Mudou!

O Redação do Esporte mudou de hospedagem! Acesse nosso conteúdo atualizado em: www.redacaoesporte.com.br

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Campeonato Brasileiro > 5ª rodada

Resultados
Sábado - 29/5
Flamengo 1 x 1 Grêmio
Palmeiras 0 x 0 Grêmio Prudente
Avaí 0 x 0 Vitória

Domingo - 30/5
Corinthians 4 x 2 Santos
Guarani 0 x 0 São Paulo
Atlético-MG 1 x 3 Fluminense
Internacional 4 x 1 Atlético-PR
Ceará 1 x 0 Cruzeiro
Atlético-GO 1 x 3 Goiás
Botafogo 1 x 1 Vasco

Classificação
Times PG J V E D GP GC SG
1 Corinthians 13 5 4 1 0 11 6 5
2 Ceará 11 5 3 2 0 4 1 3
3 Fluminense 9 5 3 0 2 6 4 2
4 Avaí 8 5 2 2 1 10 6 4
5 Botafogo 8 5 2 2 1 9 6 3
6 São Paulo 8 5 2 2 1 5 3 2
7 Palmeiras 8 5 2 2 1 5 3 2
8 Santos 8 5 2 2 1 11 10 1
9 Cruzeiro 8 5 2 2 1 7 6 1
10 Internacional 6 5 2 0 3 10 10 0
11 Atlético-MG 6 5 2 0 3 9 13 -4
12 Flamengo 6 5 1 3 1 7 6 1
13 Guarani 6 5 1 3 1 6 7 -1
14 Grêmio 5 5 1 2 2 7 7 0
15 Vitória 5 5 1 2 2 5 6 -1
16 Vasco 5 5 1 2 2 5 7 -2
17 Grêmio Prudente 5 5 1 2 2 8 11 -3
18 Goiás 4 5 1 1 3 5 8 -3
19 Atlético-PR 4 5 1 1 3 7 12 -5
20 Atlético-GO 1 5 0 1 4 3 8 -5

Legendas:
- Zona de classificação para a Libertadores
- Zona de classificação para a Copa Sul-Americana
- Zona de rebaixamento

Artilharia
4 gols
Muriqui (Atlético-MG)
Roger (Guarani)

3 gols
Andrezinho (Internacional)
André (Santos)
Antônio Carlos (Botafogo)
Herrera (Botafogo)
Jonas (Grêmio)
Neymar (Santos)
Ricardinho (Atlético-MG)
Roberto (Avaí)
Schwenck (Vitória)
Vágner Love (Flamengo)
Walter (Internacional)
Émerson (Avaí)

Próximos jogos
Quarta-feira - 2/6
19h30 Atlético-PR x Botafogo
19h30 Fluminense x Vitória
19h30 Grêmio Prudente x Atlético-GO
21h00 Ceará x Avaí
21h50 Palmeiras x Flamengo
21h50 Goiás x São Paulo
21h50 Cruzeiro x Santos

Quinta-feira - 3/6
21h00 Grêmio x Atlético-MG
21h00 Vasco x Guarani
21h00 Corinthians x Internacional

Direto da Redação

Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

domingo, 30 de maio de 2010

Campeonato Brasileiro > Pescaria e goleada no Pacaembu

* Timão bate meninos do Santos e segue líder no Brasileirão

A pescaria foi boa para o Corinthians. O Timão aproveitou as chances que teve e conseguiu uma bela vitória diante do Santos, neste domingo, no Pacaembu: 4 a 2. A goleada mantém o time de Mano Menezes na liderança do Campeonato Brasileiro, com 13 pontos. O Peixe, antes vice-líder, caiu para o oitavo, lugar, com oito pontos.

Os dois últimos foram comemorados com um tom de deboche, simulando uma pescaria, em alusão ao mascote do adversário, que costuma fazer coreografias após seus gols.

Um minuto e gol!

O Corinthians entrou em campo de forma surpreendente. Mano Menezes sacou Souza e optou por um time sem centroavantes, com Jorge Henrique e Dentinho no ataque. Danilo e Bruno César formaram o meio-campo. E logo no primeiro minuto de jogo, o Timão também surpreendeu o Santos dentro de campo.

Bruno César mandou uma bomba de fora da área e Jorge Henrique foi bem no rebote: 1 a 0. Na frente, o Timão recuou e permitiu ao Santos atacar. Marquinhos, aos cinco minutos, criou a primeira situação ao chutar de longe, obrigando Felipe a espalmar para escanteio.

Aos 14, Dentinho rolou de calcanhar para Roberto Carlos ir à linha de fundo e cruzar com perfeição para o meio da área. O baixinho Jorge Henrique ganhou pelo alto do grandalhão Durval e cabeceou no travessão. O Santos respondeu aos 27 em um lance polêmico. Marquinhos recebeu de calcanhar de Neymar, chutou e Felipe defendeu. No rebote, Chicão tentou afastar, acertou Jorge Henrique, e a bola sobrou para o mesmo Marquinhos mandar para o gol. O árbitro, erradamente, marcou impedimento do meio-campista.

O Santos teve nova chance de empate aos 38. André recebeu toque de cabeça de Arouca na área, mas Felipe se antecipou e fez o corte. Neymar pegou o rebote, driblou o goleiro e bateu por cobertura. Antes que a bola entrasse, Chicão fez o corte e evitou o gol.

Goleada

Na volta do intervalo, o Santos seguiu pressionando e foi recompensado. Marquinhos recebeu passe na intermediária e achou André entre os zagueiros. Livre, o centroavante avançou e finalizou sob pressão. A bola, mansamente, entrou no canto direito de Felipe. Porém, o torcedor santista nem teve tempo para comemorar. No ataque seguinte, Jucilei cruzou na área e Edu Dracena cortou, mas a bola sobrou para Bruno César, que fuzilou: 2 a 1.

Com domínio de campo, o Corinthians marcou o terceiro aos 21. Ralf recebeu na intermediária, passou com facilidade pela marcação de Léo, e concluiu com categoria, na saída de Felipe. Madson, que entrara no lugar de Neymar, desperdiçou chance incrível aos 37 minutos.

