bhupathi e Rohan Boppana por 2 a 1 (7-6, 6-3, 10-8).

Ranking ATP após o fim da temporada
1º Novak Djokovic - Sérvia
2º Roger Federer - Suiça
3º Andy Murray - Grã Bretanha
4º Rafael Nadal - Espanha
5º David Ferrer - Espanha
6º Tomas Berdych - República Tcheca
7º Juan Martin Del Potro - Argentina
8º Jo-Wilfried Tsonga - França
9º Janko Tipsarevic - Sérvia
10º Richard Gasquet - França

______________________________________

* A coluna Raquetada é o espaço dos aces, paralelas, voleios, deixadinhas e opinião sobre o que de melhor rola no tênis pelo mundo.


por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Terra do Tio Sam > Balanço geral do inicio de temporada da NBA


A NBA se iniciou no ultimo dia 29 e já é possível indentificar quais times brigarão por algo a mais. Tanto do lado leste quanto o oeste equipes já começam a reinar forte rumo às melhores colocações para os Playoffs. Abaixo primeiramente, um balanço geral sobre a conferência onde grandes estrelas, como Lebron James e Derick Rose (os dois ultimos MVP's) reinam.

Conferência Leste

Tendo Miami Heat, Chicago Bulls e Boston Celtics como as melhores equipes nos últimos anos, a Conferência Leste começou com uma agradável surpresa, o New York Knicks na liderança. São cinco boas vitórias nos primeiros jogos, incluindo e os últimos dois campeões, Dallas Mavericks e Miami Heat. Nos dois últimos anos, a equipe ficou nas quartas de final da conferência. Esse ano, a promessa é ir mais longe. Porém nessa segunda, o time perdeu um dos seus principais trunfos, Mike D'Antoni. O treinador fechou com o Lakers que não fazia um bom início de temporada.

Já com um início mais regular, o Chicago Bulls de Derick Rose está com 4 vitórias e 3 derrotas. Esse ano, o pensamento da equipe é somente um, chegar às finais da NBA. Mas para que isso aconteça terá que passar pelo atual campeão, Miami Heat. O terror da Flórida está movido por grandes estrelas, como o já citado Lebron James, Dwayne Wade, Chris Bosh e o agora sexto homem de luxo, Ray Allen. Os comandados do treinador mais jovem da NBA, Erik Spoelstra, estão com 6 vitórias e apenas 2 derrotas.

Sempre chegando por fora está o Boston Celtics, que tem um começo com 4 vitórias e 3 derrotas.

Conferência Oeste

A Conferencia Oeste não está com muitas surpresas, os principais times estão bem, com exceção do Los Angeles Lakers, que sabádo demitiu seu treinador, Mike Brown (abaixo falarei sobre isso).

O lider é o San Antonio Spurs, de Tony Parker. A equipe está bem e tem 7 vitórias e apenas uma derrota para o Los Angeles Clippers.

O atual vice-campeão da NBA, está também no lado oeste. O Oklahoma City Thunder, de grandes estrelas como Russell Westbrook e Kevin Durant, está com um inicio bom. São 4 vitórias e apenas 2 derrotas.

Após inicio ruim, Lakers demite Mike Brown e contrata D'Antoni

O início de temporada do Los Angeles Lakers não está bom. Foram boas contratações como Dwight Howard e Steve Nash que se juntaram a estrela Kobe Bryant. Mas o resultado não anda vindo. Foram oito derrotas na pré temporada, e 5 na temporada regular, com apenas 3 vitórias. Com tudo isso acontecendo, Mike Brown foi demitido na manhã da [ultima sexta-feira. Para seu lugar, foi contratado Mike D'Antoni que faziaum bom inicio à frente dos Knicks.

__________________________________

* A coluna Terra do Tio Sam fala dos esportes que são paixão nos Estados Unidos: basquete, beisebol, futebol americano e hóquei.


por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Comentário da Redação > Palmeiras 2x3 Fluminense

Visão palmeirense > Palmeiras perde e agora depende de milagre para não cair
por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

A cada rodada que passa, o Palmeiras se complica mais ainda no campeonato. Neste domingo, derrota para Fluminense, por 3 a 2 em Presidente Peudente. O resultado também garantiu o tetracampeonato brasileiro ao clube carioca, já que o Atlético-MG empatou com o Vasco em São Januário.Tristezas  à parte, devo admitir que apesar da derrota, o jogo foi ótimo.

