Mudou!

O Redação do Esporte mudou de hospedagem! Acesse nosso conteúdo atualizado em: www.redacaoesporte.com.br

terça-feira, 31 de julho de 2012

Volta Olímpica > Futebol feminino: Grã-Bretanha surpreende e complica vida do Brasil nas quartas de final

A seleção brasileira feminina foi um grande desastre nesta quarta-feira e foi derrotada por 1 a 0 pela Grã-Bretanha em Wembley. Por mais que estivesse jogando na casa do adversário, que também não é um amontoado de meninas perebas e havia vencido os dois primeiros jogos também, é inadmissível perder da forma que perdeu, sem criar nada.

As britânicas têm um time arrumadinho, mesmo estando longe de estarem entre as melhores do mundo. Já o Brasil não tem nada de arrumado. Quem chama Mario Sérgio e Adilson Batista de "professor Pardal", não conhece o técnico Jorge Barcellos. Hoje ficou evidente como algumas opções do treinador na convocação e também no time titular foram equivocadas.

A equipe inicial foi semelhante a que vinha atuando, com apenas uma mudança mais ofensiva: a atacante Thaís Guedes entre as titulares no lugar de Formiga (poupada). Rosana substituiu também Fabiana. Mas o time levou um gol com 2 minutos de jogo e sentiu. Criou muito pouco no primeiro tempo e tentou apostar em chutes de longe com Fran e Marta, sem sucesso algum.

No intervalo, Barcellos tinha a oportunidade de mudar um pouco a equipe, mas meteu os pés pelas mãos. Colocou duas zagueiras que, na minha opinião, deveriam ser titulares, Bagé e Aline. Porém, trocou a primeira pela lateral Maurine. Colocou a defensora do São José na lateral direita e Rosana na esquerda. Opção completamente equivocada, que travou a equipe pelas laterais.

Pra piorar, adiantou Renata Costa como volante, sendo que ela não nasceu pra isso, e manteve Erika na zaga, logo ela que já foi até atacante e poderia jogar no meio. Vai entender!

O resultado é que o jogo continuou amarrado e sem insipiração de Marta e Cristiane o Brasil não criou nenhuma chance clara de gol. Quem passou mais perto de balançar a rede foi a Grã-Bretanha, que perdeu um pênalti bem defendido pela goleira Andreia Suntaque.

Com a derrota, o Brasil ficou no segundo lugar do Grupo E e com isso enfrenta agora o Japão nas quartas de final, equipe campeã do mundo. Mesmo se jogar muito mais que hoje, ainda assim vai ser muito complicado avançar de fase. Resta torcer para que Barcellos tente fazer o simples pelo menos dessa vez para termos alguma chance.

Foto:
Terra

_____________________________________

* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Ricardo Pilat
| pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

Volta Olímpica > Vôlei feminino: Brasil luta, mas sofre primeira derrota em Londres

Em busca da segunda vitória em Londres, a seleção brasileira enfrentou os Estados Unidos que também vinha de uma vitória na estreia, contra a Coreia do Sul. Quatro anos depois do Brasil ter conquistado a medalha de ouro em Pequim, em cima do próprio Estados Unidos, a seleção jogou totalmente diferente do passado e perdeu para as americanas. A partida teve 4 sets e o Brasil perdeu por 3 a 1 (25/18, 25/17, 22/25 e 25/21).

Com a derrota, o Brasil fica em quarto precisando vencer o próximo jogo contra a Coréia do Sul e os Estados Unidos está em primeiro, podendo até garantir a vaga na próxima fase no próximo jogo.

Basquete Feminino > Seleção perde mais uma e fica pressionada

    
A seleção brasileira, que não havia estreiado bem contra a França, sofreu mais uma derrota em Londres, mas agora foi para a Rússia. As jogadoras  lutaram e mostraram um bom basquete em diversos momentos, mas não tiveram tranquilidade no período decisivo e viram a Rússia disparar no último quarto.

Com duas derrotas, o Brasil está em último no grupo B e a classificação fica cada vez mais distante. O próximo jogo é contra a Austrália e a seleção precisa da vitória para sonhar continuar em Londres.

Foto:
Reuters

_____________________________________


* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Igor Domingues
| igor4712@hotmail.com



segunda-feira, 30 de julho de 2012

Volta Olímpica > Boxe: Grande dia para o Brasil

O boxe continua nas fases classificatórias ainda, e hoje tivemos os pesos meio-médio e o mosca. Brasil com representantes nos dois, Yamagushi Falcão e Julião Neto.

Yamagushi Falcão (peso meio-pesado) lutou contra o atleta Sumit Sangwan da Índia e teve uma luta muito dura e disputada. O brasileiro venceu por 15 a 14 e segue bem rumo a medalha

Mais cedo, Julião Neto (peso mosca - foto, de azul) teve uma luta bem mais tranquila contra Pak Jong Choí. Ele derrotou o atleta da Coréia do Norte por 12 a 8. A melhor luta do dia, ao meu ver foi nesse peso. Samir Brahimi da Argélia derrotou Jackson Woods da Austrália por 14 a 12. O combate foi muito disputado do início ao fim.

Judô > Desclassificações


O judô hoje teve a disputa das categorias até 57 kg no feminino e 73 kg no masculino. O Brasil esteve representando em ambos. Rafaela Silva e Bruno Mendonça foram em busca de uma medalha. Medalha que não veio.

Rafaela Silva era um dos nomes fortes de sua categoria. Estreou bem, com vitória sobre a atleta sul-coreana. Mas foi em sua segunda luta, que o destino foi cruel. Ela lutava contra Karakas, da Húngria, e vinha tomando conta da luta, projetando as melhores quedas. Mas no momento em que foi para definir, deu um Wazari. Após o arbitro ficar em dúvida com relação a legalidade do golpe, a imagem foi revista em uma TV ao lado do tatame e ele resolveu tirar o Wazari de Rafaela e ainda desclassificar, pois na projeção do golpe, a atleta brazuca pegou a sua adversária pelas pernas sem querer. Até ano passado, pegar na perna do adversário era válido. Rafaela chorou muito.

Mas o dia de desclassificações não parou por aí. A final da categoria de Rafaela foi entre Corina Capiroriu da Romênia e Kaori Matsumoto do Japão. Corina também projetou uma queda pegando na perna da adversária e foi desclassificada. Kaori levou o ouro.

Já Bruno Mendonça também fez uma ótima luta em seu primeiro confronto e venceu por ippon. Na segunda, ele foi muito apático, aceitando o estilo de seu adversário holandês. Sem muita competitividade, Bruno foi punido duas vezes. As punições final, resolveram o resultado da luta. A final de sua categoria foi entre o japonês Riki Nakaya e o russo Mansur Isaev. Mansur levou o ouro, vencendo a luta por dois yukos a um.

Natação > Brasileiros não chegam longe


Hoje foi mais um dia sem grande brilho para o Brasil na natação. Tivemos apenas dois atletas competindo em busca de vaga nas finais. Kaio Márcio entrou na piscina em busca de vaga nas semifinais, em uma de suas provas favoritas, os 200 metros borboleta. Porém foi muito abaixo do esperado. Ficou em 5º na sua série e em 17º na classificação. Como só 16 entram nas semi, Kaio por uma posição não entrou infelizmente. A grande estrela Michael Phelps se classificou para a final e disputa medalha amanhã.

A outra brasileira do dia foi Joana Maranhão. Depois do incidente ocorrido sábado de manhã na Vila Olímpica, ela foi em busca de vaga pra final nos 200 metros madley. Conseguiu chegar as semi e só. Fez um tempo abaixo do esperado.

O grande destaque do dia veio de uma garota. Enquanto muitas meninas de quinze anos de hoje estão preocupadas em tirar fotos bonitas para o Facebook, Twitter e Instagram, Rota Meilutyte (foto) já é campeã olímpica. A atleta de quinze anos da Lituânia, derrotou a favorita Rebecca Soni nos 100 metro peito, e ficou com o ouro. Rota se tornou a segunda atleta mais jovem da história das Olímpiadas a ganhar um ouro, ficando só atrás de Nadia Comanecci, atleta da Romênia que tirou o primeiro dez da história da ginástica e foi campeão em Montreal 76 com apenas catorze anos.

Outro destaque foi o Ouro de Yannick Agnel da França nos 200 metros livre. Ele derrotou grandes favoritos como Taehwan Park da Coréia do Sul, Ryan Lochte e o alemão e recordista mundial da prova, Paul Bidermann.