Melhor para o Corinthians, que não pedia oportunidades. Aos 39, após cruzamento de Roberto Carlos pela esquerda, Paulinho subiu de cabeça e marcou o quarto. Marcel, de cabeça, aos 42, ainda descontou para o Santos, mas era tarde para uma reação. A pesca estava encerrada.

Ficha do clássico
CORINTHIANS 4 X 2 SANTOS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 29/5/2010 - 16h
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP)
Auxiliares: Ednílson Corona e Vicente Romano Neto (ambos de SP)
Renda/público: R$ 825.707,50 - 27.681 pagantes
Cartões amarelos: William, Bruno César, Chicão (COR) Neymar (SAN)
GOLS: Jorge Henrique 1'/1°T; André 7'/2°T; Bruno César 9'/2°T; Ralf 21'/2°T; Paulinho 41'/2°T; Marcel 42'/2°T

CORINTHIANS: Felipe; Jucilei, Chicão, William, Roberto Carlos; Ralf, Elias, Danilo, Bruno César (Paulinho 28'/2°T); Jorge Henrique (Iarley - 4'/2°T) e Dentinho (Paulo André - 46'/2°T). Técnico: Mano Menezes

SANTOS: Felipe; Pará (Marcel 20'/2°T), Edu Dracena (Zezinho - 37'/2°T), Durval e Léo; Arouca, Wesley, Marquinhos e Paulo Henrique; Neymar (Madson 17'/2°T) e André. Técnico: Dorival Júnior

Fontes: Globo.com e Lancenet!



Comentários da Redação
Visão corintiana > Mano foi muito bem hoje
por Pedro Silas - pedro_sccp@hotmail.com

Se na quarta-feira o Mano Menezes fez um dos seus piores jogos pelo Corinthians, no jogo de hoje ele fez tudo certo. A começar pela escalação inicial. Foi muito bem ao colocar Jucilei na vaga do Moacir, exatamente como eu faria. No meio-campo, Bruno César finalmente fez seu primeiro jogo como titular e foi um dos destaques do jogo.

A grande surpresa foi a mudança de esquema (para o 4-4-2). Souza saiu para a entrada do meia Danilo, deixando o time mais leve e criativo. Era o que faltava para esse time. A surpreendente alteração do técnico corintiano foi ótima. Essa dupla de meias formada por Bruno César e Danilo promete. Ótima opção para mudar o jeito da equipe jogar.

E não foi só nos 11 inicias que o Mano acertou. No começo da etapa final, quando o jogo ainda estava 1 a 0, Jorge Henrique saiu contundido. Para os críticos do treinador gaúcho, viria a campo um volante. Mas não, Iarley foi o escolhido, deixando o time ainda mais ofensivo. Talvez até por isso, vieram mais três gols do Timão.

Quando o placar já anotava 4 a 1, o Santos ainda conseguiu diminuir. Uma goleada não refletiria exatamente o que foi o jogo, mas o Alvinegro fez uma partida animadora. E o "detalhe": contra o melhor time do Brasil no primeiro semestre de 2010.


Visão santista > Benditos 60 dias
por Ricardo Pilat - ricardo.pilat@yahoo.com.br / @ricardopilat

Na próxima semana, o futebol brasileiro entra em recesso devido à Copa do Mundo da África do Sul. Com isso, a decisão da Copa do Brasil entre Santos e Vitória acontece apenas daqui a 60 dias. Muito tempo? Não, tempo o bastante.

Ao contrário do que eu pensava, essa paralização fará muito bem ao Santos. O time chegou a um ponto de ebulição. Parece que alguma(s) coisa(s) está errada por lá e prestes a explodir. As recentes punições aos meninos e mais algumas coisas que estão acontecendo geraram um clima ruim.

Isso ficou muito evidente no clássico deste domingo. O Santos foi apático. Sem brio. Sem vontade. Sem objetivo. Como se algum fator externo estivesse atrapalhando.

Talvez seja cobrar demais exigir uma postura semelhante a que teve nos jogos decisivos do Paulista e da Copa do Brasil. E o desgaste psicológico e físico desses atletas foi muito grande. Mas um clássico contra o Corinthians exije mesmo um pouco mais. E esse algo mais o Santos não teve.

O Corinthians fez uma grande partida dentro de sua proposta, de se defender e jogar no contra-ataque. Teve ainda a sorte (ou competência) de marcar um gol logo no primeiro minuto. E foi ainda mais afortunado ao fazer o segundo gol logo após o empate de André. Gol de Bruno César, que realmente parece ser ótimo jogador.

Depois, totalmente exposto, o Santos permitiu mais dois gols, como quem convida um lobo para jantar à mesa de casa. E na verdade, pior do que a atuação defensiva do Santos - que costuma ser ruim quase sempre, foi a postura do ataque. Inoperante e passivo. Muito pela quase ausência de Ganso e Neymar em campo.

Enfim, o Corinthians teve seus méritos. O Santos, por sua vez, facilitou a vida do arquirrival.

Restam dois jogos para o final dessa primeira parte do Brasileirão, e o torcedor santista reza para que a Copa comece logo. Serão 60 dias para colocar as coisas em dia, sem jogos decisivos, sem cobrança, sem exposição na mídia e (espero) sem confusões. Para que o time volte com tudo para a decisão que terá e para que possa jogar o futebol que encantou a todos no primeiro semestre.

