Mudou!

O Redação do Esporte mudou de hospedagem! Acesse nosso conteúdo atualizado em: www.redacaoesporte.com.br

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Democracia > Há dois anos um técnico desacreditado pela torcida chegava ao Timão

A trajetória de Adenor Leonardo Bacchi, o Tite, no Sport Club Corinthians Paulista começou no Campeonato Brasileiro de 2004, quando o treinador assumiu o time na zona de rebaixamento, e em uma arrancada impressionante quase se classificou para a Libertadores. Mas em 2005, após o jogo diante do São Paulo, em qual Coelho bateu e errou um pênalti, Tite foi demitido do Corinthians.

Na volta ao clube, em 2010, Tite não se deparou com a situação anterior, ele pegou o time na vice-liderança do Brasileiro, mas sem vencer há quase dez partidas. Logo em seu jogo de estreia, encarou ninguém mais ninguém menos que o grande rival Palmeiras e venceu por 1 a 0, com gol do meia Bruno César.

Apesar de não ter conquistado o título do Brasileirão daquele ano, Tite terminou com uma campanha de 75% de aproveitamento e invicto. Terminou na 3ª colocação e se classificou para a pré-Libertadores, renovando com o clube.

Na primeira fase da competição continental, um jogo inesquecível. Com um empate no Pacaembu em 0 a 0 e derrota em Ibagué por 2 a 0, foi eliminado pelo Deportes Tolima-COL, o que causou muita revolta da torcida e o pedido da demissão do treinador. Mas o então presidente Andrés Sanchez o bancou no cargo.

Após ser eliminado, o time só tinha duas competições a disputar durante o ano: Campeonato Paulista e Campeonato Brasileiro. No estadual, após boa campanha e eliminar o Palmeiras, nas semifinais, vai à final diante do Santos. Na primeira partida, 0 a 0 no Pacaembu e na Vila Belmiro 2 a 1 e título santista. Mais uma vez a cabeça de Tite foi pedida no clube, e mais uma vez Andrés Sanchez o bancou para o Nacional.

No Brasileiro, o time tem uma bela arrancada nas dez primeiras rodadas e dispara na liderança, mas a inconsistência da equipe é posta em xeque novamente e Tite tem sua pior crise, após o caso Tolima. No segundo turno, no clássico contra o São Paulo, o treinador barra Chicão e o time empata em 0 a 0 e se mantém na luta pelo título. Com substituições decisivas nas últimas rodadas, Tite levou o Corinthians ao seu pentacampeonato brasileiro.

Com contrato renovado, Tite começa bem o Paulista e se foca na Libertadores. Na estreia, um empate sofrido fora de casa contra o Táchira em 1 a 1. Com uma grande campanha, Tite conquista o título mais importante da sua carreira, a Libertadores da América (invicto).

Com o título, o time se descuidou o Brasileiro e agora só o disputa como preparação para o Mundial de Clube da Fifa, em dezembro que ocorrerá no Japão.

Tite queimou a língua de muitos jornalistas e torcedores (e me incluo nessa lista), e após classificações dramáticas, os torcedores passaram a confiar no trabalho do treinador. Com termos próprios (como treinabilidade), o técnico se transformou em uma peça chave nesse Corinthians. Parabéns pelos dois anos de clube Tite.

Aqui é Corinthians! Curta a página do torcedor do Timão no Facebook: www.facebook.com/timaomeuamor.
______________________________________

* A coluna Democracia é a voz da nação corintiana aqui no Redação do Esporte.


por Rodrigo Bocatti | @digo90 | http://esportesarena.com.br

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Paddock da Redação > Vettel vence, ultrapassa Alonso e abre vantagem na liderança

Sebastian Vettel venceu o GP da Índia, sua quarta vitória consecutiva, e além de ultrapassar seu maior rival, Fernando Alonso, o piloto alemão abriu 13 pontos de vantagem e se tornou o principal favorito para se consagrar como o primeiro tricampeão após a era Schumacher. Para isso, basta vencer a próxima corrida em Abu Dhabi e chegar na frente do carro da Ferrari no GP do Texas.

O Grande Prêmio do sudeste asiático, apesar da liderança de Vettel de ponta a ponta, trouxe alguns bons momentos de emoção. O primeiro deles aconteceu logo nas primeiras voltas com Alonso, que após ótima largada superou na pista Button, Hamilton e Webber, atingindo assim o segundo lugar, posto em que permaneceu até o final da prova e minimizou o estrago feito pela vitória do piloto da Red Bull.

Houve briga também na zona intermediária da classificação. Bruno Senna, Pastor Maldonado e Nico Rosberg tiveram uma briga acirrada pela 10ª colocação. Sorte e competência para Senna que conquistou mais um ponto na tabela de classificação e diminuiu a diferença para seu companheiro de equipe Maldonado. Apesar de estar a quatro pontos atrás, o brasileiro tem feito uma segunda metade de temporada mais constante e vem frequentemente batendo o venezuelano dentro da pista.

Já no próximo final de semana acontece a antepenúltima etapa do ano. O GP de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. Essa corrida pode ser a última chance de Fernando Alonso conseguir recuperar a liderança do campeonato e continuar forte na briga pelo seu terceiro título mundial. Em caso de vitória de Vettel, o piloto dará um enorme passo para conquistar um campeonato que parecia perdido até a metade do ano. É esperar e ver o que acontece nessa briga das duas melhores equipes do momento.

Alonso ou Vettel? Em que você apostaria as fichas?  Domingo às 11h acontece a 18ª etapa da Fórmula 1 2012. Não perca.

Mundial de Pilotos

1. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), 240 pontos
2. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), 227
3. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault), 173
4. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), 167
5. Lewis Hamilton (GBR/McLaren-Mercedes), 165
6. Jenson Button (GBR/McLaren-Mercedes), 141
7. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), 93
8. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault), 90
9. Felipe Massa (BRA/Ferrari), 89
10. Sergio Perez (MEX/Sauber-Ferrari), 66
16. Bruno Senna (BRA/Williams-Renault), 26

Mundial de Construtores

1. Red Bull-Renault, 407 pontos
2. Ferrari, 316
3. McLaren-Mercedes, 306
4. Lotus-Renault, 263
5. Mercedes, 136

_____________________________________

* A coluna Paddock da Redação traz bastidores e análises da Fórmula 1, a principal categoria de automobilismo do mundo.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Gringolaço > E a arbitragem lá na Europa também erra. E feio!

por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

Não é só no Brasil que a arbitragem anda decidindo jogos importantes. Sempre tive a impressão que aqui é pior, mas nesse final de semana a coisa foi feia na Europa, especialmente na Inglaterra e na Itália (que meu colega Antonio fala melhor mais abaixo).

Na Terra da Rainha, Chelsea e Manchester United se enfrentaram em jogo com cara de final. O United abriu rapidamente 2 a 0 com David Luiz (contra) e Van Persie (que está jogando muito, aliás. Artilheiro da Premier League com 7 gols). O time de Londres teve de ir pra cima, o United recuou e o empate foi inevitável. Mata descontou de falta no final do primeiro tempo, e Ramires fez de cabeça na etapa final para igualar.

Aí apareceu o juiz Mark Clattenburg (foto) para decidir. Primeiro expulsou Cahill acertadamente, por falta feita em clara chance de gol. Mas depois ele aplicou um segundo amarelo para Fernando Torres por simulação que não houve. Faltando mais de 20 minutos por jogar, o Chelsea tinha 2 a menos.

O United buscou a vitória e ela veio com gol de Chicharito Hernandez... em posição de impedimento, para completar o desastre que foi a arbitragem em Stamford Bridge. Infelizmente, o belo jogo entre os rivais.

O campeonato segue embolado, com Chelsea na liderança (22), seguido pelos 2 times de Manchester, United e City (ambos 21).

Em Liverpool, mais um erro grave


No clássico de Liverpool, o Everton deixou o Liverpool abrir 2 gols, mas conseguiu igualar. Aos 48 do segundo tempo, Luiz Suarez fez o gol que daria a vitória aos Reds. Porém, o auxiliar marcou um impedimento que não houve e prejudicou demais a equipe de Anfield que segue mal na tabela.

Bola de Ouro Fifa


A Fifa divulgou nesta segunda-feira (29) a lista dos 23 jogadores que lutam pelo título de melhor jogador do mundo de 2012. Fora ver algumas bizarrices como Busquets, Benzema e Pique entre os melhores, até que a lista é boa. Acho até que vai ser mais complicado escolher um top 3 em relação a 2011.

Messi e Cristiano Ronaldo (nesta ordem) continuam hours concurs na minha opinião. Agora na briga pelo terceiro lugar tem Iniesta, Falcão Garcia, Ibrahimovic, Xavi, Pirlo... Sem contar Neymar, único brasileiro escolhido. Mas dessa vez, sem um título da Libertadores nas costas, mesmo com ótimos números, o santista dificilmente conseguirá posição melhor que o 10º lugar do ano passado.

Os indicados são: Sergio Agüero (Argentina), Xabi Alonso (Espanha), Mario Balotelli (Itália), Karim Benzema (França), Gianluigi Buffon (Itália), Sergio Busquets (Espanha), Iker Casillas (Espanha), Cristiano Ronaldo (Portugal), Didier Drogba (Costa do Marfim), Radamel Falcao (Colômbia), Zlatan Ibrahimovic (Suécia), Andrés Iniesta (Espanha), Lionel Messi (Argentina), Manuel Neuer (Alemanha), Neymar (Brasil), Mesut Özil (Alemanha), Gerard Piqué (Espanha), Andrea Pirlo (Itália), Sergio Ramos (Espanha), Wayne Rooney (Inglaterra), Yaya Touré (Costa do Marfim), Robin van Persie (Holanda), Xavi (Espanha).

Campeonato Italiano > Juve vence em arbitragem polêmica
por Antonio Lemos | www.paponaarquibancada.blogspot.com.br

A Juventus continua com a sua sequência invicta no Calcio ao vencer o Catania fora de casa por 1 a 0, no domingo. O jogo foi marcado por dois lances polêmicos. Um gol mal anulado a favor do time mandante e outro irregular confirmado a favor da Juve. Aos 27 minutos do primeiro tempo, Spolli desviou de cabeça, a bola bateu na trave esquerda de Buffon, e Bergessio empurrou para o fundo das redes. O auxiliar marcou impedimento do argentino, mas ele estava até antes do zagueiro Chiellini, último homem da Juventus.

Na etapa final, aos 11 minutos, o mesmo bandeirinha errou ao não ver que Bendtner recebeu passe dentro da área em posição ilegal - um pouco à frente do último defensor. O dinamarquês chutou, Andujar deu rebote, e Vidal fez o gol, seu terceiro no Calcio. A Juve segue líder.

No sofrimento, Milan também vence


Na abertura da rodada, enfim o Milan voltou a ficar em paz com a vitória. Diante do Genoa, em casa, os rossoneros venceram pelo placar mínimo e chegou à 10ª posição com 10 pontos. A partida teve a volta de Alexandre Pato ao time titular pela primeira vez desde fevereiro deste ano, mas ele foi substituído aos 22 minutos da segunda etapa pelo italiano Pazzini.

Aos 27 minutos veio o alívio e após o cruzamento de Abbate, El Shaarawy mandou para o fundo do gol, decretando a terceira vitória do Milan no Calcio. O time de Milão tem o pior início de temporada na sua história desde a década de 1940.

_______________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


Direto da Redação
| redacao_esporte@hotmail.com | @redacaoesporte

domingo, 28 de outubro de 2012

Comentário da Redação > O dono da bola

Ele foi objeto da maior transação do futebol nacional até o momento, jogador de seleção e campeão sulamericano sub-20 com ela, uma das maiores promessas do esporte mais popular desta terra.

Fica, porém, à sombra de nomes como Neymar e Oscar, que não são piores que ele, claro que não, só que não são tão mais importantes como se faz crer.

Independente da posição na tabela em que se encontra e a qualidade do Sport, neste sábado Lucas foi genial.

Fez três gols: o primeiro, um balaço em diagonal, do meio da rua; o segundo, de puro oportunismo, aproveitando uma falha do goleiro, e o terceiro, após uma tabela com o centroavante do time, que no lance deixou o protagonismo para o dono da bola, do jogo, do estádio e da rodada.

Sei que a análise deveria contemplar o jogo como um todo, mas seria uma injustiça que eu cometeria com este rapaz e eu desperdiçaria a chance de não cair no balaio da maioria, que o exalta menos do que ele merece.

Mesmo porque, aliás, o jogo foi ele e dele. Se o São Paulo saiu da Ilha do Retiro com uma bela vitória, o maior responsável foi o camisa 7.

Falar mais o quê?

Conceitos

Rogério Ceni – BOM: Sem culpa nos gols e fez ótimas defesas.
Paulo Miranda – REGULAR: Melhor no ataque do que na defesa. Falhou no primeiro gol do Sport e foi atabalhoado no lance do pênalti. Creio que se ele não tivesse participado da jogada, o juiz não marcaria nada.
(Cícero) – SEM CONCEITO: Entrou no fim mais uma vez.
Rhodolfo – REGULAR: Desatento no lance que originou o pênalti, que só aconteceu porque ele perdeu na corrida pro atacante e para tentar consertar, Paulo Miranda e ele acabaram derrubando o jogador do Sport.
Rafael Toloi – BOM: Belas interceptações e cortes. Não falhou em nenhum dos gols sofridos.
Cortez – BOM: Participativo no ataque. Teve bastante atitude.
Denílson – BOM: Como sempre, uma partida séria e responsável. Levou um amarelo inexplicável. Não por sua culpa, mas porque o juiz tem que punir alguém do time visitante, né…
(Casemiro) – RUIM: É preguiçoso e omisso. Uma pena, ele tinha muito futuro.
Wellington – REGULAR: No começo do jogo estava disperso, mas depois melhorou.
Maicon – REGULAR: Não apareceu muito, mas como não chegou a falhar, fica na média.
(Ademílson) – REGULAR: Produziu pouco também. Gosto de sua raça.
Douglas – REGULAR: Se esforça como meia, mas não produz quase nada. Perdeu um gol feito.
Lucas – EXCELENTE: A crônica do jogo foi só sobre ele. Não tem mais o que comentar.
Luis Fabiano – BOM: Fez o papel de garçom, solidário. Só foi fominha em um lance que poderia tocar para Rhodolfo que estava livre na área, mas preferiu bater de bico. Errou.
Téc. Ney Franco – REGULAR: Armou o time errado no começo, mas depois consertou. Deve muito ao Lucas.

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.


Por Thiago Jacintho
| thi.jacintho@gmail.com

Comentário da Redação > Com uma bela assistência da televisão, Gérson Baluta faz "gol de letra" e resolve o jogo em Porto Alegre

Você na certa deve estar se perguntando quem é o cidadão por mim citado no título deste texto. Gérson Baluta foi o delegado da partida de ontem em Porto Alegre, e foi decisivo na vitória de 2 a 1 do Inter diante do Palmeiras. O Verdão jogou bem, mas de novo a sorte não estava do lado do time.

A equipe colorada começou um pouco melhor a partida. Estava mais ofensiva, sempre querendo furar o bloqueio defensivo do Palmeiras. Mas a melhor chance chance foi do Verdão com Patrick Vieira, que recebeu um bom passe de Luan, e cara a cara com Muriel não teve frieza para abrir o placar. Isso foi apenas um prefácio, pois aos 22 minutos, a equipe paulista abriu o placar com Luan. Após cobrança de escanteio de Assunção, a bola foi desviada e sobrou para o atacante que só colocou a cabeça na bola e tirou do goleiro.

Porém, após o gol, o Palmeiras recuou um pouco e deixou o Inter fazer pressão. E de tanto tentar conseguiu o empate aos 34 minutos com Fred, após falha da marcação do sistema defensivo palmeirense. A primeira etapa terminou com o Verdão no ataque. Barcos e Artur perderam chances boas de fazer o gol.

A segunda etapa começou melhor para o Palmeiras, mas foi o Inter quem fez o segundo gol. Após boa jogada de Forlán, Rafael Moura sozinho deu um bonito "peixinho" empurrando a bola pro fundo das redes. Aí veio a polêmica. O Verdão empatou aos 16 minutos, com um gol de mão de Barcos. O juiz validou, o bandeirinha também, só que aí entrou em cena o delegado da partida. Gérson Baluta avisou ao quarto árbitro que o gol havia sido de mão e segundo Gilson Kleina o próprio quarto árbitro admitiu o auxílio da televisão, e então o juiz voltou atrás e cancelou o gol. Tudo bem que o gol foi ilegal, mas a regra não permite o auxílio de meios de comunicação.

E olha que o Palmeiras já foi muito prejudicado nesse campeonato. Onde estava o delegado da partida contra o Botafogo, no qual o banderinha anulou vergonhosamente um gol em que Barcos estava a 2 metros atrás da linha da bola? Onde estava o delegado da partida contra o Cruzeiro no primeiro turno, em que os dois gols da Raposa vieram de lances irregulares? Já que é pra usar a TV, que use pra todos.

Voltando ao jogo, a equipe palmeirense ainda fez uma pressão tentando o empate, mas de nada adiantou. Mais uma derrota e o risco de rebaixamento se tornou maior ainda.

Sr. Piraci de Oliveira, conselheiro do Palmeiras, prometeu que entrará na justiça pedindo a anulação da partida. Se o gol não tivesse sido de mão, acredito que ele teria êxito no processo, mas como o gol foi irregular, é complicado que a justiça volte atrás.

A sorte do Palmeiras é que o Bahia apenas empatou com o Grêmio em casa e o Sport perdeu de 4 a 2 para o São Paulo também em casa. A próxima partida será contra o Botafogo em Araraquara, e se não vencer, acredito que o time fique moralmente rebaixado.

Conceitos

Bruno - BOM: Esteve bem. Fez boas defesas, principalmente na primeira etapa.
Artur - PÉSSIMO: Péssimo é pouco. Foi o pior em campo disparado.
Mauricio Ramos - PÉSSIMO: Esteve mal posicionado em ambos os gols do Inter.
Henrique - REGULAR: Fez o básico, que é tirar as bolas, mas achei que fez muitas faltas.
Leandro - REGULAR: Não subiu tanto ao ataque como nas rodadas anteriores.
(Juninho) - SEM CONCEITO: Entrou no fim.
João Denoni - REGULAR: Esteve bem defensivamente, mas não teve presença como elemento surpresa no ataque.
Marcos Assunção - BOM: Mais uma vez mostrou garra. Participou do primeiro gol e levou perigo ao Inter em suas cobranças de falta.
Wesley - REGULAR: Ainda está um pouco fora de ritmo, mas correu bastante e se esforçou.
(Maikon Leite) - RUIM: Correria pura, só.
Patrick Vieira - BOM: Foi o melhor do time em campo. Criou boas jogadas, e levou perigo ao Inter em ambos os tempos.
Luan - BOM: Se esforçou como sempre e fez o gol do time.
(Obina) - SEM CONCEITO: Entrou no fim do jogo.
Barcos - REGULAR: Levou perigo ao gol do Inter algumas vezes, mas perdeu um gol na cara do gol. Sem contar o polêmico gol de mão.
Téc. Gilson Kleina - REGULAR: Achei uma escalação muito defensiva incialmente, mas depois acabei gostando.

Se sua vida é o Palmeiras, curta a página: www.facebook.com/palmeirasminhavidaevoce.
__________________________________________

 * A coluna Mondo Verde comenta as últimas notícias e acontecimentos da Sociedade Esportiva Palmeiras. O Palestra!



por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Comentário da Redação > Fracasso total na Sul-Americana

Jogo ruim, jogado por dois times ruins, arbitrado por um arbitro ruim. No final, mais um resultado ruim. Essa é a definição do fracasso do Palmeiras ontem por 3 a 0 diante do fraco Millionários da Colômbia, em Bogotá, pela Copa Sul-Americana. O time jogou muito mal, e parece que algumas peças importantes como João Denoni e Marcos Assunção fizeram falta.

A primeira etapa foi em grande parte dominada pelo Millionários. A equipe colombiana estava bem ofensiva. O Palmeiras estava um time bem desprotegido defensivamente. Foi duro segurar a pressão, mas uma hora não foi possível mais aguentar. Aos 34 minutos, após boa jogada de Cosme (que deitou e rolou sobre a zaga palmeirense) e um lindo corta-luz de Rentería (ex-Santos, Internacional e Atlético-MG), Ortiz tirou a bola de Bruno e abriu o placar. O 1 a 0 ainda dava para o Palmeiras, e estava no lucro. O time ainda chegou com Mazinho e Thiago Real, mas nada aconteceu.

Na segunda etapa o time esteve um pouco melhor em campo. Mas logo veio um balde de água fria. Leandro Amaro fez pênalti em Renteria, e o próprio foi pra cobrança, anotando o 2º do Millionários. Nesse momento, a equipe colombiana estava se classificando. O Palmeiras iria precisar sair um pouco para o jogo, só que ficou mais exposto ainda ao contra-ataque. E nisso o Millionários fez o 3º gol com Ochoa. Nada adiantava mais, e pra complicar, Betinho perdeu a cabeça, foi expulso e deixou o time com um a menos no gramado.

Meu medo agora é que o time se abale com a eliminacão. Isso não deve acontecer de jeito nenhum, pois no Brasileiro os riscos de rebaixamento são grandes ainda. Gilson Kleina será essencial para controlar a cebeça dos jogadores. O próximo jogo é contra o Internacional, sabado às 16h20, no Beira-Rio, Porto Alegre. É necessário que se vença.

Conceitos

Bruno - BOM: Não foi mais por causa dele.
Artur - PÉSSIMO: Errou muitos passes e deixou muitos buracos na zaga.
Leandro Amaro - PÉSSIMO: É um zagueiro péssimo, porém muito habilidoso em fazer faltas. Fez um pênalti de letra.
Thiago Heleno - RUIM: Muito devagar. Cosme, atacante do Millionários, deitou e rolou sobre ele.
Juninho - PÉSSIMO: Perdia todas as bolas que recebia. Perdido em campo.
Márcio Araújo - RUIM: Perdido em campo também. Não protegeu a zaga e fez muitos passes errados.
Patrik - PÉSSIMO: É um jogador muito bizarro. Não tem cabimento ele estar em um time grande.
(Betinho) - PÉSSIMO: Nada a declarar. Ficou 20 minutos em campo, foi irresponsável e expulso. Acabou com qualquer tática do time
Daniel Carvalho - PÉSSIMO: Zzzzzzzzzzzzzzzzzz...
(Obina) - RUIM: Entrou mal. Pouco apareceu no jogo, e teve uma jogada em que foi extramente individual, sendo que tinha companheiros em condições bem melhores de fazer o gol.
Thiago Real - REGULAR: Foi o melhor do time. Tentou algo.
Mazinho - PÉSSIMO: Quis fazer mais do que sabe. Muito apagado em campo, se tocou na bola duas vezes foi muito.
(Luan) - PÉSSIMO: Entrou muito mal. Perdeu a cabeça em campo e deu um ponta pé no adversário. Deveria ter sido expulso.
Barcos - REGULAR: Tentou alguma coisa também, mas foi extremamente "fominha" em uns quatro lances que poderiam dar em gol.
Téc. Gilson Kleina - REGULAR: Escalou um time muito ofensivo. Poderia ter montado um sistema defensivo melhor. Mas fez o que poderia fazer. Estava com muitos desfalques.

Se sua vida é o Palmeiras, curta a página: www.facebook.com/palmeirasminhavidaevoce.
__________________________________________

 * A coluna Mondo Verde comenta as últimas notícias e acontecimentos da Sociedade Esportiva Palmeiras. O Palestra!




por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Gringolaço > Irresistibile Juventus

por Antonio Lemos | www.paponaarquibancada.blogspot.com.br

Quem vai parar a Vecchia Signora? Essa é a pergunta que toda a Itália faz após mais uma rodada em que a Juventus segue líder do Calcio, agora com 22 pontos. O recorde de invencibilidade na liga é do Milan entre 1991-93 com 58 jogos sem perder, e o time de Turim chegou a 47. A partida contra o Napoli, vice-líder, foi burocrática e tinha cara de um 0 a 0, mas nos minutos finais, os bianconeros souberam matar o jogo se tornaram os únicos invictos do campeonato.

Na primeira etapa, apenas dois lances de perigo: aos 27 minutos, Cavani cobrou falta que bateu na trave de Buffon. E, aos 46 minutos, Marchisio fez o principal lance de perigo da Juventus, com um chute forte de fora da área que saiu por cima.

Na segunda etapa, o panorama era o mesmo, mas bastou o time da casa mexer para que o placar fosse inaugurado. Primeiro foi Cáceres, que acertou cabeçada aos 35 minutos, após Pirlo ter cobrado escanteio. Dois minutos depois, foi a vez do jovem Pogba acertar um belo chute de primeira, de fora da área, para fazer 2 a 0 e dar números finais ao jogo.

Já o Milan...

Outro jogo de relevância da rodada foi Lazio x Milan que acabou com a vitória dos romanos por 3 a 2, afundando ainda mais os rossoneros, que agora ocupam a 15ª posição da tabela. Já a Lazio continua em terceiro.

Os donos da casa saíram na frente com Hernanes, aos 25 minutos, após boa jogada individual e ajuda da defesa adversária.  No fim da primeira etapa, aos 41 minutos, Candreva soltou uma bomba e ampliou o marcador. Na segunda etapa, aos cinco minutos, Klose fez o terceiro e tinha tudo para acabar em goleada, mas o Milan tentou esboçar a reação com De Jong aos 16 minutos e El Shaarawy aos 34 minutos. Ficou nisso.

Campeonato Espanhol > La Coruña quase complica Barça em jogo de 9 gols
por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

No jogaço da rodada por "La Liga", no sábado, o Barcelona sofreu demais para derrotar o La Coruña jogando no Riazor. O time catalão saiu atrás no placar, virou o jogo e terminou o primeiro tempo com 4 a 2 de vantagem.

No ínico da etapa final, Mascherano foi expulso e para piorar o "Depor" fez o terceiro, colocando pressão no jogo. Então, Messi surgiu para completar um hat trick (já havia marcado outros dois gols) e fazer 5 a 3. O time da casa ainda diminuiu com gol contra de Alba, mas ficou 5 a 4 mesmo.

O que se tira de lição desse resultado é que a defesa do Barcelona anda cada vez mais complicada. Mascherano, Song e até o lateral Adriano vêm sendo improvisado no setor com as lesões de Piqué e Puyol, mas nenhum deles é zagueiro mesmo. Quando tiver um adversário mais forte pela frente, a coisa pode ficar feia de verdade.

Mesmo assim, o Barcelona segue na lideranã com 22 pontos, mesmo número do Atlético de Madrid, que venceu a Real Sociedad por 1 a 0 fora de casa, gol de Falcao Garcia, pra variar. O Real Madrid também venceu: 2 a 0 contra o Celta, no Bernabeu. Os merengues ainda estão a 8 pontos longe do Barça.

Campeonato Inglês > Chelsea Power

O Chelsea segue líder e invicto no Campeonato Inglês. No sábado, vitória por 4 a 2 sobre o Tottenham no grande jogo da rodada, em White Hart Lane, com 3 viradas. O placar foi o mesmo do triunfo do Manchester United sobre o Stoke City, em Old Trafford. Os Red Devils ocupam a vice-liderança da Premier League, quatro pontos atrás dos Blues (22 a 18).

E para esquentar ainda mais a rivalidade, Chelsea e Manchester medem forças no próximo domingo, em Londres. Que jogo!

Campeonato Alemão > Bayern Power

Na Alemanha, o Bayern de Munique lidera com ampla folga. A oitava vitória em oito jogos veio no sábado: 5 a 0 sobre o pobre Fortuna Düsseldorf. O time bávaro tem cinco pontos de vantagem sobre o vice-líder Eintracht Frankfurt. No clássico da rodada na Bundesliga, o Schalke 04 surpreendeu o Borussia Dortmund fora de casa, vitória por 2 a 1, que coloca o time azul na terceira colocação.

Fotos: AP e Getty Images
_______________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


Direto da Redação | redacao_esporte@hotmail.com | @redacaoesporte

Raquetada > E mais uma vez Bellucci perde para ele mesmo

Neste domingo foi disputada a final do ATP 250 de Moscou, Rússia. Em quadra, o brasileiro Thomaz Bellucci buscava diante do italiano Andreas Seppi seu 4º título de ATP e seu 1º título em quadra dura (quadra rápida).

O brasileiro teve um primeiro set quase perfeito. Foi dominante nas bolas e buscou trocações no fundo da quadra onde mostrava ter um claro domínio diante de Seppi, além de oito aces. Bellucci quebrou o saque do italiano no 4º game, e aí foi só confirmando seus serviços até o fim do set. No fim 6/3 e 1 a 0 no placar.

O segundo set foi bem mais equilibrado. Os primeiros saques foram confirmados até o 7º game, quando o brasileiro quebrou o serviço do italiano. Porém quando estava 5/4 e sacava para o título, Bellucci teve um apagão e permitiu que Seppi devolvesse a quebra. O brasileiro quebrou mais uma vez o saque do italiano no 11º game, e quando novamente sacava para o título, teve um outro apagão e permitiu que Seppi de novo empatasse a partida. No Tie Break, sem problemas para o italiano, que venceu por 6 a 3. O set foi 7/6 e a parcial empatou em 1 a 1.

É de conhecimento de todos os amantes de tênis que Bellucci não tem um psicológico muito bom. Então o imaginável aconteceu. No terceiro set o brasileiro errou bolas fáceis e bobas, e em momentos decisivos. Bom para Seppi, que no 7º game quebrou o saque de Thomaz, abrindo 5 a 3 no placar e tendo o saque para vencer o jogo. Seppi confirmou seu serviço e venceu o 3º set por 6/3, fazendo 2 a 1 no placar.

Bellucci deixou a quadra bem abalado. Não era pra menos, afinal teve em mãos duas vezes o saque para o título.

Marcelo Melo e Bruno Soares conquistam o ATP de Estocolmo

Os brasileiros Marcelo Melo e Bruno Soares conquistaram na manhã de domingo o título de duplas do ATP 250 de Estocolmo, na Suécia. De virada, venceram Robert Lindstedt (sueco) e Nenad Zimonjic (sérvio) por 2 a 1 (6/7, 7/5 e 10/8). Com o título, a dupla se manteve como uma das principais no ranking da ATP.

O grande destaque do jogo foi a capacidade mental do brasileiros. Eles foram muito mal no início do 1º set, depois se recuperaram, mas perderam.

O 2º e o 3º sets foram bem equilibrados e nos momentos decisivos o sangue frio e experiência dos brasileiros foram determinantes.

O título de simples deste torneio ficou para Tomas Berdych, da República Tcheca, que bateu Jo-Wilfred Tsonga, da França, de virada por 2 a 1 (4/6, 6/4, 6/4).

Em Viena, Del Potro bate Zemlja

No ATP 250 de Viena, na Aústria, Juan Martin Del Potro da Argentina venceu a grande surpresa Grega Zemlja, da Eslovênia, por 2 a 0 (7/5, 6/3). Esse foi o 13º título do argentino que já é o 8º no ranking mundial, 3º no ranking do ano.

Foto: AFP

______________________________________

* A coluna Raquetada é o espaço dos aces, paralelas, voleios, deixadinhas e opinião sobre o que de melhor rola no tênis pelo mundo.


por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

domingo, 21 de outubro de 2012

Comentário da Redação > Para quem duvidava, ajudamos nosso rival

Mais uma vez desinteressado, o Corinthians enfrentou um motivado Bahia, querendo se afastar da zona de rebaixamento. Foi a última partida de algumas folgas dadas a alguns jogadores por Tite, como Fábio Santos, Alessandro, Danilo, Ralf e Paulinho. O jogo ficou 1 a 1 e o placar ajudou o Palmeiras de alguma forma na briga contra o rebaixamento.

A maior expectativa era a estreia do garoto Denner, lateral-esquerdo que joga bem, e segundo especialistas irá roubar a vaga de Fábio Santos se tiver uma sequência, mas não foi dessa vez, já que ele se machucou com três minutos de jogo. E pela estreia de Anderson Polga como titular do Timão, é bom o Paulo André abrir o olho.

No primeiro tempo, o Corinthians até mostrou um pouco de vontade, dando a entender que iria atacar o Bahia e tentar vencer o jogo. Mas só até Guilherme ser derrubado na área, e Douglas marcar de pênalti.

Depois disso, os jogadores tiraram o pé e começaram a tocar a bola. O mais interessado era o atacante peruano Paolo Guerrero (que teve um gol bem anulado), que quer se garantir como titular do time no Mundial de Clubes, e o volante Guilherme, que vem evoluindo e se entrosando com o restante de equipe.

Mas a bola parada virou um desastre. Depois da Portuguesa marcar dessa maneira, foi a vez de Fahel, que empatou o jogo para o Bahia. Depois disso, muitas faltas e passes errados.

Agora diante do Vasco é que Tite começará a definir a lista para o Mundial, então esperamos que o bom futebol da  equipe volte, já que os titulares estarão presentes.

Conceitos

Cássio – BOM: Sem culpa no gol, alternou boas e más saídas. Melhorou e muito nas reposições de bola.
Edenílson – REGULAR: Voltou a atuar na lateral-direita, se Tite optar por mantê-lo na posição, possivelmente roubará a vaga de Alessandro.
Wallace – SEM CONCEITO: Jogou 12 minutos e sentiu lesão.
(Felipe) – BOM: Com ele não tem brincadeira, é bico pro mato que o jogo é de campeonato. Gostei dele.
Anderson Polga – BOM: Xerife da zaga, bom posicionamento, bom passe, bem melhor que Paulo André, não demorará e será titular ao lado de Chicão. Boa contratação.
Denner – SEM CONCEITO: Jogou menos de cinco minutos e sofreu uma lesão.
(Welder) – REGULAR: Só não vou falar que foi ruim, pois dessa vez ele acertou passes, tentou progredir na diagonal. Mas precisa melhorar muito.
Guilherme Andrade – RUIM: Como volante não funciona, não tem poder de marcação. Melhor na lateral.
Guilherme – ÓTIMO: Parece mais solto com a camisa do time. Assumiu o comando do meio de campo, preparado para substituir Paulinho. Sofreu o pênalti e foi o melhor da partida.
Douglas – BOM: Bons passes e boa distribuição do jogo, mas falta soltar a bola mais rápido. Marcou o gol do Timão.
(Jorge Henrique) – REGULAR: Bom retorno à equipe, tem condições de voltar a ser titular. Se movimentou, finalizou, falta ritmo de jogo.
Romarinho – PÉSSIMO: Mais uma vez, atuação bem abaixo do esperado. Não foi notado em campo, passa por uma fase ruim.
Martinez – BOM: Driblador, rápido, quase marcou de cabeça. Sabe se posicionar, pode ser titular da equipe.
Paolo Guerrero – BOM: Muita vontade, mas ficou muito isolado na frente. Buscou jogo e marcou um gol, mas foi anulado. Boa opção no comando do ataque.
Téc. Tite – BOM: Teve que gastar duas substituições logo no começo do jogo, não teve muito o que fazer. Mas em vez de ficar com quatro atacantes e sem nenhum armador, poderia ter colocado o Ramirez em vem do JH.

Foto: Gazeta Esportiva

Aqui é Corinthians! Curta a página do torcedor do Timão no Facebook: www.facebook.com/timaomeuamor. _____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.


por Rodrigo Bocatti | @digo90 | http://esportesarena.com.br

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Paddock da Redação > Red Bull pode não dar asas, mas pode transformar Vettel em campeão

Não sei se o energético dá asas, mas pode com certeza dar o título de campeão mundial, pela terceira vez, para Sebastian Vettel. O carro da Red Bull, depois de começar o ano com problemas nos túneis de ar e com um desempenho oscilante, demonstrou nas três ultimas etapas um alto crescimento de rendimento e agora é a melhor equipe da Fórmula 1.

Não foi concidência que nesse período o piloto alemão conseguiu três vitórias (75 pontos), nos GPs  da China, Japão e Coreia. Agora o atual bicampeão do mundo tem quatro pontos de vantagem para Fernando Alonso, até então favorito, que além da falta de sorte viu a evolução de sua Ferrari estagnar e complicar sua situação na briga pelo título da temporada.

Outro piloto que tem muito o que comemorar após o ótimo final de semana na Coreia é Felipe Massa. O brasileiro após realizar uma prova consistente chegou em 4° lugar, seria terceiro caso não houvesse uma ordem de sua equipe para não atacar Alonso. Como prêmio pelo ótimo desempenho na segunda metade da temporada, Massa teve seu contrato renovado por mais uma temporada e seguirá à frente da equipe vermelha até o final de 2013.

Quem ficou mais uma vez abaixo da crítica é Bruno Senna, que ficou no 14° lugar. Outra vez atrás de seu companheiro de equipe, o venezuelano Pastor Maldonado. Agora fica cada vez mais difícil justificar sua presença na Wiliams na próxima temporada. Se continuar mostrando tanta irregularidade é bem provável que a equipe inglesa aposte em Valteri Bottas para guiar o segundo carro da escuderia.

A próxima etapa da Fórmula 1 acontece no último fim de semana de outubro e é o esperadíssimo GP de Índia, que estreia no campeonato. Para essa prova não dá para apostar em um favorito, pois faltam detalhes sobre as características da pista. Mas vale dar uma conferida para saber se Vettel continuará supremo e se irá consolidar sua condição de favorito ou se Alonso irá conseguir se recuperar da má fase e voltar a incomodar a favorita Red Bull na briga pelo título. É esperar para ver.

__________________________________


* A coluna Paddock da Redação traz bastidores e análises da Fórmula 1, a principal categoria de automobilismo do mundo.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

En la Cancha > Argentina fecha o ano na liderança das Eliminatórias

Com as vitórias sobre Uruguai e Chile, a seleção Argentina se consolida na liderança das Eliminatórias Sul-americanas para a Copa de 2014. Com duas ótimas atuações de Messi (foto, camisa 10), a equipe de Sabella parece ter encontrado definitivamente um padrão de atuação tanto fora quanto dentro de casa. Outro fator que chama bastante a atenção é que finalmente o técnico conseguiu resolver o principal problema e calcanhar de aquiles da Albi nos últimos anos. A defesa formada por jogadores medianos como Zabaleta, Fernandes, Garay e Rojo encontrou consistência e dificilmente é vazada nas partidas.

A decepção desta rodada dupla foi o Uruguai. A terceira colocada da última Copa do Mundo sofreu duas derrotas por placares elásticos, 3x0 para Argentina e 4x0 para a Bolívia, e caiu para a quinta colocação na tabela de classificação. Com 12 pontos o time de Fórlan está empatado com o Chile e corre sério risco de ficar fora da Copa no Brasil e tentar repertir o Maracanazzo de 50. Se as eliminatórias terminassem hoje, o selecionado charrúa iria disputar a respescagem, o que seria uma vergonha para a melhor seleção da América do Sul na atualidade, Campeã da América em 2011.

Equador e Venezuela são as duas surpresas até agora na competição. Os equatorianos se recuperam dos vexames dos últimos anos e agora estão na vice-liderança. Só uma campanha muito abaixo da crítica é capaz de evitar que eles carimbem o passaporte para o Brasil. Já a Vinotinto tem a mesma pontuação do Uruguai e hoje se classificaria de forma inédita para um copa do mundo, o que mostra a franca evolução que vem passando o futebol do país.

A próxima rodada dupla das eliminatórias acontece só em março de 2013. O destaque dessa rodada é que tanto uruguaios e equatorianos têm a chance de melhorar suas campanhas, pois ambas recebem o fraco e lanterna Paraguai. É a oportunidade das equipes ficaram mais próximas da Copa do Brasil e decretar de vez a pior campanha paraguaia da história.

 _____________________________________

* A coluna En la Cancha fala sobre os principais assuntos do futebol sul-americano.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

Terra do Tio Sam > Detroit Tigers passa a vassoura no New York Yankees e está na World Series

Nos Estados Unidos, quando um time vence todos os jogos contra  outro em uma série de playoffs ou sequência de jogos (no caso do beisebol), se a usa expressão varrida. Mas no caso de Detroit Tigers 4 vitórias a 0 contra o New York Yankees, na final da Liga Americana 2012, pode chamar de massacre, atropelamento ou humilhação, se você for torcedor dos Yankees (meu caso).

O time mais vitorioso da Major League Baseball perdeu sem ver a cor da bolinha de cortiça nesses quatro jogos. Ontem, no jogo 4, em Detroit, vitória dos mandantes por 8 a 1 e classificação para a World Series, a final do beisebol norte-americano. No agregado, os Tigers anotaram 19 corridas contra 6 de Nova York. E estamos falando de um time que tem Alex Rodriguez, Robinson Cano, Curtis Granderson, Nick Swisher... mas nenhum deles funcionou (ver escalte abaixo), apesar de estar entre os 5 melhores aproveitamentos do time durante a temporada regular.

Swisher, Granderson e A-Rod ainda amargaram a vergonha de passar alguns jogos das finais no banco, entrando (ou não) como pinch hitter. Rodriguez, o jogador mais caso da MLB, passou todos os jogos na reserva. A maioria deles, mascando sementes de girrassol, sentado, nem aí com a hora dos Estados Unidos. Enquanto, isso aparecem com os melhores números na série jogadores muito mais baratos, como raul Ibañez e Eduardo Nunez.

Fica agora um ponto gigante de interrogação no Yankee Stadium, para saber o que será desse elenco na próxima temporada. Eu acho que é o momento de renovar. Mas isso não é tão simples assim. A-Rod (foto), por exemplo, tem contrato até 2017 e disse ontem que não quer sair. Mas o clima pra ele na "big apple" será pesado em 2013, assim como para seus companheiros de bastão.

Aproveitamento das estrelas Yankees na pós-temporada:


Alex Rodriguez - 12% em 25 aparições no bastão. Nenhum HR ou corridas impulsionada.
Robinson Cano - 7,5% em 40 aparições no bastão. Nenhum HR e 4 corridas impulsionadas.
Curtis Granderson - 10% em 30 aparições no bastão. Um HR e uma corrida impulsionada.
Nick Swisher - 16% em 30 aparições no bastão. Nenhum HR e uma corrida impulsionada.

Tigres selvagens

O Detroit Tigers chega à final sem nenhuma grande estrela, mas como todo o elenco pegando fogo no bastão. Para se ter uma ideia, os dez titulares estão com aproveitando a cima de 20% nesta pós-temporada. Destaque para Jhonny Peralta (34,3%) e Avisal Garcia (33,3%). Garcia, aliás, contra os Yankees aumenta esse número para 45,5%. Impressionante! E olha que nem vou falar do ótimo trabalho dos arremessadores.

Tudo indica que o adversário na World Series será o St. Louis Cardinals, que vence a série da Liga Nacional contra o San Francisco Giants por 3 a 1. No papel, os Cardinals tem mais time. Porém, em ação, as forças se equivalem. Duelo imperdível.

NFL > Manning foi Manning

A semana 7 da NFL já começou, com vitória de San Francisco contra Seattle (13 a 6), mas os fãs do futebol americano ainda estão impressionados com o jogo que fechou a semana 6. No Monday Night Football, Peyton Manning (foto) mostrou porque é um dos melhores quarterbacks da história, ao lançar 5 touchdowns e comandar a virada do Denver Broncos sobre o San Diego Chargers, em jogo fundamental pela divisão Oeste da AFC.

Os Chargers venciam a partida por 24 a 0 no intervalo da partida, mas tiverem que engolir um show de Manning e a derrota por 35 a 24. Para quem achava que o camisa 18 estava "nas últimas", acho melhor mudar de opinião.

Rodgers foi Rodgers


Um dos melhores QBs da atualidade e ainda no auge da idade é Aaron Rodgers, que segue barbarizando em Green Bay. No domingo, ele lançou seis TDs e 338 jardas na vitória dos Packers sobre os Texans por 42 a 24. O número de touchdowns igualou um recorde da franquia que pertencia a Matt Flynt, conquistado na última temporada. O mais engraçado é Brett Favre não ser o detentor dessa marca, após 300 anos jogando lá entre os cabeças de queijo.

__________________________________

* A coluna Terra do Tio Sam fala dos esportes que são paixão nos Estados Unidos: basquete, beisebol, futebol americano e hóquei.


por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Comentário da Redação > Na terra dos ETs a única coisa boa foi a estreia de Zizao

O Corinthians entrou na 31ª rodada sem mais pretensões no Campeonato Brasileiro, já que aguarda a chegada do Mundial de Clubes, em dezembro. O Cruzeiro ainda sonhava com uma vaga na Libertadores, e com a vitória a vaga ainda pode ser cogitada na Toca da Raposa.

Com o time todo remendado, sem 12 jogadores, Tite não aliviou e manteve o esquema com três meias e um jogador mais enfiado, hora Danilo hora Romarinho. No começo, parecia que o Timão iria pressionar os mineiros, já que fazia marcação sob pressão. Mas com muito passes errador e muita individualidade, que se deve ao entrosamento, o Cruzeiro igualou as forças.

Sem os dois laterais titulares, o Cruzeiro atacou por ali. E em uma dessas descidas, Martinuccio cruzou e Anselmo Ramon completou, em uma bobeada da zaga, já que deixou ele passar no meio sem nenhum defensor o acompanhar. Ainda no final do 1º tempo, Edenilson quase empatou.

No intervalo, Tite não mexeu na equipe e continuou a espera de uma boa jogada. Danilo, o mais lúcido da equipe, foi sacado logo no começo do 2º tempo. Mas ainda viu Martinuccio, em grande noite, ampliar o marcador: 2x0 Cruzeiro.

O grande detalhe da noite foi quando Tite mandou chamar Zizao. Chegava a hora do chinês estrear com a camisa alvinegra, após mais de 200 dias treinando, recuperando-se de lesão, era a hora dele.

E não decepcionou, jogou até bem. Voltou para buscar jogo, arriscou dribles e até um chute ao gol. Pode não ser um craque, mas melhor do que alguns jogadores do próprio elenco, isso não tenha dúvida. Depois da estreia, acho que pode ter chegado a hora dele começar jogando, quem sabe contra o Bahia, no sábado.

Enquanto isso, o Corinthians aguarda o dia 5 de dezembro, quando embarca para o Japão, em busca do seu segundo título mundial. Até lá, Tite vai definindo a lista de inscritos e tendo um treino de luxo no Brasileiro.

Conceitos


Cássio – BOM: Sem culpa nos gols e foi bem quando exigido.
Welder – PÉSSIMO: Mal na direita, não atacou e o cruzamento do 1º gol foi pelo seu lado. Inverteu e foi para esquerda e depois o Cruzeiro começou a atacar nas suas costas.
(Zizao) – REGULAR: Jogou um pouco mais de dez minutos, não deu muito tempo pra analisar, mas não é caneludo como muitos pensaram. Sabe jogar.
Wallace – RUIM: Lento demais, falhou nos dois gols, quando só olhou. Ainda bem que Chicão está voltando.
Paulo André – RUIM: Não acompanhou Anselmo Ramon no 1º gol e ainda tentou tirar a bola no 2º. Mostrou insegurança em sair jogando.
Guilherme Andrade – RUIM: Após boas apresentações, não se achou em campo, muitos passes errados e poucas triangulações.
William Arão – REGULAR: É difícil substituir Ralf, mas não comprometeu. Fez o básico, que é o que se espera dele.
(Rodnei) – SEM CONCEITO: Atuou pouco.
Guilherme – BOM: Um dos poucos que tentaram alguma coisa, mas não conseguiu infiltrações na zaga adversária.
Douglas – REGULAR: Bons toques de lado e dribles, mas podia ter soltado mais a bola para os companheiros.
Danilo – BOM: O melhor do time no jogo. Único que tentou jogadas, cruzava, chutava, cansou e saiu.
(Chiquinho) – REGULAR: Muita correria e pouca produtividade.
Edenílson – REGULAR: Perdeu um gol no 1º tempo, mas sem companhia pela direita, pouco fez.
Romarinho – PÉSSIMO: Praticamente não pegou na bola, poderia ter voltado mais para buscar o jogo.
Téc. Tite – REGULAR: Com o planejamento das folgas aos jogadores e mais os convocados, teve trabalho para montar a equipe, mas poderia ter ousado mais na equipe.

Aqui é Corinthians! Curta a página do torcedor do Timão no Facebook: www.facebook.com/timaomeuamor.
_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Rodrigo Bocatti | @digo90 | http://esportesarena.com.br

Comentário da Redação > Neymar marca gol espetacular, mas Santos deixa vitória escapar

Mais uma vez, jogando após pouco mais de 24 horas de sua última partida, e tendo que atravessar o oceano, Neymar não sentiu o desgaste e mostrou porque é um dos melhores jogadores do mundo no momento. O time do Santos teve um começo arrasador, comandado por seu craque, mas cedeu um empate pouco depois e o jogo ficou assim, no 2 a 2.

E quando digo que foi arrasador é porque realmente foi. O Peixe abriu o placar aos exatos 19 segundos de jogo, em bom lance de Felipe Anderson que tocou para Miralles concluir, sem dificuldades.

E então surgiu Neymar. Antes do gol antológico, ele já tinha feito alguns lances muito bonitos, mas foi fominha, deveria ter tocado para seus companheiros. No lance do gol foi fominha de novo, mas um fominha genial! Melhor do que falar, é assistir. Então segue o vídeo do forte concorrente ao bicampeonato do Prêmio Puskas, de melhor gol do ano pela Fifa.



Com 2 a 0 no placar, o Santos mostrava um ótimo futebol e muita tranquilidade. Seguiu atacando com perigo e a defesa parecia muito bem encaixada. Apenas parecia.

Antes dos 20 minutos, o Atlético diminuiu com Bernard de cabeça (1m40 de altura?), sem marcação, após cruzamento tranquilo de Serginho. E aos 26, um lance meio polêmico, que começou com uma concussão do zagueiro Rafael Marques (falo mais sobre isso abaixo) e terminou em contra-ataque do Atlético. Ninguém pôs a bola pra fora (e nem tem que por, pois a responsabilidade de parar o jogo é do juiz). Melhor para o Galo, que se aproveitou de bobeira dupla de Bruno Peres e Rafael e Jô colocou na rede.

Depois do empate o jogo ficou pra lá de morno. Principalmente após o susto pelo Rafael Marques. No segundo tempo, só lembro de dois lances de perigo, um do Atlético, em nova falha de Bruno Peres, e um do Santos, em mais uma boa aparição de Neymar, chutando de fora da área para brilhante intervenção de Victor. No mais, a destacar, só uma lambreta em três jogadores do Atlético, mais uma vez de Neymar.

E o empate ficou de bom tamanho para o jogo e para os times, mas pior para o Galo, que segue distante do Fluminense. O Santos consolida apenas sua permanência na Série A, e não há mais o que fazer.

Se fosse em Portugal...


Voltando ao caso do Rafael Marques, o mais lamentável foi a demora para que o atendimento fosse feito da melhor maneira. Entre o momento em que aparentemente ele desacordou e a saída da ambulância da Vila Belmiro, foram 15 minutos. Graças a Deus ele não tinha nada tão grave assim, mas e se fosse uma parada cardíaca ou algo do tipo? Toda a demora porque os "gênios" que administram o estádio perceberam apenas ontem que uma ambulância não consegue subir um degrau de 1 metro.

Que o incidente tenha servido para alertar o Santos a tomar providências. E que sejam hoje mesmo, senão pode fechar a Vila Belmiro!

E como a bruxa estava solta ontem, ainda tivemos o Bernard sofrendo uma pancada na nuca que lhe rendeu uma forte contração muscular no peito e ainda convulsão. Felizmente, está tudo bem. O Atlético precisou jogar com um a menos por mais de dez minutos, pois já havia feito as três substituições.

Conceitos

Rafael - RUIM: Achei que falhou nos 2 gols, ficou apenas assistindo. A fase não é boa.
Bruno Peres - PÉSSIMO: Pior partida dele pelo Santos. É bom lateral, mas se não aprender a marcar vai sofrer na carreira.
Bruno Rodrigo - REGULAR: Começou muito bem, mas não se manteve.
Durval - REGULAR: Sempre dá uns sustos.
Léo - RUIM: Estava bem discreto no ataque e marcando mal. Acabou saindo do jogo com uma lesão muscular.
(Gerson Magrão) - BOM: Por incrível que pareça, entrou bem melhor que o Léo. Muita vontade, diga-se de passagem.
Adriano - REGULAR: Fez um grande primeiro tempo marcando o Ronaldinho, mas no segundo sumiu e deu espaços ao R49.
(Bill) - SEM CONCEITO: Nem tocou na bola direito.
Arouca - REGULAR: Não jogou o que vinha jogando nas últimas rodadas.
Henrique - BOM: Foi um dos mais regulares do time, firme o tempo inteiro.
Felipe Anderson - BOM: Achei que fez mais uma boa partida. Não entendi sua saída.
(Bernardo) - RUIM: Não fez nada.
Neymar - BOM: Só não ganha nota melhor porque foi muito individualista em alguns lances. Mas quem faz o gol que ele fez merece todos os elogios. Aliás, 3 gols em 2 dias.
Miralles - BOM: Está muito bem no time. Marcou mais um gol e segue sendo importante pela boa movimentação que oferece no ataque. André que se cuide.
Téc. Muricy Ramalho - BOM: Escalou o que tem de melhor e fez alterações cabíveis, apesar de eu não concordar com a saída do Felipe Anderson no começo do segundo tempo.

Fotos: Agência Lance e Gazeta Press

Se você é santista sabe: torcer para o Santos é um orgulho que nem todos podem ter. Clique aqui e curta a página do torcedor santista no Facebook.

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Ricardo Pilat
| pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

Comentário da Redação > A vitória da garra

O Verdão foi a Salvador enfrentar o Bahia, podendo sair de lá praticamente rebaixado caso fosse derrotado. Inicialmente parecia que tudo daria errado. Barcos que estava vindo direto do Chile (onde jogou com seleção argentina pelas eliminatórias) teve seu voô atrasado, e quase que não chegou a tempo de jogar. Mas era o dia do Palmeiras! O time mostrou uma garra sensacional, venceu por 1 a 0 e arrancou os 3 pontos que ainda mantêm o time com esperanças de não ser rebaixado. Betinho (foto) mais uma vez mostrou estrela em um momento importante (foi assim na final da Copa do Brasil), e Gilson Kleina também, escalando ele e Patrick Vieira que deram muito certo na partida. Além de ter apostado em um time bastante ofensivo que deu muito certo.

O Palmeiras começou muito bem a partida. Era ele quem tomava a atitude no jogo e chegava ao ataque com perigo. Tanto tentou que conseguiu fazer o gol antes dos 20 minutos. Barcos fez um belo cruzamento e como já foi dito por aqui, Betinho escorou de cabeça, colocando a bola no fundos das redes. A partir daí, panorama da primeira etapa foi o mesmo até o fim: Bahia no ataque fazendo pressão e o Palmeiras se mostrando bem postado defensivamente.

A segunda etapa seguiu do mesmo jeito. Só deu Bahia, mas o Verdão continuou muito bem postado defensivamente e conseguia segurar a pressão, que diminuiu um pouco após a entrada do péssimo atacante Claúdio Pitbull (ex-Santos e Fluminense) na equipe baiana, que chutou as bolas que recebia para qualquer lugar, menos o gol. No fim, Kleina colocou mais volantes no lugar dos meias de ligação e só segurou o heróico resultado. Um fato marcante pra mim foi a entrega dos jogadores em campo. Não teve bola perdida pra ninguém.

O Palmeiras respira com a ajuda de aparelhos e se encontra na UTI, porém ainda é possivel ver um leve raio de luz no fim túnel. O próximo jogo é contra o Cruzeiro em Araraquara e volto a dizer que se não fossem meia dúzia de marginais quebrando o Pacaembu contra o Corinthians, o jogo seria lá, com 40 mil pessoas apoiando. Obrigado, torcedores que dizem amar o Palmeiras!

Conceitos

Bruno - ÓTIMO: Fez boas defesas em ambas as etapas.
Artur - RUIM: Consegue sempre estragar os ataques do time quando toca na bola.
Mauricio Ramos - ÓTIMO: Deu a vida, o sangue em campo. De onde a bola vinha ele fazia voltar.
Henrique - BOM: Outro guerreiro. Não teve bola perdida. Muito seguro defensivamente.
Leandro - BOM: Não apoiou tanto, mas marcou muito bem.
João Denoni - ÓTIMO: Foi outro que deu a vida em campo. Foi o melhor da equipe. Campacto, marcou bem e chegou ao ataque. É um João Vitor, só que com qualidade.
Marcos Assunção - ÓTIMO: Não precisa nem dizer nada. Jogou no sacrificio com o joelho machucado e fez o que prometeu, deu a vida em campo.
Patrick Vieira - ÓTIMO: Esse cara merece atenção por parte de Gilson Kleina. Tem tudo pra ser um dos melhores jogadores do Palmeiras nos próximos anos. Foi o que mais correu. Mostrou muita habilidade e sabedoria quando tinha a bola nos pés.
(Márcio Araújo) - SEM CONCEITO: Entrou no fim.
Betinho - BOM: É um péssimo jogador, só que mais uma vez apareceu no momento decisivo. Fez o gol da vitória.
(Tiago Real) - BOM: Entrou bem. Puxou bons contra-ataques e segurou bem a bola.
Luan - ÓTIMO: Foi outro que deu a vida em campo. Correu demais, buscou jogo e marcou demais. Terminou o jogo exausto e com todos os motivos.
Barcos - ÓTIMO: É o principal jogador do Palmeiras ao lado do Assunção. Com ele em campo o ataque flui bem. Fez um belo passe pro gol. Sem contar que correu bastante para conseguir chegar a tempo de jogar
Téc. Gilson Kleina - BOM: Foi ousado apostando em dois jogadores que ninguém esparava muito porém deram certo, Patrick Vieira e Betinho.

Foto:
Gazeta Press

Se sua vida é o Palmeiras, curta a página: www.facebook.com/palmeirasminhavidaevoce.
__________________________________________

 * A coluna Mondo Verde comenta as últimas notícias e acontecimentos da Sociedade Esportiva Palmeiras. O Palestra!



por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Gringolaço > Uma Espanha que não me convence mais

Na rodada dupla das Eliminatórias Europeias desta data Fifa, enquanto a maioria dos favoritos vai se afirmando, o que me chama a atenção é a Espanha. Atual campeã do mundo e bicampeã da Europa, não consigo mais me convencer com o futebol da equipe de Vicente del Bosque. E olha que isso já faz um tempo hein.

Se analisarmos a frio, nessa última Euro, a Espanha só jogou bola mesmo na final. No mais, jogou mal quase sempre, mesmo conquistando vitórias.

Nas Eliminatórias, deve se classificar em primeiro no Grupo I, mesmo estando em um grupo que conta com a França (aliás, volto nesse assunto mais abaixo). Porém, joga um futebol pra lá de chato. E não apenas porque fica tocando a bola por 10 minutos seguidos, mas porque não mostra ambição. Joga com apatia muitas vezes.

Ontem mesmo rolou o duelo contra a França, em Madrid. Após abrir 1 a 0 no começo do jogo, com Sergio Ramos, a Fúria se acomodou ao extremo e viu o time francês atacar com mais perigo e muito mais vontade. Acabou castigada com o gol de empate de Giroud, para "Les Bleus". Fabregas ainda perdeu um pênalti nesse meio tempo.

Não sei exatamente a explicação para essa queda de rendimento. Se é acomodação, se os adversários estão aprendendo a enfrentar o estilo espanhol, ou se alguns jogadores não estão na mesma fase que outrora. Sei apenas que não vejo mais nenhum bicho-papão quando vejo a Espanha.

Sorteio absurdo

Sei que já faz tempo esse sorteio que definiu os grupos das Eliminatórias, mas que critério estapafúrdio, hein? Num mesmo grupo, Espanha e França, dois campeões do mundo. Aí você olha o Grupo E e tem Suiça e Noruega como maiores "forças". No G, Bósnia e Grécia comandam as ações. Divisão baseada em rankings que, sinceramente, não fazem NENHUM sentido.

Vexame alemão


Outro destaque da rodada das Eliminatórias foi a incrível reviravolta no duelo entre Alemanha e Suécia, que rolou em Berlin. Os germânicos, que na minha opinião tem o melhor time do mundo, não conseguem justificar isso com resultados. Ontem, venciam por 4 a 0, mas permitiram um empate em 30 minutos, enfrentando um inspirado Ibrahimovic. E poderia ter sido pior.

Racismo

No Europeu sub-21, o inglês Danny Rose diz ter sido alvo de raciscmo da torcida da Sérvia em jogo disputado naquela país. Segundo ele, os locais cantaram músicas ofensivas contra ele e demais jogadores negros durante todo o jogo. No final, Rose comemorou a vitória por 1 a 0 em frente à torcida adversária e até chutou uma bola na galera, o que provocou uma confusão em campo. Difícil falar de um caso desses sem ter informações concretas. Mas fica o registro e vamos aguardar investigação. Se for verdade, a UEFA precisa agir severamente.

____________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

domingo, 14 de outubro de 2012

Comentário da Redação > São Paulo precisa de apenas um quarto de jogo e chega ao G4 do Brasileirão

Foram necessários 25 minutos, ou seja, praticamente um quarto de tempo de jogo, para o São Paulo liquidar a fatura neste domingo, contra o Figueirense, no Morumbi, em jogo válido pela 30ª rodada do Brasileirão: 2 a 0.

Com um ritmo muito forte, os comandados de Ney Franco ditaram as regras do jogo desde os cinco do primeiro tempo, depois de um início atento do adversário, que marcava bem e tocava bastante a bola, tentando esfriar o ímpeto dos donos da casa.

As subidas de Cortez pela esquerda foram as responsáveis pelos primeiros lances de ataque do São Paulo. O lateral estava inspirado e, após uma tentativa de cruzamento que saiu de seus pés e foi desviada para fora pelo zagueiro do time catarinense, saiu o escanteio que originou o tento de Luis Fabiano, seu 15º no campeonato.

Jadson levantou no segundo pau, com a precisão costumeira. Aloísio, centro-avante do adversário, estava na zaga para ajudar na marcação, vacilou, e o Usain Bolt tricolor subiu sozinho, testou firme e abriu o placar.

Dada a má classificação do Figueirense, lutando pra escapar da segundona, e principalmente a ruindade de seu elenco, o São Paulo partiu pra cima sem piedade, pressionando no campo de ataque.

Após uma bela troca de passes, Osvaldo finalizou e Wilson espalmou para o meio da área. Luis Fabiano pegou o rebote, tropeçou na bola, mas ainda conseguiu chutar para nova intervenção do arqueiro. No segundo rebote do lance, Maicon dominou, ergueu a cabeça e rolou para Douglas bater de chapa. A pelota desviou levemente no pé do beque e entrou no cantinho.

Àquela altura, na Vila Belmiro, o Santos derrotava o Vasco e pela primeira vez o São Paulo entrava no tão desejado G4, fato que fez com que os jogadores diminuissem a velocidade.

No passinho do Felipe Massa, o jogo terminou mesmo em 2 a 0.

Conceitos


Rogério Ceni – REGULAR: A bola sequer chegou ao seu gol. O certo seria ficar sem conceito, mas o editor não deixa.
Paulo Miranda – ÓTIMO: Não foi muito exigido defensivamente. No ataque criou diversas situações, inclusive para si próprio, mostrando que não tem mais bobo no futebol, como diria Galvão Bueno, o locutor mais amado dos fãs de MMA.
Rhodolfo – BOM: Cautela é seu sobrenome. Às vezes até exagera. Mas foi bem, foi leal, foi legal…
Rafael Tolói – BOM: Jogou sério. Até sua feição estava séria.
Cortez – BOM: Demonstrou mais atitude no ataque. Deve estar solteiro.
Wellington – ÓTIMO: É o Mineiro mais jovem e dentuço. Joga muito.
Maicon – REGULAR: Ele é muito inconstante. Não chega a comprometer, mas seria bom se protagonizasse menos lances de jogo de festa de final de ano de firma.
(Cícero) – SEM CONCEITO: Entrou no fim.
Jadson – BOM: Deu mais uma assistência. Ouvi dizer que antes de ser jogador, ele era garçom.
(Casemiro) – RUIM: Jogou pouco, mas não foi bem, como sempre.
Douglas – REGULAR: Apesar do gol, ele acha que é o Lucas. Douglas, você não é o Lucas, só está jogando no lugar dele. Faça o que sabe e fica de boa, por favor.
Osvaldo – BOM: Abriu espaços, criou jogadas e deu o pontapé inicial do segundo gol do jogo. Deixou outras pessoas fazerem gol também, atitude nobre.
(Ademilson) – SEM CONCEITO: Entrou quando o faxineiro já recolhia os últimos copos do chão da arquibancada.
Luis Fabiano – BOM: Fez mais um, né, já é tradição.
Téc. Ney Franco – BOM: Manteve o time jogando como tem feito ultimamente. Se estivesse desde o início do ano, estávamos nas cabeças.

Foto: Terra

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.


Por Thiago Jacintho
| thi.jacintho@gmail.com

Comentário da Redação > De roupa nova, argentino Miralles dá vitória ao Santos sobre o Vasco

Ansiosa com a estreia do novo manto santista, a torcida do Peixe foi a Vila Belmiro, neste Domingo, para ver o confronto entre Santos e Vasco. Com as baixas de Neymar, Bernardo e André, a equipe da baixada tinha que vencer para apagar, de uma vez por todas, a palavra rebaixamento da boca de alguns comentaristas. O Vasco, que luta para conseguir uma vaga na Libertadores 2013, ia a campo sem a presência do seu maestro e capitão Juninho Pernambucano.

Antes da partida, os jogadores do Santos apresentaram o novo segundo uniforme para a temporada, que na minha opinião, ficou devendo um pouco para tanta expectativa criada. Com o surgimento do segundo uniforme, o terceiro, a camisa azul, foi aposentada para jogos oficiais. Agora só é encontrado nas lojas santistas.

Após todo suspenso feito e a apresentação do novo manto (foto ao lado), a partida começou. O primeiro tempo foi dominado pelo Santos. O time jogou muito bem! Marcou bem, criou bem e atacou bem, tanto que, aos oito minutos do primeiro tempo, com a roubada de bola de Henrique e excelente passe de Bill, Miralles só teve o trabalho de empurrar para o fundo da rede de Fernando Prass. O placar estava aberto na Vila Belmiro.

Depois do gol de Miralles, o Vasco tentou correr e empatar a partida, mas não conseguiu. O Santos impôs seu ritmo e levou mais perigo para os vascaínos. Bruno Peres e Felipe Anderson quase ampliaram, ainda no primeiro tempo, para o Peixe.

Com o fim do primeiro tempo e com o Santos vencendo, era previsível que no segundo tempo o Vasco fosse com tudo para o ataque, mas não foi muito bem isso que aconteceu...

Logo no primeiro minuto após o intervalo, com um belo passe do camisa 10 do Santos, Felipe Anderson, Miralles marcou seu segundo gol na partida e o segundo do Peixe. Após o segundo gol, era possível notar a incapacidade de reação do Vasco. Mesmo com a posse de bola, o time não sabia criar. O jogo ficou chato, sem muitas oportunidades de gols e o tempo foi passando. Sem nenhuma surpresa, o jogo acabou.

Com a vitória, o Santos chegou aos 41 pontos. O Vasco perdeu a vaga no G4 e estacionou nos 50 pontos.

Conceitos

Rafael - BOM: Não foi muito exigido, mas, nas poucas chances, fez o papel dele.
Bruno Peres - BOM: Ajudou muito bem o ataque santista.
Bruno Rodrigo - REGULAR: Marcou bem, mas a zaga não foi tão exigida.
Durval - REGULAR: Idem ao de cima.
Léo - REGULAR: Foi bom vê-lo de volta. Fez algumas jogadas de efeito e não comprometeu. Enfim não teremos que ver o Gérson Magrão vestindo a tão gloriosa camisa 3 que já possui dono.
Henrique - RUIM: Não jogou tão ruim, mas comparado ao resto do time, não esteve no mesmo ritmo e poderia ter sido expulso com o excesso de faltas.
(Gérson Magrão) - SEM CONCEITO: Não é jogador para vestir a camisa do Santos.
Adriano - REGULAR: Os marcadores não tiveram tanto trabalho com o ataque do Vasco.
Arouca - BOM: Continua jogando bem. Apoia bem o ataque e vem sendo um dos melhores jogadores do Santos na ausência de Neymar.
Felipe Anderson - BOM: Ultimamente vem jogando muito bem e honrando a camisa 10. Nós, torcedores santistas, esperamos que continue nessa boa fase.
Miralles - ÓTIMO: Na falta de Neymar, o argentino vestiu a camisa 11 e incorporou o craque. Marcou dois gols e deu a vitória ao Santos.
(Pato Rodríguez) - SEM CONCEITO: Precisa crescer muito para merecer ser titular do Santos.
Bill - BOM: Por mais incrível que pareça, fez um bom jogo e surpreendeu a todos. Quem dera se essa fase for duradoura.
Téc. Muricy Ramalho - BOM: Enfim escalou bem a equipe e contou com a ajuda dos jogadores que corresponderam.


Se você é santista sabe: torcer para o Santos é um orgulho que nem todos podem ter. Clique aqui e curta a página do torcedor santista no Facebook.
_______________________________________________


* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Igor Domingues
| igor4712@hotmail.com

Clinch > UFC Rio 3 é marcado por grandes lutas e treino de luxo de Minotauro e Spider

Ontem, no Rio de Janeiro foi realizada a terceira edição do UFC na cidade e a quinta no Brasil. O evento teve grandes lutas e um card recheado de estrelas brasileiras. A principal delas, Anderson Silva, que teve um belo treino de luxo diante do americano Stephan Bonnar. Como de costume, o Spider deixou o adversário "brincar" um pouquinho dentro do octógono, e na hora de resolver foi fatal, nocauteando o "psicopata americano" no fim do 1° round. A luta foi marcada por mais um show de esquivas do brasileiro.

O co-main event foi outro treino de luxo, só que para Rodrigo Minotauro, diante do americano Dave Herman, que pra mim, com todo respeito, foi um adversário pra lá de bizarro. A luta foi como tirar doce de uma criança, e no fim do 2° round, o brasileiro venceu como queria, finalizando o adversário com um arm lock, usando sua bela técnica na arte suave.

Glover Teixeira inicialmente iria enfrentar a lenda Rampage Jackson, porém o americano se contundiu no ombro e deixou a luta. Como substituto, Fábio Maldonado entrou no pário. A luta, devo confessar que foi a segunda melhor da noite. Glover logo no inicio acertou um belo direto em Maldonado e o castigou o round inteiro, porém o atleta da Team Nogueira foi guerreiro e aguentou até o fim. No 2° round, mais castigo de Glover e no fim, favorecendo a integridade fisíca de Maldonado, os médicos solicitaram a interrupção da luta.

Já a melhor luta da noite ficou por conta de John Fitch e Erick Silva, que deram um show de técnicas no octógono. O confronto foi bem parelho, e em determinadas horas ambos os atletas quase finalizaram o seu advesário. No fim, Fitch venceu por decisão unânime (29-28, 29-28, 30-27) e deu um passo grande rumo ao topo da categoria dos meio-médios.

Mais brasileiros


Wagner Prado tem uma bela história de vida. Surgiu no mundo do MMA através do quadro "lata velha" no Caldeirão do Hulk da rede Globo. Após a aparição, foi convidado pelos irmãos Nogueira (Minotauro e Minotouro) a treinar com eles. O atleta de Campinas ingressou bem no MMA e conseguiu chegar ao UFC no início do ano. Iria fazer a estréia dia 4 de agosto no UFC on Fox 4: Shogun vs Vera, porém, logo no inicio da luta seu advesário, o casca grossa Phil Davis, acertou um dedo no olho do brasileiro que machucou. A luta foi encerrada sem resultado e foi remarcada para ontem. Mas Prado não teve facilidade e foi derrotado pelo americano no fim do 2° round, via triângulo invertido. Wagner aguentou um forte castigo mas infelizmente não suportou a força do adversário.

O card principal foi aberto por Demian Maia (foto) e Rick Story, que na teoria seria uma luta dificil para ambos. Felizmente foi só na teoria, porque na prática o brasileiro atropelou o americano e venceu por um mata leão no meio do 1° round. Com mais uma vitória avassaladora, Demian já deu um bom passo rumo a uma disputa de cinturão na sua nova categoria, os meio-médios.

O UFC também contou com o vencedor do primeiro TUF Brasil no peso-pena, Rony Jason, que venceu o americano Sam Sicília no 2° round por nocaute técnico. Jason apresentou uma ótima evolução na sua parte de trocação, o que contribuiu bastante para sua ótima vitória.

Outros resultados


Franssisco Massaranduba, que partipou do TUF Brasil, foi derrotado por deicisão unânime pelo também brasileiro Gleison Tibau ( 29-28, 29-28, 29-28).

Diego Brandão, vencedor do TUF 14 nos EUA, venceu o americano Joey Gambino pro decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27).

O finalista do TUF Brasil nos médios, Serginho Moraes, desceu de categoria e venceu o também participante do TUF Brasil, Reneé Forte por finalização (mata leão) aos 3:10 do 3° round.

Luiz Cané, o Banha, desceu para o peso-médio e perdeu perdeu sua segunda luta no Brasil. Dessa vez foi para o americano Chris Camozzi por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28).

Cristiano Marcello, que participou do TUF 15 nos EUA, venceu o sueco Reza Madadi por decisão dividida (29-28, 28-29, 30-27).

Bônus da noite


Como sempre Dana White premia as melhores lutas e vitórias da noite. Ontem, John Fitch vs Erick Silva receberam o prêmio de luta da noite. Rony Jason recebeu o prêmio de nocaute da noite, sobre Sam Sicilia, e Minotauro recebeu o prêmio de finalização da noite sobre Dave Herman.  Todos os atletas recebem um bônus em sua bolsa.

O proximo evento do UFC será em Macao na China, dia 10 de novembro, e terá na luta principal Rich Franklin vs Cung Lee, além de três brasileiros: Thiago Silva, Paulo Thiago e John Lineker.

_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.


por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com