Precisando se lançar mais à frente para conseguir o resultado, o Palmeiras começou melhor a primeira etapa. O time estava mais presente ao ataque devido as alterações ofensivas feitas por Gilson Kleina. Já o Fluminense não estava se importando muito se o título saìria nesta rodada ou não. Estava bom de ver, e as expectativas de gol só aumentaram após boas jogadas de Obina e Barcos. O "pirata" teve outra boa chance após cobrança de escanteio de Marcos Assunção, mas faltou calma e o argentino testou forte a bola sobre a trave. Mas como diz Muricy Ramalho, "a bola pune". O Tricolor carioca, que pouco chegava ao ataque, abriu o placar com Fred aos 45 minutos. Foi uma bela ducha de água fria sobre o Palmeiras.

A segunda etapa começou bem corrida para ambos os times. O Palmeiras queria o empate, e o Fluminense queria que a vantagem aumentasse, já que o Atlético empatava no Rio de Janeiro. Para dar uma ajudinha, Mauricio Ramos fez, contra, o segundo gol carioca. Após jogada de Fred, o fraco zagueiro desviou a bola e tirou do alcance de Bruno.

A partir daí veio a reação palmeirense. Barcos (pra variar) diminuiu o placar aos 16 minutos, após bate rebate na área, e logo aos 19, Patrick Vieira empatou o jogo, após boa cobrança de falta de Correa.

Nesse momento, o Fluminense deixava de ser o campeão e a empolgação do Palmeiras era tão grande, que tinha eu quase certeza que a virada iria acontecer. Que nada. Barcos chegou novamente com perigo, mas Diego Cavalieri (que não é o substituto do Marcos por incopetencia da diretoria) fez belissima defesa.

Aí, o destino foi novamente cruel com o Verdão. Aos 43 minutos, Fred recebeu bom passe de Wellington Nem, e fez o gol que deu o título ao Tricolor e praticamente rebaixou o Palmeiras.
As coisas se complicaram agora.

O Palmeiras tem 9 pontos a disputar e precisa tirar 7 de diferença de Portuguesa e Bahia, e 4 sobre o Sport. Ou seja, se o Palmeiras perder o próximo jogo diante do Flamengo no Engenhão, domingo que vem, ou a Lusa e o clube baiano vencerem, o time estará aí sim, matematicamente rebaixado.

É triste falar disso, mas é a realidade. Como disse São Marcos, "o Palmeiras está colhendo o que plantou". Fora Tirone, fora Frizzo, fora Piraci, fora diretoria inteira.

Eu quero o meu Palmeiras de volta!

Conceitos

Bruno - REGULAR: Não falhou nos gols, mas eram bolas defensáveis.
Wesley - REGULAR: Entrou no lugar do Artur, graças a Deus. Subiu ao ataque sem eficiência, mas marcou bem.
Maurício Ramos - SEM CONCEITO: Ele não está sem conceito porque jogou pouco ou algo parecido, e sim porque o "péssimo" seria muito pelo o que jogou ontem. Só pra avisar, o RH é serventia da casa.
Henrique - REGULAR: Jogou metade da primeira etapa e machucou a costela. Enquanto esteve em campo, o Fluminense não deu perigo.
(Román) - PÉSSIMO: Mal posicionado nos três gols do Fluminense.
Juninho - RUIM: Apagado em campo, não apoiou o ataque quase nunca.
João Denoni - BOM: Foi um dos melhores da equipe. Ditou o ritmo. Ainda jogou no sacrifício ao fim da partida.
Marcos Assunção - RUIM: Muito apagado em campo. Nem suas bolas paradas estavam funcionando.
(Luan) - PÉSSIMO: Errou todos os passes que tentou, errou todas as jogadas que participou, errou todos os chutes que deu. Espero que também saiba que o RH é serventia da casa
Correa - BOM: Deu assistência nos dois gols da equipe.
Patrick Vieira - BOM: Ao lado do João Denoni, é o futuro do Palmeiras. Partiu pra cima dos caras sem medo. Fez o segundo gol. Mostrou uma personalidade de dar inveja, e o fato de o time estar mal não está atrapalhando seu rendimento em campo.
Obina - REGULAR: Tentou algumas jogadas e levou perigo na primeira etapa, só.
(Maikon Leite) - RUIM: Mais uma vez correu, correu, correu e não criou nada.
Barcos - ÓTIMO: Se tivesse pelo menos mais um Barcos, as coisas estariam diferentes. Batalhou, correu, criou e mais uma vez foi premiado com o gol. Espero que o rebaixamento não atrapalhe sua permanência no Palmeiras.
Téc. Gilson Kleina - REGULAR: Acertou em escalar o time ofensivo, mas errou em colocar o Luan e Maikon Leite.