Conceitos - por Ricardo Pilat

CORINTHIANS

Felipe - ÓTIMO: Pegou até pensamento. Só não foi melhor porque acredito que aquela bola do André, no primeiro gol santista, era defensável.
Jucilei - BOM: Foi uma das surpresas de Mano, atuando pela lateral. Correspondeu.
Chicão - ÓTIMO: Bem posicionado, não deu sôssego para os atacantes santistas.
William - BOM: Ficou mais na sobra. Estratégia acertada, pois ele não tem condições de ficar mano-a-mano com a molecada santista.
Roberto Carlos - BOM: Mais importante na defesa do que no ataque. Mesmo assim, participou bem de jogadas de fundo. Numa delas, o Timão marcou.
Ralf - ÓTIMO: Além de marcar implacávelmente Ganso e cia., fez um golaço!
Elias - REGULAR: Foi bem discreto hoje. Ficou mais recuado do que de costume.
Danilo - REGULAR: Até foi importante taticamente, mas poderia ter aparecido mais.
Bruno César - ÓTIMO: Mostrou personalidade e deixou sua marca no clássico. O cérebro da equipe.
(Paulinho) - BOM: Entrou para fechar o meio-campo, mas conseguiu ainda marcar um gol importante.
Jorge Henrique - REGULAR: Fez um gol fundamental, mas não estava em grande tarde.
(Iarley) - PÉSSIMO: Entrou completamente fora do jogo. Nem tocou na bola.
Dentinho - BOM: Jogou bem aberto, abrindo espaço para as chegadas dos meias.
(Paulo André) - SEM CONCEITO: Jogou pouco.
Téc: Mano Menezes - BOM: Surpreendeu na escalação e ganhou o jogo com marcação forte e contra-ataques certeiros.

SANTOS

Felipe - PÉSSIMO: Sou defensor assumido do Felipe, mas não sei até quando... ele falha TODO jogo. Hoje, coloco pelo menos dois gols na sua conta.
Pará - PÉSSIMO: Completamente perdido. Não sabia se marcava ou atacava.
(Marcel) - BOM: Entrou com muita vontade e pôde fazer um golzinho, ao menos.
Edu Dracena - PÉSSIMO: Se não bastasse a atuação ruim, ainda falou groselha nos microfones após o jogo.
(Zezinho) - SEM CONCEITO: Entrou no fim.
Durval - PÉSSIMO: Uma das piores atuações do xerife com a camisa do Santos. Falhou feio no primeiro e no último gol.
Léo - PÉSSIMO: Um ídolo santista que está desgastando a imagem em campo. Não tem condições de ser titular.
Arouca - REGULAR: Participou do jogo e teve vontade. Mas errou muitos passes.
Wesley - PÉSSIMO: Irritante e lento.
Marquinhos - REGULAR: Os dois adjetivos acima servem também para o Marquinhos. Porém, teve alguns lampejos de bom futebol e ainda um gol (mal) anulado. Fica no meio termo.
Paulo Henrique - PÉSSIMO: Não diria que se escondeu do jogo, mas estava menos empenhado que o habitual. A razão? Eu não sei.
Neymar - PÉSSIMO: Idem ao de cima.
(Madson) - PÉSSIMO: Entrou com vontade, mas com a cabeça no mundo da lua. Como explicar o gol que ele perdeu quando o jogo estava 3 a 1?
André - BOM: Apareceu pouco no jogo, mas deixou sua marca e teria sido importante no gol de Marquinhos, se o tento não tivesse sido anulado.
Téc: Dorival Júnior - REGULAR: Entendi as alterações efetuadas, mas eu tomaria outras decisões. Neymar estava mal, mas sua saída prejudicou a equipe. Madson conseguiu entrar pior do que ele. E era óbvia a falta de condição do Léo. Não deveria nem ter começado a partida.


====================

Direto da Redação
redacao_esporte@hotmail.com
Siga-nos no Twitter: @redacaoesporte

Campeonato Brasileiro > Tricolor passa em branco em Campinas

* Em jogo ruim, São Paulo e Guarani empatam sem gols

Sobrou vontade, mas faltou qualidade a Guarani e São Paulo, que não fizeram nada que não justificasse o 0 a 0 registrado no estádio Brinco de Ouro da Princesa na tarde deste domingo, em jogo válido pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. Na tabela de classificação, a equipe comandada por Ricardo Gomes, foi a oito pontos e fica na sexta colocação. O Bugre, com seis, está em 13º.

Primeiro tempo muito ruim

O técnico Ricardo Gomes tinha uma série de desfalques para o confronto no interior paulista. Cicinho e Richarlyson, suspensos, Marlos, Miranda e Rodrigo Souto, contundidos, não entraram em campo. Já o Guarani não tinha em campo Renan, Mazola e Roger, que pertencem ao clube do Morumbi e não atuaram por causa de uma cláusula no contrato.

Até por isso, o que se viu no primeiro tempo foi uma partida muito ruim. Preocupado com a defesa, o Guarani pouco atacou. Por outro lado, conseguiu anular as principais peças do São Paulo. Hernanes, Fernandão e Dagoberto criaram pouco e, com isso, o goleiro Douglas quase não teve trabalho nos primeiros 45 minutos - fez apenas uma bela defesa.

Etapa final melhor, mas sem gols

Esperava-se que o segundo fosse bem diferente. E o início foi animador, quando, aos 2 minutos, Baiano acertou uma bola na trave. Apesar do susto, o São Paulo melhorou, principalmente graças ao experiente Marcelinho Paraíba, que começou no banco de reservas e entrou no lugar de Alex Silva, ainda na etapa inicial.

Aos 20, o experiente camisa 11 cruzou para Dagoberto, que deu um leve desvio e viu a bola também tocar na trave. Quatro minutos mais tarde, Marcelinho exigiu uma complicada defesa de Douglas. Apesar disso, o duelo voltou a ficar equilibrado. Assim como ocorreu no primeiro tempo, o time de Campinas acertou sua marcação e segurou o empate sem gols.

Ficha do jogo
GUARANI 0 X 0 SÃO PAULO

Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas (SP)
Data e Hora: 30 de maio - 16h
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Assistentes: Márcio Luiz Augusto (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Cartões amarelos: Wellington, Xandão e Rogério Ceni (São Paulo); Paulo Roberto e Rodrigo Heffner (Guarani)

GUARANI: Douglas; Rodrigo Heffner, Fabão, Aílson e Márcio Careca; Maycon, Paulo Roberto, Baiano (Moreno) e Preto; Ricardo Xavier (Anderson Costa) e Fabinho (Mário Lúcio). Técnico: Vagner Mancini.

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Renato Silva, Alex Silva (Marcelinho Paraíba) e Xandão; Wellington, Jean, Hernanes, Jorge Wagner e Junior Cesar; Dagoberto (Fernandinho) e Fernandão. Técnico: Ricardo Gomes.

Fontes: Globo.com e Uol


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro > Simon "brilha" e clássico carioca termina empatado

* Botafogo e Vasco ficam no 1 a 1, em jogo marcado por arbitragem polêmica

Em clássico disputado neste domingo no Engenhão, Botafogo e Vasco fizeram uma partida truncada e não saíram de um empate por 1 a 1 pelo Campeonato Brasileiro. Os dois times criticaram a arbitragem, que teve decisões polêmicas em lances capitais da partida - a última de Carlos Eugênio Simon antes de seu embarque para apitar na Copa do Mundo da África do Sul.

O Botafogo ocupa a quinta colocação na tabela, com oito pontos. O Vasco tem apenas cinco e é o 16º colocado.

No primeiro tempo, Lúcio Flávio invadiu a área e foi derrubado dentro da área pelo zagueiro Cesinha, mas Simon não anotou a penalidade a favor do Botafogo. Minutos depois, marcou pênalti duvidoso para o Fogão. Na segunda etapa, foi o Vasco quem reclamou: Jéferson recebeu de Elton e tocou na saída do goleiro, mas o assistente anulou o gol ao marcar falta no lance anterior.

O Vasco abriu o placar aos 26 minutos do primeiro tempo. Philippe Coutinho foi derrubado, e a bola sobrou para Ernani, que driblou Fábio Ferreira com muita facilidade e tocou na saída de Jefferson para marcar 1 a 0.

O Botafogo chegou ao empate aos 35min, quando Simon marcou pênalti de Nilton, que caiu no chão e tocou a bola com o braço. Os vascaínos alegaram que a bola bateu no jogador, mas Simon manteve a marcação. Herrera cobrou com violência para empatar a partida. E foi só.

Inter goleia após demissão de Fossati

Na primeira partida após a demissão do treinador Jorge Fossati, o Internacionou massacrou o Atlético-PR no Beira-Rio: 4 a 0. Com o resultado, o Inter alcança o 10º lugar, com seis pontos. O Furacão, por sua vez, é o vice-lanterna da competição, com apenas quatro pontos.

Todos os gols da vitória colorada foram marcados na etapa final. Aos quatro minutos, Alecsandro abriu o placar após bate-rebate na área. Três minutos depois, Sorondo ampliou após cobrança de escanteio. O time de Porto Alegre estava arrasador e, aos 11min, Andrezinho marcou um belo gol após triangulação com Guiñazu e Walter.

Para complicar mais a situação dos visitantes, o volante Valencia foi expulso depois de cometer falta violenta. Pouco depois, aos 32 minutos, Alecsandro invadiu a área pela esquerda, passou pelo zagueiro e soltou uma bomba para deixar o placar em 4 a 0.

Flu derruba o Galo no Mineirão

De virada, o Fluminense venceu bem o Atlético-MG neste domingo, no Mineirão: 3 a 1. Foi a terceira vitória do Tricolor na competição, resultado que coloca o time carioca na terceira colocação, com nove pontos. O Galo é o 11º, com seis pontos.

Muriqui, no segundo minuto de partida, abriu os trabalhos para Atlético. Mas o Flu reagiu e marcou três vezes no segundo tempo: Gum, aos 16, Alan, aos 18 e Fred aos 46 minutos fizeram a alegria da torcida tricolor.

Ceará é vice-líder


O Ceará segue invicto no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, o time cearense derrotou o Cruzeiro por 1 a 0, em casa, e conquistou a vice-liderança do torneio, agora com 11 pontos ganhos. O Cruzeiro é o nono colocado, com oito pontos. O único gol da partida foi marcado pelo veterano Lopes, aos 39 do primeiro tempo.

Goiás leva a melhor no clássico

No clássico goiano da rodada, no Serra Dourada, o Goiás derrotou o Atlético-GO por 3 a 1 e garantiu a primeira vitória na competição. Elias marcou para o Dragão, mas Roberito (2) e Bernardo deram os três pontos ao time do técnico Emerson Leão. O Alviverde soma quatro pontos e é o 18º colocado. O Atlético amarga lanterna: um ponto e nenhuma vitória.

Fonte: Terra


Direto da Redação









Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat

F1 > Dupla da RBR se desentende e Hamilton vence na Turquia

* Vettel exagera e insinua que companheiro é "louco"

O inglês Lewis Hamilton, da McLaren se aproveitou de um choque entre os pilotos da RBR e conquistou, neste domingo, o GP da Turquia de Fórmula 1. O outro piloto da escuderia britânica, Jenson Button, ficou com a segunda colocação. Mark Webber, um dos envolvidos no incidente, terminou em terceiro, mas ainda lidera o Mundial de Pilotos com 93 pontos.

A RBR se encaminhava para mais uma vitória na temporada, mas uma manobra arriscada e inconsequente de Sebastian Vettel pôs tudo a perder. Na 40ª volta, o alemão tentou ultrapassar o companheiro Mark Webber, que não deu espaço. resultado: os carros bateram. Webber seguiu na corrida. Vettel abandonou e deixou o cockpit fazendo gestos com o dedo (foto), insinuando que o colega australiano seria "louco".

Felipe Massa fez uma corrida bastante discreta e estável. Largando em oitavo, o brasileiro teve dificuldades com o assédio dos carros da Renault já na largada, mas se manteve na mesma posição e acabou finalizando em sétimo graças ao abandono de Vettel. Fernando Alonso conseguiu certa recuperação durante a prova e acabou em oitavo.

Michael Schumacher e Nico Rosberg, que largaram na terceira fila com os carros prateados da Mercedes, também preservaram as mesmas posições da largada e só alteraram o panorama quando Vettel deixou a prova: Schumacher finalizou em quarto e Rosberg em quinto. Robert Kubica, da Renault, foi o sexto.

Rubens Barrichello conseguiu algumas ultrapassagens e finalizou a prova em 14º lugar, enquanto Bruno Senna abandonou a sete voltas do fim por problemas em seu carro. Lucas di Grassi, que precisou trocar o motor antes da prova e largou dos boxes, acabou na 19ª e penúltima posição.

GP da Turquia - Classificação final

1º Lewis Hamilton (ING/McLaren): 1h28min47s620
2° Jenson Button (ING/McLaren) a 2s645
3º Mark Webber (AUS/Red Bull): a 24s283
4º Michael Schumacher (ALE/Mercedes): a 31s110
5º Nico Rosberg (ALE/Mercedes): a 32s266
6º Robert Kubica (POL/Renault): a 32s824
7º Felipe Massa (BRA/Ferrari): a 36s635
8º Fernando Alonso (ESP/Ferrari): a 46s544
9º Adrian Sutil (ALE/Force India): a 49s029
10° Kamui Kobayashi (JAP/Sauber): a 65s550
11º Pedro de la Rosa (ESP/Sauber): a 65s944
12º Jaimes Alguersuari (ESP/Toro Rosso): a 67s800
13º Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India): a 1 volta
14° Rubens Barrichello (BRA/Williams): a 1 volta
15° Vitaly Petrov (RUS/Renault): a 1 volta
16º Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso): a 1 volta
17º Nico Hulkenberg (ALE/Williams): a 1 volta
18º Timo Glock (ALE/Virgin): a 3 voltas
19° Lucas Di Grassi (BRA/Virgin): a 3 voltas
20° Karun Chandhok (IND/Hispania): a 6 voltas

Não completaram:
21° Bruno Senna (BRA/Hispania)
22º Sebastian Vettel (ALE/Red Bull)
23° Heikki Kovalainen (FIN/Lotus)
24° Jarno Trulli (ITA/Lotus)

Mundial de Pilotos - Classificação
Pos. Piloto Equipe Pts.
01 Mark Webber RBR 93
02 Jenson Button McLaren 88
03 Lewis Hamilton McLaren 84
04 Fernando Alonso Ferrari 79
05 Sebastian Vettel RBR 78
06 Robert Kubica Renault 67
07 Felipe Massa Ferrari 67
08 Nico Rosberg Mercedes 66
09 Michael Schumacher Mercedes 34
10 Adrian Sutil Force India 22
11 Vitantonio Liuzzi Force India 10
12 Rubens Barrichello Williams 7

Mundial de Construtores
Pos. Equipe Pts.
01 McLaren» 172
02 Red Bull» 171
03 Ferrari» 146
04 Mercedes» 100
05 Renault» 73


Comentário da Redação
Louco foi o Vettel

Para quem gosta de Fórmula 1, a corrida da Turquia foi um prato cheio. Emoção e confusão não faltaram. No principal dos acontecimentos, Vettel e Webber se enroscaram. O alemão chamou o australiano de louco. Mas a maluquice mesmo foi do Vettel, que é excelente piloto, mas tentou desafiar a lei da física, de que dois corpos não ocupam um mesmo espaço.

Ele abandonou a prova e Webber seguiu, mas duas posições aquém do que poderia e mereceria. Melhor para a McLaren, que teve um "pega" parecido, mas soube contornar com a tradicional elegância britânica. Hamilton defendeu a posição contra Button e assegurou uma vitória importante.

A RBR tem um carro melhor que a McLaren. No entanto, a escuderia prateada tem pilotos melhores e mais experientes. Campeões do mundo. Isso pode pesar.

E a Ferrari, perto dos concorrentes, parece uma carroça.


Direto da Redação









Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat

Série B > Bahia bate o Sport e reassume a liderança

* Leão, em contrapartida, segue na zona do rebaixamento

Desde 2005 sem se enfrentarem pela Série B do Campeonato Brasileiro, Bahia e Sport voltaram a medir forças neste sábado, em Pituaçu (BA), pela quinta rodada da Segundona, e o Esquadrão de Aço levou a melhor: 2 a 0. Com o triunfo, o Tricolor reassumiu a liderança, com 13 pontos. O Leão segue na zona de rebaixamento, em 18º lugar, com apenas um ponto. O técnico Toninho Cerezo, que assumirá o comando da equipe pernambucana a partir desta segunda-feira, esteve presente na tribuna do estádio acompanhando a partida.

Invicto e vindo de uma goleada por 4 a 0, fora de casa, sobre o Vila Nova, o Bahia dominou as ações. Mas só conseguiu abrir o placar aos 31 minutos, com Rogerinho, acertando o gol na segunda tentativa seguida. Nos acréscimos da primeira etapa, Rodrigo Grahl cobrou escanteio e quase ampliou com um gol olímpico. A bola bateu na trave.

Mas, logo no início do segundo tempo, o Bahia chegou ao segundo gol. Aos seis, Ávine desceu em velocidade, tabelou com Rogerinho, invadiu a área e fuzilou a meta de Magrão. O Sport até tentou diminuir, mas o jogo seguiu 2 a 0 até o fim.

América-MG goleia e entra no G-4

Com uma goleada por 4 a 0 sobre o rival Ipatinga, na noite deste sábado, o recém-promovido à Série B, América-MG entrou no G-4. Com o resultado do Mineirão, o Coelho chegou aos mesmo 11 pontos de Guaratinguetá e Náutico, mas superou os dois no saldo de gols e alcançou a terceira posição. O Ipatinga segue sem ponto ganho, na vice-lanterna, e por causa da má campanha o técnico Gilson Kleina se demitiu após a partida no Mineirão.

Azulão vence na volta ao seu estádio

Reestreia com o pé direito no Anacleto Campanella. Depois de ter seu estádio liberado pela CBF, o São Caetano voltou a sua casa com uma vitória convincente. O time do ABC abriu uma vantagem de dois gols ainda na primeira etapa e, no segundo tempo, mesmo levando um susto, conseguiu superar a Ponte Preta pelo placar de 3 a 1 e assim subir seis posições na classificação da Série B, que chegou à quinta rodada neste sábado.

Resultados da 5ª rodada
Sexta-feira - 28/5
Portuguesa 2 x 0 Bragantino
Náutico 2 x 2 América-RN
ASA 1 x 2 Coritiba
Paraná Clube 1 x 0 Vila Nova-GO

Sábado - 29/5
São Caetano 3 x 1 Ponte Preta
Brasiliense 1 x 1 Figueirense
Bahia 2 x 0 Sport
Guaratinguetá 3 x 1 Santo André
Icasa 3 x 1 Duque de Caxias
América-MG 4 x 0 Ipatinga

Classificação
Times
PG J V E D GP GC SG
1 Bahia 13 5 4 1 0 10 2 8
2 Paraná 12 5 4 0 1 12 2 10
3 América-MG 11 5 3 2 0 8 1 7
4 Guaratinguetá 11 5 3 2 0 10 5 5
5 Náutico 11 5 3 2 0 10 6 4
6 Portuguesa 10 5 3 1 1 13 8 5
7 São Caetano 8 5 2 2 1 9 7 2
8 Brasiliense 8 5 2 2 1 7 5 2
9 Coritiba 8 5 2 2 1 8 8 0
10 ASA 7 5 2 1 2 9 7 2
11 Icasa 7 5 2 1 2 8 7 1
12 Figueirense 7 5 2 1 2 5 5 0
13 Ponte Preta 6 5 1 3 1 5 6 -1
14 Bragantino 6 5 1 3 1 4 5 -1
15 Santo André 4 5 1 1 3 7 12 -5
16 Vila Nova-GO 3 5 1 0 4 3 11 -8
17 América-RN 3 5 0 3 2 7 10 -3
18 Sport 1 5 0 1 4 4 11 -7
19 Ipatinga 0 5 0 0 5 3 13 -10
20 Duque de Caxias 0 5 0 0 5 4 15 -11

Legenda:
- Zona de classificação para a Série A
- Zona de rebaixamento

Artilharia
4 gols
Heverton (Portuguesa)
Kempes (Portuguesa)
Marcelo Toscano (Paraná)
Rodrigo Gral (Bahia)

3 gols
Borebi (Santo André)
Bruno Meneguel (Náutico)
Ciel (ASA)
Eraldo (América-RN)
Leandro Bocão (Paraná)
Luciano (América-MG)
Renato (Guaratinguetá)

Próximos jogos
Terça-feira - 1/6
19h30 Portuguesa x América-MG
19h30 São Caetano x Náutico
19h30 Vila Nova-GO x Santo André
19h30 Icasa x Bahia
21h00 Sport x Paraná Clube
21h00 Coritiba x Ponte Preta
21h50 Figueirense x ASA
21h50 Bragantino x Brasiliense
21h50 Ipatinga-MG x Guaratinguetá
21h50 Duque de Caxias x América-RN

Fontes: Globo.com e Uol

Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

NBA > Los Angeles bate Phoenix e vai à final

* Kobe Bryant comanda o triunfo dos Lakers, que buscam o 16º título da franquia na NBA

O ala-armador Kobe Bryant comandou o Los Angeles Lakers na vitória por 111 a 103 sobre o Phoenix Suns, neste sábado, fora de casa, em jogo que definiu o título da Conferência Oeste da NBA. A equipe californiana fechou a série em 4 a 2. Na final da NBA, o Lakers enfrenta o Boston Celtics, que passou pelo Orlando Magic.

Bryant terminou o jogo com 37 pontos, seis rebotes, duas assistências e dois roubos de bola. Artest contribuiu com 25 pontos, quatro rebotes, três roubos de bola e duas assistências.

Pelo lado dos Suns, o ala-pivô Amare Stoudemire fez 27 pontos e quatro rebotes, que não serviram para conseguir a vitória e forçar o sétimo jogo. Leandro Barbosa começou a partida no banco de reservas e anotou sete pontos e duas assistências.

Com isso, a equipe de Kobe Bryant e Pau Gasol vai reencontrar o Boston Celtics na grande final da NBA, com a possibilidade de vingança. Nas onze decisões anteriores da NBA entre as duas franquias, a equipe de Boston levou a melhor por nove vezes - a última delas em 2008.

As finais da NBA começam na próxima quinta-feira (3 de junho), com o primeiro jogo no Staples Center, em Los Angeles.

Fontes: Terra e Lancenet!


Direto da Redação









Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat

Campeonato Brasileiro > Timão e Peixe se reencontram valendo a liderança

* Times voltam a se enfrentar depois do polêmico clássico pelo Paulistão

Corinthians e Santos colocam em jogo, neste domingo, às 16h, no Pacaembu, uma rivalidade de quase 97 anos. Mas, em 2010, o clássico mais antigo do estado de São Paulo ganhou um tempero bastante picante. Depois de um tumultuado confronto na Vila Belmiro pelo Paulistão, envolto por reclamações de firulas e um polêmico chapéu da estrela Neymar em Chicão, Timão e Peixe se encontram novamente valendo nada menos que a liderança do Campeonato Brasileiro.

No confronto pelo estadual, o Peixe venceu por 2 a 1, na Vila Belmiro, mas os corintianos deixaram a Baixada reclamando de firulas em algumas jogadas. O clima esquentou quando Neymar, com a bola parada, aplicou um chapéu em Chicão, que detonou o garoto pelo lance. Mesmo assim, o atacante garante que fará novamente se tiver oportunidade.

- Se der vontade (de um novo chapéu com a bola parada), por que não? - questionou Neymar.

Sem Ronaldo e Robinho, mas com Dentinho e Neymar

Corinthians e Santos vão a campo sem seus principais jogadores. Ronaldo, com um problema muscular na panturrilha direita, foi vetado pelo terceiro jogo consecutivo e só volta a jogar depois da Copa do Mundo. Já Robinho está servindo a seleção brasileira na África do Sul e também não atua no clássico.

Apesar de um único desfalque, Mano Menezes não confirma o time titular. Depois de ser barrado por não estar bem fisicamente, o meia Danilo foi relacionado novamente, mas deve ficar no banco. Paulinho e Defederico, titulares contra o Grêmio Prudente, podem perder as vagas para Jucilei e Jorge Henrique. Bruno César, que fez a sua estreia no último jogo, também pode entrar como titular. O lateral-direito Moacir é outro que não tem lugar garantido.

No Santos, Dorival Júnior tem apenas uma dúvida. O treinador não sabe se contará com o lateral-esquerdo Léo, que ainda se recupera de uma lesão na panturrilha esquerda. Caso ele seja vetado, Alex Sandro fica com a vaga. No mais, a equipe será a mesma que bateu o Guarani por 3 a 1, na rodada anterior.

Ficha do jogo
CORINTHIANS X SANTOS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data e Hora: 30/5/2010 - 16h00
Árbitro: Salvio Spinola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Vicente Romano Neto (SP)

CORINTHIANS: (4-3-3) - Felipe; Moacir (Jucilei), Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei (Bruno César) e Elias; Jorge Henrique (Defederico), Dentinho e Souza. Técnico: Mano Menezes.

SANTOS: (4-4-2) - Felipe; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo (Alex Sandro); Arouca, Wesley, Marquinhos e Paulo Henrique Ganso; Neymar e André. Técnico: Dorival Júnior.

Fonte: Globo.com

Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro > Desfalcados, Guarani e São Paulo se enfrentam em Campinas

* Lesões e contratos prejudicam rivais deste domingo

O São Paulo vai a Campinas neste domingo para enfrentar o Guarani, pela 5ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Tanto o Bugre, como o Tricolor Paulista, terão muitos desfalques para a partida, que acontece às 16h.

O São Paulo, que vem de vitória sobre o Palmeiras no meio de semana (1 a 0), ocupa o oitavo lugar no Brasileirão, com oito pontos ganhos. O Guarani tem cinco pontos e ocupa o 13º lugar.

Lesões e suspensões no Tricolor

O São Paulo tem vários problemas para o confronto. Richarlyson e Cicinho estão suspensos e Miranda, com estiramento na panturrilha direita, estão fora. Marlos e Rodrigo Souto com pequenas lesões musculares também não devem atuar.

Assim, Ricardo Gomes terá de formar a zaga com Renato Silva, Alex Silva e Xandão. Na ala direita, a tendência é que Wellington seja escalado. No meio, Jean seguirá na função de primeiro volante.

Sem são-paulinos

Um ataque que fez sucesso na Série B terá a missão de marcar gols também contra o São Paulo, pela elite do Nacional. Sem poder contar com Roger e Mazola, atacantes emprestados pelo Tricolor (por cláusula no contrato, eles não podem jogar contra o Tricolor), o técnico bugrino Vagner Mancini irá escalar Ricardo Xavier e Fabinho, titulares na campanha do acesso no ano passado.

No meio, o treinador fará outra alteração, pelo mesmo motivo. O capitão Renan será substituído por Maycon. De fora da partida por essa imposição contratual, o trio de jogadores chegou a manifestar descontentamento com a decisão. Renan foi quem mais reclamou da decisão do São Paulo e chegou a classificá-la como egoísta.

Ficha do jogo
GUARANI X SÃO PAULO

Estádio: Brinco de Ouro da Princesa, Campinas (SP)
Data/hora: 30/5/2010 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Auxiliares: Marcio Luiz Augusto (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)

GUARANI: Douglas; Rodrigo Heffner, Fabão, Ailson, Márcio Careca; Maycon, Paulo Roberto, Preto e Baiano; Ricardo Xavier e Fabinho. Técnico: Vagner Mancini

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Renato Silva, Alex Silva e Xandão; Wellington, Jean, Hernanes e Jorge Wagner (Marcelinho) e Junior Cesar; Dagoberto e Fernandão. Técnico: Ricardo Gomes.

Fonte: Lancenet!



Direto da Redação










Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat

Copa do Mundo > Domingueira do Pilat

Naquelas Copas de 1982, 1986 e 1990...

Responda rápido: o que as Copas do Mundo de 1982, 1986 e 1990 tiveram em comum? Se você respondeu Alemanha Ocidental como finalista, acertou. O país que representava o lado capitalista da Alemanha, em mundo dividido pela Guerra Fria, alcançou uma soberania no futebol, antes atribuída apenas ao Brasil e à Itália.

Se em 82 e 86 os alemães pararam na decisão, em 90 a Copa do Mundo foi deles. Pela terceira vez na história, igualando à época o Brasil. Essa década de copas marcou uma geração de craques como Rummenigge, Breitner, Summer, Brehme, Voller, Klismann, Matthäus... além do técnico de 1990, Franz Beckenbauer, um dos maiores jogadores de todos os tempos.

Coadjuvante em 1982


A Alemanha Ocidental não foi, nem de longe, protagonista no Mundial da Espanha. As atenções do mundo estavam voltadas para a Argentina, campeã de 1978, e Brasil, time que tinha Zico, Sócrates, Toninho Cerezo, Falcão e uma constelação de craques. Aliás, iria contar a história daquela seleção, mas acho que todos já sabem, não é verdade?

O que posso destacar é que a Itália entrou nesse hall de "atores principais" ao eliminar os dois outros protagonistas na segunda fase. Com isso, o patinho feio dos grandes tipes do Mundial passou a ser atração. O time italiano foi à final contra uma Alemanha que passaram por duros testes contra Espanha, Inglaterra e França, mas sem a moral que os italianos tinham.

Liderados por Paul Breitner, campeão do mundo em 1974, a Alemanha pouco pôde fazer na decisão para segurar o ímpeto do time de Paulo Rossi e companha. A Itália venceu por 3 a 1 e conquistou o bicampeonato.

Zebra em 1986

Se em 1982 a Alemanha teve duros desafios até a final, em 1986, mesmo com um caminho teoricamente simples, os alemães sofreram e decepcionaram pelo futebol apresentado. Até chegar a decisão, o time germânico venceu apenas duas partidas, com mais dois empates e uma derrota. Campanha pífia de um finalistas que pode ser considerado uma grande zebra.

Jogo convicente dos alemães apenas na semifinal, contra a mesma França de quatro anos anteriores. França da Platini, que vencera o Brasil nas quartas de final. Mas a Alemanha não era a mesma. Tinha dois jogadores diferenciados, como Matthäus, Rummenigge e Voller. Este último e também Brehme foram os responsáveis pela vitória de 2 a 0 sobre os franceses.

Na final, Voller e Rummenigge marcaram, mas o adversário era a Argentina de Diego e mais "diez". Dieguito, que ficou marcado por dois gols contra a Inglaterra nas quartas de final - um gol de mãos (la mano de Diós) e outro fazendo fila - comandou a equipe na conquista do bicampeonato, atuando como garçon na grande decisão: 3 a 2, e Argentina campeã. Alemanha, vice de novo.

Enfim, tri (1990)

Depois de duas Copas amargando o gosto do segundo lugar, a Alemanha Ocidental viveu seu grande momento em 1990. Na Itália, muitos reputam o Mundial como de baixo nível técnico, mas os dois finalistas, Argentina e Alemanha (mais umas vez) era grandes equipes.

A Argentina, na minha opinião, era até melhor que o time campeão mundial quatro anos antes. Diego Maradona teve a companhia de outros bons valores como Claudio Caniggia, autor do gol que eliminou o Brasil nas oitavas de final. A Alemanha era um timaço. Talvez, a melhor Alemanha de todos os tempos. Com Voller, Brehme, Matthäus, Rummenigge e Klismann.

O gol do título alemão foi marcado apenas aos 40 minutos do segundo tempo, em Roma. Gol de Andreas Brehme, de pênalti. Mais sofrido, impossível. Uma vitória com gosto de vingança. A Alemanha Ocidental era tricampeã do mundo - e ainda é, jogando um futebol com a cara de seu técnico, Beckenbauer.

LEIA TAMBÉM > Naquelas Copa de 1974 e 1978...


=========================

* A coluna Domingueira do Pilat relembra os fatos que marcaram a história do esporte. Afinal, é preciso conhecer o passado para entender o presente e projetar o futuro.

Direto da Redação










Colunista: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat

sábado, 29 de maio de 2010

Campeonato Paulista > Palmeiras e Prudente empatam sem gols em Barueri

* Resultado não foi bom para nenhum dos times

Estádio vazio, time em má fase e a procurando reforços e um técnico. Com essas adversidades, o Palmeiras entrou em campo neste sábado pela quinta rodada do Brasileirão e não saiu de um empate sem gols com o Grêmio Prudente, na Arena Barueri.

Com o resultado, o Verdão ficou na quinta colocação do campeonato, com oito pontos ganhos. Já o Grêmio Prudente, que teve o segundo empate seguido na competição, já que havia empatado em 2 a 2 com o Corinthians no meio da semana, aparece na 15ª posição, com apenas cinco pontos.

Pressão palmeirense, mas sem gols

Jogando pela primeira vez fora do Palestra Itália como mandante na Arena Barueri, o Palmeiras mostrou-se bastante à vontade na “nova casa”. Desde os primeiros minutos, o Alviverde tomou conta da partida e levou perigo ao goleiro Márcio. Tanto que logo aos seis minutos Cleiton Xavier bateu falta e obrigou o camisa 1 do time prudentino a se esticar todo para afastar.

Dois minutos depois foi a vez de Vitor assustar o bom goleiro do time interiorano. O lateral destro ajeitou a bola com o pé direito e arrematou com o esquerdo, obrigando Márcio a fazer nova defesa. Aos 14, o Palmeiras chegou a colocar a bola na rede do Prudente, mas o juiz anulou. Depois de cobrança de escanteio, Maurício Ramos arrematou para o gol, mas Cléber Wellington Abade alegou que Ewerthon, atleta que estava impedido, mas não participava da jogada, atrapalhou a visão de Márcio.

O Prudente vivia de contragolpes esporádicos. A melhor chance do time que já foi o “dono” da Arena Barueri – quando levava para campo o nome da cidade da Grande São Paulo – foi com Marcelo Oliveira, aos 42 minutos, que cobrou falta rente ao gol de Marcos.

E ficou mesmo no zero

O segundo tempo começou da mesma forma que terminou o primeiro: com o Palmeiras no ataque. Aos seis minutos, o volante Márcio Araújo arrancou pelo meio, driblou o zagueiro e chutou com força, mas Márcio pegou. Aos 12, novamente Maurício Ramos apareceu na área após cobrança de escanteio e chutou com força, a bola passou perto da trave esquerda do goleiro e saiu. Quase um golaço na Arena Barueri!

O Prudente, que vivia de ataques ocasionais, teve o lance mais perigoso do jogo, aos 27 minutos. Tadeu passou fácil pelos defensores e lançou Wanderley. O camisa 9 deu um toque leve e chegou a encobrir Marcos. Mas ele não contava com o zagueiro Danilo, que tirou a bola em cima da linha, salvando os palmeirenses.

Nos minutos finais, Cleiton Xavier teve a chance de tirar o zero do placar em cobrança de falta. Mas a bola foi para fora, acertando somente os entulhos do local onde está sendo construída a nova arquibancada da Arena Barueri. Final, 0 a 0.

Ficha do jogo
PALMEIRAS 0 X 0 GRÊMIO PRUDENTE

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 29/5/2010 - 18h30
Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP)
Auxiliares: Emerson A. de Carvalho e Anderson José Coelho (ambos de SP)
Renda/público: Não disponíveis
Cartões amarelos: Rodrigo Mancha (GRE)
Cartões vermelhos: -
OLS: -

PALMEIRAS: Marcos; Vítor, Maurício Ramos, Danilo, Gabriel Silva (Eduardo - 13'/2°T); Pierre, Márcio Araújo, Cleiton Xavier, Lincoln (Paulo Henrique - 20'/2°T); Vinícius (Ivo - 29'/2°T) e Ewerthon. Técnico: Jorge Parraga

GRÊMIO PRUDENTE: Márcio; Diego, Leonardo, Paulão, Sasha; Rodrigo Mancha, João Vítor, Marcelo Oliveira, Wesley (Tadeu - 20'/2°T); Flavinho (Carlos Eduardo - Intervalo) e Wanderley (Henrique Dias 35'/2°T). Técnico: Toninho Cecílio.

Fontes: Globo.com e Lancenet!


Direto da Redação










Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat