Mudou!

O Redação do Esporte mudou de hospedagem! Acesse nosso conteúdo atualizado em: www.redacaoesporte.com.br

sábado, 31 de maio de 2014

Copa no Quintal > Do lado de lá: Argentina

Mais uma entrevista da série "Do lado de lá". Hoje o escolhido é "hermano". Mas ele é gente boa, viu?

Gabriel Borelli – Argentino, estudante de sociologia, torcedor do San Lorenzo

Essa é, finalmente, a Copa de Messi? Apesar de suas vitórias e tantos títulos pelo Barcelona é de conhecimento geral que ele não é tão “querido” como outros jogadores em sua terra natal. Se ganhar essa Copa com destaque, ele finalmente será colocado no patamar de Diego?

Espero que seja a Copa do Messi! Mas pelo que é o futebol nos últimos tempos e por como vêm alguns times, duvido muito que um jogador só possa fazer a diferença sozinho como em outras época. Hoje o futebol está mais “tático”, mais brigado no meio de campo onde a prioridade maior é pressionar e não deixar o adversário jogar ao invés de sair jogando bem e dando espetáculo. Sem duvidas Messi é a figura mais importante do Mundial sendo o melhor jogador do mundo a 6 ou 7 anos, mas tenho minhas dúvidas se ele poderá fazer a diferença nesses 3, 4, 5, 6 e/ou se Deus quiser, 7 jogos, sozinho. Atualmente ele conseguiu o respeito de todos aqui na Argentina por ter feito uma grande eliminatória e por várias demonstrações públicas de afeto pela sua terra. Por nossas raízes italianas, costumamos ter extremo respeito e carinho pelo lugar onde nascemos, de onde somos. Diego veio das periferias da Grande Buenos Aires e sempre foi assim, um jovem prodígio que saiu das camadas mais baixas e lutou para alcançar o estrelato sem nunca esquecer de onde veio, sempre se mantendo popular, muito parecido com Tevez, declarado o “jogador do povo”. Já Messi é o contrário, veio de uma família de classe média baixa é o reflexo dos argentinos que se mudaram do país em 2001 devido a crise. Nunca jogou no futebol argentino e só fomos conhecê-lo quando já era um craque de renome. Caso seja abençoado com a força para carregar esse time nas costas e ser campeão, poderá entrar no patamar dos maiores da história ao lado de Diego e Pelé. 

Acha que Sabella fez bem em deixar Carlitos Tevez de fora? Acha que ele fará falta no time argentino?
Creio que sim, pois foi uma decisão da sua comissão técnica, já que formou-a e seu elenco e com certeza sabe das questões internas. A população de modo geral não gostou dessa decisão, mas Grondona (dirigente da AFA) já veio a publico esclarecer que foi por uma questão “de grupo”. A Argentina tem Leo, Higuain e Aguero, o ataque que Sabella montou e fez funcionar durante as eliminatórias, forte e melhor que as formações anteriores. Esses são os titulares e Tevez, até por sua personalidade, não é alguém que ficaria “bem” no banco. Temos boas opções para a frente e Tevez não é alguém que nos faria falta, ao contrário da defesa onde Thiago Silva, David Luiz ou Sergio Ramos cairiam bem, ou no meio com “enganches” tais como Busquets e Schweinsteiger (não estou pedindo nada de mais!). A fraqueza desse time está nas duas primeiras linhas, não no ataque.

Por fim vocês já tem um Deus, agora um Papa. Não precisam de mais nada para ganhar a Copa, né? Ainda mais jogando na casa dos grandes rivais, consegue imaginar o tamanho de uma final com Brasil e Argentina?
Começo essa resposta completando sua primeira frase: temos Deus (Diego), temos um Papa (Francisco) e temos um MESSIAS! Francisco está rezando para que o nosso San Lorenzo ganhe a Libertadores e parece que já deu resultados, vide a maneira como eliminamos três equipes brasileiras e as vitórias milagrosas contra Grêmio e Cruzeiro (que aqui eram vistos como os dois favoritos para ganhar o torneio). Mesmo jogando mal espero que concretize o milagre! E com nossa seleção jogando no Brasil, obviamente a final deveria ser contra vocês! É o maior e mais importante clássico do futebol mundial e não poderia ser diferente. A pressão em cima de ambos os times seria muito forte e jogo em si, daqueles de infartar o torcedor! Mas acho difícil já que na minha opinião Alemanha, Brasil, Espanha e Argentina entram como favoritos, exatamente nessa ordem. Só que como já sabemos bem que no futebol a lógica não costuma aparecer muito, a sorte pode acabar decidindo tudo.


____________________________________

* Aqui na coluna Copa no Quintal você entra no clima do Mundial no Brasil, com as análises das principais seleções que nos visitarão em 2014.



por Helder Rivas | @HelderRM

En la Cancha > Libertadores: Quatro times e um lugar na história

Chegando na velocidade “Rubens Barrichellopara falar sobre a Libertadores. Esse é o último “La Cancha” até a volta da competição, já que a partir de agora ficarei incumbido de acompanhar a gloriosa Albiceleste rumo ao tricampeonato.

A Libertadores chegou a sua fase semifinal (que será disputada após a Copa) com quatro equipes “virgens” na disputa. San Lorenzo, Bolívar, Defensor e Nacional do Paraguai vão lutar por seu primeiro título na história da competição.

De um lado da chave o confronto será entre o San Lorenzo, que eliminou três brasileiros na competição – Botafogo, Grêmio e, por último, o Cruzeiro – e vem forte para fechar com chave de ouro uma temporada mística para o clube. Seus adversários serão o Bolívar e a altitude de La Paz. Acredito que com muita dificuldade o “Time do Papa” chegue à final e transforme sua temporada em inesquecível.

 Do outro lado da chave, estarão os dois maiores azarões do torneio. Defensor e Nacional não estariam cotados na bolsa de apostas nem de seus torcedores mais fanáticos, mas vão duelar por um feito inédito. Apesar do confronto equilibrado, acredito que o Defensor (que tem uma puta história bacana) chega à final e mantém a mística uruguaia acesa e a rivalidade com os argentinos em alta.

Torço por uma final entre argentinos e uruguaios. E deixo registrado que a falta de um time brasileiro nas semifinais é vergonhosa para o “país do futebol”, afinal de contas, nossos times têm um poderio econômico muito superior aos nossos adversários. Que sirva de reflexão para a cartolagem brasileira...

#PartiuCOPA  #AvantiAlbi

 
_____________________________________

* A coluna En la Cancha fala sobre os principais assuntos do futebol sul-americano.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Comentário da Redação > Festa estranha com gente esquisita

Flamengo e Figueirense se enfrentaram no Morumbi (!!!!!) numa manobra estúpida da diretoria rubro-negra. Jogo quinta, 19h30min em São Paulo, tinha tudo pra não dar certo. E não deu. 5000 pessoas foram ao estádio, incluindo este que vos fala. Em partidas contra o São Paulo no mesmo estádio num domingo já colocamos 12 mil. Jogo com a cara de Macaé, estádio pequeno, público ávido pelo Flamengo... Enfim.

Do jogo em si não tem muito o que falar. Péssima partida de dois condidatos fortes ao rebaixamento. Dá nem gosto de comentar, somente pela bicicleta quase gol de Alecsandro.

Além da festa estranha, notoriamente víamos uma torcida que não tem o hábito de torcer pelo time. Gente esquisita que vaia Elano com pouco mais de 20 minutos. Que parecia só saber os gritos de "Mengoooo", já que as tantas outras músicas ficaram escondidas.

O gol marcado pelo time catarinense foi o retrato fiel do time esse ano: falha do goleiro e zaga perdida. O nosso só saiu graças a um lampejo de Samir, zagueiro, melhor que qualquer meia do atual elenco na criação de jogadas.

Foto do Rafael Gomes, direto das frias arquibancadas do Morumbi
O Morumbi estava frio, como o cérebro do nosso técnico que colocou Igor Sartori no intervalo e sacou erroneamente o jovem com 29 minutos. Ney Fraco mostrou que não tem a situação sob controle. E pior, queimou à toa uma substituição e a cabeça do garoto.

Chega a ser desesperador assistir ao Flamengo. Perto do fim do jogo, Leo Moura abandonou a lateral. Foi jogar de meia inexplicavelmente. O time pressionou, mas esbarrou na falta de qualidade.

A gente esquisita da festa estranha gritou pedindo raça. É bom novamente frisar: o problema é de ordem técnica. O time é péssimo.

Mostrando ótimo timing, nosso Presidente sai de férias. O cheiro é de golpe de Estado. Na sua ausência, coisas vão mudar. Como se precisasse já que Eduardo é apenas um fantoche na mão de Wallim.

Ainda bem que #vaitercopa. Porque o caso é grave e exige quarentena. Deus queira que dê tempo de curar...

Conceitos

Paulo Victor - ROGÉRIO CENI: Fez todo o ritual especial do "mito": Ajoelhou e rebateu a bola pra frente no gol dos catarinenses. Volta JC! Habeas Corpus, Bruno!
Léo Moura - RECALCULANDO ROTA: Perdido, não sabia se era lateral ou meia.
Wallace - REGULAR: Jogar bola que é bom, já faz um tempinho que não vemos você fazendo isso.
SaMITO - THIAGO SILVA: Dominou a área, ganhou as divididas e ainda apareceu na frente. Cresce de produção.
André Santos - 800 ANOS: Tenho a ligeira certeza que você cansa ao descer do ônibus pro jogo. Pelo amor de Deus, procura um personal trainer.
Amaral - SAUDADES DUNGA: Bate feito o ex capitão da Seleção. É tao valente quanto. Não lhe falta vontade, mas erra passe de dois metros. Isso Dunga não fazia.
Márcio Araújo - ESCOLINHA: Cruzou bola na frente da área. Não pode.
Luiz Antonio - RUIM: Erra passes, é displicente, se esconde da bola.
(Negueba) - TODO MUNDO ODEIA O CRIS: Todo mundo te odeia mas vou te defender. Bom jogo, como contra o Santos, tentou de tudo e chamou a responsa. Deveria ter jogado desde o começo.
Elano - RUIM: Não entendi as vaias no começo, ate que ele começou a dar motivos para.
(Igor Sartori) - PASSE LIVRE: Entrou pra colocar mais pressão nos catarinenses e até estava conseguindo ajudar quando Ney o tirou do jogo. Deveria ter o direito de socar o técnico.
(Lucas Mugni) - NA ARGENTINA:... É fácil. Não jogou nada. Absolutamente nada.
Paulinho - REGULAR: Enquanto não marcar, este fantasma vai persegui-lo. Perdeu boa chance por isso. Parece com o pé pesado.
Alecsandro - PELO AMOR DE DEUS: Seja só jogador. Fez o gol, deu uma bela bicicleta, mas notícias dizem que ele tenta cavar duas vagas no elenco: Richarlyson e Rosinei. Que isso seja mentira. Péssimas escolhas.
Téc. Ney Franco - SOME DA MINHA FRENTE: Some do Flamengo. Péssimo técnico. Não transmite confiança aos jogadores, não sabe como o adversário joga, não é técnico. Simples assim.

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? Ou outra coisa? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas de um jeito diferenciado!

por Rafael Gomes | rafagomesdesouza@gmail.com | @rafaeldudu

Rádio da Redação > Copa do Mundo 2014: Prévia Grupo G



Alemanha, Portugal, Gana e Estados Unidos. Seria esse o grupo da morte da Copa do Mundo? Nossa equipe de Redação se reuniu para discutir o Grupo G da Copa. Com direito a dois alemães e dois portugueses debatendo quem vai ficar com o primeiro lugar nessa chave! Qual o seu palpite?

Apresentação: Ricardo Pilat
Comentários: Thiago Passarelli, Marco Miranda, Antonio Lemos e Victor Mesquita.

__________________________

* Na Rádio da Redação você ouve os melhores comentários esportivos da GALÁXIA com nossa equipe de redação em versão podcast!


Direto da Redação
| redacao_esporte@hotmail.com | @redacaoesporte

Volta Olímpica > NBB6: Uma final de campeonato nada esperada

Para alguém que acompanha basquete desde pequena, ou melhor desde os 10 anos de idade, ver um campeonato de basquete NACIONAL bem disputado, lotando ginásios e criando novos ídolos chega a ser até bem emocionante e irônico em ano de Copa do Mundo de Futebol. 

Esse ano o Novo Basquete Brasil, mais conhecido como NBB, foi um pouco atípico. Teve bicampeão sendo massacrado por uma série de 3 a 0 nas quartas de finais; time ‘sem tradição’ tirando time com tradição; equipe pulando da 12° posição, última colocação para a segunda fase (mais conhecida como os playoffs), para a 4°; ginásios vazios como punições devido a brigas em jogos anteriores; equipes sendo rebaixadas pela primeira vez, com a criação de uma série ‘B’ chamada de Liga Ouro; e feitos inéditos de um time pouco conhecido, o Paulistano, que chegou à primeira semifinal e agora vai para a decisão de campeonato nacional.

As tantas surpresas, ou se preferirem dizer zebras, no campeonato não surpreendem o bam bam bam do NBB, Paulo Bassul, ex-técnico da seleção brasileira de basquete feminino e gerente técnico da Liga Nacional de Basquete (LNB). No último jogo, ele conversou um pouco comigo e confirmou que esta é a temporada mais disputada do NBB. Foram 40% de vitórias fora de casa dos times, o que não acontecia muito no passado.

Mas, alguns times não me surpreenderam. O Flamengo chegou a final. Obaaa!... quer dizer, de novo!! É, de novo. Se eles não fossem para final aí sim ia ser muito estranho.  Esses cariocas da gema participaram de três das cinco decisões do NBB. Em 2013, contra o Uberlândia e em 2010 e 2009 contra o Brasília. Agora, vem para a sua quarta final, com a mesma garra dos anos anteriores. Tendo o terceiro melhor reboteiro, Olivinha, e o terceiro melhor arremessador de três pontos, Marcelinho. E ainda é o segundo time a dar mais assistências por jogo.

Para os flamenguistas roxos, o campeonato não foi tão suado e nem os deixou a um fio de ter uma parada cardíaca de tanta emoção. Podemos dizer que o único momento mais tenso e que os deixou com medinho foram as primeiras duas partidas contra o Mogi das Cruzes. Este empatou a série das semifinais em 1 a 1. Mas, depois de alguns ajustes e da alavancada de alguns jogadores como Meyinsse e Felício, o time desarmou os mogianos e apertou o acelerador, atropelando  a equipe do interior de São Paulo, fazendo 3 a 1 na série.

Deixarei o Flamengo de lado, pois eles não são nenhuma surpresa nesta final. O inusitado vem com o seu adversário: o Paulistano. Os torcedores destes sim tiveram que tomar muito calmante para aguentar tanta emoção neste NBB. Mas também, o time teve muitos feitos inéditos em sua história e ralou muito para chegar aonde chegou. Sua melhor classificação tinha sido o oitavo lugar nas edições anteriores. 2014 é um ano especial para os barbudos do Paulistano que ficaram em segundo lugar na fase de classificação. Passaram por Franca e São José e, pela primeira vez, estão em uma final. Como eles mesmos falam: “Surpreendemos a todos”.

Nos playoffs, foi na raça e na confiança entre o jogo coletivo e a marcação forte que eles derrubaram grandes e tradicionais times. Principalmente, o grito de guerra dos francanos de “é tradição”. Ambas partidas nas quartas de finais e semifinais foram decididas no quinto e último jogo da série. Com o ginásio lotado, os Paulistanos calaram as torcidas azul e amarela dos joseenses e azul e branco dos francanos. Além disso, derrubaram a marra do pivô Paulão e do ala/pivô Jefferson, que vinham disparados como os favoritos nos jogos.

Tanto na última partida das semifinais quanto nas quartas de finais o Paulistano vibrou com uma intensidade e emoção que parecia final de campeonato. Teve jogador barbudo chorando E MUITO na quadra após o apito final do juiz.

Neste sábado, digamos que o dia começa cedo. Às 10 horas, vou trocar meu pão de café da manhã por algumas pipocas. Afinal, um duelo de gigantes vem por aí entre os barbudos e surpreendentes do Paulistano contra os grandalhões e temidos do Flamengo. Quem leva a jogada? Bem, eu prefiro não apostar em ninguém. Podemos ter mais uma zebra (ou melhor mais surpresas) ou a consolidação de um reinado carioca no topo do NBB. Que vença o melhor !

_______________________________________

* Dê uma Volta Olímpica aqui no Redação do Esporte e saiba tudo sobre os esportes olímpicos brasileiros.


por Luiza Vaz
| luizavdias@gmail.com

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Copa no Quintal > Do lado de lá: Holanda

O Redação inicia mais uma série especial! É o "Lado de lá"!

Buscamos nativos de vários países importantes que disputarão a Copa do Mundo para que eles nos digam como está o clima e a expectativa pelo Mundial aqui no Brasil. Começamos com uma simpática holandesa (essa aí do lado).

Anna van Overloop – estudante holandesa, atualmente residindo em Newcaslte, torcedora do Newcastle

Comparada com os anos anteriores, a seleção holandesa não parece ser tão forte desta vez, especialmente levando em conta a campanha da última Euro. A sua camisa laranja tem história, respeito e tradição, mas ninguém está levando nada disso a sério dessa vez. Como você vê as chances da Holanda nesta Copa?
Eu acho que temos alguma chance de ir bem sim. Na Inglaterra tem muita gente apostando na Holanda, mas o Brasil vem forte como sempre e dessa vez jogam em casa. Claro que também sempre terei medo de Alemanha e Espanha, mas acho que ainda podemos surpreender. Fizemos uma grande eliminatória e temos grandes jogadores, além de que diferente da Euro, quando tínhamos bons jogadores mas que não jogavam como um time, dessa vez estão mais entrosados.

Os veteranos Van Persie, Robben e Sneijder vêm para aquela que provavelmente será sua última Copa, mas fora eles, os demais jogadores do elenco não são muito conhecidos. Você apostaria em algum outro jogador que possa surpreender nessa Copa? Algum jovem?
Acho que Memphis Depay, jovem promessa do PSV pode surpreender muita gente, ele é habilidoso, fez bons amistosos e dizem que o Manchester United já está se movendo para assinar com ele para a próxima temporada. É uma bela ideia sempre combinar jogadores mais velhos que já estão para encerrar seu ciclo com novos talentos, mesmo não sendo tão conhecidos. Sem contar que como você disse, os veteranos vêm para sua ultima Copa, então isso deve dar ainda mais fôlego há eles.

Aqui nós temos um grande respeito e admiração pela Holanda, principalmente pelos jogos contra o Brasil que independente do resultado sempre são épicos (74, 94, 98 e 2010 que o digam), e já podemos ter um jogo entre os dois nas oitavas de final. Acha que apesar dos problemas citados vocês teriam chance contra o anfitrião? Aliás, sejamos francos, vocês deram muita sorte graças a Julio Cesar e Felipe Melo em 2010 hein?
Bom, eu não posso dizer que nós temos certeza de que podemos vencer o Brasil, como eu disse antes eles parecem muito fortes e focados como sempre, mas no passado já provamos que SIM, nós PODEMOS vencer. No final do jogo não importa se foi um jogo bem jogado ou se foi sorte, importa que quem faz mais gols vence. Mas realmente, em 2010 eu não esperava ganhar aquele jogo de jeito nenhum...

____________________________________

* Aqui na coluna Copa no Quintal você entra no clima do Mundial no Brasil, com as análises das principais seleções que nos visitarão em 2014.



por Helder Rivas | @HelderRM

Comentário da Redação > Procura-se um psicólogo, ou um pai para bater nesses caras!

Torcedor tricolor, quem souber o porquê os jogadores de futebol são tão inconstantes psicologicamente peço que mandem e-mails ou escrevam nos comentários abaixo. Tenho 28 anos e até hoje não consigo entender isso.

O empate em 2x2 com o Atlético-PR, em Uberlândia, fez com que eu questionasse mais uma vez isso. Por quê? Porque o São Paulo, que havia ganhado do Grêmio sábado no Morumbi, tinha sido um time valente e atento nos 90 minutos. Já o São Paulo que enfrentou o Atlético-PR, um time muito, mas muito mais fraco que o Grêmio, apresentou um futebol patético (sem alusão ao clássico Paraná x Atlético... vish, perdi a audiência de Curitiba agora). E qual a explicação para isso? Juro que não sei, por isso peço a ajuda de todos.

Culpa da Globo? Talvez. Já que ela vem sendo o azarão do São Paulo. Bastou entrar a vinheta e o Caio Ribeiro falando do Pato, pronto, péssimo futebol do Tricolor.

Mas eu não acredito em superstição ou em mandinga do Caio, o que eu acredito é que os jogadores de futebol, por mais que já tenhamos mais de 10 anos de pontos corridos, ainda não entenderam o que é essa porra de campeonato.

O jogo de hoje era para somar três pontos, sem desculpas. Enfrentávamos uma equipe fraca, que mesmo com o mando deles, tínhamos maioria dos torcedores no estádio. Ou seja, ganhamos um mando de graça. Essa vitória nos colocaria entre os primeiros colocados para que no sábado, enfrentando o outro Atlético, só que Mineiro, em casa, a gente se garantisse no G4 ou até mesmo na liderança antes da parada para Copa.

E o que os jogadores do São Paulo fizeram? Entram com uma enhaca de dar raiva até na minha mãe que acha tudo lindo que o São Paulo faz. Duvida? Ela gosta do Douglas! Caso encerrado.

Quando começou o jogo e eu vi aquela enhaca no time eu já sabia: íamos levar um gol de falha grotesca da defesa. Não deu outra. Sr Douglas deu a “assistência” para o novo Iniesta, Bady, fazer o gol. Passaram-se 50 minutos, isso mesmo, uma eternidade para o São Paulo empatar de pênalti, com o Mito.

Quando o Tricolor animou para buscar a tão necessária vitória, o que o time faz? Leva o segundo gol aos 45 minutos do segundo tempo. Que coisa boa, que coisa maravilhosa de se ver numa quarta-feira fria em São Paulo pela televisão. Mas calma, torcedor desacreditado. O São Paulo conseguiu o empate aos 47 do segundo tempo com um gol de mão do Fabuloso.

Heroico empate? Não! Vergonhoso. Reforço, esse Atlético-PR é horrível. Perde do Ituano e do Penapolense fácil. Por isso repito, empatamos porque entramos com muita enhaca. E isso é por conta dessa burrice dos jogares de futebol de entrarem mais ou menos porque o adversário é mais fraco. Campeonato de pontos corridos todo jogo é o uma final. Até o Caio Ribeiro entendeu isso. Vocês ainda não por quê? Querem que eu chame um psicólogo ou seus pais?

Conceitos

Rogério Ceni
– BOM: 117 gols.
Douglas – PÉSSIMO: Estava tão bem na temporada... Fez um lance do Douglas de 2013 e deu um gol “pros caras”.
Lucão – RUIM: Muito espaço para os atacantes do CAP. Tem que marcar mais junto.
Antônio Carlos – RUIM: Idem ao seu companheiro.
Reinaldo – RUIM: Por que o Uruguai foi pra Copa?
Denílson – RUIM: Ah Denilson... Matou a saudade do Thiago Jacintho e só.
(Hudson) – RUIM: Nome de posto apenas.
Souza – REGULAR Alguém contrata um cara pra jogar com ele?
Ganso – RUIM: Times que forem enfrentar o São Paulo, fica a dica: põe um cara para marcar o Ganso e já era.
Osvaldo – BOM: Melhor tricolor. Correu, deu passe para o segundo gol e ainda sofreu um pênalti não marcado.
Pato – PRAGA DO PEDRO SILAS: Jogou? Meu amigo Pedro Silas havia me perguntado se o encanto do Pato tinha acabado. Bom Pedro, talvez.
(Boschilia) – REGULAR: Pelo menos participou do jogo.
Luis Fabiano – BOM: A bola quase não chegou nele. Mas quando veio conseguiu um pênalti e marcou um gol de atacante chato que é.
Muricy Ramalho – RUIM: Sou fã dele, todos sabem. Mas ontem não conseguiu por sangue nos olhos dos jogadores para conseguir essa fundamental vitória. Sei que técnico não é babá de jogador, mas no nosso país tem que ser, infelizmente.


Curta a página do torcedor são-paulino no Facebook: www.facebook.com/saopaulofc.br.
_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.


por Victor Mesquita | @victor_mesquita

Comentário da Redação > The Walking Pigs

Quarta-feira à noite + frio = assistir algum filme ou série debaixo das cobertas. Sugestões não faltam desde filmes de ação até comédia, ou séries desde um The Walking Dead, The Big Bang Theory, 24 Horas, mas não, acompanhar um jogo do seu time do coração é perceber que a vida real é tão aterrorizante ou engraçada quanto a ficção.

Comecei a zapear os canais e nada interessante. Liguei o computador, recebi uma mensagem de que seria escalado para acompanhar mais uma pelada do Palmeiras e lá fui, na esperança de que veria um jogo emocionante a ponto de pegar fogo, já que aqui em Sampa tá tão frio que vi uns pinguins fazendo fogueira no meu quintal.

Meu primeiro espanto da noite fria: Felipe MenezeZzzz foi escalado entre os 11. Aí eu pensei: “vou assistir ao jogo debaixo das cobertas, pois vai dar um sono”. É, a intuição e a vivência nesse meio futebolístico falou mais alto e lá fui para debaixo das cobertas. Os primeiros minutos empolgaram um pouquinho, mas depois... Não. Eu não peguei no sono, mas o jogo ficou feio, uma merda. O Palmeiras ensaiou uma blitz no final do primeiro tempo, só que Renan interferiu.

Quente mesmo foi o atacante/falastrão Emerson Sheik contra o nosso Xerife Lúcio. O atacante do Fogão falou para os repórteres de que o zagueiro havia o chamado de gay. Tudo bem que a foto do selinho mostra isso, mas não quer dizer que o cara ‘significa’. Enfim, foi aquele típico lance onde os dois estão de cabeça quente e o adversário faz esse tipo de provocação para desestabilizar. Eu que já estive lá nas quatro linhas (fui um jogadorrrrr dos bons, 'digasse de passage'), fazia isso direto contra os meus marcadores. E para encerrar o assunto Sheik x Lúcio: a rixa dos dois é que nem aquela cena de escola, onde o valentão te enfrenta e você conta pro diretor ou professor que fulano te xingou de bobo, feio e pateta, sem falar que pegou sua lancheira.

Enfim, chegou o segundo tempo e o chute de Wesley para fora deu uma esperança de que iríamos jogar bem, #SQN. Um lance estranho, um escanteio cobrado, a zaga afasta mal e Bolatti, sem marcação, acerta um belo chute: GOL DO BOTAFOGO!

Outra merda: Wesley foi expulso ao cometer falta em Emerson Sheik. Daí percebi de que a vaca foi pro brejo. E não venha me dizer que o time estava cansado, pois saiu de Chapecó ontem, pois primeiro: você acha de que a CBF iria adiar o duelo? Sabe de nada inocente! Segundo: a entidade só atende Flamengo e Tapetense nesses casos, e nós alviverdes não tivemos bons bastidores nem nos tempos de Parmalat.

Quanto ao resto do jogo: melhor não falar mais nada. Zeballos puxou um contra-ataque aos 49 minutos e a defesa como zumbi ficou só olhando e... GOL DO BOTAFOGO. Ressuscitamos mais um. Vou aumentar esse coro que o pessoal do Redação vem fazendo: Chega logo a Copa per l'amore di Dio!

Conceitos

Fábio - COITADO: Não teve culpa nos gols e também não tem culpa de ter a frente uma defesa tão ruim (exceto Lúcio).
Wendel - MEU DEUS, QUE TIRIÇA: Me recuso em fazer qualquer tipo de comentário. O conceito já diz tudo.
(Rodolfo) – SEM CONCEITO: Apenas aqueceu, pois tava uma friaca.
Lúcio - BOM: Conseguiu impedir alguns ataques do Botafogo. Não teve culpa nos gols. O que valeu mesmo foi a discussão com a “Odalisca carioca”.
M. Oliveira - REGULAR: Salvou o gol do Botafogo em cima da linha. Só isso!
William Matheus - REGULAR: Aproveitou o espaço dado pelo lado esquerdo, mas caiu muito na segunda etapa.
Renato - DESLIGADO: Conseguiu segurar na marcação, mas falhou no lance do gol do Botafogo.
Wesley - TIRIÇA: Mais um. Arriscou no ataque, mas arrumou uma expulsão infantil.
Felipe MenezeZzz - SONECA: Vocês acham que com esse frio o ‘Sleep’ Menezes ia jogar alguma coisa? Sabem de nada inocentes! O cara entrou em campo com pantufa, gorro, pijamão e um edredom. Só faltou um ursinho de pelúcia.
(Bernardo) - SÓ AQUECEU: Não ouvi o locutor pronunciar seu nome. Não tinha muito que fazer com um a menos.
Marquinhos Gabriel - BOM: Pelo menos tentou fazer alguma coisa.
(Chico) – SEM CONCEITO: Desculpa pela piada de mau gosto, mas o Chico não estava na época certa para descer. Tirando o momento “A Praça é Nossa”, o atacante sequer foi notado em campo.
Diogo - BOM: Me surpreendeu. Outro que tentou fazer algo em campo.
Henrique - ACABOU O MILAGRE: O estoque de milagres do ‘Thierry’ Henrique acabou. É bem verdade que ele não teve culpa, pois a bola não chegou até ele.
Tec. Alberto Valentim - COITADO: Não tinha muito que fazer, o time é de mediano para ruim mesmo.
Camisa Amarela do Palmeiras - MICK JAGGER: A camisa é bonita, vende muito, mas dá um azar do c@%&***#. Tive a oportunidade de estar no Pacaembu quando o time jogou com este uniforme no Pacaembu e não saímos do empate com o São Caetano na Série B. Para piorar, não marcamos um golzinho sequer. Uma dica: não usa mais, pois vai dar uma zica dos infernos.
Time como um todo - THE WALKING DEAD: A equipe está que nem zumbi dentro de campo. O Gareca vai ter muito trabalho pela frente.


PALMEIRAS MINHA VIDA É VOCÊ! Curta a página oficial do torcedor palmeirense no Facebook: www.facebook.com/palmeirasminhavidavoce10


_____________________________________


* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Antonio Lemos | www.paponaarquibancada.blogspot.com.br

Comentário da Redação > Vitória maiúscula do Timão!

Depois de golear o Sport na Ilha do Retiro, o Corinthians provou nessa quarta-feira que o resultado não foi um mero acaso. Diante do Cruzeiro, último campeão brasileiro e principal candidato ao título da edição atual, fez uma partida de time grande e conquistou uma vitória maiúscula no Canindé. O placar foi apertado, um 1 a 0, o gol veio através de uma falha do ótimo goleiro Fábio em chute de Guerrero, mas o Timão mereceu sair com os três pontos

Se quer mesmo lutar pelo título, foi daqueles triunfos para se lembrar como um dos mais importantes ao fim do campeonato. Claro que terá a parada para a Copa, muita coisa pode mudar, mas era um jogo de 6 pontos, vencer era de fundamental importância tanto em termos de pontuação como emocionalmente, para adquirir confiança. Hoje, após essa vitória, a realidade é que podemos dizer que a equipe do Parque São Jorge tem condições de conquistar o título brasileiro e ninguém terá argumentos para dizer o contrário.

Isso porque, repito, venceu um grande favorito à conquista do BR14 de forma justa, se impondo em campo, jogando intensamente, marcando forte. Os mineiros não ficaram atrás, saíram para o jogo, mostraram que sua vocação realmente é jogar bola independente de ser no Mineirão ou fora. É um dos poucos times que costumam proporcionar jogos agradáveis de assistir nessa competição. Mas o Alvinegro, "rei" das partidas chatas, teve mais ímpeto e apetite, jogou como se fosse um duelo de mata-mata.

O símbolo dessa atuação foi o meio-campista Petros. Impressionante o que ele corre!!! Olha que mesmo tendo Renato Augusto como opção, além de Elias e Lodeiro para entrar após a Copa, vai ser difícil tirar a vaga desse rapaz, hein?! Depois do jogo, ele disse que sempre tem a tarefa de marcar o principal jogador adversário além de jogar bola. Mano Menezes o comparou ao Jorge Henrique na coletiva. Boa lembrança. É um guerreiro assim como o eterno camisa 23.

Não à toa o ex-meia do Penapolense é o maior roubador de bolas do campeonato (40 desarmes). Tem muita volume de jogo, é voluntarioso, se entrega o tempo inteiro. Foi, de longe, o melhor jogador do duelo. Atuação mais perfeita que isso só se tivesse feito o gol após apertar Bruno Rodrigo na frente, tomar a bola, e sair de frente para o Fábio. Contudo, infelizmente finalização não é a sua.

Mas participa demais do jogo, colabora muito para o time, e contagia a todos, companheiros e torcedores, com seu espírito de luta. Saiu merecidamente ovacionado pela torcida. Eu o treinaria para ser, definitivamente, um segundo volante. Essa é a dele. Marcar e sair para o jogo. Nada de ser meia como no Paulistão pelo clube do interior.

Bom, Petros à parte, o importante é que o Corinthians está ganhando uma cara e terá opções para manter e elevar o nível. Domingo será última rodada pré-Copa, na Arena, contra o Botafogo. Depois virá uma "pré-temporada" para o Mano Menezes agregar reforços, entrosar a equipe e entrar forte em julho. Ainda é cedo, eu não vinha muito confiante em ir longe nesse BR14, tava ansioso pra chegar logo a Copa e esquecer um pouco meu time de coração, mas não vou negar que essas últimas duas vitórias me deixaram empolgado.

Como disse após os 4 a 1 em cima do Sport, não precisa de um futebol brilhante pra sonhar alto no nosso torneio nacional, então, acho que dá pra começar a almejar estar na briga pela taça. Só o fato de termos feito 1 a 0 com 22 minutos do segundo tempo e não tomado o empate, já é uma evolução enorme. Espero que isso não seja coincidência e que o Mano realmente tenha revisto seus conceitos. Se isso aconteceu, não tenho dúvidas em afirmar: brigaremos pelo Hexa!

Conceitos

Walter - BOM: Bateu roupa uma vez apenas, mas o Fábio depois fez infinitamente pior em bola parecida. Mas de resto, esteve muito seguro e concentrado para sair do gol na hora certa.
Fagner - BOM: Apoiou bem, procurou explorar os espaços deixado pelo Edígio. Defensivamente ainda precisa ir melhor.
(Guilherme Andrade) - REGULAR: Há tempos não jogava uma partida. Não comprometeu.
Cléber - REGULAR: É, depois de um começo muito bom está se tornando um tanto quanto atabalhoado.
Gil - ÓTIMO: Este, em compensação, foi dono da zaga. Partidaça!
Fábio Santos - REGULAR: Quando o time precisou de uma válvula de escape pelo lado esquerdo, ele não correspondeu. Esse é o seu problema. Não dá para esperar nada do camisa 6.
Ralf - BOM: Ainda não é o melhor Ralf possível, mas mesmo assim é importantíssimo. Arriscou alguns passes para os jogadores de frente.
Bruno Henrique - BOM: Auxiliou o Ralf na marcação e procurou sair para o jogo. O time claramente rende mais sem o Guilherme
Petros - ÓTIMO: O melhor jogador em campo, sem dúvidas. O dono do meio-campo, fez de tudo. Vem se mostrando o jogador de melhor custo-benefício do clube, muito bom e barato.
(Danilo) - SEM CONCEITO: Não deu nem para o Zidanilo mostrar sua elegante lentidão em campo, muito pouco tempo de jogo.
Jadson - BOM: Mais uma boa partida do camisa 10. Tem participado do jogo, e isso é importantíssimo para o time.
Romarinho - BOM: Não fes iso no como domingo, mas teve sua importância. Se movimentou bastante.
(Luciano) - SEM CONCEITO: Mandou uma na trave, quase fez o 2 a 0, mas jogou pouco, não dá para avalia-lo.
Guerrero - BOM: Lutou bastante e foi recompensado com o gol. Mas precisa melhorar seu posicionamento. O Mano falou isso no intervalo, que o camisa 9 estava muito pelas pontas, e isso vem sendo frequente, venho falando muito aqui. De resto, o peruano vive uma fase boa, tirando algumas finalizações bizarras.
Téc: Mano Menezes - BOM: Assim como teve responsabilidade nos maus resultados, claro que tem méritos nessa boa sequência de não apenas duas vitórias, mas acima de tudo boas atuações. O time não recuou quando passou à frente no placar, é uma evolução. Precisa corrigir o posicionamento do Guerrero, que joga ora muito pelas pontas, ora isolado. No intervalo, falou sobre isso e parece ter entendido, vamos ver se corrige. E que venha a terceira vitória no domingo!

____________________________________


* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Pedro Diniz | pedro_sccp@hotmail.com

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Rádio da Redação > Copa do Mundo 2014: Prévia Grupo E



O Redação do Esporte inicia uma série em 8 capítulos. Ou melhor, 8 grupos. Reunimos nossa equipe em 8 gravações para falar das 8 chaves do Mundial. Neste primeiro capítulo, vamos de Grupo E.

Temos a Suiça como cabeça-de-chave, mas o destaque do grupo é campeã mundial França. Honduras e Equador completam a disputa por uma vaga nas oitavas de final. Quais serão as duas seleções que sobreviverão aqui?

Apresentação: Victor Mesquita
Comentários: Fernando Pilat, Marco Miranda e Ricardo Pilat.

Trilha sonora:
Phoenix - 1901, Phoenix - Lisztomania, Carla Bruni - Quelqu'un M'a Dit, Daft Punk - Around The World, Daft Punk - Get Lucky, Daft Punk - One More Time.

__________________________

* Na Rádio da Redação você ouve os melhores comentários esportivos da GALÁXIA com nossa equipe de redação em versão podcast!


Direto da Redação
| redacao_esporte@hotmail.com | @redacaoesporte

terça-feira, 27 de maio de 2014

Paddock da Redação > Safety Car [Mode on]

No último domingo aconteceu o “charmoso” GP de Mônaco, sexta etapa do campeonato. Como já é sabido não houve muita emoção na corrida, praticamente disputada em modo “Safety Car”. Não que o carro de segurança tenha ficado todas as voltas na pista, mas praticamente não houve ultrapassagens e os carros rodaram em fila indiana.

Para não dizer que o GP foi uma merda, posso lembrar que o domingo reservou dois momentos marcantes. O primeiro deles aconteceu nas últimas cinco voltas, quando Hamilton, então segundo colocado, por causa de um cisco no olho (é sério) não conseguia manter o rendimento da sua Mercedes e aos poucos foi perdendo contato com o líder, quase perdendo a segunda colocação para a Red Bull de Ricciardo, até agora a revelação da temporada. Não fosse a falta de tempo e espaço para ultrapassagens, com certeza o piloto da Mercedes teria perdido a posição a poucos metros da chegada.

Outro fato marcante, foi o “Momento Sandy” da temporada. Quatro anos após estrear no Fórmula 1, a Marussia conseguiu, finalmente, marcar seus primeiros pontos na categoria. O autor do feito foi Jules Bianchi, que conseguiu arrastar a sua carroça até a nona posição, marcando os três primeiros pontos da escuderia. Ajudado pelo excesso de batidas e abandonos, o piloto francês conseguiu marcar seu nome na história. 

No pódio ficou tudo igual. A Mercedes na frente com Rosberg em 1º e Hamilton em 2º, seguidos pela Red Bull de Ricciardo. A dobradinha em Mônaco é a única coisa que a equipe prateada teve para comemorar no fim de semana. Já que segundo os repórteres, a guerra entre Hamilton e Rosberg pelo campeonato ficou séria, eles nem se cumprimentaram e praticamente declararam estado de guerra.

Agora eu fiquei curioso para saber como essa história vai rolar e quem chegará vivo ao final do ano.  A última “guerra fria” entre parceiros de equipe aconteceu entre Hamilton e Alonso na, McLaren. Fique de olho nos próximos capítulos.

Classificação final: GP de Mônaco

1) Nico Rosberg  (ALE/Mercedes)
2) Lewis Hamilton (ING/Mercedes)
3) Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull-Renault)
4) Fernando Alonso (ESP/Ferrari)
5) Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes)
6) Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes)
7) Felipe Massa (BRA/Williams-Mercedes)
8) Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault)
9) Jules Bianchi (FRA/Marussia-Ferrari)
10) Kevin Magnussen (DIN/McLaren-Mercedes)


Classificação: Mundial de Pilotos 2014

1 Nico Rosberg (ALE/Mercedes)    122
2 Lewis Hamilton (ING/Mercedes)    118
3 Fernando Alonso (ESP/Ferrari)    61
4 Daniel Ricciardo (AUS/RBR-Renault)    54
5 Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes)    47
6 Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault)    45
7 Valtteri Bottas (FIN/Williams-Mercedes)    34
8 Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes)    31
9 Kevin Magnussen (DIN/McLaren-Mercedes)    21
10 Sergio Pérez (MEX/Force India-Mercedes)    20
11 Felipe Massa (BRA/Williams-Mercedes)    18

_____________________________________

* A coluna Paddock da Redação traz bastidores e análises da Fórmula 1, a principal categoria de automobilismo do mundo.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo  

Manchete no Ponto > Liga Mundial: Começamos bem? #sqn. Perdemos logo na estreia!

Estava eu toda feliz na sexta-feira (23/05) achando que o Brasil iria começar a Liga Mundial arrasando contra os italianos, quando percebi que estava enganada. O Brasil já começou perdendo!!!

Confesso que não consegui assistir esse primeiro jogo e fiquei chorando pro Victor Mesquita (Redator do Redação Esporte) ligar a TV e ir me contando. Depois de muita reclamação, como já esperado porque isso é o que ele mais faz, ele aceitou! Todas as mensagens que recebia dele vinham com o mesmo conteúdo, “Eles estão perdendo!”. Logo, nem eu e nem ninguém perdeu uma grande partida, ufa! O Brasil perdeu na estreia contra a Itália por 3 a 1 (25/19, 27/25, 22/25 e 25/21) e pelos lances do replay que eu vi do jogo, não foi um grande espetáculo... mesmo com o lindo oposto Vissotto como melhor jogador do lado amarelinho, com 16 pontos na partida, deixando pra trás os amigos Lucão e Lucarelli que fecharam o jogo com 12 pontos cada.

Já no sábado acordei cedo pra ver o jogo e como sou brasileira e não desisto nunca (pelo vôlei, porque futebol eu já desisti) tinha certeza que o Brasil ia ganhar da Itália, até porque já perdemos o primeiro jogo... pensei eu, ingênua!

Pedi silêncio para a galera que estava em casa, ou melhor, na casa da minha irmã Roberta que estava comemorando seu aniversário (aêêê Beta, parabéns de novo!!!) para ver o jogo porque o Brasil ia trucidar a Itália e o cabelo do Zaytsev (gente, que cabelo é aquele? Como ele consegue jogar 4 sets sem o cabelo cair no olho? Zaytsev, me diz qual pomada que você usa que eu também quero comprar!!!).


E o jogo começou... começou bem ruim para o lado do Brasil. A Itália abriu uma vantagem de 7x1 logo de cara, com ataques e bloqueios perfeitos, levando o Bernardinho e a galera lá de casa a loucura, falando coisas que não posso repetir aqui senão minha mãe me mata e me coloca de castigo!!! Infelizmente o Brasil perdeu esse set de 25x17.

No 2° set o Brasil era outro, Bernardinho fez a inversão do 5x1 e colocou Theo, Mauricio e Rafinha no time, e não é que deu certo?! Também né, me diz pra que o Murilo joga na Seleção? Murilo vai cuidar da casa e lavar a louça, não dá mais pra você jogar na Seleção, já foi sua época!!! Com essa inversão, o Brasil mostrou outro voleibol e mesmo com 4 pontos roubados para a Itália vencemos por 26x24.

Não contente, o árbitro continuou roubando no 3° set. Logo de cara foram 2 pontos vergonhosos e safados para a Itália. O Brasil não deixou se abater por esses roubos e jogou bem. Mauricio fez uma ótima partida com excelentes saques, até ace ele fez para a alegria da arquibancada, mas infelizmente não deu... perdemos de 25x23.

O 4° set foi justo, jogo de gente grande e sem roubo. Itália se mostrou muito preparada e focada e não poderia ser diferente, levou a melhor por 25x20.

Nesse jogo o Lucarelli foi o jogador que mais pontuou pelo lado brasileiro, com 16 acertos e o grande Theo que entrou fazendo milagre no segundo set fez 15 pontos.

Agora vocês me perguntam: o que foi aquilo Amanda, cadê o Brasil que estamos acostumados a ver em quadra? E eu respondo: calma pessoal, o Brasil está chegando e já já aparece! Os jogadores não tiveram tempo suficiente para treinar juntos. Vamos dar uma segunda chance pra eles. Os meninos do Cruzeiro Wallace e Willian estão chegando para reforçar o time. E o Bruninho já deixou claro que vencerá a Itália lá na frente do campeonato, isso se o Brasil chegar até lá!

Agora só nos resta esperar pelo próximo jogo que acontecerá dia 29 e 30/05, às 14:35h, no Ginásio Chico Neto em Maringá (PR). Os jogos serão transmitidos pela Globo!

_____________________________________

* A coluna Manchete no Ponto fala de manchetes e pontos, mas também de saques, bloqueios, levantamentos e de todos os fatos que envolvem o vôlei no Brasil e no mundo.


por Amanda Telles
| amandasatelles@hotmail.com

Copa no Quintal > Inglaterra: Uma incógnita para 2014 e certeza para 2018

Uma Seleção campeã do mundo e que sempre desperta otimismo da imprensa e torcedores. Mas, para quem acompanha história, sabe que a Inglaterra costuma decepcionar em Copas do Mundo. Exceto pelo título de 1966, os ingleses alcançaram sua melhor colocação em 1990, parando nas semifinais. Quartas de finais e oitavas são rotineiros. Então, o que esperar de sua participação no Brasil? Sinceramente, é uma incógnita.

Com a chegada do técnico Roy Hodgson, a seleção inglesa passou por uma grande reformulação. A forte geração do início dos anos 2000, hoje está representada apenas por Steven Gerrard (atual capitão) e Frank Lampard (reserva). O time tem muita qualidade técnica mas pouca rodagem. Vejo o caso da Inglaterra semelhante ao da Alemanha em 2010. Guardadas as devidas proporções, o jovem grupo alemão que disputou a Copa da África chegou sem os holofotes que recebem para 2014, mas mostraram um futebol de encher os olhos, chegando às semifinais da competição. Os alemães tinham, sim, mais qualidade do que o atual elenco inglês. Porém faltava a presença de uma referência como é Steven Gerrard.

Outro fator que dificulta prognósticos para a seleção britânica, é ter caído no grupo de mais dois campeões mundiais (OBRIGADO, FIFA). Devido ao belíssimo regulamento criado para o sorteio, Itália, Uruguai e a querida Inglaterra dividem o mesmo grupo, além do saco de pancadas - Costa Rica. Como cravar uma vitória contra o time detentor do ataque Suárez / Cavani? Ou mesmo apostar em triunfo contra um time cascudo como a Itália do Super Mario Balotelli? Só há uma certeza nesse grupo: o jogo contra a Costa Rica será importante para fazer saldo de gols. 


Fato é que essa nova geração inglesa promete muito. Tem o melhor goleiro do mundo, Joe Hart, mas é na defesa o seu ponto baixo. John Terry e Rio Ferdinand passaram o bastão pra jogadores de nível inferior, como Smalling e Cahill. Na famosa linha de quatro do meio de campo há um potencial imenso nos garotos Sterling (19 anos), Wilshere (22 anos) e Henderson (23 anos). Estes, serão liderados pelo monstro sagrado "Stevie G" (para este guardo um comentário especial no final). E o ataque deve ser formado por Rooney e Sturridge. O primeiro está devendo há tempos uma grande Copa do Mundo. Já o segundo jogará cercado de expectativas depois da bela temporada que fez no Liverpool.


Espremendo tudo isso que falei, e colocando em pratos limpos: a Seleção Inglesa deve aprontar nessa Copa e chegar longe, assim como a Alemanha de 2010, mas é um time que estará pronto para disputar o título em 2018. De qualquer forma, estarei torcendo para uma surpresa ainda maior, que seria o título. Essa seria a coroação do capitão Gerrard, que provavelmente fará sua última apresentação em Mundiais. Ele merece levantar a taça. Um jogador que defende um mesmo clube, por amor, durante a carreira toda, que é exemplo para a garotada, profissional de primeira qualidade, e com um futebol de encher os olhos. Nos tempos de hoje, revelar um jogador que reuna todos esses atributos, me parece impossível.

Confira a lista de convocados da Inglaterra:

Goleiros: Joe Hart (Manchester City), Ben Foster (West Bromwich) e Fraser Forster (Celtic-ESC)
Defensores:
Phil Jagielka (Everton), Glen Johnson (Liverpool), Luke Shaw (Southampton), Gary Cahill (Chelsea), Phil Jones (Manchester United), Leighton Baines (Everton) e Chris Smalling (Manchester United)
Meias: Ross Barkley (Everton), Jack Wilshere (Arsenal), Jordan Henderson (Liverpool), Adam Lallana (Southampton), Steven Gerrard (Liverpool), Frank Lampard (Chelsea) e James Milner (Manchester City)
Atacantes: Alex Oxlade-Chamberlain (Arsenal), Rickie Lambert (Southampton), Daniel Sturridge (Liverpool), Danny Welbeck (Manchester United), Wayne Rooney (Manchester United) e Raheem Sterling (Liverpool)

____________________________________

* Aqui na coluna Copa no Quintal você entra no clima do Mundial no Brasil, com as análises das principais seleções que nos visitarão em 2014.


por Fernando Pilat | @fernandopilat

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Clinch > A zebra mais sanguinária de todos os tempos

É Brasil! Resta apenas 1 cinturão do UFC em solo Tupiniquim. Tínhamos 2 até sábado, quando a zebra americana TJ Dillashaw entrou avassalador no octógono contra Renan Barão. Acho difícil existir um ser na face da Terra que apostasse no desafiante, e é impossível alguém ter imaginado um atropelo como o dessa luta.

TJ entrou muito confiante, aceitou lutar em pé, especialidade do brasileiro, durante os 5 rounds. Fora ter ficado de guarda baixa na maior parte do combate. Parece que ele mapeou todas as armas de Barão, e logo no primeiro round ele conseguiu um knockdown e por pouco não encerrou a luta. Mas, apesar de não ser o golpe derradeiro, essa queda deixou o brasileiro desnorteado e sem confiança. Os outros 4 rounds de luta foram sparring para o americano. Barão não parecia o dono da maior sequência invicta entre os lutadores do UFC, e se tornou inofensivo durante todo o combate.

No final das contas, o atropelo foi encerrado com um nocaute, mais do que merecido, no quinto round. Foi uma vingança e tanto do companheiro de treinos de Urijah Faber (batido duas vezes pelo brasileiro). Para Barão, resta treinar mais e voltar ainda mais forte para retomar o cinturão. E ao Dillashaw, os humildes elogios pela atuação primorosa em Vegas.

Mais dois atropelos

Os outros dois combates principais do evento foram monólogos. Primeiro o ótimo Robbie Lawler bateu três rounds em Jake Ellenberger conseguindo o nocaute no terceiro. Lawler está em uma forma estupenda e merece, com certeza, uma revanche contra Johnny Hendricks. Até porque a luta entre os dois teve resultado controverso.

O co-main event reuniu Daniel Cormier e Dan Henderson. No choque de gerações, DC não tomou conhecimento do veterano. Deu até dó de ver um grande lutador ser tão humilhado. Parecia adulto batendo em criança (sendo que na verdade o mais velho era o Hendo). A cena mais chocante foi quando Cormier levantou Henderson para uma queda e jogou como se fosse um monte de lixo no tablado, e ainda lhe passou uma rasteira na sequência. Olha, a atuação do invicto DC é de encher os fãs de vontade de assistir uma luta dele contra Jon Jones. E ele já desafiou. Antes, terá de esperar a revanche do campeão contra o sueco Gustafsson.

TUF Brasil: definidos os finalistas

A terceira edição do TUF Brasil será decidida por Márcio "Lyoto" e Warlley Alves, nos médios, e Vitor Miranda e Antônio "Cara de Sapato", nos pesados. Os favoritos, na minha opinião, são Cara de Sapato e Warlley Alves. As lutas acontecem no próximo sábado, em evento que foi sendo estragado aos poucos. Primeiro a luta entre os treinadores Sonnen e Wand foi remarcada para Las Vegas, em 05 de julho, e depois Junior Cigano se machucou, dando lugar a Fábio Maldonado, que fará o main event contra Stipe Miocic, favorito disparado.

OSS!

_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.


por Fernando Pilat
| @fernandopilat

Comentário da redação > Brasileirão 2014: Santos 0 x 0 Flamengo

Visão santista > Saudade, bom futebol
por Igor Domingues | igor4712@hotmail.com


Comemoro o título de uma CHAMPIONS LEAGUE em um dia e sofro com um bando de pernas de pau no outro. Essa é minha vida de torcedor do Real Madrid e Santos.

Após ver Cristiano Ronaldo, Di María, Bale e tantos outros craques em Lisboa, acompanhei o "jogão" nesse domingo com Bruno Peres, David Braz, Negueba, Márcio Araújo e outros "craques". Que ideia a minha... foi horroroso!

Essa diferença de qualidade notavelmente é uma enorme prova que, não só meu Santos, mas o próprio futebol brasileiro não é mais o mesmo, aliás, está anos-luz do belo futebol que um dia já apresentamos e tanto temiam.

Para quem já teve Pelé, Ademir da Guia, Sócrates, Raí e tantos outros, hoje vivemos de quaisquer jogadores. Para ser zagueiro ou centroavante, é necessário apenas ter altura e um bom empresário. Assim como para ser goleiro.

No meio, com a 10 na maioria das vezes, é preciso apenas correr e ter ótimo empresário. Aliás, qualquer posição é só ter um bom empresário e já era. Quando não saem contratando a rodo na Argentina, Colômbia, Uruguai, Peru e em qualquer país sul-americano. Isso que tá transformando o futebol brasileiro em uma bela várzea (essa palavra me lembra de onde veio nosso atacante de 40 milhões...). Nada contra a várzea, mas...

Sobre o jogo, foi o principal fator para eu desabafar, como vocês podem notar. Foi um show de horror! Sorte de vocês que não viram e ficam sabendo através desse texto. MUITA SORTE!

O primeiro tempo, com muita chuva e pouco futebol, foi definido por erros. As melhores jogadas eram em erros do adversário, por ambas as partes. E com os "bons" atacantes, Negueba, Paulinho e Victor Andrade, óbvio que terminou zerado.

Já na segunda etapa... foi mais do mesmo. Melhorou um pouco, para ser sincero com vocês, mas não adiantou. Oswaldo e Ney Franco até tentaram mexer nos times, mas nada criativo saía. O Santos dominou uns 20 minutos, mas Victor Andrade e cia foram mal demais! O Geuvânio até conseguiu ser expulso...

O Flamengo teve a chance mais clara do jogo, mas o Paulinho conseguiu fazer aquelas jogadas de "super-craques" e perder o gol embaixo das traves. Os deuses do futebol fizeram um placar justo: 0 a 0.

Ficou para a próxima ter um bom jogo. Ou não...

Conceitos

Aranha - REGULAR: Não foi vazado, mas estava meio inseguro.
Cicinho - RUIM: Jogou pouco por precisar sair de lesão. Mais um abraço meu para o Ricardo Rosa.
(Bruno Peres) - REGULAR: Entrou e dos males foi o menor.
David Braz - RUIM: Pela sua ruindade, não merece outra nota.
Jubal - RUIM: Como sempre, perdidão. Sorte que o ataque do Flamengo era tão ruim quanto o nosso.
Zé Carlos - REGULAR: Gostei dele apoiando, mas foi mal defensivamente. Tem futuro se trabalhado.
Arouca - RUIM: Sumido demais do jogo. Volta, Arouca, por favor! Precisamos de você.
Renato - REGULAR: Um dos poucos que coloca a bola no chão para trabalhar, mas como segundo volante, deve na marcação. Alison ou Cícero (que talvez não volte mais) ajudariam, em boa forma, claro.
Lucas Lima - BOM: O melhor do time. Buscou jogo o tempo todo e seus passes eram precisos, mas já seus companheiros...
Geuvânio - PÉSSIMO: Tá jogando nada! E ainda foi expulso, para ajudar mais ainda.
Victor Andrade - RUIM: Apesar de esforçado, é muito fominha! Precisa ter calma.
(Diego Cardoso) - RUIM: Entrou e não tocou na bola.
Stéfano Yuri - RUIM: Apesar de um meio com pouca criatividade, nem tocou na bola.
(Jorge Eduardo) - SEM CONCEITO: Entrou tarde e também não tocou na bola.
Téc: Oswaldo de Oliveira - RUIM: A equipe tá muito mal e ele parece acomodado com a situação. NÃO PODE, PÔ! Se vocês estão sem ânimo, imaginem nós, torcedores.

Visão flamenguista > Paulinho, a proposta e Ney Franco no país das maravilhas
por Rafael Gomes | rafagomesdesouza@gmail.com | @rafaeldudu

Desde o dia 27/07/2011, qualquer jogo entre Flamengo e Santos se tornará um jogo chato, em profecia dita pelo outrora gênio e filósofo Ronaldo Assis, catedrático na imprevisível ciência chamada futebol.

Por uns 100 anos será difícil ver esses dois times em campo sem se lembrar do fatídico 5x4 na Vila Belmiro. Para muitos o melhor jogo do Flamengo já visto. Dos que vi ao vivo, guardo com carinho os 5x3 contra o São Paulo da Copa dos Campeões e os 4x3 no time que cai pra cima num Maraca lotado, numa virada espetacular. Enfim, cada um com seus gostos.

Repare que quase não mencionei o jogo de ontem, 25/05, entre os dois times. É duro ver o Flamengo com extremas dificuldades para bater um time que vinha com 357 desfalques...

O time enfrentou um Santos desentrosado e deu a falsa ilusão de que foi bem na reta final do primeiro tempo. Luiz Antonio acertou a trave e no rebote Paulinho conseguiu a proeza de escorregar.

Aliás o avante rubro-negro no segundo tempo perdeu mais um gol após Negueba lançar, e vejam vocês acertar, uma bola açucarada que foi parar em algum camarote do vazio e gélido Morumbi.

Você deve estar se perguntando: Não vai falar do ultimo lance do jogo? Calma, já chegamos lá.

O Santos ficou com um a menos. Observei nas redes sociais e vi parte da Magnética comemorando. Era a hora de vencer, agora vai... Vos pergunto, comparsas flamenguistas: se com o Santos deixando o time jogar, o jogo não fluiu e o ataque ficou devendo, imagina com o alvinegro praiano fechadinho.

Apesar de todos os fatores contra, inclusive o ótimo estado do gramado do Morumbi que dificultou a vida dos perebas rubro-negros, Igor Sartório conseguiu achar um espaço e cruzou. Paulinho como um bólido (salve Luis Roberto e o gol de Obina!) apareceu por trás da zaga, chegou bem na bola, ajeitou o pé para chapar a bola na rede e... Uma proposta de 5 milhões surgiu entre seu pé e a bola. Desconcentrado, isolou a bola novamente no camarote. Na escala Deivid, 9,8 pontos.

Que iríamos sofrer no campeonato era certo. Entretanto, o sofrimento tem sido maior. A pausa para a Copa vai funcionar como um trunfo. Se o campeonato fosse direto, nossas chances de queda aumentariam consideravelmente.

Escalações equivocadas, falta de um vestiário forte, falta de respeito ao comandante, insatisfação interna. O Flamengo parece na beira do caos, na beira do mal, numa piração total. (Perdoem a péssima piada, queridos leitores)

Conceitos

Paulo Victor - ADEUS FELIPE: Nem fez tão boa partida, mas só a sensação de não ter mais Felipe ali já ajuda.
Léo Moura - BOM: Sofreu um pênalti maroto no primeiro tempo, só que a queda foi muito hollywoodiana para o juizão marcar. Foi bem, senti sua falta.
Chicão - ODVAN: Foi zagueiro-zagueiro. Não brincou e despachou todas as bolas que passaram por ele. Começo a acreditar que 3 zagueiros vêm aí.
Wallace - JUVENIL: Até foi bem na parte técnica da coisa, mas a estúpida discussão com L. Antonio estragou sua atuação.
Samir - MELHOR QUE O ANDRÉ SANTOS: Se bem que até um cone improvisado ali joga melhor.
(João Paulo) - É TÃO RUIM... Que o Ney Franco preferiu improvisar um zagueiro ali. Triste.
Amaral - PIRLO NEGRO: Aos poucos, voltando a velha forma. Carniceiro, atacou umas pernas ali e ainda ajudou na armação. Só tá faltando aqueles petardos loucos que de vez em quando você solta.
Márcio Araujo - REGULAR: Fez o fácil, não se complicou, mas não apareceu pra ajudar a armação.
Luiz Antônio - SAUDADES JAILTON: Pelo amor de Deus! Onde você foi parar??? Tomou amarelo por discutir com um cara do próprio time.
Everton - BOLA WILSON: Ninguém queria papo com ele. Único meia, ficou ali procurando com quem jogar e nada. Náufrago.
(Arthur) - TURISTA: Trouxe casaco? Pode pegar uma gripe ficando no banco e só jogando 10 minutos.
Paulinho - DINHEIRO NA MÃO, É VENDAVAL: A proposta das Arábias que fez você perder o gol já foi recusada. Por favor, nunca mais faça isso. Tem créditos, mas gastou boa parte ontem.
Negueba - GLÓRIA A VÓS, SENHOR: Boa partida. Pois é!! Foi quem ditou o ritmo no ataque, criando bons lances. Inexplicavelmente substituído.
(Igor Sartori) - PAPAI NÃO GOSTOU: Seu pai Alcindo, o careca cabeludo, na idade que está faria mais que você, hein?
Téc. Ney Franco - ALICE: Vive em um universo paralelo. Recuou o time demais no início. Deu certo, não levou gol, mas a equipe não tinha força na frente. Sacou Negueba que era o mais lúcido do ataque. Não levou Mugni pro banco, isola Éverton. Está perdido. O vestiário já tá contra. Vai ser difícil durar assim.

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

Direto da Redação
| redacao_esporte@hotmail.com | @redacaoesporte

domingo, 25 de maio de 2014

Comentário da Redação > Ressuscitamos mais um

Palmeiras e uma velha história de ressuscitar times que estão mal. Isso é algo que acontece com frequência. Quando achamos que a coisa não vai acontecer, ela vai e acontece. A bola da vez foi a Chapecoense, lanterna do campeonato, sem perspectiva nenhuma de permanência na série A e, ainda, sem um treinador fixo. E como já não bastasse a minha ressaca de ter visto o título da Champions escapar das mãos do Atlético no último minuto, e a perda do cinturão dos galos de Renan Barão no UFC, eu tinha que fechar este fim de semana com chave de ouro, vendo o Verdão perder. Mas tá tudo bem, coração de palmeirense já está acostumado com derrota.

O jogo na realidade foi uma merda. De bom, apenas o brigadeiro de panela que fiz para me fazer companhia durante esta fria e melancólica tarde de domingo. Mas desde o início, percebi que essa seria a partida típica com cara de derrota. Umas jogadas esquisitas, um Palmeiras sem criatividade, e uns buracos abertos no meio campo, que davam a Chapecoense contra-ataque toda hora. Resumi em algumas linhas, o script completo do jogo, mas tem alguns detalhes que quero ressaltar.

Começando pela zaga, que não passa muita confiança ao torcedor, por ser muito devagar. Quando se enfrenta adversários com atacantes rápidos, é impossível o Verdão não tomar pelo menos um gol de alguma jogada que seja bem rápida. O jogador da vez a deitar na zaga palmeirense foi o novo Messi, Tiago Luis, aquele mesmo, ex-Santos que já chegou a ter supostas propostas de Real Madrid e Barcelona, mas nunca vingou. Ele foi o autor do primeiro gol do jogo, mas foi acima de tudo o jogador que desequilibrou a partida, algo que faltou ao Palmeiras.

Quando achávamos que as coisas poderiam mudar, com o início do segundo tempo, a Chapecoense mal deu tempo para o Verdão tentar algo e de cara já emendou o segundo gol, o que na hora, para mim já significou o fim de jogo, visto que o time palmeirense não me passava um ar de reação. A verdade é que faltou muita criação no meio. Mendieta sozinho para resolver algo não funciona, e nisso, o Alberto Valentim poderia ter colocado o Bernardo antes para ajudar. Mas ele entrou tarde demais, quando o jogo já estava no fim e mal pode fazer.

O importante, é o torcedor palmeirense saber que essa é a realidade. Algumas derrotas e algumas vitórias. O time não tem elenco para manter o mesmo padrão até o fim. Mas não estamos tão mal assim. O Campeonato Brasileiro desse ano é o pior em termos de qualidade, nos últimos anos, ou seja, é possível aproveitar sim algumas brechas.

Conceitos

Fábio – BOM: Esse foi o melhor palmeirense em campo. Não teve culpa nos gols e tem se mostrado um ótimo goleiro.
Wendel – RUIM: Grande parte das jogadas da Chapecoense foi nas suas costas.
Marcelo Oliveira – RUIM: Um morto ali atrás.
Lúcio – RUIM: Um morto ali atrás [2].
William Matheus – REGULAR: Senti falta dele no ataque.
Renato – REGULAR: Que mania esse cidadão tem de ficar tocando a bola para trás!
Wesley – BOM: Ele arriscou, e ali no meio, foi o que mais criou.
Mendieta – RUIM: Praticamente não criou nada.
(Felipe Menezes) – RUIM: Zzzzzzzz... Não é só cara de sono que ele tem.
Marquinhos Gabriel – RUIM: Ele estava em campo? Nem sabia...
(Bernardo) – SEM CONCEITO: Demorou para entrar.
Diogo – REGULAR: Tentou bastante e mostrou vontade, mas só isso não basta.
(Patirck Vieira) – SEM CONCEITO: É outro que deveria ter entrado antes.
Henrique – REGULAR: Esteve apagado, mas a culpa foi do meio campo, que não criou para ele.
Téc. Alberto Valentim – RUIM: Deixou a desejar muito hoje. Mudou o time tarde demais.


PALMEIRAS MINHA VIDA É VOCÊ! Curta a página oficial do torcedor palmeirense no Facebook: www.facebook.com/palmeirasminhavidavoce10


_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

Comentário da Redação > Isso aconteceu mesmo?

O corintiano que anda desanimado com o time e resolveu deixar um pouco de lado o futebol neste domingo frio para pegar um cinema ou assistir um filminho a dois debaixo das cobertas, enfim, fazer uma média com a namorada (afinal, o primeiro dia da tão esperada Copa do Mundo cai justamente no dia dos namorados, e já sabemos qual a prioridade dos apaixonados por futebol, né?), escolheu o dia errado.

Se você veio aqui ao Redação do Esporte ansioso para saber qual foi o resultado do jogo contra o Sport na Ilha do Retiro, eu lhe digo que você irá se surpreender completamente. É provável que solte uma frase parecida com o título deste texto. "É sério que isso aconteceu?". Bom, chega de suspense...

O Corinthians de Mano Menezes venceu por 4 a 1. Isso mesmo, goleou. Para você não sair correndo para acessar um site concorrente, colocar em um canal esportivo, ligar o rádio, procurar a tabela do Brasileirão, pensando que isso é uma zuera das muitas que rolam na net, eu lhe digo logo os autores dos gols: Romarinho e Jadson, dois de cada.

Pois é, corintiano, isso realmente aconteceu. Quer mais uma informação chocante? Mano Menezes trocou Bruno Henrique por Renato Augusto quando o jogo estava 3 a 1. Sim, um volante por meia. Não à toa, fizemos o quarto gol em jogadaça de Guerrero como ponta. Mas sigo afirmando que não é a do peruano jogar pelos lados do campo, seu lugar é na área, como centroavante. Deu certo nessa circunstância de jogo, mas coloca-lo no lado do campo diminui ainda mais o poder ofensivo da equipe.

Mas enfim, hoje não é dia de cornetar. O Timão fez uma partida como há tempos não víamos. Não foi uma atuação primorosa do ponto de vista técnico, mas infelizmente é exigir demais no atual momento do futebol brasileiro. Ninguém está dando show no BR14. Mas jogou muito bem, não foi medroso e dominou o Sport na Ilha, o que é sempre difícil. Sinceramente, não precisa evoluir muito mais que isso para almejar ótimas coisas no torneio.

Com a chegada do Lodeiro e estreia do Elias, o time ganha mais qualidade. Só precisa manter o espírito de hoje, jogando com desenvoltura, solto, sem medo de ser feliz. Esse negócio de jogar por uma bola como foi em 2013 com o Tite e continua com o Mano - com o agravante de não ter uma zaga tão segura como antes - já está provado que não dá certo. E, olha, é irritante pacas!

Espero que esse resultado não seja um fato isolado e sim um divisor de águas, que a partir de agora a equipe pegue confiança, enxergue que não precisa conseguir apenas vitórias apertadíssimas, na bacia das almas. Só depende de você, Mano! Vamos continuar jogando bola!!!

Conceitos

Cássio - SEM CONCEITO: Saiu antes dos 10 minutos do primeiro tempo com uma lesão no joelho.
(Walter) - BOM: Pouco exigido e sem culpa no gol, mostrou segurança como de costume. É um ótimo reserva.
Fágner - REGULAR: Sem muito trabalho, não comprometeu.
Cléber - REGULAR: Depois de um excelente começo como titular, tem vacilado em alguns lances. Hoje não foi diferente. Precisa ficar mais ligado.
Gil - BOM: Já este tem uma regularidade monstruosa! Muito bem mais uma vez o Gil Mito.
Fábio Santos - RUIM: Havia subido no meu conceito e vinha o defendendo quando muitos pediam o Uendel. Mas está muito enganation na marcação, toma bola nas costas todo jogo, e mais uma vez marcou presença em um lance de gol do adversário.
Ralf - BOM: Tem seus defeitos, mas não podemos negar que adversário nenhum brinca na frente do Ralf Pitbull. Seu espírito guerreiro é fundamental.
Bruno Henrique - RUIM: Enquanto o Elias não estreia, o Bruno é meu titular, e não o Guilherme, mesmo quando este voltar de contusão. Mas não foi bem hoje. Tomou um drible vergonhoso do DURVAL.
(Renato Augusto) - AMÉM: Entrou aos 21 do segundo tempo e não se contundiu. Amém.
Petros - BOM: Dá um ritmo bom ao time, se movimenta bastante, é voluntarioso. Sofreu o pênalti que definiu a partida.
Jadson - ÓTIMO: O Magic Jadson voltou? Não digo isso pelos dois gols, ambos de bola parada, mas pela participação em todo o jogo. Com passes precisos, foi o camisa 10 que queremos e esperamos dele.
Romarinho - ÓTIMO: Ele fes iso hoje. Tava endiabrado o Romarino. Ahhh, se fosse sempre assim...
(Luciano) - REGULAR: O jogo já tava decidido, o time ficou só na base do olé ditado pela torcida. Luciano nada fez.
Guerrero - ÓTIMO: Como eu disse, continuo não aprovando o posicionamento do camisa 9 em boa parte do jogo. Seria muito melhor aproveitar suas características mais perto do gol, na área. Mano precisa corrigir isso. Mas individualmente o peruano fez ótima partida e participou dos dois gols do Romarinho.
Téc: Mano Menezes - BOM: Sua postura foi a que se espera de um treinador de clube grande. Acredito que também foi muito ajudado pelas circunstâncias da partida, mas isso é outra história, até porque, só de ele ter tirado o Bruno Henrique e posto o Renato Augusto já é surpreendentemente bom. Aguardemos os próximos jogos.

____________________________________


* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Pedro Diniz | pedro_sccp@hotmail.com