Vela > Scheidt e Prada não tiveram um bom dia


Robert Sheidt ao lado de seu parceiro de regata, Bruno Prada, tiveram um dia ruim. Ontem eles encerraram o primeiro dia em primeiro lugar na classificação geral, mas hoje foram mal nas duas regatas. Na regata da manhã ficaram em nono e na da tarde, em sexto. Sendo assim, hoje terminaram em 4º na classificação geral da classe star. Eles tiveram problemas devido aos ventos fortes de Londres. Sheidt garantiu que ele e Prada amanhã estarão bem focados para a quinta regata. As dez melhores duplas se classificam para a regata que valerá medalha.

_______________________________________

* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Fernando Borchio
| fernando.borchio@hotmail.com


Comentário da Redação > Palmeiras não joga bem e perde de novo para arbitragem

Em jogo válido pela 13ª rodada do Brasileirão, o Palmeiras perdeu por 2 a 1 para o Cruzeiro. O time não jogou bem. Sentiu a falta de peças muito importantes como Valdívia e Marcos Assunção. Já o Cruzeiro teve um ótimo reforço e muito importante, Flávio Neves, também conhecido como senhor juiz.

A primeira etapa foi muito fraca tecnicamente para ambos os lados, mas o Cruzeiro levou mais perigo, tendo uma bola na trave e forçando Bruno a fazer uma boa defesa. O grande jogador deles entrou em cena aos 39 minutos, quando marcou um pênalti em uma falta que ocorreu fora da área. Borges abriu o placar.

No segundo tempo, o Palmeiras voltou melhor. Felipão colocou Obina no lugar de Patrik e o time conseguiu segurar a bola na frente. Daniel Carvalho não estava bem de novo, mas o time conseguiu se manter. Só que aí veio o balde de água fria. Em um lance de bate rebate na área, a "grande estrela" do Cruzeiro não marcou impedimento, o lance seguiu e Borges fez o segundo gol. Apesar do Palmeiras ter diminuído com Barcos batendo pênalti, nada adiantou.

Até quando a arbitragem vai continuar "passando a mão" no Palmeiras? Eles ajudam o Verdão um jogo e atrapalham em dez. Assim não dá. Com o resultado, o Palmeiras voltou ao Z-4. Espero que que por pouco tempo. No meio de semana o clube paulista enfrenta o Botafogo no Rio de Janeiro, em jogo de ida válido pela primeira fase da Copa Sul-Americana.

Conceitos

Bruno - REGULAR: Pouco teve culpa nos gols que levou. Quase pegou o penalti.
Artur - REGULAR: Não apoiou o ataque, mas marcou direitinho.
Henrique - BOM: A segurança da zaga, mas o time estava melhor com ele no meio.
Leandro Amaro - REGULAR: Soberano algumas vezes, inseguro em outras.
Fernandinho - REGULAR: Iniciou a jogada do gol do Palmeiras. Deixou alguns buracos na esquerda.
Márcio Araújo - RUIM: Pouco apareceu em campo.
João Vitor - RUIM: Deixou buracos do lado esquerdo, errou muitos passes.
Patrik - RUIM: Se tocou na bola alguma vez, foi muito.
(Obina) - BOM: Jogou bem e criou algumas jogadas. Entrou fora de sua posição.
Daniel Carvalho - RUIM: Zzzzzzzzzz.
(Maikon Leite) - BOM: Entrou bem, criando chances próximas à área. Sofreu o penalti.
Mazinho - RUIM: Muito abaixo do que vem rendendo. Perdeu muitas bolas.
Barcos - BOM: Mesmo fora de ritmo, levou perigo ao gol adversário. Fez o gol, cobrando pênalti com muita precisão.
(Betinho) - SEM CONCEITO: Entrou na reta final.
Téc. Felipão - REGULAR: Foi ousado em colocar quatro atacantes em campo, mas teimou fazendo de novo algo que fez quinta e não deu certo, que é Obina e Barcos juntos. Ou um ou outro.

Foto: Vipcomm

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

Comentário da Redação > Santos vence a segunda no Brasileirão com gol no finalzinho

O que o Santos pode comemorar da vitória de ontem diante da Ponte Preta, por 2 a 1? A vitória! O time voltou a cometer muitos erros, apesar de demonstrar uma vontade impressionante. Os tais erros quase custaram os três pontos, mas no final das contas, um gol salvador de Miralles confirmou o triunfo e quem sabe dá ao Santos um novo alento para sair da lama do Brasileirão mesmo ainda sem Neymar.

O primeiro tempo santista foi bom. Talvez uma das melhores atuações do time no campeonato. Mas, cá entre nós, foi mais por demérito do adversário do que mérito nosso. A Ponte recuou demais e permitiu que o Santos chegasse. Não fosse a falta de pontaria de "Kill" Bill e de Felipe Anderson, o time poderia ter feito mais que 1 a 0.

O gol foi marcado pelo bom lateral Bruno Peres. Mas o destaque da jogada fica por conta do belo passe de letra de Victor Andrade. O menino começou no 11 inicial e não decepcionou. Ainda é cedo pra dizer que é craque, mas ele tem mais qualidade que todos os outros atacantes e nas atuais circunstâncias precisa jogar.

A etapa final foi dominada pela Macaca. O time de Campinas resolveu jogar, e o Santos se fechou para sair no contra-ataque. A opção santista não funcionou e foram poucas jogadas criadas. A Ponte sim teve sucesso. Mandou bola na trave, teve impedimento mal marcado que poderia resultar em gol e... acabou empatando, com Roger, em falha da defesa do Peixe.

Essa igualdade veio a 10 minutos do fim da partida e tudo se encaminhava para mais um resultado desastroso para o Santos. A torcida já chiava quando uma bola enfiada no meio da área foi dividida por Miralles com o goleiro Roberto. Melhor para o atacante argentino, que estufou a rede com o gol aberto aos 40 minutos.

A vitória por 2 a 1 também significou o fim de um jejum que dói no torcedor do Santos, acostumado com muitos gols, já que havia quatro partidas que o time não marcava. E o mais importante, tirou o Peixe da zona de rebaixamento.

Conceitos


Aranha - BOM: Fez boas defesas e evitou que o gol da Ponte viesse antes.
Bruno Peres - BOM: Até agora, a contratação mais efetiva do Santos em 2012. Marcou o primeiro gol do jogo.
Bruno Rodrigo - ÓTIMO: Um dos melhores em campo. Firme em todas as divididas.
Durval - RUIM: Ao contrário do companheiro de zaga, oscilou altos e baixos. E falhou no gol da Ponte Preta.
Léo - RUIM: Quase não apoiou e marcou mal.
Arouca - REGULAR: Foi discreto. Nesse esquema com 3 volantes, precisa aparecer mais.
Adriano - REGULAR: Tem vontade demais, mas às vezes exagera e faz faltas bobas.
Henrique - BOM: Ontem jogou o futebol que se espera dele, com marcação forte e chegadas providenciais no ataque.
Felipe Anderson - REGULAR: O conceito certo deveria ser "irregular", porque faz boas jogadas de vez em quando e péssimas momentos depois. Fica difícil confiar nele.
(David Braz) - SEM CONCEITO: Entrou no fim para segurar o resultado.
Victor Andrade - ÓTIMO: Divide o posto de melhor em campo com o Bruno Rodrigo. Fez o que o torcedor santista gosta de ver, que é partir pra cima do adversário. Tem muita qualidade, espero que não se prejudique por entrar no time justamente neste momento ruim.
(Miralles) - BOM: Apesar de estar visivelmente fora de sintonia com o resto do time, ele entrou com muita vontade e foi coroado com o gol da vitória.
Bill - REGULAR: Outro que brigou muito, mas mostrou que pontaria não é o seu forte. Preocupante, já que estamos falando de um atacante.
Tec. Muricy Ramalho - BOM: Acho que escalou o time do jeito que dava. Apesar de ter sido vaiado pela torcida, não teve culpa na substituição de Victor Andrade por Miralles, já que foi o garoto que pediu pra sair. Você pode discutir uma ou outra opção de Muricy nesse momento, mas não dá pra fazer nada muito diferente com as opções atuais.

Foto: Divulgação/Santos FC


Se você é santista sabe: torcer para o Santos é um orgulho que nem todos podem ter. Clique aqui, curta a página do torcedor santista no Facebook e fique bem informado sobre o Peixe.
_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Ricardo Pilat
| pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

domingo, 29 de julho de 2012

Volta Olímpica > Basquete masculino: Brasil vence após 16 anos de espera

Foi bem mais sofrido que o esperado, levando em conta os amistosos que o Brasil fez antes das Olimpíadas. Mas após 16 anos sem participar dos Jogos, a vitória por 75 a 71 diante da Austrália tem de ser muito comemorada.

A estreia em Londres foi equilibrada do início ao fim. Os primeiros minutos foram de maior nervosismo, e partida de desenhou com uma pontuação quase empatada durante todo o primeiro tempo.

No terceiro quarto, o Brasil abriu 7 pontos de vantagem e foi para o último período precisando administrar. Apesar de alguns erros pra lá de inocentes de alguns jogadores como Leandrinho, por exemplo - que foi cestinha brasileiro no jogo, com 16 pontos, o time soube jogar diante da pressão e conseguiu segurar a frente no marcado.

O próximo desafio é diante da Grã-Bretanha, um rival sem tradição e que o Brasil precisa vencer. Afinal, depois disso terá Rússia, China e Espanha pela frente e se vencer pelo menos um desses adversários se classifica e foge dos EUA nas quartas de final.


Vôlei masculino > Vitória contra fraco adversário

A estreia do Brasil no vôlei masculino em Londres foi diante da Tunísia, equipe sem tradição alguma na modalidade. O resultado não poderia ser outro: 3 sets a 0, com 25/17, 25/21 e 25/18.

Agora é acompanhar o desempenho do time brasileiro, que vem de maus resultados, diante da Rússia, uma das cascas grossas da chave olímpica, que ainda tem EUA e Sérvia.

Fotos: Reuters e Getty Images

_____________________________________

* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Ricardo Pilat
| pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat


Volta Olímpica > Judô: Dia "faixa branca"

O judô teve um domingo para ser esquecido pelos brasileiros.Tivemos dois atletas nas disputas das medalhas, Leandro Cunha na categoria até 66 kg e Érica Miranda na categoria até 52 kg. Ao contrário dos atletas de ontem que conquistaram medalha (Sarah Menezes de ouro e Felipe Kitadai de bronze), ambos eram favoritos a alguma conquista, porém perderam logo em sua primeira luta e já foram eliminados de cara, já que só entram na repescagem os atletas eliminados nas quartas de final.

Leandro Cunha lutou muitíssimo abaixo do esperado. Ele é um atleta que tem o costume de aplicar muitos ippons, mas hoje seu jogo não encaixou. Ele pouco conseguiu dar boas catadas na gola do polonês seu adversário e foi derrotado por um yuko. O campeão de sua categoria foi o atleta da Georgia Lashad Shavdatuashvili, que não tinha favoritismo nenhum antes do início da competição.

Já Érica Silva lutou bem. Foi eliminada por uma bobeira que deu na luta. Conseguiu dar várias quedas que foram bem defendidas pela sua adversária sul-coreana. A luta se encerrou no Golden Score, com um estrangulamento feito pela asiática. O ouro de sua categoria ficou com Kum Ae An, da Coréia do Norte.

Dois Brasileiros já se despedem no boxe


O boxe permaneceu com lutas ainda válidas pelas eliminatórias. Pelo peso leve, Róbson Conceição foi eliminado pelo atleta da casa, o britânico Josh Taylor por 13 a 9. O resultado foi meio contestado e duvidoso de certa forma. Róbson era uma grande esperança de medalha para o Brasil.

Pelo peso meio-médio, Myke Carvalho enfrentou um dos favoritos à medalha, o americano Errol Spence e foi derrotado por 16 a 10. Myke não soube usar sua envergadura e altura maior que a do adversário, não apresentou sua boa técnica que mostrou no Pré-Olimpico realizado no Rio de Janeiro, e foi derrotado com certa facilidade.

Amanhã teremos a participação de Julião Neto e Yamagushi Falcão.

Natação > Brasil sem grandes destaques e sem grandes resultados


O segundo dia da natação do Brasil também foi bem apagado. Hoje não tínhamos grandes estrelas competindo, ou seja, os resultados ruins já eram esperados.

Talvez a maior decepção no dia tenha sido a não classificação do revezamento 4x100 livre masculino para a final. O erro foi não ter escalado César Cielo para nadar. O time tinha em mente a classificação, e se ela ocorresse, Cielo nadava as finais.

Os outros resultados do Brasil foram a eliminação na fase classificatória de Fabíola Molina nos 100 metros costas e Daniel Orzeshowvski também nos 100 metros costas.

O dia ficou marcado pelas medalhas de ouro de Cameron Van der Burg, da África do Sul, nos 100 metros peito, Dana Vollmer nos 100 metros borboleta com direito a novo recorde mundial, e o revezamento 4x100 da França (masculino) que bateu os EUA (com Phelps, Lochte e cia)

Foto:
Reuters

_______________________________________

* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Fernando Borchio
| fernando.borchio@hotmail.com


Volta Olímpica > Futebol masculino: Brasil toma susto no início, mas vira e garante classificação

Após encontrar dificuldades na estreia contra o Egito, tomando dois gols no segundo tempo, o sistema defensivo do Brasil passou a ser motivo de grande desconfiança. Neste domingo, pela segunda rodada, em Manchester, não demorou nem dez minutos de jogo para o torcedor brasileiro torcer o nariz com um gol da Bielorrúsia. Após este de início ruim, no entanto, o time de Mano Menezes não tomou mais sustos na defesa e conseguiu a virada sem jogar tudo que pode.

Sete minutos depois que Renan Bressan abriu o placar, Alexandre Pato empatou, aos 14, também de cabeça. Esses foram praticamente os dois únicos lances de destaque na etapa inicial. A seleção canarinho dominou completamente a partida diante de um adversário muito retrancado, mas não conseguiu incomodar o goleiro Gutor. Trocava muitos passes, porém errava na hora de uma tabela perto da área, pecava no último passe e abusava das bolas aéreas, que não assustavam em nada a defesa bielorrússia.

No segundo tempo, contudo, a equipe brasileira voltou com uma postura diferente, acelerando mais o jogo e arriscando chutes. Neymar, assim como no primeiro tempo, buscava bastante o jogo. Já Oscar, que não vinha bem e errava muitos passes, passou a entrar no jogo. Em dois lances (passe para Marcelo e jogada individual), o agora jogador do Chelsea mostrou o quão importante é quando está ligado.

Mais importante ainda é quando ele e Neymar estão acesos juntos no jogo. Foi isso que levou à virada. Aos 17, o craque santista pegou a bola para bater falta e acertou um chute lindo, no ângulo do canto do goleiro, um golaço. Nos acréscimos, uma pintura para mostrar o que a dupla é capaz: o camisa 11 partiu em velocidade passou por dois defensores e deu um lindo toque de calcanhar para Oscar, que chutou de primeira, no mesmo ângulo do segundo gol.

Uma vitória sem grande esforço garante a classificação para a próxima fase. Na quarta-feira, deve confirmar a primeira colocação diante da Nova Zelândia, às 10h30 (horário de Brasília), Newcastle. Ainda é preciso evoluir, mas a seleção brasileira passou por dois desafios importantes pelas circunstâncias nesses dois primeiros jogos, e deve chegar bem mais forte nas quartas de final. É de longe a grande favorita à conquista do ouro.

Conceitos

Neto - REGULAR: É um possível problema, pois não tem passado confiança. Entretanto, não teve culpa no gol.
Rafael - REGULAR: Fez o arroz com feijão. Vacilou no gol bielorruso.
Thiago Silva - BOM: Não foi muito exigido, mas esteve seguro o tempo inteiro.
Juan - REGULAR: Não comprometeu, contudo, é outro que não me passa confiança.
Marcelo - BOM: Habilidoso, foi figura constante no ataque. Só preocupa pelas entradas violentas que costuma dar. Hoje, entrou de sola e não recebeu nem amarelo. Pode prejudicar demais o time lá na frente.
Sandro - REGULAR: Discreto, não teve muita função em campo devido ao sistema de jogo defensivo do adversário.
(Ganso) - RUIM: Entrou descansado e não fez a menor diferença. Apagadíssimo.
Rômulo - BOM: Por jogar como segundo volante, encostou pouco no Oscar. Porém, foi bem eficiente na marcação, tanto que foi recuado corretamente para a cabeça de área em vez de sair.
Oscar - BOM: Não fez um bom primeiro tempo, mas cresceu no segundo.
Neymar - ÓTIMO: Participativo, decidiu o jogo. Duas assistências e um gol.
Hulk - BOM: Mesmo não brilhando, tem sua importância, gosto da sua presença no time. Foi um dos que mais tentaram algo no primeiro tempo.
(Danilo) - SEM CONCEITO: Participou pouco do jogo.
Alexandre Pato - BOM: Procurou se movimentar e aproveitou a chance que teve.
(Lucas) - SEM CONCEITO: Teve tempo para fazer apenas uma jogada individual.
Téc: Mano Menezes - BOM: Poderia ter feito mudança já no intervalo, mas foi muito bem ao trocar Sandro por Ganso, tanto pela opção escolhida quanto pela mudança tática que fez.

Foto: Terra
_____________________________________

* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Pedro Silas | pedro.silas@yahoo.com.br

sábado, 28 de julho de 2012

Volta Olímpica > Vôlei feminino: Brasil estreia com vitória apertada

Na estréia em Londres, a seleção feminina de vôlei consegue uma vitória apertada contra a seleção da Turquia por 3 a 2 (25/18, 23/25, 25/19, 25/27 e 15/12). Em um jogo que era previsto uma vitória fácil, a seleção turca deu trabalho ao Brasil e levou o jogo para o quinto set.

No último set, a experiência pesou para que a seleção brasileira ganhasse, com muito erros da seleção turca, o Brasil fechou o último set por 15 a 12. Próximo jogo do Brasil é contra os EUA na próxima segunda-feia (30/07).

Vôlei de Praia Feminino:
  No mesmo dia da vitória brasileira nas quadras de vôlei, na areia veio mais uma vitória com Larrisa e Juliana. As brasileiras atropelaram a dupla das Ilhas Maurício por dois sets a zero.

Basquete Feminino >  Brasil some no último quarto e França ganha por 15 pontos de diferença


A seleção feminina de basquete brasileira estreou contra a França e com um começo de jogo positivo, parecia que o dia ia ter um final feliz, mas não foi o que aconteceu. Com a vitória apenas no primeiro quarto, os outros três foram de domínio francês e o Brasil acabou perdendo por 73 a 58.

Agora a seleção precisa se recuperar e terá que vencer os dois próximos jogos, contra Austrália e Rússia, para continuar viva sonhando com a classificação na próxima fase.

Foto:
AP


_____________________________________


* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Igor Domingues
| igor4712@hotmail.com

Volta Olímpica > Dia histórico para o judô brasileiro

O primeiro dia de Olímpiadas foi histórico para o Brasil. Conquistamos três medalhas (ouro, prata e bronze). Esse ótimo retrospecto se deve principalmente ao nosso judô. Duas das três medalhas foram conquistados através dele.

O Brasil, depois de 18 anos, ganhou uma medalha de ouro no judô, com Sarah Menezes (foto, de azul) na categoria até 48 kg. A última medalha dessa cor havia sido conquistada em 1992 (Olímpiadas da Barcelona) com Rogério Sampaio. A medalha conquistada por Sarah na manhã deste sábado (horário de Brasília) foi a primeira de ouro conquistada por uma mulher no judô brasileiro.

Sarah foi soberana na competição, derrotando grandes competidoras - inclusive a atual campeã olímpica em Pequim, Alina Dumitru da Romênia, com lindos wazaris e yukos, demonstrando um grande potencial na técnica de projeção de quedas. No início da competição ela não era considerada favorita, mas ou seus resultados conquistados com tranquilidade fizeram com que ela se tornasse uma adversária que poucas queriam enfrentar. Lutou sua segunda Olímpiada e parecia já estar na quinta.

O judô não ficou só com a medalha de ouro de Sarah Menezes. Felipe Kitadai, menos favorito ainda a ganhar qualquer coisa, lutou sua primeira Olímpiada como gente grande e garantiu a medalha de bronze na categoria até 60 kg. Kitadai foi se tornando temído dentro da competição também, e só foi parado nas quartas de final pelo atleta favorito a levar o ouro, Rashod Subirov, do Uzbeqstão. Recuperado do baque, ele voltou para a repescagem derrotando um forte atleta sul-coreano. Na disputa do bronze, enfrentou o italiano Elio Verde e o derrotou com um yuko. A medalha foi um presente para sí mesmo, já que fazia aniversário neste sábado.O título da categoria ficou com o russo Arsen Galstryan

Sem grandes lutas, o boxe teve seu primeiro dia "chato"


O título já diz tudo. O boxe olímpico já não é tão emocionante como o boxe profissional, ainda mais tendo lutas mornas como as de hoje. Foi um dia sem brilho e sem grandes combates. Os combates eram classificatórios para as oitavas de final nos pesos galo e médio. Nos galos, o Brasil teve a participação de Robenílson de Jesus, que venceu sua luta contra o atleta Orzubeck Shayimov por pontos, está nas oitavas e enfrentará o atleta russo Sergey Vodopiyano. Nos médios, o Brasil terá seu atleta entrando direto na oitavas. Esquiva Falcão enfrentará Soltan Migitinov do Arzebajião.

Natação > Thiago Pereira passa pelo "trauma" do nado livre, e ganha a prata


A pelo menos duas Olímpiadas assistimos Thiago Pereira (foto) sempre disputando medalhas nos 200 metros medley e nos 400 metros medley. Porém o roteiro era sempre o mesmo. Thiago nadava os três primeiros nados bem (borboleta, costas e peito), e perdia sua medalha no nado que ele tem a maior deficiência, o nado livre. Hoje o roteiro mudou. Pereira conseguiu abrir vantagem nos seus nados mais fortes (costas e peito) e quando chegou a vez do livre conseguiu se manter bem colocado e ficar em segundo lugar nos 400 metros medley.

Para se ter idéia, ele ficou à frente nada mais nada menos do que Michael Phelps, que foi a grande decepção do dia. O resultado de hoje, com certeza vai dar uma estimulada maior ainda para ir em busca do ouro na sua prova favorita. Os 200 metros medley.

O Brasil também teve decepções na natação. Na parte da manhã, Joanna Maranhão se sentiu mal na Vila Olímpica e perdeu sua chance de disputar as Olímpiadas pela terceira vez. Também de manhã, nas provas classificatórias, Daynara de Paula não conseguiu chegar às finais dos 100 metros borboleta. Felipe França também que tinha chances de medalha, não conseguiu chegar à final dos 100 metros peito, assim como Felipe Lima. Vale lembrar que a prova que França tem especialidade não é uma prova olímpica, que é os 50 metros peito.

_______________________________________

* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Fernando Borchio
| fernando.borchio@hotmail.com


Volta Olímpica > Futebol feminino: Brasil consegue vitória suada diante da Nova Zelândia

Ao contrário da facilidade que encontrou no jogo de estreia, o Brasil fez uma partida muito complicada diante da Nova Zelândia no futebol feminino de Londres 2012. O gol da vitória saiu aos 40 minutos do segundo tempo, com a categoria da atacante Cristiane (foto), maior artilheira da História das Olimpíadas.

Antes de Cris balançar a rede, ela e a maioria das jogadoras brasileiras não encontraram o bom futebol que podem render. Especialmente Marta e Fran, que poderia ser responsáveis por fazer o jogo fluir no meio-campo. O time errou muitos passes.

A Nova Zelândia também tem méritos pois usou uma estratégia bem definida de marcar muito forte e tentar arriscar o ataque quando houvesse espaço. E esse espaço apareceu pouco também, diga-se aqui, apesar de alguma insegurança do trio defensivo brasileiro.

Outro problema a meu ver foi o fluxo de jogo pelos lados do campo. Maurine e Fabiana não estiverem bem e o time insistiu demais em jogar pelo meio, sem sucesso.

O gol só veio no finalzinho, em um bate rebate que sobrou nos pés de Cristiane, que mostrou que mesmo jogando mal, é decisiva e não pode ser reserva desse time de jeito nenhum. O resultado pode ter acobertado a fraca atuação, mas espero que o técnico Jorge Barcellos refilta e possa fazer a equipe render mais a partir das próximas partidas.

O mais importante é que com a vitória da Grã-Bretanha por 3 a 0 pra cima de Camarões na outra partida do grupo, o Brasil garantiu vaga na próxima fase. Agora, encara as donas da casa na última rodada para assegurar o primeiro lugar na chave, que seria importante para evitar confrontos mais complicadas nas quartas de final.

Foto:
EFE


_____________________________________


* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Ricardo Pilat
| pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Clinch > UFC Rio 3 vem aí!

Para os fãs de MMA, está aí a oportunidade de ir ver o UFC aqui no Brasil novamente. O evento vem pra cá pela quinta vez em sua história e pela terceira vez ao Rio de Janeiro em espaço de um ano.

O evento foi confirmado por Lorenzo Fertitta, um dos donos do UFC, na última quinta-feira E em pouco tempo já temos algumas lutas confirmadas. A principal será entre o brasileiro José Aldo e o americano Erik Koch e valerá o cinturão do peso pena, que hoje é de Aldo (foto).

O evento também marcará o retorno de Vitor Belfort aos octógonos após a lesão na mão e a despedida de uma das lendas do MMA, Quinton "Rampage" Jackson, que enfrentará o brasileiro em grande evolução Glover Teixeira. O UFC Rio 3 também terá a presença dos campeões do TUF Brasil Rony Jason e Cézar Mutante

O evento ocorrerá na edição de 153 do UFC e será realizado dia 13 de outubro, na HSBC Arena (localizada na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro).

Card do UFC Rio 3 (UFC 153) até o momento
:

José Aldo vs Erik Koch - Pelo cinturão do Peso-Pena

Vitor Belfort vs Alan Belcher - Peso Médio

Glover Teixeira vs Quinton Jackson - Peso Meio-Pesado

Rony Jason vs Sam Sicilia - Peso Pena

Cézar Mutante vs Adversário indefinido - Peso Médio

Cristiano Marcello vs Reza Madadi - Peso Leve

Serginho Moraes vs Reneé Forte - Peso Médio

_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.

por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

Volta Olímpica > Futebol masculino: Mesmo com o sumiço no segundo tempo, Brasil vence Egito por 3 a 2

Em Cardiff, País de Gales, a seleção brasileira de futebol estreou nas Olimpíadas de Londres contra a seleção do Egito. Com todos apostando em uma bela vitória brasileira, quem assistiu o segundo tempo se decepcionou totalmente após ver uma bela etapa inicial do brasil.

Foram dois tempos muito diferente da Seleção. No primeiro, quando abriu  3 a 0 com Rafael, Leandro Damião e Neymar, o Brasil foi bem com a maestria de Oscar. Depois, acomodado com a vantagem, errou muito e permitiu uma reação do Egito. De qualquer maneira, o time de Mano Menezes conseguiu a primeira vitória.

No primeiro tempo, o camisa 10 da seleção, Oscar, brilhou e deu um show de assistências. Em uma jogada indivídual pela direita, Oscar dá um belo toque para Rafael que abre o placar para a seleção brasileira. Nove minutos depois, o meia do Chelsea sozinho, dribla o goleiro e toca para Leandro Damião balançar a rede pela segunda vez. O Brasil já ganhava por 2 a 0, mas faltava o astro da Seleção balançar a rede. Aos 29 minutos, ainda do primeiro tempo, com um cruzamento de Hulk, Neymar faz o terceiro gol. A nossa seleção foi para o intervalo com a vantagem de três gols e com a vitória praticamente garantida, teoricamente.
   
O segundo tempo começou e a seleção brasileira sumiu. Com um péssimo futebol, o Brasil sofreu para garantir a primeira vitória em Londres. Com a vantagem de 3 a 0 no placar, a seleção desanimou-se e viu o Egito reagir. Aos seis minutos do primeiro tempo, com Aboutrika, o Egito marca o seu primeiro gol nas Olimpíadas. E aos 30 minutos do segundo tempo, veio o segundo gol Egito com Salah. Com a reação da seleção do Egito, Ganso, Pato e Danilo entraram em campo para tentar marcar o quarto gol brasileiro e livrar-se do perigo de tomar o empate. Os três não conseguiram marcar nada, mas no fim das contas o time garantiu a primeira vitória da seleção brasileira nas Olimpíadas.

O Brasil, com a vitória, fica em primeiro do grupo acompanhado pela Bielorrúsia, próximo adversário da Seleção. O confronto será no domingo e quem vencer pode garantir a classificação na próxima fase.

Conceitos


Neto - RUIM:  Foi convocado para ser reserva do Rafael, que foi cortado da seleção por causa de uma lesão, e acabou assumindo a titularidade do Brasil. No primeiro jogo, foi mal, pois as únicas bolas que foram no gol entraram.
Rafael - BOM: Apoiou muito bem a equipe no ataque e conseguiu marcar até um gol com o belo passe de Oscar. No segundo tempo, acompanhou o ritmo do grupo e não foi tão bem como no primeiro, mas fez uma boa partida.
Thiago Silva - RUIM: É um ótimo zagueiro, mas deixou a desejar um pouco nessa partida por ter tomado dois gols da fraca seleção do Egito. Sem falar em alguns erros no início da partida.
Juan - RUIM:  É a revelação brasileira da defesa, porém não transmite tanta confiança. Ainda tem muito que aprender e a hora é agora jogando ao lado de Thiago Silva. Os dois tem tudo para dar certo, mas foram mal contra o Egito.
Marcelo - REGULAR: Fez um bom primeiro tempo apoiando o lado esquerdo da defesa do Egito junto a Neymar, deu trabalho para os egípcios. No segundo tempo, ficou meio sumido junto ao time.
Sandro - REGULAR: Não apareceu no primeiro tempo pois o Egito não deu nenhum perigo a seleção brasileira. No segundo tempo, foi substituído por Danilo pois o meio de campo estava sendo dominado pela seleção do Egito.
(Danilo) - SEM CONCEITO: Jogou pouco.
Rômulo - REGULAR: Não é um marcador e sim aquele cara que apoia no ataque, um segundo volante. No primeiro tempo, ajudou no que foi preciso e no segundo tempo, sumiu junto ao meio de campo da Seleção.
Oscar - BOM:  Fez um primeiro tempo digno de um camisa 10 brasileiro, jogou muito! Deu passes para gol, dribles e outros lindos lances. No segundo tempo, acho que ele lembrou que foi vendido ao Chelsea e ficou dormindo e sonhando em jogar naquele estádio com a camisa do Chelsea, e sumiu de campo. Mesmo assim não comprometeu seu perfeito primeiro tempo.
Neymar -REGULAR: Como sempre, é aquele jogador que não foge da luta e faz de tudo para a sua equipe marcar. No primeiro tempo ele marcou um gol de cabeça com assistência de Hulk e no segundo tempo, com o time do Brasil sumido, ele foi o único que tentou impor uma correria na defesa do Egito, sem sucesso.
Hulk - REGULAR:  Táticamente ele jogou bem, mas deixou a desejar no lado matador que ele tem. Apenas apareceu em campo com uma bela assistência para Neymar fazer o terceiro gol.
(PH Ganso) - SEM CONCEITO: Mal participou do jogo.
Leandro Damião - BOM: Como sempre, deixa uma bola na rede. Além disso, jogou com alegria e ia pra cima sem medo dos adversários. Na minha opinião, é outro, além de Neymar, que deve ir para a Copa do Mundo de 2014.
(Alexandre Pato) - SEM CONCEITO: Jogou pouco.
Tec. Mano Menezes - RUIM: Na minha opinião, não é o técnico certo para a Seleção. E nessa partida, não interferiu em nada e quando o time precisou dele no segundo tempo, apenas mudou seis por meia dúzia.

Foto: Terra

_____________________________________

* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Igor Domingues
| igor4712@hotmail.com

 

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Comentário da Redação > Mais um vexame tricolor no Serra Dourada

Assim como no ano passado, o São Paulo volta do Serra Dourada com uma humilhante derrota. Daquela vez, perdeu para o Dragão por 3 a 0. Desta vez o placar de 4 a 3 para o Atlético-GO veio através de uma atuação ridícula, displicente, cômica e muito preocupante. Nunca tinha visto, na história do tricolor, o time sofrer 5 ataques e 4 gols, tudo isso ainda no primeiro tempo. Não estávamos jogando contra uma das melhores equipes do campeonato, muito longe disso! O Atlético é o atual lanterna e principal candidato ao rebaixamento.

Mesmo com o gol de Ademílson, a equipe do Ney Franco terminou o primeiro tempo com uma das atuações mais vergonhosas que já presenciei.

Veio o segundo tempo e a equipe conseguiu encurralar o time goiano e marcou 2 gols - com Jadson, em cobrança de pênalti, e Rafael Tolói com um chute de fora da área. Parecia que a equipe conseguiria dar a volta por cima. Parecia...

A verdade é que esses dois gols foram em jogadas isoladas e isso apenas mascarou momentaneamente a péssima noite do São Paulo. No final, um time que só corre porque não tem talento cansou e esperou o jogo acabar de forma melancólica.

A meu ver, o sinal vermelho já pode ser aceso, pois a janela de transferências se encerrou e dificilmente a volta dos machucados ajudará a qualificar este elenco a ponto de subirmos na tabela. Volto a afirmar que os jogadores não são os maiores culpados. Eles se dedicam, porém não podem oferecer a qualidade que o São Paulo precisa. Culpa é de quem os contratou.

Conceitos

Denis – RUIM: Falhou no primeiro gol da mesma forma que no jogo contra o Vasco. Hoje se despediu de forma melancólica da equipe titular. Rogério Ceni deve voltar contra o Flamengo.
Rhodolfo – RUIM: Teve muita vontade e pouca inteligência. Muita desatenção nos 4 gols.
Toloi – RUIM: Confirmando minha impressão de zagueiro pouco confiável. Gol bonito, mas função de zagueiro é marcar e isso ele não fez.
(Rafinha) – PÉSSIMO: Imagino a situação do Ney Franco, perdendo o jogo de forma bisonha pensa: “Preciso mudar o time, torná-lo ofensivo”. Calmamente, ele olha para o banco e vê quem? Rafinha! Realmente a situação do nosso treinador é desesperadora.
Edson Silva – PÉSSIMO: Favor passar no RH assim que possível.
(Casemiro) – PÉSSIMO: Hoje, eu peso 93kg e não consigo subir mais de três lances de escada sem ter que parar para tomar água. Mesmo assim, tenho muito mais velocidade que Casemiro.
Douglas
– PÉSSIMO: Foi só elogiar sua marcação no jogo do Figueirense... Partida para ter como referência de como não ser lateral-direito.
(Rodrigo Caio) – PÉSSIMO: Melhorou a marcação pela direita, mas não acertou um cruzamento para área. Não é força de expressão! Eu mesmo contei 4 cruzamentos errados, destes apenas um foi pelo menos na direção da área.
Denílson – REGULAR: Correu, jogou firme, mas seu rendimento foi abaixo como toda a equipe.
Maicon – PÉSSIMO: Favor passar no RH assim que possível [2]
Cortez – PÉSSIMO: Uma avenida para os jogadores do Atlético-GO desfilarem.
Jadson – REGULAR: Péssimo primeiro tempo, melhor no segundo. Saldo: regular.
Ademílson – REGULAR: Torço para que esta fase atual do São Paulo não queime esse garoto que demonstra ter muito potencial.
Wiliam José
– PÉSSIMO: Tem que chorar mesmo a cada gol marcado, vai ser difícil marcar outro tão cedo.
Tec. Ney Franco – RUIM: Foi mal nesta quarta-feira por não ter conseguido manter a mesma atenção do time demonstrada no jogo contra o Figueirense. Mas com o que ele tem na mão não se pode exigir muito mais. 

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Victor Mesquita | @victor_mesquita

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Volta Olímpica > Futebol feminino: Brasil estreia com tranquilidade

Os jogos olímpicos de Londres oficialmente ainda não se iniciaram, mas uma das competições mais importantes que é o futebol já teve seu pontapé inicial hoje. E a nossa seleção brasileira feminina já estreou com um belo resultado sobre a seleção de Camarões por 5 a 0 em jogo realizado em Cardiff, no País de Gales.

O resultado foi tão bom quanto o futebol jogado pela equipe, que sofreu perigo apenas nos dez primeiro minutos de jogo. Depois dominou a partida até o fim. Os grandes destaques da partida foram Marta, Cristiane (que entrou na segunda etapa) e a goleira Ngo Ndom da seleção camaronesa. Você deve estar perguntando porque uma goleira que tomou cinco gols foi destaque de uma partida?. A resposta é simples, ela falhou em três dos cinco gols marcados pela seleção brasileira (primeiro, segundo e terceiro).

Como já foi dito, o Brasil sofreu uma pequena pressão no início do jogo, e chegou a correr riscos de gol. As garotas estavam nervosas claramente, e só um gol as acalmaria. Esse gol veio aos 7 minutos, em uma falta cobrada por Francielli. A calma veio, e com elas mais gols saíram. O segundo com a zagueira Renata Costa após cobrança de escanteio de Marta aos 10 minutos. Na primeira etapa ainda, o Brasil teve mais chances, mas não aumentou o placar. Estava faltando uma referência no ataque.

Essa referência era Cristiane que entrou no segundo tempo, e muito bem, tanto que fez a jogada que resultou no pênalti em Marta. A camisa 10 bateu mal, mas fez o gol aos 25 minutos. Cristiane deixou sua marca e fez o quarto aos 35 após belo passe de Marta, e tranquilidade para driblar a goleira. A dupla infernal não parou por aí. Aos 41 minutos Cristiane deixou 5 jogadoras para trás, inclusive a goleira, e só rolou pra Marta fechar o cachão Camaronês.

O Brasil lidera seu grupo, o Grupo E devido aos 5 gols de saldo. A anfitriã Grã-Bretanha venceu por 1 a 0 a seleção da Nova Zelândia e está logo atrás do Brasil.

Conceitos

Andréia - REGULAR: Ao meu ver possui uma baixa estatura, o que a atrapalha nas horas em que tem que sair do gol. Essas saídas do gol foram bem inseguras hoje como de costume.
Bruna - REGULAR: Subiu aos ataques algumas vezes, e pouco trabalhou atrás.
Érika - REGULAR: Pouco trabalhou, mas quando precisou teve eficiencia.
Renata Costa - BOM: Pouco trabalhou também. Fez o segundo gol da partida.
Fabiana - BOM : Subiu com qualidade ao ataque, jogou como ala. Participou da jogada do pênalti.
Francielli - BOM: Fez o primeiro gol, e marcou muito bem.
(Daiane Bagé) - SEM CONCEITO: Entrou próximo ao fim do jogo.
Formiga - BOM: Ela marca muito bem e hoje não foi diferente. É muito experiente.
(Grazielli) - SEM CONCEITO: Entrou próximo ao fim.
Éster - BOM: Pouco se fala nela, mas joga muito bem. Conseguiu marcar e chegar ao ataque com eficiência.
Maurine - REGULAR: Errou muitos passes, mas chegou à frente com certa eficiência. Marcou muito bem o lado esquerdo do campo.
Marta - ÓTIMO: Fez dois gols, participou dos outros três. Nem precisa comentar nada.
Thaísinha - RUIM: Joga bem demais, mas hoje só errou passes e dribles. Provavelmente perdeu sua vaga de títular.
(Cristiane) - ÓTIMO: Entrou e mudou a cara do ataque. Fez um belo gol e belas jogadas.
Téc. Jorge Barcellos - BOM: Colocoi a Cristiane na hora certa. Montou um esquema tático (3-5-2) muito bom para a seleção.

Outros jogos

Atual campeã olímpica, a equipe dos Estados Unidos venceu a França de virada por 4 a 2. A Coreia do Norte venceu a Colômbia por 2 a 0. A atual campeã mundial Japão venceu o Canadá por 2 a 1 e a Suécia venceu a África do Sul por 4 a 1.

Próximos jogos

Grã-Bretanha x Brasil
Camarões x Nova Zelândia
Japão x Suécia
Africa do Sul x Canadá
Estado Unidos x Colômbia
França x Coréia do Norte

Gafe

Os jogos olímpicos mal começaram e já tivemos uma grande gafe. O telão do estádio do jogo entre Coreia do Norte e Colômbia mostrou o nome de uma jogadora asiática ao lado da bandeira sul-coreana (foto). Para quem não sabe, as Coreias possuem uma grande rivalidade política, e o episódio deixou a delegação norte-coreana extremamente nervosa. A equipe se recusava a jogar a partida.

O WO não ocorreu e a partida se iniciou com uma hora de atraso. O comitê organizador das olímpiadas já pediu desculpas à delegação da Coreia do Norte.

Fotos: Terra e AP

_____________________________________

* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e confira a cobertura completa dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.


por Fernando Borchio
| fernando.borchio@hotmail.com

 

terça-feira, 24 de julho de 2012

Paddock da Redação > Após uma agradável corrida, surge o favorito

O GP da Alemanha talvez tenha sido o melhor da temporada até agora. Com diversas brigas por posições dentro da pista, principalmente no pelotão da frente. Ao seu final a corrida apresentou o primeiro favorito a conquista do mundial de pilotos, Fernando Alonso (foto).

O piloto espanhol liderou a prova de ponta a ponta, não dando esperança aos seus rivais e conquistou a terceira vitória na temporada (a segunda nas últimas três corridas), consolidando-se como principal candidato a conquistar o título de melhor piloto da temporada no final no ano.

Em uma temporada marcada pelo equilíbrio entre as principais escuderias, Ferrari, McLaren e Red Bull, o que tem feito a diferença é o talento individual de Alonso. Que levou a equipe italiana a ter performances consistentes nas ultimas provas, apesar de um começo de campeonato nada animador.

Outro ponto muito interessante na etapa alemã foi a constante troca de posições entre Jason Button e Sebastian Vettel pelo segundo lugar. A disputa gerou até a polêmica decisão de punir o piloto da Red Bull com 20 segundos por ele ter usado uma área externa na pista para ultrapassar o piloto inglês.

Em minha opinião essa punição foi injusta, pois na disputa da curva, aquela era a única saída que Vettel poderia ter feito para evitar a colisão com o piloto da McLaren sem que saísse prejudicado da disputa. Acredito que o mais correto seria a comissão de prova ter mantido o resultado alcançado em pista, e você?

A decepção ficou novamente por conta dos pilotos brasileiros. Tanto Felipe Massa quanto Bruno Senna tiveram um fim de semana aquém do esperado. Além de largarem em posições intermediárias no grid, 13º e 14º respectivamente, eles não tiveram forças para lutar por melhores posições na corrida. O que pode prejudicar a presença de ambos na próxima temporada da categoria.

GP da Alemanha - Classificação final

1º - Fernando Alonso (ESP) Ferrari - 1h31m05s862
2º - Jenson Button (GBR) McLaren-Mercedes - a 6s949
3º - Kimi Raikkonen (FIN) Lotus-Renault - a 16s409
4º - Kamui Kobayashi (JAP) Sauber-Ferrari - a 21s925
5º - Sebastian Vettel (ALE) Red Bull-Renault - a 3s732
6º - Sergio Perez (MEX) Sauber-Ferrari - a 27s896
7º - Michael Schumacher (ALE) Mercedes - a 28s960
8º - Mark Webber (AUS) Red Bull-Renault - a 46s900
9º - Nico Hulkenberg (ALE) Force India-Mercedes - a 48s162
10º - Nico Rosberg (ALE) Mercedes - a 48s889
12º - Felipe Massa (BRA) Ferrari - a 1m11s428
17º - Bruno Senna (BRA) Williams-Renault - a uma volta

Próxima etapa: Hungria

Diferente do que tem ocorrido na parte europeia do calendário, a próxima corrida acontece no final de semana subsequente à corrida realizada, sem a tradicional semana de folga. Programado para o próximo domingo, o GP da Hungria tem tudo para ser uma das corridas mais entediantes do ano.

Se o seu traçado é tão travado e com poucos pontos de ultrapassagem como Mônaco e Valência, desta vez não há o fator cenário para deixa a corrida mais atraente. Na corrida do leste europeu, será mais do que importante uma boa classificação e uma estratégia perfeita de boxes para que aconteça alguma emoção na disputa.

Será a oportunidade de vermos se Fernando Alonso fará mais uma corrida fantástica e consolidará o bom momento vivido pela equipe italiana e, se o líder do campeonato conseguirá aumentar sua vantagem para os demais competidores. Não perca, domingo às 9h, GP da Hungria. Será que Fernando Alonso vai aumentar sua supremacia? Façam suas apostas.

Mundial de Pilotos - Classificação

1º Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 154
2º Mark Webber (AUS/Red Bull) 120
3º Sebatian Vettel (ALE/Red Bull) 110
4º Kimi Raikkonen (FIN/Lotus) 98
5º Lewis Hamilton (ING/McLaren) 92







* A coluna Paddock da Redação traz bastidores e análises da Fórmula 1, a principal categoria de automobilismo do mundo.

por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Comentário da Redação > Adeus zona da degola!

Com um futebol muito bem jogado, o Palmeiras venceu a equipe do Náutico neste domingo por 3 a 0 na Arena Barueri. O resultado positivo tirou a equipe da zona do rebaixamento do Brasileirão finalmente.

Um grande fator que ajudou o time a ter o bom desempenho foi a volta de peças muito importantes como Valdívia e Henrique. A equipe também teve Obina como títular, um bom atacante de referência que conseguisse fazer a "parede" para a chegada do companheiros e que prendesse a bola (coisa que o Betinho não sabia fazer). Outro destaque foi o futebol leve e alegre do Verdão. Parece que o título da Copa do Brasil fez muito bem para os jogadores.

A primeira etapa foi de domínio palmeirense. O clube começou muito bem e logo no inicio Obina já fez um gol, porém foi anulado (muito bem anulado). Valdívia teve duas boas chegadas só que parou no goleiro. Aos 17 minutos o Verdão abriu o placar com Obina e aumentou com Mazinho aos 29. Lá atrás o sistema defensivo se mostrou muito bem. A bola mal passava pelos zagueiros, mas quando passava, Bruno em ótima fase fazia boas defesas.

A etapa final foi bem morna, o Palmeiras logo matou o jogo fazendo o terceiro gol aos 7 minutos. Após chute na trave de Obina, Márcio Araújo pegou o rebote e só empurrou para as redes. É claro, quando se trata de Palmeiras, sempre temos que tomar uns sustos por mais fraco que seja o time adversário. O Náutico assustou um pouco da metade da segunda etapa até o fim, mas a vitória foi confirmada. Este resultado positivo foi o mais tranquilo desde aquela vitória por 4 a 0 contra o Paraná na Copa do Brasil há uns três meses e meio atrás

Na próxima rodada o Palmeiras recebe o Bahia na Arena Barueri. Se vencer pode de vez sair do perigo do rebaixamento. O time poderá contar com Barcos que que volta da cirurgia do apêndice. Felipão vai ter a famosa "dor de cabeça" que todo treinador quer ter pra escalar ou Obina ou Barcos.

Conceitos


Bruno - ÓTIMO: Muito seguro mais uma vez, fez ótimas defesas em ambas as etapas.
Cicinho - RUIM: Foi o pior do time. Pouco apoiou e deixou buracos. Saiu machucado.
(Artur) - BOM: Fez o que sabe fazer de melhor que é marcar.
Leandro Amaro - REGULAR: Tirou as bolas de perigo. Fez o feijão com arroz.
Wellington - BOM: Muito tranquilo e soberano na bola o tempo todo. É novo e parece ter grande talento. Pode ter um ótimo futuro dentro do Palmeiras.
Juninho - REGULAR: Apoiou no ataque. mas foi bastante apagado em grande parte do jogo. Não atrapalhou em nada.
Henrique - BOM: Encontrou sua nova posição no futebol. Tomou conta do meio de campo sem dúvidas
Márcio Araújo - BOM: Fez uma partida que a muito tempo não via ele fazer. Parou o meio campo do adversário nas horas decisivas do jogo e fez o terceiro gol após bela arrancada.
João Vitor - BOM: Marcou e ajudou criar. Deu um lindo passe para o Obina no primeiro gol. Está com a confiança em alta.
Valdívia - BOM: Fez o que tinha que fazer, criar. Após o jogo deixou em dúvida sua permanência ou não no time.
(Daniel Carvalho) - REGULAR: Apareceu em alguns lances de destaque. Pode dar muito mais pro time.
Mazinho - BOM: Segurou sem dúvidas seu lugar na equipe. Fez o segundo gol e está a cada rodada ganhando mais carinho e respeito da torcida. Vestiu a camisa do Palmeiras e não sentiu o peso dela.
Obina - ÓTIMO: O melhor em campo, sem dúvidas. Acabou com o jogo, fazendo o primeiro gol e participando dos outros dois diretamente.
(Betinho) - REGULAR: Muito esforçado como sempre, mas sem a técnica.
Téc. Felipão - BOM: Soube escalar a equipe muito bem.

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

Clinch > UFC 149: Barão mantém série invicta e conquista cinturão interino

Impecável. Assim foi a atuação de Renan Barão (foto) no UFC 149. Diante de Urijah Faber o potiguar dominou os cinco rounds. O plano de luta traçado pela equipe foi ótimo. Barão é melhor lutando em pé e no jiu jitsu, mas poderia ter dificuldades com o wrestling e ground and pound do americano.

Desde o início lutando na média distância ele manteve o americano afastado, e quando Faber tentava encurtar levava algum golpe de encontro, frustrando suas expectativas. As defesas de queda também estavam em dia, assim o americano não conseguiu levar a luta para o chão.

Em pelo menos dois momentos Barão acertou boas sequências que desestabilizaram o adversário, mas o nocaute não veio. Ao final dos cinco rounds o potiguar já comemorava muito, sabendo da sua vitória. Após o anúncio de Bruce Buffer a comemoração foi completa, e, diga-se de passagem, merecida.

Na entrevista final, Faber já dizia que após uma joelhada no segundo round ele achava que tinha fraturado a costela, e após radiografia a lesão foi confirmada. Mas ele é um grande atleta, reconheceu a superioridade do brasileiro, e saiu de cabeça erguida.

Sobre o campeão interino dos pesos galo, só basta reverenciá-lo. O lutador é dono da maior série invicta atual no MMA, agora com 32 combates. Dominick Cruz que se cuide, pois o brasileiro tem tudo para unificar os cinturões em breve.

Card principal decepciona

Duas lutas eram cercadas de expectativas. Os pesos pesados Shawn Jordan e Cheick Congo são strikers natos. Mas para quem esperava nocaute, teve de aguentar uma luta amarrada, em que o experiente francês venceu por decisão unânime, sem convencer o público que vaiou o combate.

Já o estreante, que veio para furar a fila do title shot dos pesos médios, Hector Lombard, parece ter sentido a pressão. Ele era campeão do Bellator e estava invicto há 6 anos (25 lutas). Só que contra Tim Boetsch ele não conseguiu impor seu jogo, aliás, nenhum dos dois impôs jogo nenhum. Foi outra luta muito fraca. No final, a vitória poderia ir para qualquer lado, e os juízes em decisão dividida escolheram o americano Boetsch. Outra luta muito vaiada pelo público.

Nocaute em sete segundos empolga o público canadense

A estreia de incrível de Ryan Jimmo no UFC rendeu a ele um prêmio de US$ 65 mil (o equivalente a cerca de R$ 130 mil). O canadense levou o bônus de "Nocaute da Noite" por sua vitória no primeiro golpe, em apenas sete segundos, sobre o australiano Anthony Perosh.

Matt Riddle, que derrotou Chris Clements com um kata-gatame aos 2m01s do terceiro round, levou o prêmio de "Finalização da Noite". Já o duelo entre Bryan Caraway e Mitch Gagnon, vencido pelo primeiro por finalização a 1m39s do terceiro assalto, foi escolhido como "Luta da Noite".

Resultados do UFC 149:

CARD PRINCIPAL
Renan Barão venceu Urijah Faber por decisão unânime dos jurados
Tim Boetsch venceu Hector Lombard por decisão dividida dos jurados
Cheick Kongo venceu Shawn Jordan por decisão unânime dos jurados
James Head venceu Brian Ebersole por decisão dividida dos jurados
Matt Riddle venceu Chris Clements por finalização aos 2m01s do terceiro round

CARD PRELIMINAR
Nick Ring venceu Court McGee por decisão unânime dos jurados
Francisco Rivera venceu Roland Delorme por nocaute aos 4m19s do primeiro round
Ryan Jimmo venceu Anthony Perosh por nocaute aos 7s do primeiro round
Bryan Caraway venceu Mitch Gagnon por finalização a 1m39s do terceiro round
Antonio Pato venceu Daniel Pineda por nocaute a 1m11s do primeiro round
Anton Kuivanen venceu Mitch Clarke por decisão dividida dos jurados

Foto: Getty Images

Quer ganhar uma camiseta de jiu jitsu da Ramuaii? Clique aqui e participe da nossa promoção no Facebook!
_____________________________________


* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.

por Fernando Pilat
| @fernandopilat

Comentário da Redação > Evolução tricolor

A vitória do São Paulo neste domingo contra o Figueirense, por 2 a 0, mostrou uma nítida evolução da equipe, principalmente na marcação. Lógico que estamos muito longe do ideal, mas de 0 para 1 já significa evolução.

Ter achado um gol no comecinho do jogo, não só corou a estréia como titular do promissor Ademílson, como ajudou a dar calma para o São Paulo por em prática o novo esquema e marcação pressão, anunciada durante a semana pelo Ney Franco.

Porém, o que mais ajudou mesmo foi o fraco adversário que não conseguiu construir nenhuma jogada de perigo e ainda teve um jogador expulso no segundo tempo.

No final, depois de várias tentativas fracassadas, o São Paulo conseguiu roubar a bola e encaixou um contra ataque fulminante finalizado por Wilian José.

O saldo é que, apesar dos vários desfalques, melhoramos um pouco na marcação e ainda estamos muito mal no setor de criação. Mas, para esse elenco, que segundo a diretoria são-paulina, não precisa de reforços, não podemos exigir muito mais. Só resta torcer que essa evolução, por mais que pequena, seja contínua.

Conceitos


Denis – REGULAR: Mero espectador da partida.
João Filipe – RUIM: Como gosta de dar sustos na torcida! Foi bem substituído, por precaução do Ney Franco, depois de levar o amarelo.
(Edson Silva) – RUIM: Entrou no lugar do amarelado João Filipe e recebeu cartão amarelo na sua primeira jogada.
Toloi – BOM: Jogando na sobra dos três zagueiros não deu sustos. Fez bem seu papel.
Rhodolfo – BOM: Muito firme na marcação e cobrando os companheiros. Boa partida.
Douglas – BOM: Como cresceu seu futebol no esquema com três zagueiros! Realmente ele é um ala e não um lateral.
Maicon – RUIM: Muitos passes errados, não ajudou na criação e não tem muita força para marcar. Saiu machucado no segundo tempo.
(João Shimitd) – REGULAR: Entrou no lugar do Maicon e foi um pouco melhor.
Denílson – BOM: Boa partida. Muito seguro na marcação e sempre bem posicionado na frente da zaga. Mais um que cresceu com o novo esquema. Tarja de capitão lhe caiu bem.
Cortez – REGULAR: Melhorou por ter mais liberdade para atacar, mas pode render mais ofensivamente.
Jadson – RUIM: Prendeu muito a bola, errou passes importantes em contra-ataques e não conseguiu ser a solução na criação do São Paulo.
Ademilson – Bom: Mostrou estrela no primeiro gol. Nas poucas bolas que recebeu demonstrou talento. Saiu machucado após entrada criminosa do zagueiro do Figueirense.
(Rafinha) – RUIM: Esforçado atacante que não tem a menor condição de vestir a camisa do São Paulo.
Wilian José – REGULAR: Não conseguiu prender a bola no ataque nas poucas bolas que recebeu. De qualquer forma, deixou o dele no ultimo lance da partida.
Tec. Ney Franco – REGULAR: Conseguiu melhorar um pouco a equipe. É verdade que tem um elenco limitadíssimo nas mãos e é certo também que precisará de tempo para desenvolver seu trabalho no São Paulo, principalmente por causa dos desfalques. Será que terão paciência?

Foto: Agência Estado

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Victor Mesquita | @victor_mesquita

sábado, 21 de julho de 2012

Clinch > Pré-Hora: UFC 149

O UFC 149 está chegando. Ele ocorrerá neste sábado (21/07) em Alberta, no Canadá, e terá como luta principal a disputa de cinturão interino do peso galo entre o Americano Urijah Faber e o brasileiro Renan Barão. Pra quem não entende, a disputa será interina, pois o campeão Dominick Cruz lesionou o joelho e só voltará ano que vem. Dana White faz isso para que a categoria não fique parada e tenha um campeão. Quando o campeão voltar, terá uma luta entre ele e o campeão interino pela unificação do cinturão.

O confronto entre Faber e Barão que promete, pois ambos os atletas são muito técnicos. Na parte em pé ambos são muito bons, mas vejo uma pequena vantagem para Faber. No chão ambos são muitos bons também, só que aí vejo uma pequena vantagem para o Renan, que é faixa preta de Jiu-Jitsu do Dedé Pederneiras (um dos melhores treinadores de MMA que existe e também treinador de José Aldo).

O fator que poderá prevalecer na luta é a experiência de Urijah Faber, que é ex-campeão peso pena do WEC (e na época perdeu o cinturão pro José Aldo que o massacrou). Renan Barão vem de um belo cartel de 28 vitórias e 1 derrota que foi na primeira luta de sua carreira. Ele está em uma ótima fase.

O confronto será bem disputado mas vejo uma pequena vantagem de Faber. Mas não quero dizer que Barão vai perder. Se o Barão vencer, o Brasil voltará a ser ao lado dos Estados Unidos o grande país do MMA e ambos terão quatro campeões. Se Faber vencer o país norte-americano será o grande soberano.

Outras lutas


O UFC 149 contará também com outra duas boas lutas. O ex-campeão do Bellator Héctor Lombard enfrentará Tim Boetsch. Lombard é um Cubano que chegou ao UFC como uma grande estrela, e se vencer poderá entrar na lista de prováveis adversários de Anderson Silva.

O outro bom combate será entre Cheick Congo e Shwan Jordan. Jordan está substituindo Minotauro que inicialmente estava escalado pra enfrentar Congo, porém sua lesão no ombro não havia se curado totalmente e o brazuca preferiu se resguardar um pouco. Como a luta será entre pesos pesados, há uma grande chance de vemos um nocaute. Congo ao meu ver leva um favoritismo.

UFC 149 Card:

CARD PRINCIPAL
Urijah Faber vs Renan Barão - Cinturão interino Peso Galo
Hector Lombard vs Tim Boetsch - Peso Médio
Cheick Kongo vs Shawn Jordan - Peso Pesado
James Head vs Brian Ebersole - Peso Meio-Médio
Chris Clements vs Matt Riddle - Peso Meio-Médio

CARD PRELIMINAR
Court McGee vs Nick Ring - Peso Medio
Roland Delorme vs Francisco Rivera - Peso Galo
Ryan Jimmo vs Anthony Perosh - Peso Meio-Pesado
Bryan Caraway vs Mitch Gagnon - Peso Galo
Antonio Carvalho vs Daniel Pineda - Peso Pena
Mitch Clarke vs Anton Kuivanen - Peso Leve

Onde Assistir:
Canal Combate (Paw-Per-View) a partir das 19:45


______________________________________
* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.

por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com