Visão tricolor > Flu campeão com sobra
por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

A vitória de 3 a 2 sobre o Palmeiras, em Presidente Prudente, decretou o que todos já sabiam há algumas semanas, que o Fluminense seria o campeão brasileiro. O time comandado por Fred e Diego Cavalieri, especialmente, mostrou uma regularidade impressionante, vencendo em casa, vencendo fora, com uma defesa segura e um ataque letal.

Aliás, o jogo de ontem foi um exemplo sensacional do que foi essa campanha tricolor. O time abriu 2 a 0, sentou no resultado, permitiu o empate do fraco time do Palmeiras, e aí acordou, foi pra cima e fez o terceiro gol. Assim foi o time durante o campeonato... venceu a hora que precisou. Poderia ter feito mais, porém, o aproveitamento é tão impressionante que não há como contestar esse título, com 3 rodadas de antecipação.

E que todos se preparem, pois com o time que tem e o investimento que existe do patrocinador, o Fluminense tem tudo para seguir na ponta do futebol brasileiro. O próximo passo é a Libertadores.

E voltando ao Fred... como esse cara joga bola! Tá na hora de voltar à Seleção.


Fotos:
Terra

Se sua vida é o Palmeiras, curta a página: www.facebook.com/palmeirasminhavidaevoce.

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

Direto da Redação
| redacao_esporte@hotmail.com | @redacaoesporte

domingo, 11 de novembro de 2012

Clinch > Cung Le surpreende a todos e faz Rich Franklin "sonhar"

Embora tenha ocorrido apenas um nocaute no UFC Macau neste sabádo, o evento foi muito bom. Lutas disputadas e que em certas ocasiões era quase que impossivel descobrir quem venceria na decisão arbitral.

O único nocaute da noite veio logo na luta principal. Rich Franklin entrou como favorito no octógono mas saiu de lá derrotado. E tem mais, levou um dos nocautes mais bonitos do ano, com direito a "soneca". Cung Le surpreendeu a todos, e precisou apenas de 2m17 para acertar um belissimo direto no queixo do americano.

O Co-Main Event teve brasileiro. Thiago Silva entrou como favorito diante de Stanislav Nedkov e confirmou o favoritismo, vencendo por finalização a 1m45 do terceiro round. O primeiro round foi disputado. O bulgaro tentou a todo momento derrubar o brasileiro, mas não conseguiu. Silva foi mais efetivo e o venceu ao meu ver, assim como no segundo round. No terceiro Nedkov estava tão cansado, que não parecia nem ter forças para levantar a guarda. Aproveitando isso, Thiago o derrubou, e aplicou um belíssimo Katagatame. Ao adversário, só restou bater.

Outros brasileiros

O UFC Macau contou com mais dois brasileiros em seu card. Paulo Thiago enfrentou Dong Hyun Kim. Mas tenho suspeitas de que sua alma não estava presente no octógono. O "caveira" foi facilmente derrotado pelo sul-coreano por decisão unânime (30-26, 30-27, 30-27) e agora tem seu futuro incerto dentro do UFC.

Já John Lineker tem outra história pra contar. O "mão de pedra" enfrentou Yasuhiro Urushitani, venceu por decisão unânime (29-28, 30-27, 29-28) e agora está entre os tops do peso mosca.

Outros resultados

A lenda Takanori Gomi venceu Mac Danzig por decisão dividida (28-29, 29-28, 29-28).
John Tuck venceu o único atleta da casa, o chinês Zhang Tie Quan, por decisão unânime (29-28, 30-27, 29-28).
Takeya Mizugaki venceu Jeff Hougland por decisão unânime (30-25, 30-27, 30-27).
Alex Caceres venceu Motonobu Tezuca por decisão dividida (28-29, 30-27, 30-27).
Riki Fukuda venceu Tom DeBlass por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28).

Foto: Getty Images
_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.



por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Clinch > Após oito meses, o UFC volta à Ásia neste sábado

Após oito meses rodando o mundo, o UFC volta à Ásia neste sábado. O último evento no continente havia sido a edição de 144 realizada no Japão. Na ocasião, Benson Henderson venceu Frankie Edgar por decisão unânime e se tornou o mais novo campeão dos pesos leve. Dessa vez, o UFC on Fuel TV será disputado em Macau, na China, e terá como evento principal a disputa entre o americano Rich Franklin e o vietinamita Cung Le (foto, nesta ordem), em um combate válido pelos pesos médio.

A luta promete, já que ambos os lutadores vêm de boas vitórias e são ex-campeões (Rich do UFC e Cung do Strikeforce). Franklin venceu Wanderlei Silva no UFC 147 em Belo Horizonte, já Le venceu Patrick Cotê no UFC 148. Será uma grande disputa, mas vejo o americano favorito. Franklin é mais completo. É faixa preta de Jiu-Jitsu e muito bom no Muay Thai. Cung Le é um nocauteador nato, e o melhor atleta de Kickboxing que tem no UFC. Seus chutes altos podem ser fatais, mas deixa muito a desejar na luta de solo, e se Rich Franklin for esperto, saberá usar isso a seu favor.

O co-evento principal terá brasileiro e também será uma boa luta. O paulista Thiago Silva enfrenta o bulgaro Stanialav Nedkov. Os lutadores vivem momentos bem distintos. Enquanto Nedkov está ainda invicto no MMA e vem de uma boa vitória diante do também brasileiro Luiz Banha no UFC 134 (UFC rio I), Thiago vem de duas derrotas sendo que a última foi em abril na Suécia, quando fez o main-event e foi atropelado pelo atleta da casa Alexander Gustafsson. Mesmo assim, acho que o brasileiro leva uma ligeira vantagem, por ser mais completo. Tem um Boxe afiado e é faixa preta em Jiu-Jitsu. Já Nedkov tem uma das mãos mais pesadas no ultimate, e pode nocautear a qualquer momento.

Além de Thiago Silva teremos mais dois brasileiros. Querendo reencontrar o caminho das vitórias, Paulo Thiago, que vem de derrota para o afegão Siyar Bahadurzada, enfrenta o sul-coreano Dong Hyun Kim, que também vem de derrota, só que para Demian Maia no UFC 148. Será uma luta disputada e não vejo favoritos.

O terceiro brasileiro será John Lineker, que busca figurar no topo da categoria dos moscas diante do japonês Yasuhiro Urishitani. Se vencer, o "mão de pedra" com toda certeza estará cotado para ser um dos próximos desafiantes ao cinturão de Demetrious Johnson.

Onde assistir

O UFC on Fuel TV Macau será transmitido no Brasil apenas pelo canal Combate, a partir das 10h. Isso mesmo, enquanto você toma seu café da manhã, poderá acompanhar grandes combates.

Card completo do UFC on Fuel TV Macau:

CARD PRINCIPAL
Cung Le x Rich Franklin - Peso Médio
Thiago Silva x Stanislav Nedkov - Peso Meio-Pesado
Paulo Thiago x Dong Hyun Kim - Peso Meio-Médio
Takanori Gomi x Mac Danzig - Peso Leve
Alex Caceres x Kyung Ho Kang - Peso Galo
Tiequan Zhang x John Tuck - Peso Pena

CARD PRELIMINAR
John Lineker x Yasuhiro Urushitani - Peso Mosca
Tom DeBlass x Riki Fukuda - Peso Médio
Jeff Hougland x Takeya Mizugaki - Peso Galo
Hyun Gyu Lim x David Mitchell - Peso Meio-Médio

UFC terá seu 5º evento no Brasil em menos de dois anos

Parece que Dana White está gostando da "brincadeira" de trazer o UFC ao Brasil. O "Big Boss" se diz muito feliz com a paixão que o brasileiro tem demonstrado pelo MMA, lotando as arenas que recebem o evento por aqui. Sendo assim, o dono do Ultimate disse que pretende trazer para o país do futebol, no minímo oito eventos para o ano que vem, e um deles já foi confirmado. O UFC on FX 7 será no Brasil e hoje foi anunciado que será em São Paulo, no ginásio o Ibirapuera.

E aos poucos o card vai se desenhando. Já foi definido que o mainevent será entre o carioca Vitor Belfort (foto) e o inglês Michal Bisping. O evento também terá Gabriel Napão enfrentando Ben Rotwell e o finalista do TUF (que não lutou devido a uma lesão no braço) Daniel Sarafian contra o canadense C.B. Dollaway.

José Aldo e Frankie Edgar se enfrentarão em fevereiro

Uma das lutas mais aguardadas do UFC já tem data e local marcado. José Aldo e Frankie Edgar se enfrentarão dia 2 de fevereiro em Las Vegas. Em jogo, o título dos pesos-pena. O evento será o UFC 156, e como de costume em fevereiro, o evento será uma prévia para a final do Super Bowl, que acontecerá no dia seguinte. O co-main event deverá ser entre o brasileiro Rogério Minotouro e o americano e ex-campeão dos pesos meio-pesado, Rashad Evans.


Definidos o treinadores do TUF Brasil 2

Foi divulgado na semana passada os dois treinadores do TUF Brasil 2. Rodrigo Minotauro e Fabricio Werdum treinarão os atletas dos pesos meio-médio e leve, e após o fim do reality show farão uma revanche. Eles já se enfretaram no Pride em 2006 e na ocasião, o " Big Nog" venceu por decisão arbitral unânime. Minotauro já tem experiência em TUF's. O atleta participou da 9ª edição do reality nos EUA, ao lado do americano Frank Mir, e na ocasião, na luta entre os treinadores, o brasileiro defendia o seu cinturão interino dos pesados, porém infelizmente foi derrotado por Mir.

_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.



por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Camarote Térreo > Pouco para comemorar no ano do Centenário

Com um bom futebol e um placar elástico, o Santos encerrou no sábado, diante do Cruzeiro, o ano do Centenário. A única coisa que ainda estava em jogo, infelizmente, era a remota possibilidade de rebaixamento, que após a vitória por 4 a 0 em Belo Horizonte ficou completamente descartada.

Mas não era esse o plano no começo do ano. O Santos, definitivamente, não tem time para ficar conformado com isso.

Difícil explicar o que aconteceu para um ano que começou promissor terminar de forma apagada. Depois do atropelamento do Barcelona no Mundial 2011, o time se reergueu e começou 2012 com outras postura... postura de quem que queria voltar ao Mundial para provar que era forte. O time ganhou bem o tricampeonato Paulista e seguiu com a missão de buscar o bicampeonato da Libertadores. Mas, algumas coisas começaram a desandar a partir dali.

O time caiu muito de rendimento após um dos jogos mais brilhantes do ano, a goleada de 8 a 0 sobre o Bolivar. Sofreu para passar do Velez e, na fase seguinte, caiu diante do Corinthians, o que certamente foi uma ducha de água fria em todos os santistas. Ser eliminado pelo maior rival... nada poderia ser pior.

Depois disso, uma reformulação necessária começou. Não culpo a diretoria por deixar jogadores como Elano, Borges e Ganso saírem. Além de não estarem jogando nada, eles queriam sair. E são salários altos, que rendiam pouco naquele momento. O erro maior foi a reposição das peças... muito lenta e mal planejada. Chegaram jogadores na maioria desconhecidos e fracos tecnicamente.

Por essas e outras, sobrou para Neymar a missão quase solitária de comandar o Santos. E mesmo assim, eu garanto: se não fossem os 5 mil jogos que ele fez pela Seleção neste ano, que o tiraram do time da Baixada por mais da metade do Brasileirão, o Peixe estaria na Libertadores 2013.

Infelizmente, ele só jogou 14 jogos e o máximo que fez foi salvar o time de um vexame maior, que seria o rebaixamento.

De consolo em 2012, o discurso de que faturamos novamente 2 títulos. Mas espero que os dirigentes tenham pés no chão e reconheçam que os 2 canecos conquistados não são lá aquela maravilha e foram muito pouco pelo investimento feito no clube. Para 2013, precisamos de mais jogadores de peso e principalmente com qualidade, pra dividir um pouco com Neymar a responsabilidade.

Aplausos em BH

Rolou uma polêmica após o jogo contra o Cruzeiro, depois que a torcida mineira aplaudiu o Neymar. Enquanto alguns alienados exploraram o fato como se fosse a redenção do futebol brasileiro, uma torcida reconhecendo o talento do adversário, outros mal-humorados preferiram apenas destacar a a ironia da torcida celeste.

Vamos usar um meio-termo, pessoal? A torcida aproveitou a grande atuação de Neymar para elogiá-lo e protestar contra o time. Aliás, um ótimo protesto. Muito melhor do que ameaçar jogador e sair por aí quebrando tudo.

Ainda sobre o tema inicial desta coluna, Neymar é a única coisa boa do Santos 2012. Temporada espetacular do craque da camisa 11, batendo recorde atrás de recorde. Joga demais!

___________________________________

* A coluna Camarote Térreo coloca o torcedor santista pertinho dos fatos que agitam a Vila Belmiro.

por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat