Mudou!

O Redação do Esporte mudou de hospedagem! Acesse nosso conteúdo atualizado em: www.redacaoesporte.com.br

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Bolão da Redação > Promoção: Santos x Corinthians



O Bolão da Redação está de volta e agora em parceria com o ApostasOnline.com!

Vamos premiar dois leitores com R$ 20 em créditos para uso no site de Apostas para duas pessoas que acertarem o placar do clássico entre Santos x Corinthians, que acontece domingo (3 de março), no Morumbi, pelo Paulistão.

Para participar, visite nossa página oficial no Facebook e deixe seu palpite na imagem promocional (igual a essa de cima), que aparece no topo das publicações. Lembre que você só estará apto a concorrer se curtir nossa página e também a página do ApostasOnline.com.

As apostas são válidas até 15h do dia 3 de março. Clique aqui e confira o regulamento completo.

ApostasOnline.com


Para quem ainda não conhece, o ApostasOnline.com é um site do grupo Offside Gaming com uma dinâmica muito legal para quem curte fazer apostas esportivas. E o mais legal é que vocês pode apostar em campeonatos de futebol do mundo inteiro, desde o Brasil até a Romênia! E também em outros esportes, como basquete, tênis, lutas, enfim.

Para os iniciantes, o ApostasOnline ainda disponibiliza R$ 50 de bônus para a sua primeira aposta.



Por que apostar no Santos - por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

Com a volta de Neymar, o Peixe certamente estará muito motivado para vencer. O jogo será no Morumbi, o que me lembra uma certa final de Brasileiro, de 2002, onde um tal Robinho distribuiu pedaladas e futebol arte. O Santos não terá "Yaya" Renê Jr no meio-campo, mas nosso kicker Marcos Assunção já prometeu gol de falta pra sair da seca. E pra completar, é capaz do Corinthians ir até com mistão pensando em Libertadores.
Palpite: Santos 3 x 1 Corinthians
Cotação ApostasOnline.com: 2.30*

Por que apostar no Corinthians - por Pedro Silas | pedro_sccp@hotmail.com

Deve-se apostar no Corinthians porque, após quatro empates consecutivos, Tite colocou Pato e Renato Augusto no time e escalou o que tem de melhor. Para o clássico diante do Santos, o time é o mesmo que venceu de forma segura pela Libertadores e sabe que precisa bater um rival para provar que continua forte. O campeão mundial vai pra cima do Santos no Morumbi!
Palpite: Santos 1 x 2 Corinthians
Cotação ApostasOnline.com: 2.70*

* Valor estipulado para cada real apostado
_____________________________

Direto da Redação | redacao_esporte@hotmail.com

Comentário da Redação > Sem torcida, mas com bom futebol

Melancólico. Assim pode-se definir um jogo em que a "torcida que tem um time" foi impossibilitada de comparecer ao campo para fazer a diferença que fez na campanha do título da Libertadores 2012 - apenas quatro torcedores, com uma liminar, conseguiram entrar no estádio. Sem dúvida um dos jogos mais tristes da história do Corinthians. No campo, entretanto, os jogadores honraram a sua imensa e apaixonada torcida espalhada por todo o mundo e venceram com merecimento: 2 a 0 no Millonarios.

Luto e tristeza à parte, o Timão começou a vencer a partida antes mesmo do apito inicial. Com Pato e Renato Augusto nas vagas de Emerson e Jorge Henrique, Tite escalou o que claramente se mostrava o time ideal no momento. E isso foi comprovado no campo.

Com a disciplina tática adquirida na Europa, Renato Augusto ajudou na marcação como faz Jorge Henrique (contundido) e deu mais qualidade ao meio de campo, dividindo a responsabilidade de armação com Danilo. Na frente, Pato sobra tecnicamente, é infinitamente mais efetivo que o Sheik atualmente, e se entendeu bem com Guerrero.

O Alvinegro sobrou diante do Millonarios e poderia ter feito o dobro de gols se tivesse forçado mais. Ou na verdade tenha faltado apenas o 12º jogador vindo das arquibancadas para "forçar" a goleada. Como foi estranho não ouvir o som da torcida vibrando em cada dividida, nos desarmes feitos, num drible, nos chutes a gol...

Porém, não dá para reclamar de falta de concentração dos atletas. Tanto estiveram ligados o tempo inteiro que os colombianos não conseguiram criar nada. A vitória foi conquistada com consistência e absolutamente sem sustos.

Agora, sem contar com seu torcedor também como visitante, o campeão do mundo tem um compromisso complicado pelo torneio sul-americano: Tijuana, líder do grupo, no México. É hora de mostrar superação mais uma vez! Afinal, os 30 milhões de Loucos, onde quer que estejam, não deixarão de gritar: Vai, Corinthians!

Conceitos

Cássio - REGULAR: Praticamente um mero espectador.
Alessandro - REGULAR: Apesar de pouco exigido, não me passou segurança. Inócuo no apoio.
Gil - REGULAR: Sem muito trabalho, não cometeu erros.
Paulo André - BOM: Tranquilo e seguro, fez boas antecipações.
Fábio Santos - REGULAR: Concentrado na defesa, faltou ir mais ao ataque.
Ralf - BOM: Além da eficiente marcação, deu ótimo cruzamento para Pato marcar o segundo.
Paulinho - BOM: Com liberdade para atacar, mostrou sua qualidade técnica e fez o time jogar. É fundamental demais.
Danilo - BOM: Voluntarioso, deu ótimos passes no primeiro tempo, um deles deixando Pato na cara do gol. Cansou na etapa final.
(Romarinho) - BOM: Procurou dar velocidade em um jogo que já estava decidido.
Renato Augusto - BOM: Já se encaixou no estilo de jogo do time. Ajuda na marcação e tem muita qualidade técnica. Muito bem nas bolas paradas também. Tem tudo para não sair mais da equipe titular.
(Douglas) - REGULAR: Diferente do Romarinho, este entrou para dar sua tradicional cadência no jogo.
Alexandre Pato - ÓTIMO: Joga fácil demais. E faz o time jogar. Não pode sair mais. É o grande diferencial do time nesta Libertadores.
(Emerson Sheik) - RUIM: Entrou nervoso, querendo mostrar futebol após os atrasos nos treinamentos. A única coisa que conseguiu foi levar cartão. Que fase!
Guerrero - BOM: Mais um gol em jogos internacionais, fez muito bem seu papel. Disciplinado, colaborou para o time voltando para compor o meio de campo.
Téc: Tite - BOM: Mandou a campo a melhor escalação possível (Edenílson na vaga do Alessandro ficaria melhor ainda, mas não dá para cobrar isso), e fez seus atletas ficarem ligados mesmo sem torcida. Espero que mantenha o time.

____________________________________


* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Pedro Silas | pedro_sccp@hotmail.com

Promoção: REGULAMENTO - Santos x Corinthians

Resumo
A promoção premiará duas (02) pessoas com R$ 20,00 (vinte reais) em créditos para o site ApostasOnline.com. As pessoas devem deixar um palpite na página do Redação do Esporte no Facebook para o jogo entre Santos x Corinthians, que acontece no dia 3 de março de 2013, às 16h, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista.

1. Poderá participar do concurso qualquer indivíduo residente no Brasil que obrigatoriamente curtir/seguir a página do blog no Facebook (www.facebook.com/redacaoesporte) e também a página do ApostasOnline.com (www.facebook.com/apostasonlinebr) e deixar um palpite na imagem promocional da promoção, àté às 15h do dia 3 de março de 2013, dizendo qualserá o placar do jogo entre Santos x Corinthians.

2. Cada participante poderá concorrer com apenas 1 palpite. Caso alguém deixe mais de um palpite, será considerado apenas o primeiro. Só serão válidos os palpites na imagem promocional dentro da página do blog no Facebook.

3. Os palpites devem conter apenas o placar, sem necessidade de especificar outras informações como autores de gols, por exemplo.

4. Os palpites poderão ser alterados/editados pelos participantes até o horário previsto para término das apostas no item 1. Se for identificada alteração após esse período, a aposta será anulada.

5. Após o término do jogo, serão levantadas todas as apostas e aqueles que acertarem o resultado concorrem ao prêmio em sorteio a ser realizado no dia 5 de março de 2013, às 11h. Caso apenas 2 pessoas ou menos acertem o resultado, não haverá sorteio e estes serão considerados vencedores. Se ninguém acertar o placar, também não haverá sorteio.

6. O sorteio, caso necessário, será feito pela ferramenta www.random.org e irá considerar a ordem cronológica dos palpites, do primeiro ao último. A ferramenta irá gerar um número aleatório e o ganhador será aquele que tiver deixado mensagem naquela ordem sorteada. Exemplo: se o número sorteado for 3, a terceira pessoa que tiver comentado ganha.

7. A divulgação do resultado será realizada no dia  5 de março de 2013, na página do Blog no Facebook.

8. O ganhador também será comunicado via Facebook para acertar as condições de entrega do prêmio.

9. Para utilização do prêmio no site do ApostasOnline.com, o vencedor receberá as orientações após a notificação da vitória.

10. Serão desqualificados da promoção usuários que:
- Postarem qualquer tipo de ofensa, mensagens agressivas ou preconceituosas na página do blog no facebook ou mesmo no post da promoção no blog.
- Perfis identificados como fakes no Facebook.
- Pessoas que não cumprirem algum dos passos do item 1 deste regulamento.
- Pessoas que editarem o palpite após o horário estipulado no item 1 do regulamento.
- Pessoas que fizerem mais de um palpite e, comprovadamente, apagarem um dos palpites após o resultado final.

11. Caso o vencedor seja desqualificado, abra mão do prêmio ou não retorne o contato no Facebook em até 7 dias úteis após o anúncio oficial, será feito um novo sorteio em data a ser proposta.

12. A promoção é realizada unicamente pelo blog Redação do Esporte em parceria com o site ApostasOnline.com e não tem qualquer relação com o UFC ou demais empresas patrocinadoras do evento, e também não possui vínculo com o Facebook, que é usado exclusivamente como plataforma de comunicação.

13. Membros da equipe do blog e também do site ApostasOnline.com não são elegíveis ao prêmio.

14. Ao deixar o palpite na imagem, o participante confirma estar de acordo com os itens do regulamento. Em caso de alguma discordância, entrar em contato pelo e-mail: redacao_esporte@hotmail.com.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Clinch > Ronda dá show e leva mais um braço pra casa

O UFC 157 foi um evento bem razoável. Confesso que esparava mais dos principais lutadores do card. A noite foi marcada por lutas amarradas e a explicação para isso é clara. Muitos atletas estavam na corda bamba, vindo de derrotas, e como Dana White anda fazendo uma limpeza na organização, o medo de perder é maior que tudo. Mesmo assim, foi uma noite para entrar para história, afinal, o Ultimate promoveu a primeiro luta feminina e logo com dispita de título.

Ronda Rousey e Liz Carmouche foram respnsáveis pelo evento principal, e não decepcionaram. Rousey era disparadamente a favorita, e a gata não deixou com que a zebra reinasse. Entrou no óctogono com determinação e próximo ao fim do 1º round, aplicou mais um arm lock, levando sua sétima vitória pra casa e automaticamente mais um braço. Ela é dominante na categoria, e dificilmente perderá esse título. Não vejo lutadoras do mesmo peso a nível dela.

Lyoto deixa Hendo pra trás no caminho para o cinturão

Para o Brasil, o ápice do evento seria no co-main event, onde um dos principais brasileiros lutaria. Lyoto Machida enfrentou Dan Henderson e venceu por decisão dividida (28-29, 29-28, 29-28). Não sou árbitro, mas vi vitória do Hendo. A luta foi decidida a partir do primeiro round, que foi ruim mas teve um grande equilíbrio, onde qualquer um dos dois poderia ter vencido. O medo do dois lutadores era grande, por isso o combate em si foi fraco, afinal, o vitorioso estaria credenciado a disputa de cinturão.

Lyoto não soltou seu jogo de contra-ataque, méritos de Henderson que soube ser conservador e não deu brechas para o brazuca. Por outro lado, o americano em nenhum momento soltou sua direita pesada. Caçar Machida no octógono é praticamente impossível. O carateca tem um jogo de pernas sensacional, e nunca está no raio de ação do adversário. O brasileiro venceu o segundo round onde dominou Hendo. No terceiro, um vacilo do "Dragão". Após tentar um contra-golpe, ele escorregou e deu a Dan, a chance de trabalhar o ground and pound e dominar o round até o fim.

Com a vitória confirmada, Lyoto viu Dana White garantir ele oficialmente como próximo desafiante ao título dos meio-pesados, onde enfrentará Jon Jones novamente ou o falastrão do Chael Sonnen. Jones é favorito, e se for mesmo o adversário de Lyoto, o paraense precisará melhorar muito a sua luta. Se o adversário for Sonnen, não dou dois rounds para Machida reconquistar o cinturão.

Outro brasileiro no evento foi o estreante Yuri Villefort. Ele perdeu por decisão unânime (29-28, 29-28, 30-27) mas foi valente a luta inteira contra Nah-Shon Burrell. Apesar da derrota, Villefort foi muito elogiado por Dana, pelo seu espiríto de garra.

UFC 157 - Resultados

CARD PRINCIPAL
Ronda Rousey (EUA) finalizou Liz Carmouche (EUA) com uma chave de braço aos 4:49 do 1º round - valendo cinturão dos pesos galo feminino
Lyoto Machida (BRA) venceu Dan Henderson (EUA) na decisão dividida dos jurados (29-28, 28-29 e 29-28) - meio-pesados
Urijah Faber (EUA) finalizou Ivan Menjivar (ESA) com um mata-leão aos 4:34 do primeiro round - pesos galo
Court McGee (EUA) venceu Josh Neer (EUA) na decisão unânime dos jurados (30-27, 30-27 e 30-27) - meio-médios
Robbie Lawler (EUA) venceu Josh Koscheck (EUA) por nocaute técnico aos 3:57 do 1º round - meio-médios

CARD PRELIMINAR
Brendan Schaub (EUA) venceu Lavar Johnson (EUA) na decisão unânime dos jurados (30-27, 30-27 e 30-27) - pesos pesados
Michael Chiesa (EUA) finalizou Anton Kuivanen (FIN) com um mata-leão aos 2:29 do 2º round - pesos leve
Dennis Bermudez (EUA) venceu Matt Grice (EUA) na decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28) - pesos pena
Sam Stout (CAN) venceu Caros Fodor (EUA) na decisão dividida dos jurados (29-28, 28-29 e 29-28) - pesos leve
Kenny Robertson (EUA) finalizou Brock Jardine (CAN) com uma chave de joelho aos 2'57 do 1º round - meio-médios
Neil Magny (EUA) venceu Jon Manley (EUA) na decisão unânime dos jurados (30-27, 30-27 e 29-28) - meio-médios

Confirmações

Ao longo da semana muito se expeculou que José Aldo não estaria querendo lutar contra Anthony Pettis. O brasileiro alegava que o americano não merecia descer de categoria e ir direto para um "tilte shot". Concordo plenamente com Aldo. Isso é um desrespeito com os lutadores que estão vencendo nos pesos-pena. Para mim e para todos, quem deveria disputar o título era Ricardo Lamas, que vem de bons resultados. Mas na coletiva de imprensa pós UFC 157, Dana acabou com a polêmica e confirmou Aldo vs Pettis. Isso mostra como o "Big Boss" de fato é chegado na grana. Cornetagem a parte, será uma luta espetacular.
_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.



por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Gringolaço > Manchester City vence Chelsea e confirma enorme diferença entre Manchester e Londres na Premier League

por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

Não exatamente pelo resultado ou pelo jogo em si, mas após a vitória de 2 a 0 pra cima do Chelsea, o Manchester City deixou ainda mais evidente a diferença entre os grandes do futebol inglês.

No caso específico, com o resultado, o City (2º colocado) ampliou para 7 pontos a vantagem para o time londrino (3º colocado) na tabela. Se levarmos em conta que o Manchester United, líder, tem 19 pontos na frente dos Blues, acho que fica bem mais claro essa diferença.

Na sequência da tabela temos dois times estão no mesmo nível do Chelsea, mas muito longe dos times de Manchester - Tottenham 4º (48 pontos) e Arsenal 5º (47 pontos).

Essa distância entre os times de Manchester e de Londres fica cada vez mais clara. Já vem desde a temporada anterior. Talvez seja exagero dizer que eles jogam campeonatos diferentes, mas a ideia é mais ou menos essa.

O caso mais surpreendente é justamente do Chelsea, atual campeão europeu, e que não tem um time tão pior que o United, por exemplo, pra estar 19 pontos atrás.

No clássico de ontem em Manchester, Yaya Touré e Tévez marcaram os gols do jogo. Lampard perdeu um pênalti.

O Manchester United, no sábado, derrotou o QPR por 2 a 0 (com um golaço do Rafael) e segue a passos largos para conquistar o 20º troféu do Campeonato Inglês.

Swansea vence Copa da Liga


Em Wembley no sábado, no inusitado duelo entre o Bradford City, da 4ª divisão, e o Swansea, time galês da 1ª divisão que está em seu centenário sem lá muitas glórias, o time da Premier League levou a melhor sem dificuldade nenhuma na final da Copa da Liga. Vitória por 5 a 0 e troféu inédito para o Swansea.

Campeonato Italiano > Milan cede empate no reencontro de Balotelli com a Inter
por Antonio Lemos | www.paponaarquibancada.blogspot.com.br

No estádio Giuzeppe Meazza, Internazionale e Milan não saíram do empate por 1 a 1 pela 26ª rodada do Calcio. A partida teve como principal atração o encontro entre Balotelli contra a sua ex-equipe, na qual foi revelado.

O primeiro gol do dérbi saiu aos 21 minutos, quando Boateng acertou um belo passe para El Shaarawy. O camisa 92 entrou pela esquerda e bateu forte, no canto direito pelo alto, sem defesa para Handanovic. Foi o 16º gol do atacante no campeonato.

Ainda no primeiro tempo, Balotelli, vaiado a cada toque de bola, quase ampliou após cobrança de falta, mas Handanovic salvou os nerozurris.

Após o intervalo, a Inter voltou com atitude querendo empatar o jogo. Aos oito minutos, Guarin arriscou de longe, Abiatti deu rebote e Cassano perdeu a oportunidade em cima da linha.

Na busca pelo gol, Andrea Stramaccioni resolveu mexer no time para deixá-lo mais ofensivo. Aos 24 minutos, o treinador sacou o volante Cambiasso e colocou o meia-atacante Schelotto. A mudança deu resultado e aos 26, Nagatomo acertou o cruzamento pela esquerda e o meia escorou de cabeça, tirando Abiatti da jogada.

O empate foi ruim para os dois, já que ambos podem perder posições na tabela. O Milan chegou aos 45 pontos, terceira colocação e 13 pontos atrás da líder Juventus (58). Já a Inter, chegou aos 44 pontos (5º lugar).

Juventus vence Siena e dispara na ponta
A Juventus venceu bem o ameaçado Siena, por 3 a 0, e abriu seis pontos de vantagem sobre o Napoli, que entrou em campo nesta segunda-feira (25) em Udine e ficou no 0 a 0 diante da Udinese.

O primeiro gol saiu aos 30 minutos, quando Vucinic lançou Lichtsteiner por trás da defesa. O alemão finalizou, a bola bateu no goleiro e resvalou  no seu corpo antes de entrar. Na segunda etapa saíram mais dois gols: aos 29, Giovinco aproveitou a jogada ensaiada de Pirlo e bateu de primeira vencendo o goleiro do Siena. Aos 44, Pogba fechou a conta para a Vecchia Signora.

Na próxima rodada, a Juventus visitará o Napoli. Partida que é considerada como uma decisão antecipada do campeonato. Já o Siena receberá a Atalanta.

_______________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


Direto da Redação
| redacao_esporte@hotmail.com | @redacaoesporte

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Comentário da Redação > Exceções

Nesta semana que passou aconteceram fatos marcantes no futebol.

Excetuando o lamentável episódio do sinalizador fatal da torcida do Corinthians, o São Paulo mudou seu esquema para privilegiar Paulo Henrique Ganso, no jogo contra o São Caetano, válido pelas rodadas iniciais do Paulistinha e que foi disputado só agora porque na época o time jogava a pré-Libertadores.

Excetuando o fato de Ganso e Jadson não terem jogados tantas vezes juntos antes dessa partida, a mudança não deu certo e enquanto a dupla jogou no meio de campo, o time sofreu, chegando até a estar atrás do placar durante o primeiro tempo.

Excetuando que o Jobson é um desgraçado que em todo jogo contra o São Paulo arrebenta, Ney Franco resolveu voltar ao esquema antigo no segundo tempo e aí o time deslanchou, goleando o Azulão.

Excetuando qualquer razão lógica, neste sábado contra o Linense, o treinador mineiro repetiu a escalação e manteve Ganso e Jadson no meio.

Excetuando que ele (aparentemente) confia no Ganso de olhos fechados e que o sujeito custou uma grana preta, ele deu um tiro no pé ao optar por essa formação, porque está provado que o ex-santista está sem confiança.

Excetuando que ele também está com certo medo de se machucar de novo, o time esteve travado no primeiro tempo e ainda sofrendo na defesa, com Lucio levando baile do Lenílson, que é um jogador mediano e lento, e conseguiu ser mais rápido que o veterano.

Excetuando que Lucio já está com seus 30 e tantos, é inadmissível sofrer com Lenílson. Se ainda fosse com bola parada, tudo bem, mas foi no mano a mano. Estranho.

Excetuando que no Morumbi o São Paulo é sinistro, estava nítido que o time não se encontrava em campo: na frente por Jadson estar inibido na criação pela presença de Ganso e este por sua vez por não fazer o que sabe, e na defesa por o time estar com um marcador a menos, pois Ganso e Jadson não marcam.

Excetuando um contra-ataque (sim, o time estava tão acuado que o primeiro gol saiu assim) puxado no primeiro tempo e o consequente gol marcado por Jadson, o time levou sufoco do adversário.

Eis que chegou o intervalo e tudo mudou.

Ganso ficou no vestiário e Aloísio, o boi bandido, entrou para mostrar a todos que ele é o cara certo para fazer parte dos onze, por mais que o Linense não seja um parâmetro muito confiável.

O Tricolor ficou mais rápido, Jadson se soltou mais e logo aos 15, Osvaldo deixou o dele após tabelar com Luis Fabiano, que parece mais feliz e calmo após os dois gols marcados no meio de semana. Quinze minutos depois liquidou a fatura após gol contra de Fábio Lima, que cortou cruzamento feito por alguém que não lembro quem era.

No final, até Fabrício entrou para ir ganhando ritmo e jogou um arroz com feijão bem temperado, para um cozinheiro iniciante.

Agora, como nem tudo são rosas: tudo que escrevi foi baseado no que ouvi e não no que vi, como deveria ser. O Tio Patinhas (meu pai) cancelou a assinatura do pay per view na minha casa.
Seria uma economia, excetuando que o caboclo ganha bem pra cacete.

Conceitos

Rogério Ceni - REGULAR: Nenhuma defesa espetacular.
Douglas - BOM: Iniciou a jogada do primeiro gol e vacilou menos na defesa.
Lucio - REGULAR: Sofreu com Lenílson enquanto o jogo estava 0x0. Depois, nem teve tanto trabalho.
Toloi - BOM: Não erra, é calmo e seguro.
Cortez - REGULAR: Não chove, nem molha, como sempre.
Wellington - REGULAR: Não ouvi o nome dele direito, então se não fez merda, é regular.
Maicon - REGULAR: Idem o Wellington.
(Fabrício) - REGULAR: Arroz com feijão bem temperado.
Jadson - ÓTIMO: O melhor em campo segundo a CBN. E eu ouvi bastante o nome dele mesmo quando o time tava travadão no primeiro tempo.
(Cañete) - REGULAR: Mais ou menos a mesma coisa dos volantes, com a diferença que ouvi seu nome algumas vezes.
Ganso - RUIM: Está sem confiança. Isso é preocupante.
(Aloísio) - ÓTIMO: Mudou o time e tem grande parcela pela vitória elástica.
Osvaldo - ÓTIMO: Fez um gol, tabelou bastante, buscou, correu.
Luis Fabiano - ÓTIMO: Não fez um gol, mas deu uma assistência e está mais calmo.
Tec. Ney Franco - BOM: Legal confiar no Ganso e dar moral para ele, mas se nem ele mesmo confia em si, então tem que sair: foi o que o professor fez.
Tio Patinhas - PÉSSIMO: Cancelar pay per view de quem escreve sobre futebol é a sacanagem das sacanagens.

Foto: Gazeta Press
_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.


Por Thiago Jacintho
| thi.jacintho@gmail.com

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

En la Cancha > Não deveríamos, mas vamos falar sobre Kevin

Dessa vez a coluna vai tratar, infelizmente, de um assunto extracampo. A morte do torcedor do San José no principal torneio do continente.  Excluir o Corinthians da Libertadores, resolve o problema? Não. Não resolve. De que adianta só punir se as causas que levaram ao ocorrido não forem resolvidas.

Há décadas nos deparamos e, em certa medida, achamos legal o tal “espírito de Libertadores”. Sempre se achou normal que qualquer time brasileiro que vá jogar no exterior sofra com o clima de guerra que é criado em torno da partida. Pedras voando, cusparadas da torcida adversária, bombas e demais artefatos.

Toda essa falta de segurança para jogadores e torcedores resultou no trágico acontecimento de quarta-feira. Antes de pensar em punir o Corinthians e também o San José – promotor do espetáculo e que deveria zelar pela segurança dos presentes – a discussão deve ser em torno de medidas sérias, que evitem que o mesmo incidente aconteça em outros campos de futebol.

Não adianta a Conmebol expulsar as equipes se semana que vem o tal “espírito de Libertadores” continuar prevalecendo. A entidade deve deixar de ser só uma elaborada de tabelas e coletora de patrocínios e se preocupar em preservar a integridade física de jogadores, torcida e demais profissionais.

Se não há condições de segurança nos estádios, que não tenham mais partidas lá. Que se proíba a entrada de pedras, facas, sinalizadores ou bombas. Se não for pelo lado humanístico e desportivo que a porcaria da Conmebol profissionalize suas competições pelo lado financeiro, de melhorar o produto.

Para finalizar, vou usar o mesmo exemplo da imprensa. O caso da “Tragédia de Heysel” – onde mais de 80 torcedores da Juventus morreram em um campo de futebol, não pelo aspecto da punição, mas sim pelo aspecto estrutural. A partir deste acontecimento mudou-se a visão de futebol na Europa e hoje os estádios não tem mais alambrados, são confortáveis, o torcedor é respeitado e os imbecis que causam confusões são severamente punidos. Tudo o que falta aqui nas canchas da América para evitar que mortes tornem a acontecer.

Nota: Aproximadamente às 23h30 de quinta-feira, a Conmebol soltou um comunicado em seu site referente à punição prévia ao Corinthians. De acordo com a entidade até o término das investigações da polícia boliviana, a equipe brasileira será obrigada a jogar no Pacaembu com os portões fechados (sem público) e nas partidas em que atuar como visitante está proibida a venda de ingressos para os torcedores do Corinthians. A previsão é que a investigação dure em torno de 60 dias, aproximadamente o tempo restante da fase de grupo da Libertadores.

_____________________________________

* A coluna En la Cancha fala sobre os principais assuntos do futebol sul-americano.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Gringolaço > Zebra rossonera

A última derrota do Barcelona por dois gols de diferença tinha sido em 19 de janeiro de 2011, pelas quartas de finais da Copa do Rei, quando o Real Betis venceu por 3 a 1. Agora, se o assunto é Champions League, aí o retrospecto é mais longo: dia 20 de abril de 2010, primeiro jogo da semifinal quando a Internazionale, de José Mourinho, fez os mesmos 3 a 1, também na Itália.

Nesta quarta-feira (20), o Milan venceu os catalães por 2 a 0 no San Siro e está a um passo de chegar as quartas de finais. Além disso, os comandados de Maximiliano Allegri quebraram um tabu que durava quase nove anos, o último triunfo rossonero contra o Barça tinha sido em 20 de outubro de 2004, 1 a 0, também em Milão com gol de Schevchenko.

O jogo começou como sempre: Barcelona com a maior parte do tempo com a bola e os jogadores do Milan fechando os espaços. Só que os primeiros lances de perigo foram do time italiano. Aos 13 minutos, Boateng finalizou para o gol após cobrança ensaiada de escanteio pela esquerda. Dois minutos depois, El Shaarawy avançou livre pela esquerda, mas Puyol cortou na hora certa, colocando a bola para escanteio.

O Barça, por sua vez, só teve uma chance considerada clara, quando Xavi arriscou de longe e Abbiati só encaixou. Depois disso, o que se viu foi o time espanhol “ciscando” na área rossonera, sem objetividade.

Na segunda etapa o panorama não mudou. Os visitantes até começaram melhor, mas esbarrava no paredão italiano. Aos 10 minutos, o time da casa saiu na frente em um lance polêmico: Montolivo cobrou a falta, a bola bateu na mão de Zapata e sobrou para Boateng abrir o placar. Valdés chegou a reclamar pedindo a anulação do gol, mas o árbitro acabou validando.

Depois do gol, o Barça teve duas chances para empatar. Na primeira, aos 18 minutos, Daniel Alves cobrou a falta, mas a bola passou longe. Depois, aos 30, Iniesta arriscou um chute cruzado e a bola passou perto da meta de Abbiati. Só que a pá de cal veio aos 35 minutos, quando Muntari recebeu passe de El Shaarawy e bateu cruzado para aumentar a vantagem.

 O jogo de volta acontecerá no dia 12 de março no Camp Nou. O Barça precisará de vencer por três gols de diferença ou triunfar por 2 a 0 para forçar a prorrogação. Empate ou derrota por um gol classificam os italianos.

Tudo igual na Turquia

Na Türk Telekom Arena, em Istambul, o Galatasaray não saiu de um empate por 1 a 1 contra o Schalke 04. No próximo dia 12 de março, os alemães precisarão de um empate sem gols para se classificar. Já os turcos, uma igualdade acima de 2 a 2 os qualificam. Quem vencer avança para próxima fase.

A partida foi marcada por duas estreias no lado turco: o meia Sneidjer (ex-Internazionale) e o atacante Drogba (ex-Chelsea). Aos 12 minutos, saiu o gol dos donos da casa.  Yilmaz recebeu passe de Inan, chapelou com estilo Höwedes e finalizou por cima do goleiro Hildebrand. Um verdadeiro golaço.

O empate dos Azuis Reais surgiu aos 45 minutos, quando Farfán foi acionado pela direita e encontrou Jones livre para arrematar para o fundo da rede.

Na segunda etapa, o jogo ficou mais equilibrado e ambas equipes perderam chances para ficarem com a vitória. A igualdade foi o resultado mais justo de uma partida que não pode ter sido tão badalada quanto Milan x Barcelona, mas sem dúvida, foi um baita jogo.

_______________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


por Antonio Lemos
|
www.paponaarquibancada.blogspot.com.br

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Terra do Tio Sam > Hora de definições para Celtics e Lakers

Passado o All-Star Weekend, é hora da verdade na NBA. Restam mais ou menos 30 jogos para cada franquia até o fim da temporada regular e agora é o momento de saber se algumas equipes que surpreendem negativamente irão chegar aos playoffs e se outras com menos pompa mas de bons números irão se manter.

Acho que todo mundo que acompanha o basquete norte-americano está de olho nas situações de Los Angeles Lakers e Boston Celtics. Para o time californiano a situação está bem complicada. Com 25 vitórias e 29 derrotas eles já aparecem com alguma distância da zona de classificação para a pós-temporada. Com Kobe Bryant irregular e Dwight Howard pouco decisivo, está difícil saber se há força para reação.

Já para os verdes a situação é mais aceitável. São 28 vitórias e 25 derrotas e o time está ali quase no limite, mas dentro da zona de classificação. Pesa muito a ausência de Rajon Rondo, mas como a Conferência Leste não está lá muito difícil pode ser que dê para segurar a vaga sem muita complicação só com os veteranos Kevin Garnett e Paul Pierce.

Por coincidência, as duas equipes se enfrentam nesta quarta-feira no Staples Center, no maior clássico da NBA. Bom termômetro pra ver quem está com mais vontade de chegar aos playoffs. No único jogo entre eles até aqui, há duas semanas, deu Boston: 116 a 96.

Últimas horas de negociações

As franquias da NBA têm só mais algumas horas para negociar transferências de atletas para esta temporada. Porém, a expectativa é de pouca movimentação nesta janela de transferência. Poucos rumores relevantes são ouvidos até aqui. Dos nomes que podem entrar em algum "troca-troca", me chamam a atenção o J.J. Reddick, que tem grande chance de sair do Orlando Magic já que seu contrato está perto de expirar, e Josh Smith, que tem acompanhamento de franquias fortes e pode deixar Atlanta.

Vencedores do All-Star Game

Muita coisa rolou neste final de semana das estrelas da NBA, em Houston, mas no geral o evento voltou a decepcionar por ter muitos jogadores desconhecidos, especialmente nas competições de sábado, que são as mais legais. Bom mesmo só o All-Star Game, vencido mais uma vez pelo Oeste e com show dos astros da liga de ambas as conferências.

Confira os vencedores dos principais eventos do All-Star Weekend 2013:


Rising Stars Challenge (duelos de calouros e novatos)

Team Chuck (Charles Barkley) 163 x 135 Team Shaq (Shaquille O'Neal)

Shooting Stars (duelo de arremessos diversos com jogadores do presente e do passado)
Vencedor: Team Bosh (Chris Bosh, Dominique Wilkins e Swin Cash)

Skill Challenge (duelo de habilidades)
Vencedor: Damian Lillard (Portland Trail Blazers)

3-point Challenge (duelo de arremesos de 3 pontos)
Vencedor: Kyrie Irving (Clevand Cavaliers)

Slam Dunk Contest (concurso de enterradas)
Terrence Ross (Toronto Raptors)

All-Star Game
Oeste 143 x 138 Leste
__________________________________

* A coluna Terra do Tio Sam fala dos esportes que são paixão nos Estados Unidos: basquete, beisebol, futebol americano e hóquei.


por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

Gringolaço > Baile bávaro na casa londrina

Parecia que estava na Alianz Arena, mas não, o jogo foi no Emirates Stadium, casa do Arsenal, e o Bayern de Munique deu um enorme passo para chegar as quartas de finais da UEFA Champions League ao vencer os Gunners por 3 a 1. Agora, os comandados por Jupp Heynckes podem perder por um gol de diferença ou até mesmo pelo placar de 2 a 0.

Os alemães começaram dominando o meio-campo e logo aos sete minutos, Kroos aproveitou o cruzamento de Müller e concluiu para o gol, sem chances para Szczesny.

Superior em campo, os bávaros marcaram seu segundo tento aos 21 minutos. Kroos cobrou escanteio pela direita, Van Buyten cabeceou para defesa de Szczesny e Müller completou para a rede.

Na segunda etapa o panorama era o mesmo, com o Bayern dominando e o Arsenal não aguentando a pressão, mas aos 10 minutos, Wilshere cobrou o escanteio pela ponta direita e Podolski, aproveitando a falha de Neuer, diminuiu o placar e deu esperança aos torcedores dos Gunners.

Quando os donos da casa poderiam colocar de vez fogo na partida, aos 32, veio um balde de água gelada quando Robben acionou Lahn pela direita e cruzou para Mandzukic desviar para a rede, definindo o confronto.

O jogo de volta acontecerá no dia 13 de março, na Alianz Arena, em Munique.

Porto termina com invencibilidade do Málaga

No Estádio do Dragão, o Porto fez o seu dever de casa e venceu o Málaga por 1 a 0, assim, encerrando com a invencibilidade do clube espanhol na Liga.

Com espírito avassalador, o Porto começou com tudo criando várias oportunidades, mas não atingindo o alvo. O gol só surgiu aos 8 minutos da segunda etapa através de um lance irregular: Alex Sandro roubou a bola e serviu João Moutinho, que apareceu adiantado nas costas da defesa e marcou com um toque de primeira.

O jogo da volta acontecerá no dia 13 de março, em Málaga e os portugueses se classificam com um empate ou derrota por um gol de diferença a partir de 2 a 1, 3 a 2...

_______________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


por Antonio Lemos
|
www.paponaarquibancada.blogspot.com.br

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Clinch > Renan Barão vence, assegura cinturão interino e mostra-se preparado para virar “Imperador” da categoria

Em muitas monarquias, o termo “Barão” é reconhecido como título nobiliárquico. Ele é inferior a Visconde, Conde, Marquês, entre outros, até chegar no topo que é Imperador. E é nesse patamar que vejo o brasileiro Renan Barão. Falta apenas unificar os cinturões na luta contra Dominick Cruz, que segundo Dana White pode acontecer entre junho e setembro. E o americano que se cuide, pois o brasileiro mostra-se cada dia mais preparado como lutador de MMA.

No último sábado ele encarou o inglês Michael McDonald valendo o cinturão interino do peso galo, na casa do adversário. A torcida “quase” contra (porque muitos brasileiros presentes na torcida faziam um tremendo barulho com os famosos gritos de “Uh vai morrer”), e o peso de fazer sua primeira defesa de cinturão não atrapalharam o brasileiro.

A luta foi ótima. McDonald foi um grande obstáculo. No primeiro round chegou a acertar uma sequência de socos no rosto de Barão, que fizeram o brasileiro quase cair, mas o mesmo foi esperto e logo atacou as pernas do adversário para esfriar a situação.

A principal arma do inglês foi o boxe. Com mãos rápidas ele sempre apresentava perigo. Só que o brasileiro é completo. Aliás, Renan Barão tem a maior sequência invicta atual do MMA, agora com 33 lutas seguidas sem derrota (32V e 1NC). Sua única derrota foi na primeira luta profissional. Alguém com números assim com certeza é completo e merece muito respeito.

Então Barão aceitou a trocação nos momentos certos, colocou para baixo quando via brechas, acertou bons chutes rodados e foi minando o gás do adversário. Até que no quarto round, após uma queda sofrida, McDonald fez um movimento errado e Barão logo aproveitou e encaixou um katagatame. Demorou um pouco para acabar o ar, mas McDonald não aguentou a pressão e bateu!

É importante destacar o trabalho de Dedé Pederneiras, que tem se mostrado um ótimo estrategista e está fazendo um trabalho sensacional com seus atletas da Nova União. Ele enxerga muito bem a luta, e dá orientações precisas no corner, não fica naquele “lenga-lenga” para iludir seu atleta, fala o que ele precisa ouvir e os lutadores o respeitam e seguem suas dicas.

O evento no geral foi morno, apenas três lutas não foram decididas pelos juízes. Destaque para a vitória de outro brasileiro, Reneé Forte, ex-participante do TUF BRASIL, que venceu Terry Etim por decisão unânime.

Confira todos os resultados:

CARD PRINCIPAL
Renan Barão finalizou (katagatame) Michael McDonald a 3min27 do 4º round
Cub Swanson venceu Dustin Poirier por pontos em decisão unânime dos juízes
Jimi Manuwa nocauteou (lesão) Cyrille Diabate ao final do 1º round
Gunnar Nelson venceu Jorge Santiago por pontos em decisão unânime dos juízes
James Te Huna venceu Ryan Jimmo por pontos em decisão unânime dos juízes
Matt Riddle venceu Che Mills por pontos em decisão dividida dos juízes

CARD PRELIMINAR
Renée Forte venceu Terry Etim por pontos em decisão unânime dos juízes
Danny Castillo venceu Paul Sass por pontos em decisão unânime dos juízes
Andy Ogle venceu Josh Grispi por pontos em decisão unânime dos juízes
Tom Watson nocauteou Stanislav Nedkov a 4min42 do 2º round
Vaughan Lee venceu Motonobu Tezuka por pontos em decisão unânime dos juízes
Phil Harris venceu Ulysses Gomez por pontos em decisão unânime dos juízes

_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.


por Fernando Pilat
| @fernandopilat

En la Cancha > As surpresas da primeira semana da Libertadores

A zebra resolveu passear pelas chancas da América na primeira semana de Libertadores. Os destaques não vão para os clubes brasileiros, e sim, para as equipes do Huachipato-CHI, Toluca-MEX e Barcelona-EQU, que conseguiram ótimos resultados fora de seus domínios.

O Huachipato, campeão chileno da temporada, veio à Porto Alegre e conseguiu uma vitória inesperada de 2 a 1 sobre o Grêmio de Luxemburgo, Zé Roberto, Elano e do ex-palmeirense Barcos.  A equipe chilena surpreendeu pelo bom toque de bola, a frieza e a maturidade. É bom ficarmos de olho nesse time, que de azarão pode acabar roubando a vaga de um dos favoritos do grupo.

Já o mexicano Toluca conseguiu um fato raro na história do torneio continental. Foi à temida Bombonera e venceu, de virada, o tradicional Boca Juniors. O placar de 2 a 1 para os visitantes foi até pouco, pois o time do México desperdiçou um pênalti quando estava atrás do placar. Apesar do resultado negativo, ainda é cedo para colocar em xeque a classificação da equipe portenha. Em quase todas as edições que participou o Boca sempre tem uma primeira fase sofrível e cresce a partir das oitavas de final. Veremos se a mística se repete.

Eles não têm Messi, Xavi ou Iniesta e nem a representatividade de seu homônimo espanhol, mas o Barcelona equatoriano apresentou um futebol vistoso jogando no Parque Central, no Uruguai. E por pouco não saiu vitorioso do confronto com o Nacional.  O empate em 2 a 2 não refletiu o que foi visto em campo. De um lado uma equipe rápida, leve e insinuante, o Barcelona. Do outro, vimos um Nacional pragmático, sem criatividade e que dependeu de dois veteranos para ir à rede adversária. Não fossem Loco Abreu e Recoba, os urguaios teriam começado o torneio com derrota.

Outro time que merece atenção especial é o Newell´s a argentina. Apesar de não ter muita tradição na competição, a Lepra, que já chegou a uma decisão em 1992, conseguiu montar uma equipe muito bem estruturada e conta também com a experiência de Heinze e Maxi Rodrigues, aliados ao faro de gol de Scocco, artilheiro do primeiro turno do campeonato argentino. Os rosarinos têm tudo para chegar longe nesta edição da Libertadores. Na primeira rodada, venceram o Olímpia por 3 a 1, em Rosário.

E para você, alguma outra equipe do continente lhe chamou a atenção?

_____________________________________

* A coluna En la Cancha fala sobre os principais assuntos do futebol sul-americano.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Gringolaço > Totti resolve e Roma quebra tabu de nove anos contra a Juventus

A última vitória da Roma contra a Juventus em seu estádio havia acontecido em 8 de fevereiro de 2004 pelo placar de 4 a 0 e Francesco Totti estava em campo. No último sábado (16), o camisa 10 foi titular e conduziu os giallorossi para quebrar o tabu que durava nove anos ao vencer a partida por 1 a 0, em Roma.

Com a derrota, a Vecchia Signora estacionou nos 55 pontos, quatro a frente do Napoli (51), que perdeu a chance de encostar ainda mais ao empatar em casa contra a Sampdoria por 0 a 0.

O primeiro tempo não trouxe emoção aos torcedores que lotaram o Estádio Olímpico. Aos seis minutos, Osvaldo tentou um chute, mas Buffon estava lá para defender sem problemas. Aos 18, foi a vez de Pirlo tentar de falta, e Stekelenburg fez uma difícil defesa.

Na segunda etapa, Antonio Conte, técnico da Juventus, não estava satisfeito com a sua dupla de ataque e colocou Giovinco no lugar de Vucinic. Só que aos 13 minutos, falta na área da Juve, e após o rebote Totti solta um foguete na meia-lua e a bola vai ao ângulo de Buffon. Um golaço.

Com a vantagem, os anfitriões só controlaram o relógio e aos 30 minutos quase saiu o segundo gol, quando Totti deu um belo passe para Osvaldo, mas o camisa 9 não conseguiu vencer Buffon. Na sequência, Marquinho quase marcou, porém, sem sucesso.

Milan bate Parma, sobe na tabela e chega embalada para Super Semana

Na abertura da 25ª rodada do Calcio, o Milan venceu em casa o Parma pelo placar de 2 a 1 e com isso chegou a quarta colocação na tabela com 44 pontos. O personagem da partida foi mais uma vez Mario Balotelli, que se tornou o primeiro rossonero a marcar quatro gols nos primeiros três jogos desde o alemão Bierhoff em 1998.

Quem saiu na frente foi o Milan. Aos 38 minutos, Boateng cruzou rasteiro da direita, e o zagueiro Paletta marcou contra, enganando o goleiro Pavarini. Na segunda etapa, os rossoneros apostaram nos contra-ataques.  Após bela troca de passes, Balotelli cruzou rasteiro para Boateng, que bateu colocado, mas mandou para fora.

Aos 32 minutos saiu o segundo gol do Milan. Em bela cobrança de falta, Balotelli colocou a bola no ângulo direito do gol de Pavarini. Nos acréscimos, Sansone diminuiu para o Parma.

Os rossoneros terão uma semana decisiva pela frente: na quarta-feira jogarão em casa pela Liga dos Campeões contra o Barcelona e no próximo final de semana enfrentarão a Internazionale, duelo considerado fundamental para briga por uma das vagas nas competições continentais.

Foto: AP
_______________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


por Antonio Lemos
|
www.paponaarquibancada.blogspot.com.br

Comentário da Redação > E o bom futebol do Santos sumiu

Sem muita justificativa (mas algumas possíveis explicações), o Santos parou de jogar o bom futebol do começo da temporada. Ontem, levou um vareio da Ponte Preta, 3 a 1, e viu o time campineiro se isolar na ponta da tabela. Agora são 3 partidas consecutivas sem vitórias, sequência que se iniciou logo após uma bela apresentação diante do São Paulo, principal adversário em 2013.

O Santos começou muito apático, deixando a Ponte atacar e sem oferecer muita resistência. Após umas duas jogadas de perigo, a Macaca abriu o placar com Bruno Silva, em lance de total desatenção da defesa alvinegra azul turquesa.

Com a desvantagem, o Peixe resolveu ir pra cima, mas de forma totalmente desordenada. Muricy apostou em um time no 4-5-1, com 3 volantes, sem centroavante e com Neymar isolado na frente. E, óbvio, não deu certo. O camisa 11 é muito mais facilmente marcado jogando assim, de costas pro gol. Cicero rende muito menos jogando perto do ataque. Só para citar 2 casos de jogadores que caem de rendimento nesse esquema.

Para piorar a situação, Neymar foi expulso após um entrevero com o tal de Artur. Vendo o lance por diversos ângulos, vemos que Artur deu um soco e Neymar revidou. Logo, expulsão justa, para alegria da urubuzada que torce contra o camisa 11 santista pelo simples fato dele fazer sucesso e que vai usar isso como argumento para dizer que ele não joga nada. Enfim, não darei moral para esses vermes.

Sem seu craque no segundo tempo, o Santos voltou a mostrar a falta que ele faz. Eu achei que com a chegada de Montillo seríamos menos dependentes, mas o argentino até agora não justificou a contratação. Muricy tirou Renê Junior e colocou André. A entrada do centroavante eu entendo, a saída de Renê não. Manter Assunção só pra bater faltas? E por que não deslocar Arouca pra direita e sacar Bruno Peres? Foram 45 minutos de uma pressão bem suave, que quase não incomodou a Ponte.

Se com Renê o time já não estava marcando ninguém, imagina sem ele! Aos 36 minutos, um contra-ataque mortal do time da casa terminou com Alemão, ex-Santos, colocando a bola na rede, livre de marcação. Cinco minutos depois, André (ALELUIA) diminuiu. Mas não adiantou muita coisa, pois em outro contra-ataque, Rafael se antecipou, pegou a bola fora da área e protagonizou uma lambança. A bola acabou caindo nos pés de Alemão, que novamente marcou, agora sem goleiro. Vitória mais que justa da Ponte, que tem méritos.

Alô, Muricy! Chega de montar o time baseado em panelinha, meu filho! Dê valor a quem vem fazendo por merecer. Ninguém tem créditos eternos. O zagueiro Neto, por exemplo, que estava voando, foi para o banco, enquanto Edu Dracena fora de forma e Durval, que não joga nada faz tempo, seguem como titulares. Mudar o esquema tático para esse jogo também se mostrou uma baita furada.


Outro motivo importante para a queda de rendimento é Neymar não ter jogado bem nos dois últimos jogos e ter se ausentado do empate contra o Linense por estar com a Seleção. Esse é um motivo passageiro, então não há motivo pra preocupação. A não ser na próxima rodada, em que novamente ele não estará em campo (contra o XV de Piracicaba, na Vila).

Conceitos

Rafael - RUIM: Levaria um "regular", mas depois do que fez no terceiro gol da Ponte merece um rebaixamento na nota.
Bruno Peres - RUIM: Renovou o contrato e parou de jogar.
Edu Dracena - RUIM: Está muito fora de forma.
Durval - PÉSSIMO: Continua titular absoluto mesmo afundando o time.
Léo - RUIM: Primeiro jogo após longo tempo parado. Mal conseguia dominar a bola.
Renê Júnior - REGULAR: Não fazia grande partida, mas achei que deveria continuar no jogo após o intervalo.
(André) - REGULAR: Voltou a fazer lances bizarros, mas valeu pela dedicação e pelo gol marcado.
Arouca - RUIM: Muito apagado.
Marcos Assunção - RUIM: Só participa do jogo na bola parada. Mas nem nisso ainda ajudou.
Cícero - RUIM: Não foi bem neste domingo, mas jogou na posição errada. Ele rende mais vindo de trás.
(Pato Rodriguez) - SEM CONCEITO: Jogou pouco. Poderia ter entrado antes.
Montillo - PÉSSIMO: Além de não jogar nada, se omitiu quando o time estava sem Neymar.
(Felipe Anderson) - BOM: Foi o melhor do Santos no jogo. Boa participação no gol do André.
Neymar - RUIM: Mais uma partida bem abaixo da sua média. E vacilou ao cair na provocação dos ponte-pretanos.
Téc. Muricy Ramalho - RUIM: Escalou mal e mexeu mal. Tem que valorizar mais quem mostra trabalho atualmente, e não quem já o fez há 3 anos atrás e nunca mais.

Foto: Agência Estado
_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Ricardo Pilat
| pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat

Comentário da Redação > Corinthians 2 x 2 Palmeiras

Visão corintiana > A partida tem 90 minutos, Corinthians!
por Pedro Silas | pedro_sccp@hotmail.com

Talvez por soberba, o campeão mundial não conseguiu se sobressair diante do rebaixado rival. Como era de se esperar, o Corinthians mostrou muito mais qualidade técnica no Dérbi, mas esqueceu que a partida é feita de 90 minutos. Depois de ter chances para matar o jogo no início, o Alvinegro deixou o desacreditado e limitado Palmeiras crescer e quase saiu derrotado. No fim, um 2 a 2 com um sabor nada agradável.

Na primeira metade da etapa inicial do possivelmente único clássico entre as equipes em 2013, o Timão mostrou quem é que manda no Pacaembu, tomou conta do jogo e o gol era questão de tempo. Depois de uma bola do Jorge Henrique no travessão, não demorou para sair: Sheik desencantou.

Os campeões do mundo poderiam ter encaminhado a vitória com Guerrero, mas o camisa 9 mandou na trave após falha de Fernando Prass. Ainda bem que não saiu esse gol, pois pelo que aconteceu depois o resultado seria o mesmo, só que mais vergonhoso, tomando empate após abrir 2 a 0.

Assim como no jogo com o São Caetano, os corintianos esqueceram de jogar bola depois de abrir o placar e ter uma ou outra chance para ampliar. A impressão que dá é de arrogância, como se achassem que podem definir a vitória a qualquer momento. O adversário, mesmo inferior, aproveita. E a equipe alviverde virou o jogo com um gol aos 29 minutos e outro aos 8 da etapa final, este com falha do Cássio.

Depois de sentir o baque da virada até a metade do segundo tempo, os mandantes voltaram ao jogo com a entrada do talismã do dérbi: Romarinho. E não é que o garoto marcou novamente diante do rival? Estrela demais! O gol saiu cedo, aliás, e houve tempo para tentar a virada - 20 minutos. Renato Augusto entrou bem, Pato idem, e deram outra cara ao time. Mas a vitória não veio.

Se a equipe alvinegra tivesse jogado os 90 minutos com a mesma concentração e seriedade dos primeiros e últimos 20, não precisava nem ter corrido atrás do empate. Que fique a lição para o Tite e seus comandados.

Conceitos

Cássio - PÉSSIMO: Falha bisonha no segundo gol.
Alessandro - RUIM: Foi muito pouco ao ataque e se mostrou covarde na defesa.
(Romarinho) - ÓTIMO: Mostrou muita confiança e incendiou o jogo sempre que pegou na bola. E mostrou que tem mesmo estrela contra o Palmeiras, quarto gol em três jogos.
Gil - REGULAR: Não se posicionou da melhor forma, mas levou a melhor na maioria das jogadas.
Paulo André - REGULAR: Bobeou em alguns lances (passes, principalmente), porém esteve firme na marcação.
Fábio Santos - BOM: Sem grande trabalho defensivo, foi bem no apoio.
Ralf - RUIM: Não faltou transpiração, mas o camisa 5 foi responsável direto pela derrota. Falhou no primeiro gol e cometeu falta boba em Patrick Vieira que resultou na virada.
Paulinho - BOM: Não jogou tudo que pode, mas foi bem. Marcou e apareceu na frente. Quase faz um golaço de bicicleta no fim. Tem qualidade demais!
Danilo - RUIM: Muito apagado, nada fez.
(Renato Augusto) - BOM: Sempre que entra vai bem, com jogadas verticais e bons passes. Está jogando futebol para ser titular.
Jorge Henrique - REGULAR: Apesar de uma bola na trave, é muito pouco efetivo.
Emerson Sheik - BOM: Este também tem sido pouco efetivo, mas hoje não tem muito o que reclamar dele.
Guerrero - REGULAR: A bola não chegou muito para o centroavante, que só apareceu quando foi buscá-la.
(Alexandre Pato) - BOM: Se movimentou muito e foi fundamental no gol de empate.
Téc: Tite - RUIM: A defesa pouco vazada e o futebol seguro estão bem longe do Parque São Jorge neste início de temporada.

Visão palmeirense > Um empate nada ruim 
por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

Confesso que são poucas as vezes em que o empate em um jogo do Palmeiras me agrada. A última vez que eu tinha ficado feliz com a igualdade no placar havia sido na final da Copa do Brasil, quando o Verdão ficou no 1 a 1 contra o Coritiba lá no Couto Pereira, e garantiu o título do campeonato. Desde então, veio a luta para escapar do rebaixamento no Brasileiro, e na maioria das vezes a única coisa que importava era a vitória.

O empate contra o Corinthians em 2 a 2 neste domingo não foi só motivo de minha alegria, mas também a de todos os torcedores palmeirenses, pelo motivo mais claro e óbvio: eles possuem um time e um elenco muito melhor do que o nosso. Seria bom se a vitória viesse, mas o fundamental mesmo era não perder. Como já destaquei no meu último texto (vitória sobre o Sporting Cristal na Libertadores), o time é de qualidade baixa, mas de uma garra admirável. E no clássico, a garra fez toda a diferença para a conquista desse tão importante ponto.

A equipe começou o Dérbi muito mal. Eu até entendi o motivo pelo qual Gilson Kleina escalou um time defensivo novamente. Não daria certo partir para cima do Corinthians que nem "loucos", afinal, eles possuem um bom contra-ataque e um time rápido. Era normal tomar uma pressão inicial, mas ao longo do tempo já se percebia que o Corinthians estava muito próximo de fazer o gol. Foram duas bolas na trave e uma cabeçada muito perigosa de Paulinho, até o Sheik abrir o placar.

Depois de estar atrás no placar, o Palmeiras transformou toda aquela garra defensiva em pressão no ataque. Até Vilson empatar o jogo de cabeça após um lindo cruzamento de Wesley, antes de terminar a primeira etapa. Não seria bom virar o jogo perdendo. E quase que a equipe virou ainda na etapa inicial com Márcio Araújo.

O início de segundo tempo foi parecido com o fim do primeiro. Um time bem superior que o Corinthians. A virada era questão de tempo, que acabou não demorando muito. Por volta dos 10 minutos, Cássio resolveu homenagear Rogério Ceni, só que ao em vez de engolir um frango, ele caçou borboletas. Vinícius, que nada tinha a ver, aproveitou o vacilo do arqueiro e colocou o Verdão na frente.

A partir desse momento, o Corinthians mostrou o grande elenco que tinha. Substituiu os jogadores títulares por reservas com qualidade maior ainda. O Pacaembu começou a ferver e o "Timão" foi para cima com tudo. Cássio se recuperou do erro, dando grande lançamento para Alexandre Pato, que trocou bolas com Paulinho. No fim do lance, bola nos pés de Romarinho, e caixa.

Achei que Gilson Kleina fez substituições erradas, afinal tirou jogadores velozes que poderiam puxar um contra-ataque mortal e colocou marcadores lerdos. Ele mostrou que estava satisfeito com o empate. No fim, o 2 a 2 com gostinho de vitória até. Se alguém tem que lamentar o resultado são os corintianos.

A próxima "batalha" do Palmeiras é só no próximo domingo, contra o União Barbarense no próprio Pacaembu. A vitória será muito bem vinda.

Conceitos

Fernando Prass - BOM: Fez boas defesas no jogo. Não teve culpa nos gols.
Weldinho - BOM: Não deu muito espaço para o Sheik criar, além de ter feito a dobra no Danilo. Teve um papel fundamental defensivamente.
Maurício Ramos - RUIM: Outra partida ruim. Fez a falta desnecessária que gerou o primeiro gol do Corinthians, além de ter dado espaço para o Emerson finalizar na hora do gol. Ou seja, falhou duplamente em um mesmo lance primordial da partida.
Henrique - BOM: Mais uma vez o líder em campo. Foi fundamental para segurar a pressão corinthiana no fim, mostrando calma aos companheiros.
Marcelo Oliveira - BOM: Teve sua presença no ataque barrada pelos volantes corintianos, por outro lado, o Jorge Henrique não apareceu no jogo, devido a ele.
Vilson - ÓTIMO: O melhor do Palmeiras em campo. Talvez o melhor jogador do pacotão do Grêmio que veio para o Palmeiras. Sua segunda partida no clube e já se mostrou muito útil, jogando como volante, zagueiro e atacante hoje. Marcou o primeiro gol do Palmeiras, em um lance que mostrou muita percepção do que estava acontecendo, e tranqulidade para não entrar na área impedido.
Márcio Araújo - BOM: Voltou a fazer boa partida. Jogou como segundo volante e deu muita velocidade ao ataque.
Souza - BOM: Marcou muito bem e saiu para o jogo, criando boas jogadas. Só deixou a desejar um pouco nas bolas paradas.
Wesley - BOM: Foi muito fominha no jogo em vários lances, mas ao mesmo tempo foi fundamental no resultado. Deu a assistência direta para os dois gols.
(Caio) - SEM CONCEITO: Entrou no fim.
Patrick Vieira - BOM: Foi responsável pela criação e velocidade. Conseguiu fazer a bola ficar no ataque, coisa que falta para o time em certos jogos.
(Charles) - REGULAR: Entrou para ajudar na marcação quando o time ganhava. Não deu muito certo.
Vinícius - BOM: Esteve bem no ataque, criando alguns lances interessantes. Mesmo não sendo alto, conseguiu fazer um gol de cabeça.
(Ronny) - REGULAR: Entrou para consertar a besteira que Gilson Kleina tinha feito. Não resolveu muito, mas deu algum perigo ao Corinthians no final.
Téc. Gilson Kleina - REGULAR: Escalou legal o time, mas fez a besteira de tirar os jogadores velozes que poderiam puxar o contra-ataque quando o time vencia por 2 a 1.

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

Direto da Redação
| redacao_esporte@hotmail.com | @redacaoesporte

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Clinch > Prévia UFC: Barão vs McDonald

Neste sabado vai rolar o UFC Londres na Wembley Arena, Inglaterra. O evento está sendo pouco falado pela mídia, mas possui extrema importancia para o Brasil, afinal um dos três detentores de título do país colocará seu cinturão em jogo.

Renan Barão venceu Urijah Faber em julho passado e conquistou o título interino do peso galo, já que o campeão linear, o americano Dominick Cruz vinha de uma série de lesões e não estava apto para lutar. A luta entre o brasileiro e o americano poderia estar próxima de acontecer, porém quando estava de volta aos treinos, Cruz sofreu mais uma grave lesão no joelho. Sendo assim, Dana White resolveu colocar Barão para lutar mais uma vez e defender o seu cinturão interino. O adversário será o americano Michael McDonald.

Vou confessar que o embate promete ser bastante chato, afinal, ambos os atletas têm como característica fazer uma luta conservadora. Os dois são bons lutadores, são completos tanto na parte de trocação quanto no chão. O equilíbrio será grande, porém vejo o brasileiro como favorito por ser mais experiente e ter vencido adversários muito mais complicados que McDonald.

Os dois possuem apenas uma derrota no cartel e essa derrota do americano foi para Cole Escovedo, que já enfrentou Barão e foi massacrado os três rounds. Acho que não terá grandes surpresas e se tudo ocorrer como o esperado, Renan Barão deve fazer de McDonald um simples "Chicken Mc Júnior". Acredito que o confronto terá os cinco rounds.

Outros brasileiros

O evento contará com a presença de mais dois brasileiros. De volta ao UFC pela terceira vez, Jorge Santiago enfrenta o islandês Gunnar Nelson em um combate válido pelo pess meio-médio. Acredito em Santiago devido a experiência. É um atleta rodado e tem bons recursos para vencer Nelson. Outro brasileiro será o ex-TUF Brasil Reneé Forte que enfrentará o atleta da casa Terry Etim pelo peso leve. Vejo o inglês melhor e favorito para o confronto. Forte deverá ser um mero coadjuvante no octógono.

Card completo do UFC Londres

CARD PRINCIPAL
Renan Barão x Michael McDonald
Dustin Poirier x Cub Swanson
Jimi Manuwa x Cyrille Diabate
Gunnar Nelson x Jorge Santiago
James Te Huna x Ryan Jimmo
Che Mills x Matt Riddle

CARD PRELIMINAR
Terry Etim x Renée Forte
Paull Sass x Danny Castillo
Andy Ogle x Josh Grispi
Tom Watson x Stanislav Nedkov
Vaughan Lee x Motonobu Tezuka
Ulysses Gomez x Phil Harris

UFC marca grandes confrontos

O ano não tem pausa para a galera do Ultimate, principalmente para Joe Silva, responsável pelo casamento de lutas. E nesta semana foram divulgados confrontos importantes para os brasileiros.Pezão nocauteou Overeem, calou a boca do holandês falastrão e ganhou a tão sonhada chance de disputar o cinturão contra Caín Velasquez, no UFC 160, em 25 de maio. Os dois já se enfrentaram no UFC 146 e na ocasião o americano atropelou o brasileiro. Dessa vez, "Big Foot" garante que será diferente. Ele não é o favorito, mas já mostrou ao mundo que é capaz de surpreender a todos.

Outro confronto importante marcado para este evento será o de Júnior Cigano, que enfrentará o derrotado Overeem. Já era para os dois terem se enfrantado, mas devido ao amor de Alistair por anabolizantes e drogas, a luta teve de ser cancelada. Dessa vez o embate deve acontecer e promete. Se Cigano vencer, deverá ganhar a chance de disputar uma trilogia contra Caín ou um inédito confronto contra Pezão, pelo título.

Por fim, outra grande luta será a de Vitor Belfort contra Luke Rockhold, ex-campeão do Strikeforce. Se vencer, o fenômeno deve disputar o título dos médios. O combate ainda não tem data, mas deve acontecer no Brasil, em Jaraguá do Sul (SC).
_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.




por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Comentário da Redação > Se não tem qualidade, vai na raça mesmo

Após 4 anos sem estar na Copa Libertadores, o Palmeiras reestreou na competição nessa quinta-feira diante do Sporting Cristal do Peru no Pacaembu. Infelizmente, as condições do time hoje são bem diferentes das condições passadas, onde o clube jogava a competição continental com o objetivo único e exclusivamente de ser campeão. Dessa vez, a equipe busca apenas uma boa campanha para que possa ter forças extras para a segunda divisão do Brasileirão. Mas o que importava no jogo contra o time peruano era a vitória, independente da forma que ele viria. E ela veio. Foi 2 a 1 para o Palestra em um jogo onde os jogadores supriram a falta de qualidade com raça, muita raça. O jogo foi marcado pela estreia de muitos reforços e uma nova formação tática, mais defensiva, que no final acabou dando certo.

O jogo começou morno, com bola muito concentrada no meio de campo devido a falta de qualidade em ambas as equipes. Mesmo assim, era obrigação do Palmeiras sair para o jogo, afinal, querendo ou não, era uma equipe mais forte e acima de tudo jogava em casa. O primeiro a levar perigo ao gol peruano foi o volante Souza, que finalizou um lance na entrada da área e a bola passou rente a trave. Depois, Patrick Vieira e Wesley tiveram chances para abrir o placar, mas nada. Do outro lado, poucas finalizações do Sporting, que apostava sempre em ligações diretas e finalizações de fora da área.

O ideal para o Verdão seria virar o primeiro tempo pelo menos vencendo, para que não voltasse com muita pressão para a etapa final e como já sabemos a torcida palmeirense é muito exigente, e o apoio poderia virar vaias. Pois bem, a equipe fez esse gol. Wesley cobrou escanteio e o nosso "artilheiro" Henrique abriu o placar de cabeça (Chupa Barcos). Ainda antes de terminar a etapa, a equipe teve seguidamente, três chances de aumentar o placar, com Patrick Vieira, Souza e Vilson, respectivamente, mas o jogo acabou "virando" com 1 a 0 mesmo.

A segunda etapa teria que ser uma afirmação palmeirense no jogo, mas não foi isso que aconteceu. O Sporting começou melhor e conseguiu empatar de pênalti com o meia Lobatón. A equipe peruana até começou a fazer pressão, mas a virada não veio. Kleina resolveu sacar um volante e colocar o jovem centroavante Caio. Deu certo, afinal, até então a bola batia e voltava, e não havia ninguém para fazer a tão conhecida parede.

E ele foi fundamental no segundo gol do Verdão, em que, após cruzamento de Marcelo Oliveira, o Caio fez o "pivô" e rolou para Patrick Vieira soltar o canhão e colocar o Palmeiras na frente. A equipe teve mais chances de matar o jogo, mas não conseguiu. Do outro lado o Sporting também exerceu uma pressão, tentou, mas não empatou (Graças a Deus). No fim, uma vitória que poderia ter sido muito mais tranquila, mas o que importa são os três pontos.

O Palmeiras volta a campo no domingo para enfrentar o Corinthians no próprio Pacaembu. Uma vitória no "Derbi" seria maravilhoso, mas o rival é o favorito, pelo momento e pelos jogadores. Pela Libertadores, o Palmeiras volta a campo dia 28 deste mês no Paraguai para enfrentar o Libertad.

Conceitos

Fernando Prass - REGULAR: Não comprometeu, mas demonstrou insegurança em vários lances. Não confio nele.
Weldinho - BOM: Chegou com moral, tomando o lugar do tão badalado Ayrton. Jogou bem, deu bons passes e não deixou espaços pela direita.
Maurício Ramos - RUIM: Não conseguiu ganhar uma disputa de bola no jogo tanto no chão quanto nos lances aéreos.
Henrique - ÓTIMO: Começou como zagueiro e terminou como meia criador. Foi bem em ambas a posições. Mais uma vez foi fundamental no jogo marcando o primeiro gol. É o nosso artilheiro e com a saída de Barcos se tornou o único jogador que podemos chamar de "ídolo".
Marcelo Oliveira - REGULAR: Apesar do pênalti, esteve bem em campo. Sua experiência foi fudamental, principalmente para segurar a bola no final do jogo.
Vilson - BOM: Começou como volante e terminou na zaga. De qualquer forma, demonstrou ser um jogador que sabe sair para o jogo, marcar. Além de tudo, me parece ter uma boa qualidade de passe.
Márcio Araújo - REGULAR: Não esteve tão bem como nos últimos jogos. Isso se deve ao fato de ter voltado a ser um homem apenas de marcação, sem saída para o jogo.
(Caio) - BOM: Participou diretamente do segundo gol, fazendo a parede para o Patrick Vieira.
Souza - BOM: Foi um dos melhores em campo. Marcou bem, quase fez gol e levou perigo ao adversário com sua perigosa bola parada.
Wesley - BOM: Teve o papel exclusivamente de criar. Não tem tanta qualidade para isso, mas por ser veloz, conseguiu levar perigo ao adversário com bons passes. Cobrou o escanteio no primeiro gol da equipe e começou a jogada do segundo.
Patrick Vieira - BOM: As melhores jogadas sairam de seu pé. Não se assanhou por estar jogando uma Libertadores. Mostrou qualidade e fez o segundo gol da equipe. Um belo gol por sinal.
(João Denoni) - SEM CONCEITO: Entrou no fim apenas para aumentar a marcação no meio-campo.
Vinícius - REGULAR: Por ter velocidade, acaba rendendo mais quando joga como um atacante pelas pontas. No jogo desta quinta fez a função de centroavante, a mesma que exerceu na Copinha. Não deu muito certo novamente, por ser um jogador mais baixo e não ter um porte fisíco elevado. Teve sua importância no primeiro gol, pois participou da jogada que gerou o escanteio e respectivamente a entrada da bola na meta adversária.
(Ronny) - BOM: É um jogador veloz, e melhorou muito o time após entrar em campo. Criou boas jogadas que poderiam ter acabado em gol.
Téc. Gilson Kleina - REGULAR: Achei que escalou um time muito defensivo. Poderia ter tido mais ousadia. Eu entendo que a carência de bons jogadores é grande, mas poderia ter arriscado um pouco mais, começando o jogo com dois atacante em vez de um só.


Se sua vida é o Palmeiras, curta a página: www.facebook.com/palmeirasminhavidaevoce.

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.


por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Gringolaço > Manchester sai "vitorioso" de empate em Madrid

No principal jogo da primeira semana de duelos de oitavas de final da Champions League, o Manchester United conseguiu um bom empate jogando em Madrid contra o Real: 1 a 1.

Os dois gols do jogo foram marcados de cabeça e no primeiro tempo. Welbeck abriu o placar para os Red Devils logo aos 20 do primeiro tempo e já deixou o jogo a feição para os ingleses que foram claramente se defender em Madrid, apesar do esquema sem pé nem cabeça armado por Alex Fergunson, com 4 atacantes (alguns escalados para marcar, caso de Rooney e Kagawa).

Aos 30, Cristiano Ronaldo testou bonito para empatar o jogo. O português não comemorou o gol diante do seu ex-clube. Ele fez mais uma boa apresentação e certamente despertou um sentimento de nostalgia no torcedor do Manchester.

O placar ficou de bom tamanho para o United por vários motivos, não somente por ter encarado o time merengue no Bernabeu. O Real dominou o jogo praticamente durante os 90 minutos e o goleiro David De Gea foi o nome do jogo, com defesas incríveis.

É verdade que o Manchester perdeu algumas chances até mais claras de marcar o segundo gol, mas no geral o mais justo seria um triunfo madridista. No jogo de volta, em Manchester, um empate sem gols garante a vaga ao líder da Premier League.

Lucas: nem parecia estreia de UCL


Lucas fez o primeiro jogo de sua carreira em uma Champions League. Mas nem parecia, pois o meia do PSG sentiu zero de pressão. Com bola na trave e passe pra gol ele foi um dos destaques no duelo contra o Valencia, fora de casa. Os franceses venceram por 2 a 1 e estão bem perto das quartas de final. Destaques também para Pastore, que voltou a ser titular, marcou um gol e deu passe pro outro, de Lavezzi. E nota negativa para o maluco Ibrahimovic, expulso nos acréscimos do jogo sem necessidade nenhuma.

Dortmund em vantagem

Na Ucrânia, o Shakhtar Donetsk ficou no 2 a 2 com o Borussia Dortmund. O time do Shakhtar fez sua primeira partida sem Willian, que foi pro Anzhi, e com Taison no ataque. Srna e Douglas Costa marcaram para os mandantes, enquanto os alemães marcaram com Lewandowski e Hummels. Jogando agora na Alemanha, nada indica que o Dortmund perderá a vaga.

Juve lá

Em Glasgow, o Celtic nem passou perto daquele time que venceu o Barcelona na fase de grupos. A Juve aproveitou e venceu por 3 a 0, gols de Matri, Marchisio e Vucinic. Essa já era.

Fotos: AFP
____________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


por Ricardo Pilat | pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat