Mudou!

O Redação do Esporte mudou de hospedagem! Acesse nosso conteúdo atualizado em: www.redacaoesporte.com.br

sábado, 31 de outubro de 2009

Campeonato Brasileiro > São Paulo supera Barueri no Morumbi e volta à liderança provisória

* Tricolor marca logo no começo e sofre para vencer o adversário em casa

O São Paulo vai dormir mais uma noite na liderança do Campeonato Brasileiro pela segunda vez esta semana. O time venceu o Barueri por 1 a 0, na noite deste sábado, no Morumbi. O visitante, que viveu dias de polêmica por causa de uma suposta oferta de "mala branca" pela vitória sobre o Flamengo, na rodada passada, deu muito trabalho, mas não conseguiu atrapalhar a vida do Tricolor, que teve o apoio da torcida.

Com o resultado, o anfitrião chegou a 58 pontos e a primeira posição, mas pode ser ultrapassado neste domingo pelo Palmeiras, que tem 57 pontos e encara o Corinthians em Presidente Prudente. O visitante segue com 44 pontos, na 12ª colocação. Na próxima rodada, o Tricolor encara o Grêmio no Olímpico, na quarta-feira, e o Barueri recebe o Internacional, no domingo da próxima semana (dia 8).

Torcida tricolor comparece e vê gol logo no início

O elenco pediu, e a torcida tricolor atendeu. Quase 40 mil torcedores estiveram no Morumbi para apoiar o São Paulo. Mas o primeiro grande lance foi do visitante. Aos três minutos, após um cruzamento, André Luiz bateu no cantinho, e Rogério Ceni fez uma grande defesa no chão. A massa são-paulina, no entanto, nem teve tempo de temer o oponente: aos quatro, Hernanes cruzou na área, a zaga tentou tirar e a bola sobrou para Jorge Wagner, que com um chute preciso, estufou a rede: 1 a 0 para o anfitrião.

O gol deu ainda mais tranquilidade ao São Paulo, que tinha mais posse de bola. Mais fechado, o Barueri conseguia chegar ao campo de ataque com bolas longas, mas também não tinha sucesso diante da defesa tricolor. O dono da casa tentava aumentar o placar: aos 11, Zé Luis achou Washington na entrada da área. O camisa 9 arriscou um cruzamento para Dagoberto, que chegava pela esquerda, mas Márcio tirou o perigo ao fazer uma ponte.

Aos 21, Washington teve a chance de ampliar, mas perdeu um gol incrível e fez Márcio aparecer para os flashes. O atacante recebeu uma bola enfiada de Hernanes e chegou na cara do goleiro, mas chutou em cima do camisa 1, que espalmou e depois foi catar a bola. A torcida não se conformava.

Zé Luis, que ganhou uma chance na lateral direita justamente para manter o São Paulo mais fechado, precisou ser substituído. Ele estava fazendo uma boa partida, mas sentiu uma fisgada na virilha esquerda e deu lugar a Adrián González.O São Paulo seguiu mais ofensivo do que o adversário, mas não tanto como a torcida esperava. E o Barueri seguia apostando nas bolas longas, mas ainda pecava na conclusão.

O Barueri adiantou a marcação e conseguiu assustar mais o anfitrião. Aos 42, após um cruzamento, Willian José tentou de cabeça, mas a bola saiu perto da trave esquerda de Ceni. E o São Paulo teve outra chance clara, mas novamente errou a pontaria. Washington entrou na área e chutou torto. Dagoberto ainda tentou alcançar a bola e depois cobrou o companheiro de ataque, que pediu desculpas por não ter visto o camisa 25.

Barueri tenta tudo, mas Tricolor segura a vitória

Na volta para o segundo tempo, o Barueri escalou mais um atacante: Otacílio Neto. Mas o dono da casa resolveu pressionar mais. Logo aos dois minutos, González cruzou tentando achar Washington, e Márcio espalmou para a frente. Em seguida, Dagoberto arriscou o chute da entrada da área com o goleiro já vencido, mas a bola, caprichosamente, acertou a trave esquerda. A torcida são-paulina se inflamou com a jogada.

Aos sete, Otacílio Neto caiu na área em uma disputa de bola com Renato Silva em um lance polêmico. O árbitro não entendeu que houve o pênalti. O atacante, que acabara de entrar, estava com tanta vontade que, aos 11, chutou uma bola com muita força, e esta acertou o rosto de Renato.

O São Paulo conseguia criar, mas também seguia mal na conclusão. A bola alta era outro recurso bastante usado, principalmente na busca por Washington, que tentou duas vezes de cabeça, sem sucesso. Alguns erros de passe do Tricolor também eram aproveitados pelo Barueri, que de vez em quando dava trabalho para a defesa anfitriã.

Outra baixa para Ricardo Gomes: Hernanes passou a sentir dores após um choque e precisou ser substituído por Arouca. Enquanto isso, o Barueri ficava cada vez mais ofensivo. Cleverson entrou para ajudar o time a empatar. Impaciente com os problemas de conclusão, parte da torcida começou a pedir Borges aos 37 minutos. E foi prontamente atendida. Gomes colocou o camisa 17 no lugar do Coração Valente.

Borges teve uma ótima chance aos 43, ao receber sozinho de Dagoberto e bater, mas Márcio espalmou e evitou o gol. Depois, o jogador não teve muito mais tempo para tentar algo. E o placar, construído nos primeiros minutos da partida, persistiu. A torcida foi embora mais uma vez aos gritos de "o campeão voltou".

Ficha técnica
SÃO PAULO 1 x 0 BARUERI
Rogério Ceni, Renato Silva, André Dias e Miranda; Zé Luis (Adrián González), Jean, Hernanes (Arouca), Jorge Wagner e Junior Cesar; Dagoberto e Washington (Borges). Márcio, Xandão (Cleverson), André Luiz e Leandro Castan; Bruno Ribeiro (Otacílio Neto), Ralf, João Vitor (Eder), Ewerton e Márcio Careca; Thiago Humberto e Willian José.
Técnico: Ricardo Gomes. Técnico: L. Carlos Goiano.
Gols: Jorge Wagner, aos quatro minutos do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Miranda (São Paulo); Leandro Castan e André Luiz (Barueri).

Estádio: Morumbi. Data: 31/10/2009. Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP) Auxiliares: Giovani Cesar Canzian (SP) e Anderson Jose de Moraes Coelho (SP). Renda e público: R$ 1.017.980,00/39.636 pagantes


Fonte: Globo.com


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro > Bruno defende dois pênaltis, e Flamengo vence o Santos

* Gol solitário de Adriano faz o rubro-negro dormir na liderança

Por duas vezes, Paulo Henrique Ganso teve a chance, em cobranças de pênalti, de estragar a festa dos 80 mil rubro-negros presentes ao Maracanã. Em ambas, porém, encontrou uma muralha no caminho: Bruno. O goleiro virou herói da sofrida vitória do Flamengo por 1 a 0 sobre o Santos, na noite deste sábado.

O gol que garantiu o triunfo foi marcado por Adriano, no início do primeiro tempo. O resultado deixa o time carioca no G-4, pelo menos até o fim da rodada de domingo. O Fla dorme na terceira colocação, com 54 pontos. Com quase nada a perder ou ganhar no campeonato, o Santos está em 13º lugar, com 43 pontos.

Cabeçada imperial

Um mosaico reproduzindo o segundo uniforme do time iniciou a noite nas arquibancadas. Excessivamente recuado, o Santos chamou os mandantes para o jogo e tomou um castigo instantâneo. Os parceiros de quarto, Léo Moura e Adriano, colocaram em prática as jogadas ensaiadas nos treinos. O lateral cruzou, e o Imperador cabeceou colocado, no canto esquerdo de Felipe, aos seis minutos, para abrir o placar.

Em uma das raras tentativas dos paulistas no início do jogo, Aírton puxou Adaílton na área. O árbitro pernambucano Nielson Dias assinalou pênalti, aos 20. Paulo Henrique Ganso cobrou no canto esquerdo. Bruno saltou e defendeu sem dar rebote. A torcida foi ao delírio.

A correria de Zé Roberto e Willians contrastava com o desinteresse de alguns jogadores santistas. Dúvida até a véspera da partida, Petkovic teve atuação discreta no primeiro tempo. No melhor lance, cobrou falta lateral e Felipe espalmou.

Bruno, de novo, vira mago nos pênaltis

No segundo tempo, Vanderlei Luxemburgo trocou duas peças. Saíram Triguinho e Rodrigo Mancha e entraram Léo e Felipe Azevedo, respectivamente. O time melhorou e jogou o tédio para escanteio. Felipe Azevedo chutou de fora da área e assustou Bruno. O mesmo jogador driblou dois rubro-negros e quase empatou, aos dez. A bola passou rente à trave direita.

Em um hiato entre os lances de perigo dos paulistas, Adriano arrancou quase do meio-campo, entrou na área, mas bateu em cima de Felipe, que salvou com a perna esquerda. Em outra oportunidade semelhante, aos 17, o camisa 10 rubro-negro recebeu lindo passe de Aírton, avançou e chutou muito forte na trave direita de Felipe.

Quando a partida parecia controlada, o árbitro pernambucano deu outro pênalti. Dessa vez de Álvaro em André. Novamente Paulo Henrique Ganso assumiu a responsabilidade. Ele cobrou no meio, e Bruno esticou os pés para salvar. Mesmo eufórica pela nova defesa, a torcida virou-se contra o árbitro.

Esse foi o quarto pênalti consecutivo contra o Flamengo desperdiçado. Os outros foram na partida contra o Palmeiras (Vagner Love chutou para fora) e no clássico contra o Botafogo (Bruno espalmou a finalização de Lucio Flavio). Madson, aos 38, fez ótima jogada pela ponta esquerda e cruzou para a área. Com o gol aberto, André se esticou, mas não alcançou.

No fim, apesar da vitória, a torcida, em vez de comemorar, preferiu ofender o árbitro Nielson Dias. Na próxima rodada, o Flamengo visita o Atlético-MG, domingo, no Mineirão. Um dia antes o Santos recebe o Náutico, na Vila Belmiro.

Ficha técnica
Data: 31/10/2009 (sábado)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Auxiliares: Luciano José Coelho Cruz (PE) e Jossemar José Diniz Moutinho (PE)
Público/Renda: 77.063 (pagantes) e 80.560 presentes - Renda: R$ 1.500.110,00
Cartões amarelos: Maldonado, Ronaldo Angelim, Álvaro e Leonardo Moura (F); Triguinho, Adailton, Leo e Germano (S)
Gol: Adriano, aos 6 minutos do primeiro tempo.

FLAMENGO: Bruno; Leonardo Moura, Álvaro, Ronaldo Angelim e Juan; Airton, Maldonado, Willians (Toró) e Petkovic (Fierro); Zé Roberto (Welinton) e Adriano.
Técnico: Andrade

SANTOS: Felipe; Pará, Eli Sabiá, Adailton e Triguinho (Léo); Rodrigo Souto, Germano, Rodrigo Mancha (Felipe Azevedo) e Paulo Henrique Ganso; Jean (Madson) e André.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo


Avaí bate o Furacão

Em confronto direto na luta por uma vaga na Copa Sul-Americana do ano que vem, o Avaí confirmou sua força em casa e bateu o Atlético-PR sem muita dificuldade neste sábado, por 2 a 0. Com o resultado, o time de Santa Catarina assume a nona colocação no Brasileirão, com 47 pontos. Já o Atlético, fica na 14ª colocação, com 40 pontos, e ainda não está totalmente fora da briga contra o rebaixamento.

A partida, disputada em ritmo lento, foi salva pelo golaço de bicicleta do atacante Willian, no segundo tempo. O outro gol do Avaí foi marcado pelo Rogélio, no começo do primeiro tempo. Na próxima rodada, o Avaí enfrenta o Vitória, sábado, no Barradão. Já o Furacão recebe o Goiás, no domingo.

Fontes: Globo.com e Uol


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Série B > Empate com o Fortaleza e vitória dos rivais adia volta do Vasco à Série A

* Cariocas sentem o forte calor do Ceará e não conseguem superar o rival: 1 a 1

O Vasco empatou com o Fortaleza em 1 a 1, na tarde deste sábado, no Castelão, pela 33ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, e adiou mais um pouco seu retorno à elite do futebol nacional. Aliado a isso, o time cruzmaltino "não foi ajudado" por Brasiliense e Guarani, que foram derrotados por Figueirense e Portuguesa, respectivamente.

Porém, o líder da competição, com 67 pontos, agora está a apenas uma vitória de carimbar sua vaga no Brasileirão 2010. A festa do Vasco pode acontecer no Maracanã, onde o time enfrenta o Juventude na próxima rodada. Já o Fortaleza chegou a 33 pontos, caiu para o penúltimo lugar e pode terminar a rodada na lanterna.

Os gols da partida só saíram no segundo tempo. Logo aos sete minutos, o time da casa abriu o marcador. Dedé fez ótima jogada e tocou para Bismark já dentro da área. O meia passou por Titi e chutou sem defesa para Fernando Prass. O lance originou uma áspera discussão entre o volante Amaral e o atacante Elton, que quase brigaram dentro de campo.

Porém, três minutos depois, o Cruzmaltino chegou ao empate, acalmou os ânimos e freou o ímpeto dos cearenses. A partir daí, o Vasco passou a ter mais posse de bola. Mas, talvez sabendo que não subiria matematicamente nesta rodada e satisfeito com o empate, a equipe carioca relaxou.

O Fortaleza, que precisava da vitória a qualquer custo, fez de tudo pelo segundo gol, só que a pontaria de seus jogadores não ajudou muito e terminou mesmo com o empate por 1 a 1.

Lusa derrota o Guarani e encosta no G-4

A Portuguesa se recuperou em grande estilo da humilhante goleada sofrida para o ameaçado América-RN. Foi até Campinas, "ignorou" o fato de atuar diante do vice-líder Guarani e derrotou o rival por 3 a 0, na tarde deste sábado. Com o resultado, a Lusa vai a 54 pontos e fica com apenas dois pontos a menos que o Atlético-GO, o último dos que hoje estariam classificados para a elite.

Apesar do vexame dentro de casa, o Guarani permanece em segundo, com 62 pontos. No próximo sábado, fará um duelo direto pelo acesso. Irá até o Serra Dourada para enfrentar o Atlético-GO. Coincidentemente, poderá "ajudar" seu algoz deste sábado. Já a Portuguesa vai receberá o ABC no Canindé, na próxima terça-feira.

O time da casa era o Guarani, mas foi a Portuguesa que procurou o ataque desde o começo do jogo e fez um primeiro tempo arrasador. Logo aos 11min, Zé Carlos cruzou para Fellype Gabriel marcar o primeiro da Lusa. Aos 23min, Zé Carlos recebeu lançamento de Ygor e com muita tranquilidade tocou na saída de Douglas.

Apenas quatro minutos depois a Lusa anotou seu terceiro, novamente com Fellype Gabriel, que tocou com classe por cima de Douglas. Apesar do placar, a Lusa voltou atenta e deu poucos espaços para o Guarani, que, na base do desespero, tentou diminuir o prejuízo, mas não conseguiu. No final, Caíque (Guarani) e Fábio, goleiro reserva da Portuguesa, receberam cartão vermelho.

Figueira goleia e também cola no G-4

O Figueirense segue vivo na disputa pelo acesso à Série A do Brasileirão em 2010. Neste sábado, o time catarinense foi ao Distrito Federal, onde enfrentou o Brasiliense, e se deu bem. Com gols do artilheiro da Série B Rafael Coelho, do lateral-esquerdo Egídio e do meia Fernandes, o Alvinegro goleou o Jacaré por 4 a 0, pela 33ª rodada da Segundona.

Com o resultado, o Figueirense chegou a 54 pontos, dois a menos que o Atlético-GO, quarto colocado, com 56. Já o Brasiliense, que não aspira mais nada na competição, segue em 13º, com 41 pontos.

Resultados
27/10 Bragantino 2 x 1 América-RN
27/10 Juventude 0 x 1 Bahia
30/10 Ipatinga 0 x 0 Ceará
30/10 D. de Caxias 5 x 1 Atlético-GO
30/10 Vila Nova 3 x 2 Ponte Preta
31/10 Guarani 0 x 3 Portuguesa
31/10 Campinense 2 x 1 São Caetano
31/10 Brasiliense 0 x 4 Figueirense
31/10 Fortaleza 1 x 1 Vasco

Jogo a ser realizado:
31/10 21h ABC
x
Paraná

Classificação
Time PG J V E D GP GC SG (%)
1 Vasco 67 33 19 10 4 53 24 29 68
2 Guarani 62 33 19 5 9 47 41 6 63
3 Ceará 60 33 17 9 7 47 27 20 61
4 Atlético-GO 56 33 17 5 11 62 46 16 57
5 Figueirense 54 33 17 3 13 57 44 13 55
6 Portuguesa 54 33 16 6 11 48 41 7 55
7 Bragantino 49 33 14 7 12 47 43 4 49
8 Ponte Preta 49 33 13 10 10 56 44 12 49
9 São Caetano 45 33 13 6 14 46 34 12 45
10 Paraná 45 32 13 6 13 41 49 -8 47
11 Vila Nova-GO 45 33 13 6 14 37 51 -14 45
12 Duque de Caxias 43 33 12 7 14 45 50 -5 43
13 Brasiliense 41 33 12 5 16 37 44 -7 41
14 Ipatinga 41 33 10 11 12 39 46 -7 41
15 Juventude 40 33 11 7 15 42 43 -1 40
16 Bahia 38 33 10 8 15 41 50 -9 38
17 América-RN 36 33 10 6 17 44 59 -15 36
18 Campinense 33 33 10 3 20 49 70 -21 33
19 Fortaleza 33 33 9 6 18 49 56 -7 33
20 ABC 31 32 9 4 19 30 55 -25 32

Artilharia
15 gols
Rafael Coelho (Figueirense)
Elton (Vasco)

14 gols
Marcelo Nicácio (Fortaleza)
Ricardo Xavier (Guarani)

13 gols
Edmundo (Campinense)
Geraldo (Ceará)
Edivaldo (Duque de Caxias)
Mendes (Juventude)

12 gols
Luiz Carlos (Fortaleza)
Washington (São Caetano)

11 gols
Lúcio (América-RN)
Marcão (Atlético-GO)
Fernandes (Figueirense)
Marcos Denner (Juventude)

Próximos jogos
3/11 21h Ponte Preta
x
Brasiliense
3/11 21h Portuguesa
x
ABC
3/11 21h Ceará
x
Bragantino
6/11 21h Bahia
x
Fortaleza
6/11 21h São Caetano
x
Ipatinga
6/11 21h Figueirense
x
Campinense
7/11 16h10 Vasco
x
Juventude
7/11 16h10 Atlético-GO
x
Guarani
7/11 16h10 Paraná
x
D. de Caxias
7/11 21h América-RN
x
Vila Nova

Fontes: Globo.com, Uol e Terra


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro > De olho no topo, São Paulo encara o Barueri, que vive caso 'mala branca'

* Val Baiano e Renê são afastados por declarações sobre um suposto incentivo financeiro do Cruzeiro para que derrotasse o Flamengo

Perseguindo a liderança, o São Paulo encara neste sábado, às 18h30 (de Brasília), no Morumbi, o Barueri, que foi uma pedra no sapato do Flamengo no meio de semana e pode atrapalhar a vida de mais um candidato ao título do Campeonato Brasileiro. O Tricolor não pretende deixar que o caçula estrague seus planos, e o apoio da torcida nesta reta final é considerado fundamental para o time não baixar a bola.

Após alcançar o topo por 24 horas, o atual tricampeão nacional sonha voltar ao primeiro lugar de forma definitiva. Para isso, espera a ajuda do rival Corinthians, que faz o clássico paulista contra o líder Palmeiras, domingo, em Presidente Prudente. No lado do Barueri, as polêmicas por causa de uma suposta "mala branca" tiveram sequência com o afastamento dos dois jogadores - o goleiro Renê e o atacante Val baiano - que revelaram um suposto incentivo financeiro do Cruzeiro para que o time derrotasse o Flamengo.

Com 55 pontos, o São Paulo dormiu na liderança de quarta para quinta-feira, após vencer o Internacional por 1 a 0. O Palmeiras recuperou o posto ao golear o Goiás por 4 a 0, chegando a 57 pontos, mas o time comandado por Ricardo Gomes contou ao menos com um resultado a seu favor: o Atlético-MG foi superado pelo Fluminense e permaneceu com 53 pontos.

O Barueri tem 44 pontos, está em 11º lugar e tenta se manter na zona que garante uma vaga na Copa Sul-Americana. As atenções no clube nos últimos dias foi a "mala branca", que não foi comprovada, mas acabou com o sossego do clube. A diretoria prometeu investigar o caso, reforçou que seus atletas não precisam receber motivação extra e disse que condena a prática em qualquer situação.

Sem Richarlyson, mas com Rogério Ceni de volta

Richarlyson, que retornou ao time contra o Colorado depois de cumprir suspensão, sofreu um estiramento na coxa direita na mesma partida e desfalca a equipe por três semanas. Com isso, Ricardo Gomes deve manter a formação com Adrián Gonzalez na lateral direita, e Junior Cesar na esquerda; Com Jean e Hernanes de volantes, e Jorge Wagner na criação.

O treinador contará com o retorno do capitão Rogério Ceni, que cumpriu suspensão por ter sido expulso contra o Santos. Na frente, Dagoberto e Washington seguem formando a dupla de ataque. O Coração Valente marcou nos últimos dois jogos e, cheio de confiança, vem se mostrando um jogador que cresce nas horas decisivas.

Renê e Val Baiano dão lugar a Márcio e Otacílio Neto

Os jogadores do Barueri tentam passar uma borracha no caso da "mala branca" para se concentrar apenas no confronto contra o São Paulo. Mas após as declarações de Val Baiano e Renê, o time se viu no meio não apenas de um escândalo, mas também de críticas - os adversários diretos do Tricolor Paulista não aceitaram bem a ideia de a diretoria punir dois de seus principais jogadores às vésperas de uma partida importante para o rumo do Brasileirão.

Val Baiano, que diz não aguentar mais falar sobre o assunto, começou a apelar para brincadeiras, como na última quinta-feira:

- Olha, meus gols agora estão caros!

No gol, entra Márcio, mas o maior problema do técnico Luis Carlos Goiano está no ataque. Ele não deve contar com Fernandinho, que ainda sente dores na coxa direita, e a dupla ofensiva será formada por Otacílio Neto e Basílio.

O Barueri também não terá o zagueiro Daniel Marques e o meia-atacante Flavinho, suspensos com três cartões amarelos. Entretanto, André Luiz está de volta ao setor defensivo da equipe após a confusão na partida contra o Náutico, nos Aflitos.

Ficha técnica
Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 31/10/09 - 18h30 (Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (FIFA-SP)
Auxiliares: Giovani César Canzian e Anderson José de Moraes Coelho (ambos de SP)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Renato Silva, André Dias e Miranda; Adrián González, Jean, Hernanes, Jorge Wágner e Júnior Cesar; Dagoberto e Washington.
Técnico: Ricardo Gomes.

BARUERI: Márcio; Xandão, Zé Luiz e Leandro Castán; Bruno Ribeiro, Ralf, Everton, Thiago Humberto e Márcio Careca; Basílio e Otacílio Neto.
Técnico: Luís Carlos Goiano.

Fontes: Globo.com e Lancenet


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro > Fla recebe Santos com Maraca lotado

* Rubro-Negro ainda sonha com título. Peixe não vence há quatro jogos e quer atrapalhar

Casa cheia e um clássico nacional. Motivos mais do que suficientes para Flamengo e Santos fazerem um grande jogo neste sábado, às 18h30 no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro luta por uma vaga no G4 e sonha com o título. Já o Peixe, ambiciona apenas a vaga na Sul-Americana do ano que vem. Para isso, precisa voltar a mostrar força na competição. O time não vence há quatro partidas no Brasileiro.

Rubro-negros tentam esquecer tropeço

Nenhum outro resultado interessa ao Flamengo que no seja a vitória. Após a derrota para o Barueri, na última quarta-feira, o time de Andrade se distanciou do título e até do G-4. Para alcançar pela primeira vez um lugar entre os quatro primeiros colocados, o time precisa vencer e torcer por uma combinação de resultados em que Cruzeiro, Internacional e Atlético-MG não podem vencer.

Mas o Flamengo tem um reforço importante para continuar sonhando. Petkovic está de volta após cumprir suspensão na última partida. O sérvio recuperou-se das dores na coxa direita e foi confirmado pelo treinador contra o Santos. Um alívio e tanto para o Flamengo, que teve aproveitamento de 70,5% dos pontos disputados com o veterano em campo neste Brasileiro. Sem ele, o número cai para 33%.

- Um jogador com a experiência do Pet sabe correr no momento certo e dosar as energias. Ele dá dinâmica à equipe no momento que deve. Mas ele não tem de fazer tudo, pois a responsabilidade é de todos. Não podemos jogar tudo sobre ele - disse Andrade, que pode contar com quase todo o elenco.

Apenas o volante Kleberson, o zagueiro David e o apoiador Everton não estão à disposição do treinador. Mas os três dificilmente voltam a jogar pelo Flamengo este ano. Ou seja, o time joga com sua força máxima. E ainda será empurrado por sua torcida. Até sexta-feira à noite, foram vendidos quase 54 mil ingressos.

Santos tem problemas na escalação

Se o Flamengo está completo, o Santos entra em campo desfalcado. O atacante Kléber Pereira será uma das baixas, suspenso por ter levado o terceiro cartão amarelo no empate em 1 a 1 com o Atlético-PR. Em seu lugar, Luxemburgo deve optar pelo André, que entrou bem no clássico contra o São Paulo. Ao lado do garoto da base, Jean, ex-Flamengo, forma a dupla de ataque.

Outro que não pode ajudar o Peixe na partida será o meia Róbson, também suspenso. O lateral-direito George Lucas e o zagueiro Fabão continuam afastados do grupo, no departamento médico. Atento ao atacante Adriano, o zagueiro Adaílton não quer saber de ver seu time ficar apenas na defensiva.

- É uma tarefa dura parar o Flamengo. O Adriano é um grande jogador e cria motivação em quem vai marcá-lo. Não podemos ter medo de fazer gol. Nas últimas rodadas temos crescido, encaixado melhor o jogo, e dessa vez não pode ser diferente.

Ficha técnica
Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 31/10/09 - 18h30 (Brasília)
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Auxiliares: Jossemmar José Diniz Moutinho(PE) e Luciano José Coelho Cruz (PE)

FLAMENGO: Bruno; Léo Moura, Álvaro, Ronaldo Angelim e Juan; Aírton, Willians, Maldonado e Petkovic; Zé Roberto e Adriano.
Técnico: Andrade.

SANTOS: Felipe; Pará, Astorga, Adaílton e Triguinho (Léo); Rodrigo Souto, Germano, Paulo Henrique Ganso e Felipe Azevedo (Madson); Jean e André.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Fontes: Globo.com e Lancenet


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Campeonato Brasileiro > Com show de Obina, Palmeiras goleia o Goiás

* Verdão volta a vencer após quatro rodadas e segue na liderança

Com um show de Obina, que marcou três gols, o Palmeiras venceu o Goiás por 4 a 0 e retornou ao topo da tabela do Nacional, agora com 57 pontos, dois a mais que o São Paulo. Deyvid Sacconi teve participação especial na festa, marcando o terceiro gol após lindo passe de calcanhar do companheiro de ataque em noite iluminada.

Depois de perder três partidas seguidas, sem marcar gols, o Palmeiras desencantou. E não sofreu gols, como nas exibições anteriores. E Muricy Ramalho, que segurou a onda do time no momento difícil, foi recompensado pelos seus comandados. Depois de seu segundo, Obina correu para os braços do comandante. E todos foram fazer um afago no técnico, que comentou na sexta-feira que o time precisava ser "abraçado".

Ao Goiás, restou ver a festa alviverde. Com o resultado, o time segue na oitava posição, com 47 pontos. E vê o sonho de voltar a disputar a Libertadores diminuir.

Domínio palmeirense - nada de gols

Precisando vencer para voltar ao topo da tabela, o Palmeiras começou a partida acelerado. Mas, apesar de tentar investir contra os goianos em velocidade, quase sofreu um gol. Aos cinco minutos, Iarley recebeu na área e causou arrepios nos torcedores alviverdes, com uma linda bicicleta. Para azar do atacante esmeraldino, Marcos mostrou reflexo e salvou o time da casa.

A resposta veio aos 11 minutos, com Diego Souza. O camisa 7 recebeu pelo lado direito e partiu em diagonal. Se livrou de dois marcadores e chutou. A bola pegou na rede de Harlei, mas pelo lado de fora, iludindo alguns torcedores no Palestra Itália.

Até os 20 minutos, quando Iarley, sem marcação, chutou sobre a meta de Marcos, o jogo estava equilibrado. Porém, depois disso, o que se viu no estádio foi o domínio do time da casa que, mesmo de maneira estabanada, criava suas oportunidades. E as desperdiçava também. Foi assim com a cabeçada de Obina, defendida por Harlei aos 25 minutos. Foi assim na falta cobrada por Figueroa, dois minutos depois. Ao Goiás, restaram contragolpes esporádicos e sem sucesso, com Fernandão, Iarley e Júlio César.

Aos 32, Muricy precisou mexer no time. Edmílson, que não vinha bem na partida, sentiu dores na coxa direita e foi substituído por Sandro Silva. O Palmeiras encorpou um pouco mais com a mudança. Mas o gol teimava em não sair.

Aos 34 minutos, o Palestra Itália era todo expectativa, quando Diego Souza ajeitou a bola para bater uma falta. O camisa 7 acertou a trave e sacudiu a arquibancada. Um barulho que só não foi maior do que quando o gol saiu, mas em outro estádio. No primeiro tempo, os palmeirenses só vibraram mesmo com o pênalti cobrado por Fred, que fez 1 a 0 para o Fluminense sobre o Atlético-MG, concorrente dos paulistas na briga pelo título.

Obina brilha e garante a festa palmeirense

Não demorou para a agonia da torcida palmeirense no primeiro tempo se transformar em festa. Logo aos cinco minutos, o volante Souza ganhou duas vezes no pé de ferro dos adversários e passou para Obina. O camisa 28 aproveitou a primeira chance que teve na segunda etapa e venceu Harlei para fazer 1 a 0.

A resposta veio aos oito minutos, com Leo Lima, que aproveitou uma sobra na intermediária, mas viu a bola sair pela linha de fundo. Com o tempo, o Palmeiras passou a dominar novamente o jogo. Ortigoza desperdiçou boas chances, enquanto a zaga do Goiás apenas acompanhava as jogadas.

As tentativas do time de Hélio dos Anjos aconteciam somente com o trio Fernandão, Ramalho e Júlio César. Porém, eles esbarraram com frequência na zaga paulista, para decepção da pequena torcida esmeraldina presente no Palestra Itália.

Mas o Palmeiras tinha Obina. Após voltar a marcar depois de sete jogos em branco, ele não desperdiçou o pênalti cometido por Rafael Tolói em Ortigoza, aos 30 minutos, e ampliou a conta para 2 a 0. E correu para o banco, para fazer o time abraçar Muricy.

Depois, aos 38 minutos, o camisa 28 deu um sensacional passe de calcanhar para Deyvid Sacconi - que entrou no lugar do paraguaio - fazer 3 a 0. E quando a festa parecia estar completa no Palestra Itália, Obina quis mais. Quis mostrar que artilheiro pode passar por jejuns, mas não perde o faro de gol. E mostrou isso aos 42 minutos, encerrando a festa com um toque rasteiro na saída de Harlei, que ainda beliscou a trave antes de balançar a rede.

Ficha do jogo

PALMEIRAS 4 X0 GOIÁS

Marcos; Marcão, Danilo e Maurício; Figueroa, Souza, Edmílson (Sandro Silva), Diego Souza e Armero, Ortigoza (Deyvid Sacconi) e Obina (Robert). Harlei; Valmir Lucas, Ernando, Rafael Toloy e Júlio César; Amaral (Ramalho), Fernando, Leo lima e Romerito (Douglas Costa); Iarley e Fernandão.
Técnico: Muricy Ramalho. Técnico: Hélio dos Anjos.
Gols: Obina, aos 5 minutos, aos 30, e aos 42, e Deyvid Sacconi, aos minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Fernando, Amaral, Valmir Lucas e Rafael Toloy (G). Sandro Silva (P). Cartão vermelho: Rafael Toloy (G).
Estádio: Palestra Itália. Data: 29/10/2009. Público: 18.070. Renda: R$722.461,24. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique. Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ) e Marco Aurelio dos Santos Pessanha (RJ).

Fonte: Globo.com


Direto da Redação












Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat

Campeonato Brasileiro > Flu vence e ainda respira

* Por sua vez, Atlético estaciona na briga pelo título

Na noite desta quinta-feira, duas equipes em situação oposta se encontraram no Maracanã. O Fluminense, dono da casa, jogava contra o desespero do iminente rebaixamento. O Atlético-MG jogava pela liderança do Campeonato Brasileiro. O desespero venceu e o Fluminense ganhou por 2 a 1, com gols de Conca e Fred; Tardelli descontou para o Atlético-MG.

O Galo se deu mal com o resultado e caiu para o terceiro lugar, com 53 pontos. O Fluminense, apesar da situação ruim, ainda respira - é o lanterna com 30 pontos, cinco a menos que o Botafogo, 16º.

Mesmo sem conseguir criar lances de perigo, a equipe carioca chegou ao gol aos 33 minutos, em cobrança de pênalti de Fred. Jorge Luiz impediu cruzamento e com o braço e o árbitro anotou a penalidade. Com direito a três paradinhas, Fred bateu no canto esquerdo do goleiro Carini e abriu o placar.

Na segunda etapa, a chuva desabou no Maracanã e parece que renovou os ânimos dos jogadores em campo. No primeiro ataque do Fluminense, Após arremesso lateral, González dominou e tocou para Conca na área. Jorge Luiz falhou na marcação e o argentino ampliou a vantagem para os cariocas.

O Atlético-MG então finalmente entrou no jogo e partiu para cima do Fluminense. Aos 8 minutos, Ricardinho bateu escanteio e Rafael socou errado para trás. Diego Tardelli aproveitou e completou de cabeça para o fundo das redes, diminuindo para os mineiros. O atacante se isolou na artilharia do Brasileiro, com 17 gols marcados.

Mas o Galo se complicou aos 36, após expulsão do zagueiro Jorge Luiz. Não deu mais tempo de reação.


Empate na Ilha

O Sport tentou e criou oportunidades, porém, com muitos erros na hora de finalizar, apenas empatou por 1 a 1 com o Coritiba na noite desta quinta-feira, na Ilha do Retiro. O time pernambucano segue na 19ª posição, com 30 pontos. O Coxa, com 38, está cada vez mais longe da zona da degola.

Os gols da partida foram anotados no final da primeira etapa. Aos 40, Fabiano colocou o Sport em vantagem. Mas aos 48, Ariel deixou tudo igual. E foi só.

Fonte: Terra


Direto da Redação











Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Campeonato Brasileiro > Verdão encara o Goiás para retomar a liderança

* Palmeiras jogará pressionado no Palestra Itália

O Palmeiras vive momento difícil no Campeonato Brasileiro, já que vem de quatro rodadas sem vitórias. Para volta à liderança do Brasileirão (tomada pelo São Paulo, nesta quarta) e convencer os críticos de que o clube tem postura de time campeão, o Verdão recebe o Goiás nesta quinta-feira, às 21h, no Palestra Itália.

Já o Esmeraldino, que chegou a figurar até mesmo na segunda colocação do Nacional, apresentou uma queda acentuada de rendimento nas últimas rodadas. Hoje na oitava posição, com 47 pontos, a equipe está a cinco da linha limite do G-4.

Palmeiras com desfalques e indefinido

Sem poder contar com Cleiton Xavier, lesionado, e Vagner Love, suspenso, o técnico Muricy Ramalho tem feito suspense na hora de divulgar a equipe que enfrenta o Esmeraldino. Marquinhos era um dos cotados para assumir o posto do camisa 10 alviverde, na armação das jogadas. No entanto, o treinador pede uma postura mais defensiva da equipe, o que pode representar a entrada de um segundo volante no time.

O certo é que um trio de zagueiros ficará à frente de Marcos. Com nove gols sofridos em quatro partidas, Muricy entende que é hora de voltar a fortalecer a defesa alviverde. Assim, Edmílson deve ser recuado para atuar ao lado de Danilo e Maurício.

Na frente, Ortigoza e Robert disputam uma vaga ao lado de Obina.

Léo Lima volta ao time

Em sétimo lugar na tabela, o time do Goiás, assim como o Palmeiras, quer recuperar a boa fase e também retornar para o grupo dos quatro melhores do Brasileirão. Nas últimas cinco rodadas, o Esmeraldino não venceu nenhuma: foram três derrotas e dois empates.

O técnico Hélio dos Anjos não poderá contar com o lateral-direito Vitor, além dos zagueiros Leandro Euzébio e Henrique. Os três cumprem suspensão. Com isso, a dupla de zaga será formada por Ernando e Rafael Tolói, que voltou recentemente da seleção sub-20. Por outro lado, o treinador terá à disposição Léo Lima, que volta de punição, e ele jogará ao lado do meia Romerito.

A dúvida fica por conta dos atacantes. Hélio dos Anjos ainda não definiu se escala Fernandão ou Felipe entre os titulares.

Ficha do jogo

PALMEIRAS X GOIÁS

Estádio: Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data/hora: 29/10/2009 - 21h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Auxiliares: Marco Aurélio Pessanha (RJ) e Ediney Guarreiro Mascarenhas (RJ)

PALMEIRAS: Marcos; Maurício, Edmílson e Danilo; Figueroa, Souza, Sandro Silva e Armero; Diego Souza; Ortigoza e Obina.
Técnico: Muricy Ramalho

GOIÁS: Harlei; Valmir Lucas, Ernando, Rafael Toloi e Julio Cesar; Fernando, Ramalho, Romerito e Léo Lima; Felipe (Fernandão) e Iarley.
Técnico: Hélio dos Anjos

Fontes: Globo.com e Lancenet!


Direto da Redação











Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat

Campeonato Brasileiro > São Paulo vence o Inter e chega ao topo

* Tricolor terá que secar Atlético-MG e Palmeiras nesta quinta para manter-se na liderança

O vencedor do duelo desta quarta-feira, no Morumbi, teria o privilégio de dormir na liderança do Brasileiro . E o gostinho de alcançar o topo pela primeira vez foi do São Paulo que, com um gol de Washington, venceu o Internacional por 1 a 0 (assista no vídeo ao lado). Apesar de o time gaúcho ter dominado boa parte do jogo e até ter envolvido o Tricolor, a estrela do Coração Valente e a excelente atuação do goleiro Bosco prevaleceram na briga de times tão fortes. Os gritos de "o campeão voltou" ecoaram no estádio.

O resultado levou os paulistas a 55 pontos, um a mais que o Palmeiras , que ainda joga nesta quinta contra o Goiás e pode reassumir a ponta. O Atlético-MG , com 53, também entra em campo no mesmo dia e, se vencer o Fluminense também fica à frente do São Paulo. O Colorado segue com 52, na quarta posição. Na próxima rodada, o time paulista recebe o Barueri , sábado, no Morumbi, e a equipe gaúcha enfrenta o Botafogo , no Beira-Rio, domingo.

Domínio colorado, mas Washington decide

No início, o jogo foi bastante truncado, com muita dificuldade de criação para as duas equipes. Mas o Inter logo adiantou sua marcação e passou a jogar no campo de ataque, prendendo o São Paulo atrás. Aos oito, Fabiano Eller cruzou e acabou obrigando Bosco a se esticar. Ele jogou a bola para cima. Ela ainda quicou em cima da trave e da rede, assustando o torcedor tricolor.

O time visitante criava a maioria das jogadas pelo lado direito do Tricolor. O São Paulo não conseguia colocar a bola no chão. Se Bosco assustou os torcedores na defesa aos oito, mostrou precisão aos 18. Após cobrança rasteira, D'Alessandro mandou direto para o gol, a bola passou por Richarlyson, e o goleiro espalmou, salvando o Tricolor.

O São Paulo já conseguia tocar mais a bola e até chegar ao gol colorado, mas o adversário seguia muito eficiente no bloqueio com três zagueiros e quatro homens no meio campo. A arma do São Paulo era a roubada de bola e o contra-ataque na sequência. O Inter tinha muita velocidade e um fôlego sem fim de Alecsandro.

Durante uma jogada ofensiva do São Paulo, um torcedor invadiu o gramado, aos 34, e o árbitro só percebeu após a defesa do Inter afastar a bola da área. O rapaz trazia uma mensagem na camisa - pedindo uma chance como jogador de futebol - e usava chuteiras. Foi imobilizado e retirado rapidamente, mas o São Paulo pode perder mando de campo por causa do ocorrido.

De volta ao jogo, o Inter teve a chance mais clara de gol na partida aos 36. D'Alessandro invadiu a área após receber a bola. Na conclusão, viu Bosco fazer uma defesa muito difícil e impedir a abertura do placar. A torcida gritou o nome do substituto de Ceni, que cumpre suspensão.

O Inter voltava a ser melhor na partida. E o São Paulo perdeu Richarlyson, que sentiu dores musculares na altura do púbis e saiu chorando, preocupado com uma possível lesão mais grave. Junior Cesar entrou na vaga. Com isso, Jorge Wagner voltou ao meio, e Hernanes passou a jogar atrás com Jean.

Nos minutos finais, o São Paulo chegou à área do Inter com sucessivos escanteios. E, num deles, aos 47, o artilheiro apareceu. Em cobrança de Hernanes, André Dias desviou no primeiro pau, e Washington, oportunista, empurrou para a rede. Na comemoração, o atacante correu até o escudo do São Paulo que fica à beira do gramado, ajoelhou-se, beijou o símbolo e apontou para os céus. A torcida, que tem sido dura com o camisa 9, desta vez aplaudiu.

Segundo tempo aberto, mas sem gols

Animado pelo gol no fim do primeiro tempo, o São Paulo voltou para a segunda etapa com todo o gás, embalado principalmente pela velocidade de Junior Cesar. A pressão começou logo aos três. Dagoberto deu uma arrancada, fez fila, mas tropeçou no goleiro antes de finalizar, na pequena área. A torcida são-paulina foi ao delírio.

O técnico Mário Sérgio resolveu mudar o jeito de jogar do Inter com as saídas de Fabiano Eller e Taison e as entradas de Alan Kardec e Marquinhos. O time gaúcho passou a jogar no 4-3-3. E até arriscou alguns chutes. Mas foi um lance de erro defensivo que assustou a torcida do São Paulo aos 13. Miranda e Bosco se desentenderam em um lançamento colorado, e a bola foi em direção ao gol, mas o zagueiro deu um bicão para trás e conseguiu salvar a meta tricolor.

Aos 16, a defesa do São Paulo deixou Índio sozinho na área, após uma cobrança de escanteio. Mas o zagueiro errou o alvo. Depois do domínio inicial dos paulistas, os gaúchos já se mostravam mais fortes novamente.

Apesar das investidas do Inter, o time de Ricardo Gomes soube ter tranquilidade para segurar o ímpeto do adversário. Passou a marcar com mais eficiência, principalmente após a entrada de Zé Luis. Difícil mesmo era segurar D'Alessandro, jogador que mais levava perigo ao gol de Bosco. Do outro lado, Washington teve outra boa chance aos 30, em uma falha da zaga colorada, mas chutou para fora. Logo depois, ele de novo recebeu na área, mas chutou em cima da defesa.

O Internacional viu o gol de empate parar nas mãos de Bosco, aos 36. O goleiro fez uma primeira defesa difícil em um chute de Alan Kardec. No rebote, Giuliano também bateu com força para, mas o goleiro mais uma vez espalmou. A torcida do São Paulo explodiu, exaltando o grande lance do camisa 22. Depois do sufoco, os torcedores soltaram os gritos de "o campeão voltou".

Ficha do jogo
SÃO PAULO 1 x 0 INTERNACIONAL
Bosco; Renato Silva, André Dias e Miranda; Adrian González (Zé Luis), Jean, Richarlyson (Junior Cesar), Hernanes e Jorge Wagner; Dagoberto (Hugo)e Washington. Lauro; Bolívar, Índio e Fabiano Eller (Alan Kardec); Daniel (Andrezinho), Sandro, Giuliano, D'Alessandro e Kléber; Taison (Marquinhos) e Alecsandro.
Técnico: Ricardo Gomes. Técnico: Mário Sérgio.
Gols: Washington, aos 47 minutos do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Bosco, Hernanes (São Paulo); Giuliano (Internacional)
Estádio: Morumbi Data: 28/10/2009. Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF). Auxiliares: Enio Ferreira de Carvalho (DF) e Cesar Augusto de Oliveira Vaz (DF). Renda e Público: R$ 846.825,00/ 34.203 pagantes

Fonte: Globo.com


Direto da Redação










Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat

Campeonato Brasileiro > No sufoco, Cruzeiro vence Santo André e fica mais perto do G4

* Gol de Thiago Ribeiro aos 46 minutos do segundo tempo garante a vitória para a Raposa, que ainda sonha com título

Em um jogo dramático e emocionante, o Cruzeiro conseguiu uma vitória no sufoco sobre o Santo André, por 3 a 2, na noite desta quarta-feira, no Mineirão. Com o resultado conquistado, com um gol marcado por Thiago Ribeiro, aos 46 min da etapa final, o time celeste se aproximou ainda mais do G4, chegando a 51 pontos.

Esse resultado confirmou a arrancada celeste rumo ao G4 e manteve sua invencibilidade, que chegou a sete jogos. O time cruzeirense obteve sua quinta vitória seguida, quatro delas no Mineirão, contra Goiás, Atlético, Botafogo e Santo André, além de uma outra sobre o Corinthians, domingo passado, no Pacaembu.

O resultado colocou o Ramalhão, que se manteve com 32 pontos, de volta na zona do rebaixamento. O próximo jogo do Cruzeiro será contra o Fluminense, domingo, às 18h30m, no Mineirão. Já o Santo André recebe o Grêmio, nos mesmos dia e horário.

Os cinco gols da partida aconteceram no segundo tempo, depois de uma etapa inicial em que o Cruzeiro teve domínio integral, mas não conseguiu balançar as redes adversárias. O time celeste abriu o marcador, com Guerrón, aos 13min, mas permitiu a virada do Santo André, conseguindo o empate no sufoco, em 2 a 2, com gol marcado pelo jovem Eliandro, aos 38 minutos do segundo tempo.

Quando tudo indicava que a equipe iria tropeçar em casa, conseguiu um gol no final, com Thiago Ribeiro, que recebeu cruzamento de Jonathan da direita e escorou de cabeça. Após o gol a torcida celeste aplaudiu e gritou o nome de Adilson Batista, que em vários outros momentos do Brasileiro foi vaiado.

Bota vence decisão com Náutico e respira

Em um confronto entre duas equipes desesperadas, era esperado o clima de muita tensão. E foi sob este ambiente - além de uma ajuda involuntária da arbitragem - que o Botafogo conquistou uma sofrida vitória por 1 a 0 sobre o Náutico, na noite desta quarta-feira, no Engenhão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado significou um sopro de esperança para o Alvinegro na luta contra o rebaixamento.

Com o resultado, o Botafogo saiu do Z-4, chegando à 16ª posição, com 35 pontos. No próximo domingo, a equipe enfrenta o Internacional, às 16h, no Beira-Rio, em Porto Alegre. Já o Náutico, em 18º lugar, com a mesma pontuação da equipe paulista, pega o arquirrival Sport, às 18h30m, no estádio dos Aflitos.

O gol da vitória botafoguense saiu no segundo tempo. Aos 26, Leonardo Gaciba marcou pênalti duvidoso do Johnny em cima do Diego. Juninho cobrou no canto, forte, e decretou a importantíssima vitória do alvinegro.

Barueri atrapalha planos do Mengão

A torcida do Flamengo compareceu em massa à Arena, mas ainda não foi desta vez que viu o time entrar no G-4 do Campeonato Brasileiro. Com um gol irregular de Val Baiano e outro de Ewerton, o Barueri venceu o Rubro-Negro por 2 a 0, nesta quarta-feira à noite, na Grande São Paulo, e atrapalhou a arrancada carioca.

Além de ver o fim da série invicta de dez jogos, o Flamengo perde uma posição na classificação. O time está agora em sexto lugar, com 51 pontos, perdendo no número de vitórias para o Cruzeiro (15 contra 14). Já o Barueri continua brigando por uma vaga na Copa Sul-Americana. Agora, aparece em décimo, com 44.

Pelo fato de o gramado estar escorregadio devido à chuva fina, os times arriscaram vários chutes de fora da área, mas os goleiros René e Bruno estavam seguros. Somente nos acréscimos o talento falou mais alto. Em posição duvidosa, Thiago Humberto recebeu na área, se livrou de Álvaro e serviu Val Baiano, que pegou de primeira para marcar.

O Rubro-Negro tentou pressionar no segundo tempo, mas deu espaços, bem aproveitados pelos mandantes. Aos 25min, Everton definiu o jogo após linda tabela com Val Baiano. As duas equipes voltam a campo no próximo sábado, às 18h30. O time paulista encara o São Paulo, no Morumbi, enquanto os cariocas recebem o Santos no Maracanã.

Grêmio bate o Avaí e mantém sonho do G-4

Para manter o sonho de conquistar uma vaga para a Libertadores, o Grêmio se recuperou do tropeço no clássico Gre-Nal e, na 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, superou o Avaí por 3 a 1, no Olímpico. Mesmo com um homem a menos desde o primeiro tempo, a equipe soube explorar os contra-ataques e confirmou o resultado que recupera a motivação do grupo e da torcida.

Depois de um começo instável, o Tricolor chegou ao triunfo com gols de Tcheco, Maxi López e Souza. Nem a expulsão de Fábio Rochemback, aos 33min de confronto, influenciou no placar. Com 47 pontos, o clube fica a cinco do G-4, faltando seis jogos para o fim da competição.

O Avaí, por sua vez, segue nos 44 pontos, fica em zona intermediária da tabela, e agora precisa lutar para garantir um lugar na zona da Copa Sul-Americana. O time de Florianópolis volta a campo no sábado. Às 18h30m, recebe o Atlético-PR. Um dia depois, no mesmo horário, a equipe gaúcha visita o Santo André.

Fontes: Globo.com e Uol


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro > Defederico marca, Timão vence o Vitória e embala para o clássico

* Com um gol do argentino, Corinthians faz 1 a 0 no Barradão

A salvação veio da Argentina. Depois de duas derrotas consecutivas, para Sport e Cruzeiro, o Corinthians voltou a vencer no Campeonato Brasileiro nesta quarta-feira. Com um gol de Matías Defederico, a equipe paulista bateu o Vitória por 1 a 0, no estádio do Barradão, em Salvador, e ganhou embalo para o clássico de domingo, contra o Palmeiras. A equipe baiana, com dificuldade para se organizar em campo, ofereceu pouco perigo aos visitantes.

O duelo com o arquirrival, em Presidente Prudente, é tido como o principal compromisso do Timão nesta reta final de Nacional. Sem pretensões maiores na competição, na nona colocação, com 45 pontos, o Alvinegro quer atrapalhar o adversário, que luta pelo título. E mais: acabar com um jejum que já dura seis jogos, com cinco derrotas e um empate.

A equipe baiana, por sua vez, visita o Coritiba na próxima rodada. Com 44 pontos, em décimo, o time comandado por Vagner Mancini segue em zona intermediária na tabela. Longe da briga por uma vaga na Libertadores, o Leão espera agora assegurar um lugar na Copa Sul-Americana.

Poucas chances

Com dores musculares nas coxas, o atacante Dentinho iniciou a partida no banco de reservas. Na equipe titular, o técnico Mano Menezes escalou Matías Defederico. E foi do argentino a primeira chance do Corinthians na partida. Aos 48 segundos, ele aproveitou rebote após cruzamento de Marcelo Oliveira e mandou por cima do gol de Viafara.

Apesar de estar jogando fora de casa, o Timão foi quem tomou a iniciativa. Tanto que aos 9 minutos teve uma excelente oportunidade de abrir o placar. Em cobrança de falta ensaiada, Ronaldo rolou em profundidade para Chicão. O camisa 3 apareceu bem entre os zagueiros, driblou o goleiro Viafara, mas na hora do arremate pegou mal na bola e mandou para fora.

O Vitória, por sua vez, não conseguia se encontrar em campo. A equipe baiana, aliás, abusou das faltas em determinado momento da etapa inicial. A primeira chance dos donos da casa saiu apenas aos 27 minutos. E foi a melhor do jogo até então. Depois de cruzamento de Gláucio da esquerda, Leandrão cabeceou forte na trave de Felipe.

Sem o mesmo poder ofensivo dos primeiros dez minutos, o Corinthians deu mais espaços ao rival, que chegou novamente com perigo aos 40. Wallace cabeceou após escanteio da direita, e Felipe se esticou para espalmar. Três minutos depois, o Timão respondeu. Ronaldo recebeu perto da grande área, dominou, ajeitou e chutou prensado com Lino.

Argentino resolve

Vitória e Corinthians voltaram para a etapa final sem mudanças. E em relação ao primeiro tempo, a postura das equipes também não mudou. A primeira oportunidade dos paulistas ocorreu apenas aos 18 minutos. E num lance inusitado. Matías Defederico bateu escanteio fechado da direita, o goleiro Viafara se atrapalhou e mandou para escanteio. Na cobrança do novo tiro de canto, a defesa do Vitória levou a melhor e afastou o perigo.

Mas o Corinthians sentiu que o momento era bom e permaneceu no ataque. Até que aos 21 minutos o volante Jucilei deu um lindo passe em profundidade para Defederico. O argentino saiu na cara do gol, olhou o goleiro Viafara e bateu colocado para abrir o placar. Foi o primeiro gol do camisa 10 pelo clube do Parque São Jorge.

Com a vantagem no placar, o Timão diminuiu o seu ímpeto ofensivo. O Vitória, por outro lado, foi para cima. Mas parou na boa marcação dos visitantes. A equipe de Mano Menezes cadenciava o jogo e em alguns lances tentava algo mais adiante, como aos 37, quando Ronaldo fez boa jogada pelo meio e rolou para Dentinho. O atacante, no entanto, não conseguiu chutar.

A partir daí, os visitantes apenas tocaram a bola de um lado para o outro e esperaram o fim do jogo para comemorar uma vitória depois de duas derrotas. Mas aos 45 minutos, os corintianos levaram um susto. O lateral-direito Alessandro levou uma cabeçada no rosto em lance com Fábio Ferreira e caiu no gramado. Atendido pelos médicos, se levantou, mas, com suspeita de fratura na face, foi levado para fazer novos exames após a partida.

Ficha do jogo
Data: 28/10/2009 (quarta-feira)
Local: estádio Barradão, em Salvador (BA)
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: José Antonio Chaves Filho (RS) e Cleriston Clay Rios (SE)
Cartões amarelos: Fábio Ferreira, Nino Paraíba, Uelliton e Neto Berola (VIT); Edu, Defederico, Elias e Boquita (COR)
Gol: Defederico, aos 22min do segundo tempo

VITÓRIA: Viáfara; Nino Paraíba, Wallace, Fábio Ferreira e Róbson (Anderson Martins); Vanderson, Uelliton, Ramon e Glaúcio; Elkeson (Neto Berola) e Leandrão (Roger)
Técnico: Vagner Mancini

CORINTHIANS: Felipe; Alessandro, Chicão, William e Marcelo Oliveira (Balbuena); Jucilei, Edu (Boquita), Elias e Defederico (Dentinho); Jorge Henrique e Ronaldo
Técnico: Mano Menezes

Fontes: Globo.com e Uol


Redator: Pedro Silas
pedro_sccp@yahoo.com.br

Campeonato Brasileiro > Peixe e Furacão ficam no empate

* Resultado mantém o Santos na zona da Sul-Americana

Atlético-PR e Santos seguem estagnados na tabela do Brasileirão. Jogando nesta quarta-feira, na Arena da Baixada, os dois times empataram por 1 a 1, pela 32ª rodada do Brasileirão e permaneceram se evoluir significativamente na classificação do campeonato.

Com o resultado, o Furacão acumulou seu segundo jogo sem vitória e permaneceu na 14ª colocação, com 40 pontos, posição que não consegue ultrapassar há 11 rodadas. O Santos, com 42 pontos, está em 13º lugar, no limite da zona de vagas para a Copa Sul-Americana.

Pouco no primeiro tempo

O Atlético teve mais posse de bola, nos primeiros minutos do jogo, mas o Santos, com uma marcação forte no meio-de-campo, logo equilibrou e, explorando os erros defensivos do time da casa e criou as melhores chances na primeira etapa.

O time santista criou pelo menos três oportunidades de gols, duas delas, com os atacantes ficando cara a cara com o goleiro Gallato. Aos 14 minutos, Jean foi lançado por Rodrigo Souto, escolheu o canto e tocou para fora. Aos 19, foi a vez de Paulo Henrique perder. Ele recebeu um cruzamento na área e, de frente para o gol, cabeceou pela linha de fundo.

O Atlético quase marcou, numa bola parada, aos 23 minutos. Paulo Baier cobrou falta da direita, a bola quicou dentro da pequena área e quase enganou Felipe que, no susto, deu um tapa e salvou o Santos.

Gols na segunda etapa

Na primeira boa movimentação do segundo tempo, o Santos abriu o placar. Aos 4 minutos, Paulo Henrique invadiu a área e foi atropelado por Valência. Pênalti, que Kléber Pereira cobrou no canto esquerdo e converteu. Ex-ídolo da torcida atleticana, o atacante não comemorou.

A vantagem santista, porém, durou pouco tempo. Aos 8 minutos, o Furacão empatou. Paulo Baier cobrou escanteio fechado e quase fez gol olímpico. Felipe conseguiu salvar, no rebote, o lateral Bruno Costa, tocou, para fazer seu primeiro gol no campeonato.

O Atlético melhorou após o gol e passou a pressionar. Acuado o Santos mostrou nervosismo. Aos 13 minutos, Róbson, que entrara no intervalo, entrou por cima da bola, acertou Rodrigo Tiuí e recebeu o cartão vermelho direto.

Apesar da vantagem numérica, o time rubro-negro não conseguiu chegar ao segundo gol, acumulando seu segundo jogo seguido sem vitória no campeonato. O Santos não vence há quatro.

Ficha do jogo
ATLÉTICO-PR 1 X 1 SANTOS

Data: 27/10/2009 (quarta-feira)
Local: Estádio Arena da Baixada
Árbitro: Francisco de Assis Almeida Filho (CE).
Auxiliares: Erich Bandeira (Fifa/PE) e Thiago Gomes Brigido (CE).
Público: 17.930 pagantes
Renda: R$ 359.130
Cartões amarelos: Valência, Ronaldo (Atlético-PR) Paulo Henrique, Kléber Pereira, Germano (Santos)
Cartão vermelho: Róbson
Gols: Kléber Pereira, 4 min; Bruno Costa, aos 8 min do segundo tempo.

ATLÉTICO-PR
Galatto; Nei, Manoel, Ronaldo e Bruno Costa; Valencia, Rafael Miranda (Netinho), Paulo Baier e Marcinho; Wallyson (Rodrigo Tiuí) e Patrick (Alex Mineiro).
Técnico: Antônio Lopes

SANTOS
Felipe; Pará, Astorga, Adaílton e Triguinho; Germano, Rodrigo Souto, Felipe Azevedo (Róbson), Paulo Henrique e Jean (Mádson); Kléber Pereira (Rodrigo Mancha).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Fonte: Uol


Direto da Redação












Redator: Ricardo Pilat
ricardo.pilat@yahoo.com.br
Siga-me no Twitter: @
ricardopilat